O estupro da minha mulher


Click to this video!

Casado a oito anos, sempre tive uma vida pacata, nunca fui um homem dito moderno, meus valores morais e ético religioso me conduziram para um equilíbrio entre o desejo e o prazer, sempre pensando duas vezes acabei me tornando um homem reservado, quase que moralista. Minha esposa se moldava a esse perfil, criada sobre preceitos familiares, atribuía a todo prazer carnal, uma certa reserva, e esse comportamento era por mim estimulado, vivia apontando o comportamento alheio de como tal pessoa se vestia ou falava, reforçando os nossos próprios valores como certos. Com isso, minha esposa que aqui chamo de Susana, nunca ousou quanto a seu comportamento e a suas roupas que eram sempre discretas. Susana é uma mulher muito bonita o que me faz sentir muito ciúmes dos olhares alheios mas a confiança que deposito nela sempre me tranqüiliza sou extremamente apaixonado por ela, mas meu lado machista não deixava isto aparecer. Seu corpo perfeito como é esperado em uma mulher de 32 anos que sempre
cuidou do corpo se alimentando corretamente e fazendo uso de todo recurso cosmético disponível estando sempre cheirosa e perfumada realçava ainda mais seu aspecto saudável, tendo um rosto angelical com sua boca carnuda de pele morena clara cabelos negros e olhos castanhos e de um brilho especial compunham juntamente com seu corpo magro que mau passava de 1,60 cm, e uma cintura que realçava seu quadril dando a impressão de estar empinando o rabinho de tamanho proporcional aos seios médios mas com uma particularidade que me incomodava pois seus mamilos a qualquer queda da temperatura se mostravam pontudos parecendo querer furar o tecido da blusa, nos fazendo passar por situações constrangedoras por vezes em que, Susana por melhor conforto deixava de usar sutiã, o que era motivo para algumas raras brigas entre nós. Tudo isso que relato é para poder salientar o quanto minha vida mudou nos últimos dois anos, devido a uma serie de acontecimentos que na época me pareceram terríveis mas que hoje passo a crer que deu a mim e a minha mulher uma nova personalidade se essa mudança foi para melhor ou pior vocês é que vão julgar, pois hoje não julgo mais ninguém . o fato é que trabalhando como representante comercial de uma industria de moveis para escritório estou o dia inteiro ausente de casa, alem de viajar bastante e passar dois ou três dias longe do lar, o que me fez não querer filhos apesar de ter quase quarenta anos, mas isso acabou fazendo com que Susana contrata-se uma moça de nome Rafaela para cuidar do nosso apartamento quando eu e ela estamos ausentes, e as vezes faze-la companhia quando viajo. E foi ao retornar de uma dessas viagens que durou dois dias que tudo começou, pois, ao entrar em casa mais ou menos as 22:00 horas me deparei com quatro homens sentados na mesa de jantar só de cuecas enquanto minha esposa preparava alguma coisa no fogão, paralisado mau notei quando um quinto homem me deteve com uma gravata me imobilizando só então tive uma primeira noção do que estava ocorrendo, fui jogado no chão e mandado ficar imóvel enquanto eles me explicavam que estavam ali desde a noite anterior a minha espera pois sabiam que traria uma boa quantia em dinheiro, disse a eles que já havia depositado o dinheiro no banco e que por ser sexta feira a noite não teria como entregar a eles o dinheiro, mas ele nem ligou dizendo que já havia previsto isso e que estavam preparados para passar o final de semana conosco e que seria um prazer dormir mais três noites com minha esposa, nesta hora olhei para Susana e vi que estava vestida apenas com uma camiseta e de causinha e estava com os cabelos molhados e evitava olhar para mim, pedi para falar com ela, então um deles um negro forte e alto disse vem cá putinha falar com esse corno pois ele ta querendo saber como você se comportou ontem a noite, Susana veio até mim logo pude notar que seu pescoço estava cheio de chupões e seu rosto revelava não ter dormido, Susana me levantou do chão e me levou para o quarto e chorando pediu para que eu a perdoa-se pois havia sido violentada pelos 5 homens que havia visto na sala e que tentara lutar mas que eles eram fortes e ameaçaram espanca-la se não se entrega-se senti vontade de mata-los mas sabia das minha situação de inferioridade perante aqueles homens pois alem do negro havia dois moreno e dois brancos todos fortes e eu apesar de não ser franzino não teria a menor chance. Nisso o negro entrou no quarto e mandou Susana terminar o jantar, quando Susana passou por ele pegou em seu rosto e lhe deu um beijo na boca enquanto sua mão apertava seu seio sobre a blusa, fiquei vermelho de ódio e ciúme mas o negro me mandou sentar na cama e me acalmar libertando Susana que se retirou para a cozinha, o negro então começou a relatar tudo o que haviam feito com minha esposa e que eu não tinha mais nada a preservar pois ela teria feito de tudo e que ela se revelou uma verdadeira puta na cama dizendo nunca ter gozado tanto, a humilhação continuava e eu não podia acreditar que minha esposa tão frágil teria satisfeito os desejos brutais daqueles marginais. Então retruquei que ele estava mentindo pois minha esposa jamais diria aquilo para eles, mas ele riu e disse que teria uma surpresa logo após o jantar pois ela iria ser a sobremesa deles e eu poderia ver como minha mulher era putinha e gulosa, abaixei a cabeça e fiquei calado, ele continuou a me humilhar dizendo que ela agora estava toda larguinha e que ela adorou dar o rabo para ele, eu novamente não podia crer que eles haviam feito isto com ela pois isso eu jamais tentei pois achava errado, o ódio era tanto meus olhos ficaram vermelhos e com a garganta seca. Saímos do quarto e vi que Susana já tinha terminado o jantar e estava sentada no colo de um deles, um moreno que colocava a comida na boca dela enquanto beijava seu pescoço fazendo com que ela se contorcesse toda eu podia ver seus pelos arrepiados e seus mamilos duros querendo furar a camiseta ela me viu e apenas fechou os olhos continuando a se contorcer no colo daquele maldito, a sacanagem continuou durante todo jantar as vezes ele apertava seus seios enfiando sua mão por dentro da camiseta e apertava o pico do peito fazendo com que ela gemesse baixinho aquilo me deixava louco de ciúmes mas nada podia fazer, logo após o jantar sentaram na sala me colocando em uma cadeira de frente a eles, mandaram Susana ficar em pé na frente deles e tirar a roupa, Susana obedeceu sem sequer olhar para min primeiro foi a camiseta depois a calcinha, eles então começaram a se masturbar revelando seus membros, então entendi que minha esposa jamais seria a mesma pois eram todos bem dotados sendo o negro um verdadeiro monstro longo e grosso, mandaram Susana ficar de quatro e pude notar que ela estava depilada e que seu rabinho e sua bucetinha estavam avermelhados percebi então que tudo o que aquele marginal havia contado realmente havia ocorrido, o negro levantou-se e pegando firmemente em seus cabelos e trazendo ela até perto de mim e fez ela engolir seu membro, ela mau conseguia coloca-lo na boca, pois tinha uma cabeça enorme ele mandava ela olhar para mim eu estarrecido vi minha mulher lamber seu saco e seus lábios deslizar em seu pau, ele mandava ela salivar bastante para molha-lo podia ver sua boca úmida sugando com tanta força que fazia ate barulho ele as vezes tirava seu pau para fora e passava pelo seu rosto deixando sua face molhada, por fim mandou ela me dar um beijo coisa que me deu muito nojo pois pude sentir o cheiro daquele homem em seu rosto, ele então arrastou ela até seus comparsas e mandou suga-los e masturba-los com as mãos nesse momento se posicionou atrás dela e pincelou seu cacete na sua boceta pedindo para ela arrebitar o maximo possível ela obedeceu e ele meteu aquilo tudo nela eu podia ver sua bocetinha toda preenchida, ele a fodia com tanta violência que ela mau conseguia chupar o outro homem, nessa hora algo inusitado ocorreu pois apesar do ódio e do ciúme meu pau endureceu, e passei a admirar aquela cena bizarra, Susana gemia como nunca havia visto e quando seu homem cansava ela rebolava mantendo o ritimo, tive daí a certeza de que minha esposa realmente se tornara uma puta. O negro gozou dentro dela urrando como um animal e se retirou para o chuveiro enquanto os outros revezavam sua bucetinha, não demoraram muito nessa posição e partiram para algo ainda mais vulgar um deles deitou de costas enquanto ela vindo por cima sentou-se sobre ele, que com as mãos apertava seus seios os trazendo ate a boca enquanto metia com vontade em sua buceta, seu anus a mostra foi um convite e logo um dos morenos de pau grosso cheio de veias e extremamente ereto veio por trás e meteu em seu cúzinho sem dó ela gemia e rebolava e começou a elogia-lo de como ele era gostoso e que estava adorando ser possuída por eles e que eram para meter sem dó fiquei boquiaberto com o comportamento leviano de Susana, morrendo de vergonha e de tesão acabei melando a roupa sem perceber, minha mulher então explodiu em um gozo sem fim falando barbaridades como estava adorando dar o rabo pra eles na minha frente, e que agora eu seria sempre corno, e que adorava aqueles cacetes enormes dentro dela, minha vergonha só não foi maior quando um deles gozou na sua boca e ela deixou sua porra escorrer dos seus lábios enquanto o outro logo depois gozou dentro do seu cúzinho, era impressionante como ela suportava aquele pau todinho dentro da sua bundinha. Minha esposa tão delicada e frágil se tornara uma fêmea voraz capaz das mais loucas orgias. Ficaram todos ali deitados na minha frente Susana adormeceu por uns instantes nesse meio tempo o negro voltou e ao se aproximar de mim viu que eu havia me excitado, riram tanto que acordaram Susana, e comentaram ta vendo dona como esse puto gosta de te ver fudendo com a gente, então mandaram ela tirar minha roupa, ela veio até mim e me beijou podia sentir um gosto amargo em sua boca, ela abaixou minha calça e começou a me sugar meu pau endureceu na hora mas eles não deixaram ela se demorar e tiraram ela de mim fiquei ali de pau duro vendo ela sugar o negão, ele sentou no sofá e ela então de frente para ele sentou em seu pau mas ele retirou e pois em seu rabinho era sem duvida o maior cacete dos cinco ela pegou em seu rosto e começou a beijalo na boca enquanto ele penetrava sua vara em seu cuzinho eu comecei a me masturbar enquanto via ele aumentar o ritimo das estocadas cada vez mais suas nádegas vibravam com o ritimo e seus seios era sugado com força um a um deixando seus mamilos durinhos como nunca, ele então tirou seu pau e pois na boceta e me mandou possuí-la no rabo fui até ela e meti meu pau pela primeira vez no seu cuzinho só ai percebi o quanto estava fácil a penetração com certeza ela já havia se acostumado então lembrei que eles estavam com ela desde a noite passada e com certeza ela já deveria ter dado o rabinho varias vezes pra eles, era estranho e excitante sentir outro pau entrando e saindo dela pois dava pra sentir o volume do pau do negro na buceta dela era tão grande que empurrava meu pau para cima, outra coisa que me excitava era os gemidos de Susana e seu suor que me molhava as pernas acabei gozando dentro dela e me retirei mas o negro não parava e continuava a fudela ora na buceta ora no cuzinho Susana estava tão excitada que se mijou toda e gozou antes do negro que mesmo com ela implorando para ele parar continuou a fodela no cu ela o beijava e dizia que ele era seu macho e que ele estava acabando com ela e que ela adorava aquele pinto grosso e negro em seu cuzinho, ate que ele tirou seu pau para fora e se pos em pé na sua frente e gozou em sua boca mandando ela engolir tudo, eu a essa altura já tinha por terra qualquer moral e sabia que daquele dia em diante teria uma puta dentro de casa e teria de acostumar em ser corno. Nos dias que se seguiram as orgias se repetiram Susana se tornava cada vez mais safada e sem vergonha chegando a implorar que metessem em seu rabo enquanto me chupava e adorava quando gozavam em sua boca e toda vez que o negro a fudia ela gozava e mijava-se toda, hoje somos um casal bem resolvido sei que ela me trai e as vezes participo de suas aventuras mas isto é outra historia.