3 caras me usaram como uma puta


Click to Download this video!

Oi, quando isso tudo aconteceu eu tinha 18 anos e eu era uma loirinha querendo ser safada, mas acabei me dando mal e caindo nas mãos (ou nos paus) de uns caras que me usaram e fizeram o que quiseram de mim.
Tinha essa balada aqui em Sampa que eu ia sempre com as minhas amigas, mas nesse dia eu fui sozinha. Como eu fui sozinha, eu acho que acabei bebendo demais pq não tinha com quem conversar. Eu fiquei sentada num sofá uma hora com meu copo de vodka passando meio mal até que chegou um cara pra me xavecar.
Ele era fortão e eu falei que tava a fim de me divertir. Ele perguntou o que eu queria fazer e eu falei, “meu eu tenho só 18 anos, eu não quero namorar nem nada, só quero me divertir” e perguntei se ele queria um boquete. Ele ficou louco quando ouviu aquilo, tentou me beijar, mas eu falei que realmente não tinha vontade de beijar, nem de fazer mais nada, só topava um boquete mesmo.

Ele falou pra ir na casa dele, que ele morava lá perto. Eu topei e nós fomos. Entramos no carro e ele já tirou o pau pra fora que eu fui chupando por uns 3 minutos até chegarmos na casa dele. Ele tirou o pauzão dele pra fora e eu passei e ajoelhei pra chupar ele. Tava chupando quando ele me deu um tapão na cara e falou:

– Não é pra usar as mãos não, putinha

Colocou minhas mãos atrás das costas e eu fiquei rindo. Antes que eu percebesse ele me algemou. Eu achei engraçado e continuei chupando sem as mãos, com aquela dificuldade pra pegar o pau dele de volta quando caía da minha boca. O que eu não pensei é que eu estava totalmente submissa a ele, algemada e que ele poderia fazer o que quisesse comigo àquela altura. E ele fez. Logo depois que eu estava algemada ele pegou uma câmera e começou a me filmar fazendo o boquete. Quando eu percebi ele disse:

– Isso ai putinha, agora vc vai ser uma estrela pornô. Chupa gostoso vai.

Eu tirei a boca do pau dele pra reclamar:

– Ai, por favor, tava tão gostoso, vamos continuar, não me filma não vai.
– Se vc fizer tudo que eu mandar direitinho eu apago o vídeo depois.
– Ai pra que filmar? Eu juro que faço tudo que vc quiser vai.
– Se vc jura, então para de reclamar e chupa, vai vagabundinha, que depois eu apago.

Falou isso e puxou minha cabeça pra eu chupar de novo, eu não tinha mãos pra me apoiar, então cai literalmente de boca no pau dele, contra a minha vontade. Continuei chupando e ele mudou de idéia:
– Quando vc acabar de chupar vou só chamar um amigo meu pra ele assistir o vídeo e depois que ele assistir eu apago.
Ele estava me puxando pelo cabelo pro pau dele, então tudo que eu consegui responder foi:

– Mmmf, pomrmr fammvor nammmmão

– Fala vai, eu deixo vc falar.
Eu respondi enquanto ele me dava uns tapas na cara:
– Por favor, vai. Deixa eu ir embora depois de chupar seu pau. Eu só queria me divertir
– Eu até deixo, mas daí não vou apagar vídeo nenhum, pq eu quero mostrar pro meu amigo.
Eu fiquei só com uma cara de vadia estúpida e ele me puxou pra chupar o pau dele. Enquanto eu chupava ele ligou prum amigo:

– Falai, to com uma putinha aqui no meu ape, algemada, louca pra fazer boquete pra todo mundo. Cola ai.

Depois de desligar ele rasgou a minha blusa, pq eu tava algemada e não ia ter outro jeito de tirar. Tirou minha calcinha tb e eu fiquei só com a minha sainha preta. Depois ele posicionou a camera direito e levantou:

– Vou te mostrar o que é bom agora, puta. Deixa eu te bater com o meu pau slash slash slash slash hahahaha slash. Vem cá, chupa meu saco que senão eu vou gozar e eu quero esperar meu amigo chegar pra gozar.

Obedientemente, eu fiquei lá chupando o saco e as bolas dele, me sentindo humilhada, querendo ir embora, mas como estava algemada não tinha o que fazer além de obedecer.

Uns 2 minutos depois o amigo dele chegou. Ele mandou eu ir andando de joelhos sem soltar o pau dele da boca até chegar na porta. Quando abriu a porta era 2 amigos e não só um, dois negões de 1,90 cada. Eles deram várias risadas de mim e um deles já chegou e me deu um tapão na cara. O primeiro falou:

– Cumprimenta eles com um beijinho vai.
Eles abriram a calça e eu tive que dar um beijo no pau de cada um. Um deles tinha achado o máximo me dar tapas e me deu mais uns dois.

– Nossa, é uma loirinha de primeira qualidade que vc pegou pra nós hein. Que peitudinha gostosa. Que bundinha gostosa tb. Vou enrabar essa vadia até ela chorar.

Eu fiquei brava com esse e falei. – Meu vai se fuder, quem vc ta pensando que é?
Me deu mais um tapão bem forte e falou: – Eu to pensando que sou um negão que vou te enrabar, sua vadia, fica de boa ai.

Naquele ponto eu já tinha entendido que ia ter que fazer o que eles mandassem pra que eles apagassem o vídeo, então parei de reclamar. Só queria engolir tudo o que colocassem na minha boca de uma vez e ir embora.

– Isso, putinha, agora termina o que tava fazendo. Quando eu gozar, olha pra câmera com essa sua cara de puta e fala que minha porra é uma delícia antes de engolir.

Chupei mais uns 2 minutos e ele gozou. Me puxou pra trás pelo cabelo e não gozou tudo na minha boca, foi um jatão tb que pegou no meu olho e no cabelo. Meu olho começou a arder imediatamente, mas eu não conseguia nem limpar, pq tava com as algemas.

Me puxou com força pra câmera e eu falei: – Mmmh que porra deliciosa – e engoli.

– Já vem chupar o meu aqui tb vadia!
– Vocês podem limpar essa porra do meu rosto por favor?
O que tinha gozado puxou o que tava no meu rosto e me fez engolir tb.
– Acho que caiu um pouco no chão tb.
Me puxou pelo cabelo e me fez lamber o que tinha caído no chão.
Todos rindo muito, eu já com as costas doendo, o olho ardendo, mas o estranho é que até estava com vontade de chupar outro pau. Só estava com medo do negão que tinha me batido, não tava a fim de dar a bunda.

O negão me puxou e falou pra eu chupar. Ele era bem violento e ele não se divertia tanto com o boquete em si, se divertia empurrando o pau dele pra dentro da minha garganta até eu quase sufocar e engasgar e em me dar tapas. Depois de ficar nisso uns 10 minutos, ele levantou e me deitou no sofá com a boca no colo do amigo dele e veio por trás. Eu gritei que não, pra ele não fazer aquilo, mas o outro negão colocou minha boca no pau dele e nem mais reclamar eu não podia. Senti ele levantando minha saia e comendo minha bocetinha que estava encharcada. Em um minuto eu estava gozando alucinadamente.

– Hahaha, isso vadia. Vc gosta né.
E me dava vários tapas na bunda.

Depois que eu acabei de gozar ele já quis comer meu cu. Tinha um pau enorme e doeu bastante no começo, mas ele começou devagarzinho e em uns 3 minutos tava me arrombando literalmente e eu gozando de novo. Nem conseguia chupar direito o pau do outro, coitado.

Depois disso ele me puxou com força pelo cabelo e gozou tb:

– Abre bem essa boquinha que eu quero ver vc engolindo tudo putinha.
E de novo eu olhei pra câmera e falei:
– Hmmm que porra deliciosa.
– Bom, ótimo que vc ache deliciosa, porque tem mais aqui, o outro falou.
O último negão tb começou me fazendo engasgar e me dando uns tapas, mas estava mais tranqüilo. Ele tinha um pauzão delicioso, me dá água na boca só de pensar. Chupei ele uns 10 minutos até que ele me puxou tb e perguntou pros outros se eles tinham uma caneta. Deram uma caneta pra ele e ele começou a escrever nas minhas costas. Eu reclamei, comecei a gritar que não, então eles enfiaram uma cueca de um deles na minha boca, eu nem conseguia mais gritar. Escreveram em mim inteira umas coisas, tipo: “Adoro fazer boquete prum negão” “Vadia branca quer pau preto” “Adoro porra” “Sou uma putinha” e por ai a fora. Fiquei toda escrita, pelada (de saia) algemada. E quando eles já tinham rido bastante disso o negão me puxou pelo cabelo e me enrabou tb. Nem acreditei que gozei de novo naquele pau dele depois dele ter me humilhado daquele jeito. Depois de uns 10 minutos me puxou tb, eles adoravam me puxar pelos meus cabelos loiros.
´- Vem cá vem putinha que eu vou gozar.
Gozou tudo na minha cara, até tentei abrir a boca, mas acertou tudo na minha cara mesmo. Depois ficaram rindo, eu no chão toda lambuzada de porra, me sentindo mal. Me deixaram assim uns minutos, me puxaram pra lamber as gotas de porra do chão e deopis vieram me fazer umas perguntas eu ali jogada no chão.

– Putinha, vc gostou de chupar os paus e de dar pra gente?
– Adorei, obrigada.
– Qual vc gostou mais?
– O segundo, acho.
– Gostou de beber seu leitinho.
– Ai gostei, deixa eu ir embora vai.
– Vc se importa se a gente puser esse vídeo na internet?
– Não pelo amor de deus, vcs prometeram…
– Se não quiser, vc vai ter que se esforçar ainda. Vamos te deixar ir embora agora, mas amanhã vc tem que voltar aqui as 18h00 senão o vídeo vai direto pra net.
Eu com cara de puta estúpida que tinha sido zuada, toda lambuzada de porra.
– Meu, beleza, mas me deixa ir embora.
– hahahahaha

Desligaram a câmera, tiraram a algema e me empurraram pra fora sem deixar eu me limpar. Me limpei como pude, achei mais fácil beber a porra que estava no meu rosto e me limpei o resto com a minha blusa rasgada. Peguei um taxi toda lambuzada e semi-nua. Eles tinham ficado com a minha bolsa pra garantir que eu ia voltar no dia seguinte, então eu tive que pagar o taxista com um boquete.

Depois eu conto o que aconteceu no dia seguinte.
Obrigada por ler meu conto, deixem seus comments.
Bjos (ou blowjobs)