Ladrões comeram minha esposa


Click to this video!

Olá, meu nome é Marcos, tenho 45 anos e minha esposa, Elvira, tem 40. Estamos casados a 20, Elvira é loira tingida, tem sardas no rosto e no corpo, uma bunda grande e seios maiores ainda. Não são caídos porque ela faz exercícios diariamente. Ela é um tesão, mas o problema é o fato que eu estou com problemas de ereção. O médico diz que é o estresse, mas já fazia mais de 3 meses que não transávamos e Elvira é um fogo só. Estávamos na nossa casa de praia, em Mongaguá, de noite, quando fomos surpreendidos por dois assaltantes, que entraram em casa por descuido nosso, pois deixamos a porta de casa (que dá de frente para a praia) só encostada.
No começo, foi aquela gritaria, ânimos exaltados e tudo o mais, mas eles nos acalmaram e disseram que só queriam o dinheiro. Amarraram-nos em uma cadeira e pegaram uns trocados que tínhamos. Nisso disseram que estavam com fome, vasculharam a geladeira e fizeram um lanche. Depois resolveram tomar banho. Um deles, um negro meio gordo, foi na frente e o comparsa dele, mulato, alto e magro, ficou com a arma esperando. Ele ficava olhando pra minha mulher, que tava só de baby-doll e pegava na rola. Aí uma hora o gordo saiu do banheiro e o magro tirou a roupa ali na sala mostrando um cacete de uns 20 cm e disse “Tá afim, dona?”. O gordo deu um tapa no ombro dele e disse “Só a grana, senão a gente pode se foder caso dê alguma merda.” e o magro “ok, ok” e foi indo pro banho.
Nisso eu via que minha mulher não parava de olhar pro cacete do magro e o gordo de toalha. Ela tava com uma calcinha pequena e até escorria líquido da vagina dela. O magro saiu do banho ainda pelado e falou “-Vamos embora então.” e minha mulher disse “espera”
Eles olharam espantados pra ela, e ela disse: “-Desculpa amor, mas eu preciso muito de uma rola e o seu pinto não sobe faz meses…” Os dois riram e mostraram os paus pra ela. O gordo tinha um pau maior e mais grosso, não sei como. Ele falou “-Então mama aqui, dona.” e minha mulher ficou ali, chupando, do meu lado, na maior vontade.
O magro a desamarrou arrancou o baby-doll e começou a chupar os tetões dela, cheios de sardas, enquanto o gordo ainda dava o cacete pra ela mamar. Ela só dizia “-Desculpa, amor, mas eu preciso muito!” e eles sorrindo e bolinando ela.
O magro abriu as pernas dela, arredou a calcinha pro lado e meteu sem dó. Ela gemia muito alto e gritava “- Isso, me fode! quero porra quente na xoxota!” e o magro logo gozou dentro dela. Aí foi a vez do gordo, que meteu e beijava-a na boca com vontade. Ela tava tendo o segundo orgasmo quando o magro começou a alisar o pau e enfiou na boca dela de novo enquanto o gordo gozava.
Daí, o magro a mandou mamar um pouco e já ia enfiando na boceta quando ela mesma disse “-Amor, não fica bravo, mas eu ainda preciso de mais. Bota no cuzinho, meu mulato gostoso” e o magro, todo sorridente, foi enfiando no cu dela, devagar, mas sem parar. Isso porque eu nunca comi o cu dela porque ela sempre reclamava de dor. Aí o gordo vendo aquilo ficou de pau duro de novo, olhou pra mim e disse “E aí, corno, tá gostando do trato que estamos dando na sua mulher? Tá de pau duro?” E abaixou minha calça, mas meu pau continuava mole. Ele riu e falou “-Ih, é broxa mesmo. Ou será que precisa de algo mais?” E colocou o pau na minha bochecha. Eu esquivei, mas ele me agarrou pela cabeça e disse “-mama, que eu sei que você tá afim…” Eu fui, aos poucos, colocando na boca, experimentando aquele pau, coisa que nunca tinha feito na vida. Era um sabor gostoso, então continuei. Quando percebi, tava de pau duro, chupando uma rola e vendo minha mulher no sofá dando o cu pra outro homem. Minha mulher viu meu pau latejando e disse pro mulato alto “- Espera, quero fazer uma coisa.” tirou o pau dele do cu, ficou de quatro pra ele e disse “-Continua metendo assim…” e abocanhou meu pau. Fui as nuvens com aquilo. Ela mamava, parava e batia pra mim e dizia “-Isso meu veadinho corninho, mama no cacete do negão, mama…” e eu mamando que nem louco. e sentindo aquela boca deliciosa dela. Nisso o mulato gritou “-Vou gozar de novo, porra!” e encheu o cu dela de porra. Daí o gordo falou “-Minha vez…” tirou o pau da minha boca e enfiou no cu da minha mulher, que continuou me mamando. De repente ela teve um terceiro orgasmo, apertou meu pau e eu gozei como nunca. Três meses sem gozar e veio aquele orgasmo perfeito. Aí ela me largou e se atracou com o negão gordo. Eles meteram muito e beijaram na boca. Pelo visto o cara não ligava dela estar com gosto de porra na boca.
Quando ele foi gozar, ele falou “-Espera, tenho uma surpresa pro corno veado do seu marido!” E me deu o cacete pra mamar de novo. Eu mamei com vontade, sem pudor. Ele segurou minha cabeça, senti a glande inchar e veio aquele monte de porra na minha boca, que engoli tudo. Minha mulher veio em seguida, e me deu um beijo enorme. Os dois homens sorriram, colocaram as roupas, devolveram o dinheiro e disseram “-Olha, foi muito bom. Se vocês quiserem mais amanhã, deixem a porta aberta e a luz de fora acesa. A gente entra de novo e mete mais nessa puta. Valeu cornão!”
Eles foram embora, minha mulher perguntou se eu tinha gostado e eu falei que sim, que no começo não acreditava, mas que foi muito bom. Daí ela chupou meu pau, que endureceu de novo. Nem eu nem ela acreditamos. Daí, comi ela toda cheia de porra e foi uma delícia.
No dia seguinte os dois voltaram e aprendi a dar a bundinha também, mas aí, é outra história.