Meu Chefe me Comeu o Rabo


Click to this video!

Meu nome é Carla, tenho 26 anos, noiva a três meses. Me lembro que era uma quarta-feira, já havia combinado com meu noivo de irmos em um bom restaurante depois do trabalho.
Bom, neste dia eu estava com uma saia social preta ela tem um corte na lateral, que me deixa extremamente sensual; uma blusinha de botões branca e salto alto.
Me sentia mais safada naquele dia, não sei porque, mas estava prontinha para o meu noivinho, bom, era o que eu pensava. Maurício, meu chefe; não parava de me olhar neste dia, ficamos numa sala única onde trabalham mais 5 pessoas naquele espaço.

Foi só eu ficar on-line no MSN que logo recebi uma mensagem de Maurício me elogiando e dizendo que não conseguia parar de me olhar. Juro ter ficado meia sem jeito, mas no fundo gostava daqueles elogios. Uma conversa foi se seguindo e ele não parava se soltar elogios safados e num momento ele disse que adoraria saber o que eu estava usando por baixo da roupa. De minha mesa eu o olhei rapidamente lhe soltando um sorriso e respondi “meias 7/8, cinta-liga e calcinha preta, sutiã meia taça na mesma cor”.

A conversa estava me deixando super excitada e Maurício dizia claramente que estava de pau duro, quando ele disse que estava louco para me comer, minhas pernas tremeram e minha xaninha estava quente e úmida, também desejando aquilo. Eu apenas respondi dizendo que a conversa estava me deixando com sede e iria beber uma água na copa, travei a máquina e levantei-me, passei desfilando em sua frente lançando um olhar safado.

Na copa fiquei pensando no que estava fazendo e sentindo, tentava me represar mas já era tarde demais, pois logo senti o corpo de Mauricio se encaixando no meu, me encoxando e roçando seu pau duro na minha bunda. Me arrepiei todinha, sua boca mordiscava minha orelhinha e suas mãos preenchiam meus peitos apertando-os bem gostoso.

Eu gemia baixinho rebolando e esfregando minha bunda no pau de Maurício que dizia vulgaridades eu meu ouvido me deixando louquinha. Virei-me de frente para ele e começamos a nos beijar de forma ardente, ele me encostou na pia e me pressionava fazendo sentir seu cacete duro roçando em minha perna, que loucura!

Voltando para a razão disse a ele que teriamos que sair dali, pois era extremamente perigoso. Ele me lançou um olhar que me fez tremer na base, me segurou firme pelo braço e puxou-me até a porta da escada de incêndio que era ao lado. Ele abriu-a e me empurrou para a escada, a porta mal se fechou e ele já me encostava contra a parede, me beijando e abrindo minha blusinha.

Logo o safado estava chupando meus peitos, arrrh que delicia, o medo de aparecer alguém me corria, mas já se transformando em puro tesão. Ele enfiou a mão por debaixo de minha saia alcançando minha xaninha e por cima da calcinha esfreva seus dedos, eu estava ensopadinha.

Maurício tirou seu pau para fora e logo que bati os olhos naquele lindo cacete abaxei-me e me pus a chupá-lo com gosto e intensidade, chupava-o todinho. Chupava seu saco, o punhetava e sua expressão de maníaco me deixava mais safada.

Ele me levantou com violência me segurando pelos braços, encostou-me na parede de costas pra ele e puxou minha calcinha a rasgando num golpe rápido. Me encoxou e ficou roçando em mim, sentia sua rola no meio da minha bunda, e eu subia e descia me esfregando nele, rebolava bem gostoso no seu pau ao som de pedidos carinhosos como “rebola sua puta safada” e tapas bem fortes que me levavam a insadinade mental.

E rebolando no seu cacete eu suplicava para ele me comer, ele ria sorria sarcasticamente e vinha beijando e mordendo meu pescocinho, sentir aquela barba rala roçando em meu pescoço era demais! Adorava aquilo, que macho mais delicioso! E então ele ajeitou sua rola na minha xaninha e numa estocada socou tudo, tampou minha boca instantaneamente, pois de fato soltei um grito, mas que foi logo abafado por ele.

Maurício seguia bombando, bombando forte e enquanto estocava sua rola eu sentia também um dedo safado entrando no meu cuzinho, eu começava a suar frio, com medo de sua intenção porque nunca havia dado a bundinha. Ele não parava de meter, era um animal, senti ele lubrificar meu cuzinho com seu cuspi e nesta hora comecei a me debater dizendo não, mas ele me segurou firme e tirando seu cacete da minha xaninha estocou forte na minha bunda!

Nossa sentia ele me rasgando todinha, veio aquela dor descomunal, mas depois não sei se acabei perdendo os sentindos, mas começava a gostar de levar um cacete na bunda e o danado já começava bombar, fodendo minha bunda e não parava de enchê-la de tapas.

Sua mão me envolveu e seus dedos massageavam intensamente meu grelo enquanto ele socava a rola na minha bunda, gozei neste momento, nossa e que gozada, minhas pernas ficaram moles e eu era arremeçada contra a parede a cada estocada dele, até que ele gozou enchendo minha bundinha de porra, que delicia!!

Ele se afastou tirando seu pau, ria sozinho, tinha o olhar e o sorriso safado e sarcástico, abaixei minha saia, ajeitei os seios no sutiã e fui fechando a blusinha, sorriamos um para o outro sem nada a dizer. Fomos descendo as escadas, até que me assutei ao lembrar da calcinha no chão rasgada e falei “ah minha calcinha preciso voltar”, foi então que escutamos passos, fiquei vermelha na hora, de vergonha, medo e continuamos descer até o térreo, já era quase hora do almoço aproveitamos e saímos pra almoçar e básico, demos mais uma num motelzinho perto da empresa, o almoço fui eu rs…

Fico pensando quem achou minha calcinha? rs… O Seu Francisco que é o Faxineiro anda me olhando meio diferente depois deste dia. Rs… Espero que tenham gostado do relato! Comentem!