Filho da Mãe – Desconfiei, Quando vi não acreditei


Click to this video!

Perdi meu pai quando tinha 8 anos.A partir daquela data minha mãe mudou radicalmente.Antes era uma mulher bastante sorridente e animada. Depois do acidente tornou-se amarga e bastante rigorosa.Quando estava com 14 anos conheci Sidney.Tinha 17 anos de idade ,vindo de outro estado e passou a morar perto de casa.Era loiro,alto e forte.Ele estudava na minha sala no turno noturno.Ao contrário de mim que era estudioso,tanto que estava com essa idade no 1º ano do ensino médio,Sidney era bastante desorganizado e levava os estudos na brincadeira por isso tinha reprovado dois anos
Quando a professora de geografia marcou um trabalho em dupla o mesmo correu pro meu lado pra fazermos juntos. Queria ir na minha casa pois dele estava em reforma e a bagunça era grande.
Fiquei meio apreensivo porque minha mãe poderia encher o saco mas mesmo assim marcamos o horário.Combinamos em não falar a idade dele pois minha mãe poderia achar que ele não era boa companhia pra mim.
No outro dia de manha falei com minha mãe e ela pra variar disse que podia ,mas que não passasse de uma hora,pois tinha umas costuras pra entregar e não queria bagunça em casa.
Ao chegar Sidney tratou logo de se sentir em casa.Conversou com minha mãe na porta e foi a primeira vez que vi ela sorrir depois de tantos anos.
Perguntei o que ele tinha falado pra minha mãe e ele disse que o segredo era elogiar…As mulheres gostam .Os elogios valeram até um café da tarde com bolo.
Fiquei feliz com a mudança de minha mãe naquela tarde. Na verdade os elogios eram sinceros pois minha mãe era muito bonita.Cabelos longos,olhos verdes,pele clara.Era baixinha o que dava a impressão de ser mais nova.Quando andávamos juntos sempre perguntavam se era minha irmã.Eu era um pouco mais alto que ela na época.
Quando chegou as 17:30 ,Sidney disse que tinha que ir embora pois estudávamos a noite e ele tinha que se arrumar.
Ao se despedir deu um beijo no rosto de minha mãe que retribuiu.
Eu fui tomar um banho me arrumei e quando estava de saída ,minha mãe me diz que tinha achado meu amigo muito educado e que era de amigos assim que eu precisava.Dei uma risada e pensei.Se ela soubesse que ele tinha reprovado e que não gostava de estudar…
Passou-se umas semanas e Sidney passou a freqüentar a minha casa quase que diariamente. Até almoçava as vezes só indo para a casa dele no fim da tarde.
Pra mim estava tudo bem,pois além de ter um amigo, via minha mãe mais feliz e dando risada.
Numa noite estranhei que Sidney faltou a escola.Quando estava indo para casa vi ele de uniforme no ponto de ônibus.Pediu que eu não falasse nada pra ninguém pois tinha arranjado uma namorada e saído com ela aquela noite.Fiquei meio triste pois achei que ele deixaria de ir lá em casa,Porém no outro dia ele estava lá em casa.
As faltas na escola voltaram a ocorrer e ele sempre com a mesma desculpa.Faltava duas vezes por semana
Certa noite fomos dispensados na última aula e quando estou quase chegando em casa vejo Sidney na rua onde eu moro.Muito esquisito pois ele disse que sua namorada morava em outro bairro.Quando ele me viu ficou sem graça e me explicou que estava ali me esperando porque soube que tínhamos sido dispensado mais cedo.Fiz de conta que acreditei e fiquei mais desconfiado quando ao chegar em casa,minha mãe estava tomando banho e sua cama desarrumada com sua calcinha jogada no chão.Justo ela que detestava ver as coisas desorganizadas.Voltei pra rua sem que ela percebesse esperei dar o horário que eu sempre chegava.Ao volta minha mãe estava costurando,e vi que a cama dela tinha sido arrumada.Perguntei se ela não estava cansada de costurar e quando ela me disse que tinha ficado direto desde a minha saída, fiquei com a pulga atrás da orelha
Resolvi traçar um plano pra ver o que estava acontecendo.
Na noite seguinte deixei minha janela aberta. Me despedi de minha mãe e dei a volta pela casa sem que ela me visse.Pulei e fechei a janela e me escondi debaixo da cama.
Depois de um tempo,ela entrou no meu quarto, viu se a janela estava trancada e saiu.
Sai debaixo da cama e fiquei na espera.Se algo estivesse acontecendo iria descobri.Passou meia hora e eu estava quase desistindo quando escuto alguém tocar na porta da sala..Meu coração disparou quase saindo ela boca.abri um pouco a porta de meu quarto para escutar e tentar ver alguma coisa.Com estava escuro ninguém iria me ver.Meus olhos não acreditaram quando vi minha mãe só de calcinha dizendo para Sidney.Oi meu amor,estava com saudades.O desgraçado agarrou pela cintura e deu-lhe um beijo na boca.Os dois se abraçavam e vi quando ele apertou a bunda dela.
Minha vontade era sair do quarto e quebrar a cara dele.Mas resolvi esperar um pouco mais pra ver onde ia chegar.
De onde estava podia ver o que se passava sem ser visto.Sidney tirou a camisa e a calça ficando só de cueca.Minha mãe pegou no pau dele e disse.Quanto tempo perdi.Você deveria ter vindo antes pra nossa cidade.Quando ele abaixou a cueca ,o pau dele pulou pra frente.Era enorme.Sabia da fama dele na escola mas achava que era um exagero.A vagabunda pegou no pau dele e começou a chupar.Eu queria ir lá e terminar tudo aquilo mas minhas pernas estavam moles.Sidney apesar de ser bem mais novo que minha mãe era alto e forte e a pegou no colo como se fosse uma boneca.
Levou ela para o quarto e escutei quando fecharam a porta.Criei coragem e fui nas pontas do pé até o quarto dela.
Encostei meu ouvidos na porta e escutei os gemidos daquela safada.Ela gemia pedindo pra ele enfiar o pau devagar porque era muito grande.
Sidney mandou ela fechar a boca e agüentar tudo, pois era a putinha dele e que ele ia meter nela até gozar.Meu pau começou a crescer e latejava de tanto tesão.Eu não estava acreditando naquilo e muito menos que estava gostando.
Escutei quando ele mandou ela sentar em cima do pau dele que ele ia meter até os cocos.
O barulho da cama demonstrava que ele deveria estar metendo com muita força.
A cada metida um gemido.Ele chamava ela de puta,vaca e que ia sentir o poder da vara dele.Ela gemia pedindo mais.E ele metendo.Meu pau doía de tão duro.Tirei ele pra fora e comecei a bater uma punheta.Não tenho um pau grande mas naquela noite ele parecia maior.Imaginava que era eu que estava no lugar de Sidney.Nunca tinha pensado nisso mas estava gostando da idéia.No quarto o vagabundo comia a vadia de todos os jeitos e eu aí na punheta.
Escutei quando ela deu um gemido de gozo e ele pediu pra ela engolir tudo
.Vesti minha calça e voltei para meu quarto.Os dois saíram e foram ao banheiro.
Eu escutava ela pedindo pra ele meter devagar no cuzinho pois estava doendo e ela falava que cabeça do pau já tava entrando.Eu já não estava agüentando mais.
Botei meu pau pra fora e voltei a bater uma punheta.
No banheiro os dois fodiam com força e no quarto eu tive a melhor gozada que já tivera na vida.Coloquei meu tênis, pulei a janela e fiquei no ponto de ônibus uns 20 minutos e pensei em dar um flagrante neles.
Ao entrar na sala os dois estavam vendo televisão com se nada tivesse acontecido.
Perguntei o que ele estava fazendo na minha casa e o filho da …. me respondeu que estava me esperando pois queria tirar umas idéias.
Falei que estava com dor de cabeça e por isso tinha vindo mais cedo pra casa.
A cara de pau de minha mãe perguntou se eu queria um remedinho um chazinho
Pensei comigo :Só se for chazinho de buceta.
Fui pro meu quarto mas antes passei pelo quarto dela pude sentir o cheiro do sexo e indaguei comigo mesmo se um dia eu estaria na cama com ela.
Meu pau levantou de novo e bati outra punheta antes de dormir e sonhar com a chegada da minha vez em meter gostoso naquela safada.