Foi Roubar, e foi arrombada!


Click to this video!

Sim! É como diz o título foi roubar, e foi arrombada . Isso ocorreu, a mais ou menos um ano, no sitio do meu tio Adamastor. Eu trabalho com ele desde os 17 anos; sempre curti a vida no campo; cuidar do galinheiro, dar comida para os bichos e sem contar a liberdade que você sente ao caminhar na área verde. Meu tio era um cara bacana, mas sempre reclamava que estavam furtando algumas bananas da sua plantação, mas ele nunca tinha certeza. Resolvi, então, que eu mesmo me encarregaria de encontrar o tal larápio; se é que ele existia… Eu mesmo elaborei um plano simples, sendo que já tinha quase que certeza de quem era o tal larápio das frutas, mas tinha que confirmar…
-Será que são eles mesmos? Não é possível…Será que seriam capazes? Ia falando no caminho, comigo mesmo. Desconfiava de uns meninos que viviam numa chácara vizinha, não moravam ali, mas todo o final de semana arrumavam um jeito que aparecer por aqui. Eram conhecidos do meu tio, mas não tínhamos muito contato. Digamos que eram 3 irmãos, um de 11 anos, outro de 09 e a mais velha de 16. Desconfiava deles, mas logo desistia da idéia Ela já era bem velhinha pra roubar frutas, ainda mais bananas… Mas naquela tarde fiquei a espreita, entrei no galinheiro, que não ficava perto, mas era o único lugar de onde poderia ter uma boa visão das bananeiras do meu tio. Esperei desde as 13:38 até as 16:30, então desisti; Resolvi deixar a busca para outro dia. No outro dia a mesma espera, mas desta vez estava com sorte. Já estava cochilando quando ouvi alguns estalidos, e algo que pareciam passos. Movi-me o mais sutilmente que pude, e olhei pela janelinha…Pronto! As minhas previsões estavam corretas, era a tal, mas estava com o irmão mais novo. Tentei dar um susto neles. Peguei a espingarda, que estava vazia, e me dirigi até eles, mansamente. Como nos filmes de guerra, fui me escondendo por detrás das outras bananeiras, então me aproximei e disse: -Peguei os ladrãzinhos de banana….hein! Ela ficou pálida, o garotinho então quase desmaia. -O que foi, podem roubar esse sítio aqui não é público. Pode ir todo mundo chegando, metendo a mão! Ela ainda tentou justificar-se: -Desculpa, não sabia que ia causar tantos prejuízos…é que…eu e adoro banana, e como vocês tem tantas, achei que algumas não fariam tanta falta assim… Nisso atentei-me à parte em que ela disse adoro banana , resolvi aproveitar o momento. Então comecei a improvisar um novo plano: E você moleque? O que ainda esta fazendo aqui parado? Vá simbora daqui! Vá e não diga nada a ninguém. Que prometo que te dou uma penca de bananas pra você levar para casa! Nisso ela empolgou-se: -Puxa! Brigada, ficaríamos muito felizes! -Falei contigo? Estou falando com o moleque. Contigo resolvo depois. E você? O que ainda faz aqui parado? Nisso o gurizinho sumiu na carreira. E eu comecei meu novo plano; -Quer dizer que gosta de bananas, né? -Sim, mas não é nada do que você esta pensando! -Eu? No que acha que estou pensando? -Em nada, agora já vou! -Hei, onde pensa que vai? Neste momento a puxei pelo braço: -Como pode querer sair assim, sem mais nem menos. E Meu prejuízo? Ela disse: Foram só duas bananas, deixe de ser fresco! Fique puto, fresco? Nisso resolvi entrar no jogo dela; -Mas aqui no sítio do seu Adamastor, ninguém come sem dor. Nem leva apenas duas bananas, mas três… Foi então que a descarada puxou outra banana do cacho e disse: -Pronto! Agora tchau. A safada sabia como enrolar; -Hum! Metida à espertinha né? Se é que é esperta mesmo, deve estar entendendo qual banana eu quero que você coma. Ela riu, e na maior cara de pau disse: Bah, essa daqui tem mais futuro! A safada sabia muito bem o que eu queria; Então eu disse: Vamos fazer um acordo. Eu levo um cacho de bananas todos os dias pra você, sem cobrar nada. Basta apenas descascar a minha. Pode ser? Ela fez uma cara de galinhazinha pensante, mas logo respondeu; -Bem, como adoro essas bananas daqui; vale o sacrifício. Nisso ela começou a abrir minhas calcas, tirou meu cinto puxou minha cueca para baixo e começou a segurar meu pau. Acho que perdi o total controle da situação. A mão dela estava meio grudenta, devido ao leite que sai da casca das bananas, mas mesmo assim estava maravilhoso. Nossa! Ela fazia os movimentos de vai e vem com as mãos com uma delicadeza que eu jamais havia sentido; aquela mãozinha deliciosa mexendo no meu pau…Minha nossa! Fechei meus olhos, pois ela sabia fazer aquilo melhor do que eu, nos meus momentos reservados com as minhas revistas secretas. Estava prestes a ter a gozada mais maravilhosa da minha vida; quando sinto algo quente envolver meu pau. Abri os olhos na hora, e vi que ela estava chupando minha pica igual às bezerrinhas do titio, quando estão mamando. Aquilo era incrível era como se meu corpo todo flutua-se… A Sensação mais maravilhosa que já havia sentido em toda minha vida! Depois comecei a sentir o gozo chegando, preferi não avisa-la queria esporrar na cara daquela vaca. Então, quando menos esperei; -AAAAAAHHHHHH! ISSO SUA PUTA SAFADA, TOMA MINHA PORRA VAQUINHA SAFADA! Ela levantou-se, ainda um pouco lambuzada, mas foi logo se limpando; -Gostou do meu pagamento? Caipira! Ainda posso te dar muito mais, só depende de você! Nisso fiquei maluco, pensando no que mais poderia oferecer aquela belezura. Mas enquanto eu já pensava na próxima, ela já arrumava-se para ir embora; nisso meu pau já estava latejante, não poderia parar assim, aqui. Esta era a chance de enfiar meu pau em uma boceta de verdade. Chega de bezerra. Então, disse: -Bem, estou sem outra forma de pagamento, mas estou doido pra enfiar nessa sua boceta… Ela ficou assustada, mas logo disse: Hahahaha…comer minha boceta? Isso aqui não é pro seu bico! Ela falava isso com uma carinha de puta, que só ela. Então, agarrei ela pela blusa e comecei a amassar seus peitos. -Ei ! O que você esta fazendo? Não pode fazer isso comigo, eu chamo meus pais. Mas eu não desistia, aquilo era muita tentação para um jovem cheio de desejos. -Agora não dá, minha banana está querendo comer também. Tirei a blusa dela, depois puxei sua saia até nos joelhos. Ela fingia resistência, mas também estava louca para dar. Comecei a passar a mão por todo seu corpo, descia dos seios até sua xaninha, ainda com pelinhos ralos. Nossa! Que tesão. Já não falava mais por mim, meu próprio corpo me guiava. Meus dedos foram deslizando para dentro daquela xaninha deliciosa, comecei a enfiar meio que devagar, depois comecei a acelerar um pouco. Nisso, digo para ela que não agüento mais, que vou come-la ali mesmo, e ela diz: -Não! Pode chegar alguém, seu tio, meu pai…Não Sei, é melhor não. Dou pra você em outro dia. Mas quem disse que eu ouvia; acho que meu pau é surdo, por que assim que ela terminou de falar, tirei toda minha calça mandei ela ficar na posição de cachorrinha. Ela sempre dizendo que não podia, não sei o que. Mas ia abaixando. E quando abaixou-se totalmente, Nossa! Quase gozo novamente ao ver aquela boceta e aquele cuzinho bem na minha frente. Aquilo era o paraíso. Comecei a passar meu pau bem na portinha da sua xana.E ela: -Para, eu não quero! Então comecei a deslizar a cabecinha bem devagarzinho e ela gemia: -Paraa… eu não quero…Paraaaa Aquilo me deixava louco, e comecei a bombar. Agarrei ela pelos cabelos e comecei a puxa-la em direção ao meu corpo. Naquele movimento frenético ela não resistiu e gozou: -Ahhhhhhh Mas eu não! Continuei metendo o mais fundo que podia, metia e sentia cada centímetro daquela rachadinha macia e quente, aquele cuzinho que estava aberto bem a minha frente soltava um perfume maravilhoso…humm. Tive vontade de lambe-lo, mas pela posição era impossível, então, levantei-me e logo ela perguntou: -Ei! Onde pensa que vai? Agora que estou quase lá, você vai embora? -Espera sua puta, so vou dar um jeito de comer seu cuzinho gostoso. Então arranquei uma banana e voltei e enfiar meu pau na sua xaninha. E fui metendo lentamente a bananinha no cuzinho da ordinária. E Ela começou a frescura: O que é isso? Para, meu cuzinho não vai agüentar. Para. Comecei a enfiar com mais velocidade na sua xana, e a banana no seu cuzinho. Estava ficando louco. Nisso acelerei feito um animal no cio. Foi quando senti todo meu corpo desfalecer e meu pescoço ficou quente feito brasa: Ahhhhh…Vou Gozar Levantei-me e Plaft! Gozei na cara da puta! Nossa! Na hora quase caio das pernas, mas me mantive de pé, e com a banana nas mãos. Descasquei e passei na porra que estava na cara dela: -Pronto! Coma esta banana como pagamento… Ela sorriu e disse: -Humm! Delícia, agora sempre vou querer essa banana caramelada. Agora sempre que posso levo algumas bananinha para minha vizinha, será que devo? hehehehe