Estupraram A Minha Irmã Na Minha Frente


Click to Download this video!

ISSO É UMA COISA QUE A GENTE DESEJARIA ESQUECER. MINHA IRMÃ ATÉ HOJE É MEIO PANCADA POR CONTA DESSE FATO. MAS EU ME MASTURBO QUANDO LEMBRO DOS DETALHES. POR ISSO RESOLVI COMPARTILHÁ-LO COM VCS.
Tinhamos 13 e 15 anos (eu/ela). Morávamos só com nosso pai. Estudavamos de manhã e meu pai trabalhava do meio-dia as 9 da noite. Quando a gente chegava da escola, ficavamos a sós até ele chegar.
MINHA IRMÃ ERA (ainda é) MUITO GOSTOSA: SEIOS DUROS E GRANDES, RABÃO E BUCETINHA TODA PERFEITINHA ( Eu adorava bisbilhotar minha irmã quando mudava de roupa e tomava banho. Me masturbava observando ela escondido.

Neste dia, chegamos e notamos que a fechadura tava quebrada, girava direto e a porta estava aberta. Minha irmã falou que poderia ter quebrado quando o papai saiu. Entramos, eu fui pra cozinha e ela foi ligar pro papai.

Quando entrei na cozinha deparei com um negão alto e forte que me segurou e tapou minha boca. Ouvi minha irmã gritar por um segundo e silenciar. O Negão me levou pra sala e vi minha irmã segura por dois outros negões, que a agarrava forte e tapava sua boca.

Ela se debatia muito, lutou bastante mas foi sossegada por um tapa de um dos negoes. Ele meteu a mão por baixo da saia da minha irmã e arrancou-lhe a calcinha e com ela a amordaçou colocando-a na boca dela e passando varias veses fita adesiva que eles tiraram de uma mochila.

TINHAMOS VINDO DA ESCOLA E MINHA IRMÃ ESTAVA DE MINI SAIA DA ESCOLA E BLUSA BRANCA DE BOTOES NA FRENTE ( tipo colegial normalista ).

Eu ouvia eles dizerem que o “banquete” ia ser de primeira. O negão que tava comigo colocou uma arma na minha cabeça e me mandou ficar calado e quieto, eu concordei. Levaram minha irmã e eu pro quarto do papai.

Me sentaram numa cadeira e jogaram minha irmã na cama, o maiore deles desabotuou as calças e minha irmã se desesperou, eles ficaram brincando com ela, toda vez q ela levantava eles a empurravam de volta. Até que ela cansou e ficou só chorando.

Eles usaram a fita adesiva pra prender os punhos dela na cama. Dois seguraram as pernas dela bem abertas, quase rasgando ela e o maior abriu as calças e colocou pra fora um cacete quase do tamanho e da espessura da perna da cama.

Ele levantou a saia dela, encostou o pau na buceta dela, se debruçou sobre ela e apertando os peitos dela ele começou a lambe-la. Segurou a blusa dela e com as duas maos a rasgou num unico puxão. Fez o mesmo com o sutiã dela, e passou a cupar, lamber e morder com força os peitos da minha irmã.

Ela tentava em vão se libertar. Os que seguravam as pernas dela também davam chupões nela, a mordiam.

Ela ficou toda cheia de marcas roxas dos chupões e marcas de dentes nos peitos, barriga, bunda, perna, pescoço.

O Grandão mandou que os caras a segurassem firme e mandou que eu olhasse pra ele e disse: (nunca me esqueci desta frase) OLHA FUDIDO, FICA OLHANDO EU FAZER UM SOBRINHO PRETAO PRA VC NA SUA IRMÃZINHA CABAÇO !!!!

Ele cuspiu na mao e na xota da minha irmã que chorava e ainda tentava se soltar, ele encaixou o pau lá e disse: CARBE NOVA E DE PRIMEIRA !!! E meteu de uma só vez.

Minha irmã sentiu tanta dor e fez tanta força com o grito que parte da fita rasgou. O cara socava nela com força e urrava, os outros dois a soltaram e ela ficou como se fosse uma boneca arreganhada, durinha de pernas abertas.

O cara disse bem alto que tava gozando dentro dela. Sem tirar o pau de dentro ele voltou a comer minha irmã, se apoiou sobre os seios dela e os apertava e os puxava pra cima com força, num momento ele chegou a levantá-la pelos seios.

De onde eu tava dava pra ver que os seios dela estavam sangrando e a buceta dela, parte da barriga e o pau do cara tambem estavam sujos de sangue.

Do nada a pena que estava sentindo da minha irmã ia se transformando em tesao e meu pau começou a ficar duro.

O cara disse que havia gozado de novo dentro dela, mandou os caras a deitarem de bruços. Ela estava toda arrebentada e sem forças. Sem a mordaça eu ouvia ela pedindo pra pararem chorando.

Então o negão sentou sobre a bunda dela, melou tudo e meu no cu dela, minha irmã gritou mas foi “abafada” por um dos outros caras. O negao dizia que o cu dela era muito apertado. Abriu caminho algumas vezes com o dedo e a penetrou fundo.

Ele comeu o rabo da minha irmã. Derepente ele saiu do cu dela, a virou de peito pra cima, sentou nas coxas dela e começou a espancá-la.

Meu pau tava pra explodir, eu não estava entendemdo nada. Ele arrebentou ela e ela desmaiou.

Um dos caras notou que meu pau tava duro me puxou pelos cabelos e me jogou em cima da minha irmã e o negão mandou eu comer ela e eu fiz. Eles riam muito, eu olhava pra ela e nao entendia o porque de eu sentir tesão e não dó dela. Gozei dentro dela e fui retirado de cima dela na marra e me jogaram no chão.

O negão que pegou minha irmã me pegou e me sentou de volta na cadeira enquanto os outros dois, ao mesmo tempo detonavam minha irmã.

Comeram o cu, a xota e a boca dela. Morderam e chuparam ela toda e ainda a espancaram tambem. Arrastaram ela pelos cabelos até o cando do quarto e mijaram em cima dela dando chutes nela.

O negão veio pra mim, colocou o pau pra fora e me mandou chupa-lo pra limpar o sangue da minha irmã do pau dele. Me recusei, então ele chamou os caras que me seguraram, abriram minha boca com as mão e o cara meteu na minha boca.

Socou varias veses, vomitei pra caralho e então ele goou na minha boca. Ouvi quando os outros disseram que queiam também, mas um barulho alto vindo do fundo de casa fez eles pararem, observarem e irem embora com as mochilas cheias de coisas de casa.

Depois de tudo eu nao chamei ajuda. Puxei minha irmã a ajeitei no chao mesmo deitada e a comi novamente, varias veses no cu, na buceta e na boca, gozei pra caralho, depois que acabei, me levantei, chamei o papai e disse o que havia acontecido.

Dae em diante foi aquela alvoroço todo.

Minha irmã que ra lindinha, pele de veludo sem marcas, toda perfeitinha, tava toda arrebentada, toda roxa, milhares de mordidas no corpo, até nos pés. Deram uma mordida tão forte na buceta dela que cortou um pedaço, quase arranca o pedaço.

Até hoje não entendo.

Eu não sinto repulsa pelo que houve. Até hoje me excito ao lembrar dos detalhes que nunca sumiram da minha mente.

Hoje ela é casada e mora fora do Brasil e eu fiqeui aqui, casado e batendo punheta direto lembrando da cena.