Eu quis e engravidei do meu próprio filho

Click to this video!

Conto de Mayara Nascimento
Olá! Meu nome é Luciana, se você leu o conto” Com uma frase meu filho me comeu “ vai entender porque eu fiz essa loucura,(Engravidar do meu próprio filhos). Depois que voltamos da praia nosso fogo aumentou, nosso desejo e nosso tesão também, eu só pensava em sexo, e dava pro meu filho Rafael todos os dias, e ele me fodia como ninguém havia feito até então. Rafael me disse que iria terminar seu namoro com a Mônica, pois agora tinha uma mulher de verdade em casa que ele a amava e esse amor era reciproco. A partir de então tudo o que eu fiz foi dedicar a minha vida ao meu filho e à profissão, eu estava satisfeita com o que tinha  e não queria  me envolver com outro homem novamente, apenas me masturbava  para tentar me satisfazer quando o Raffa não estava. Levava a minha vida normalmente, trabalhando e cuidando de meu filho, que agora também era meu amante,  e que a cada dia ia  se transformando em um homem muito bonito, e cada vez que eu olhava para ele, sentia um misto de amor maternal e atração carnal. Eu que ate pouco tempo nunca imaginava sentir qualquer tipo de desejo ou atração por meu filho, e nem percebia que ele também pudesse sentir atração por mim, agora tinha certeza que estava enganada, talvez esse sentimento tivesse escondido, apenas esperando o momento certo de aflorar. Agora eu parecia uma adolescente, uma garotinha apaixonada por ele, um desejo obscuro, que parecia prestes a transbordar a qualquer momento e se reforçava pela nossa proximidade, dentro de casa, onde eu e ele mantínhamos uma intimidade muito grande. Eu tentava combater esse desejo, me reprimia, imaginando que um dia passaria. Mas eu estava enganada e eu sei o desejo que desperta as mulheres mais velhas em rapazes jovens. Apesar de já termos transado muitas vezes, e sentir um tesão e um desejo enorme pelo Raffa, eu imaginava o que seria de nós quando alguém descobrisse esse nosso relacionamento, mãe e filho transando. No final do ano meu filho me convidou pra passar a virada de ano na praia, Eu aceitei, e mal podia imaginar que essa escolha iria dar uma verdadeira guinada na minha vida, era o início de uma nova relação entre mãe e filho, que ultrapassaria tudo que era convencional, e  romperia todos os limites e convenções sociais, se o tabu o incesto já era um escândalo, esse  ignoraria o maior dos tabus, o tabu de ser mãe de um filho do incesto, e mudaria as nossas vidas para sempre.
Chegamos ao litoral a tarde   e como decidimos ir de repente não fizemos reserva em nenhum  hotel, então tínhamos que procurar um lugar pra nos acomodarmos, achamos somente um quarto simples com duas camas em uma pousada, e resolvemos ficar por ali mesmo, pois como era passagem de ano com certeza todos os hotéis estariam com sua capacidade esgotada. Como já estávamos acostumados a dormir juntos como marido e mulher, eu não vi nenhum problema em compartilharmos o quarto com meu filho. Depois de nos acomodarmos no quarto, resolvemos ir a praia curtir o restinho de sol e calor daquela tarde.  Ao retornarmos ao hotel, tomamos uma ducha, nos arrumamos e saímos de novo, desta vez pra curtir o clima da cidade ate a hora da virada pra assistirmos a queima de fogos. Como estávamos em uma cidade que não era nossa e provavelmente ninguém nos conhecia andávamos pra todo lado de mãos dadas, abraçados, e nos beijando com um belo casal de namorados apaixonados. Depois da euforia da virada fomos caminhar pela praia como muitos que ali estavam e depois passamos em um bar, ficaríamos bebendo e comendo petiscos ate mais tarde. Já meio altos pela bebida, voltamos para a pousada, eu já estava morrendo de tesão e desejo de dar uma trepada com meu filho, afinal, antes de mais nada, somos um macho e uma fêmea, prontos para acasalar. Entramos, meu filho me abraçou e assim caminhamos até o nosso quarto, olhando em meus olhos, me abraçou de novo e me deu um selinho. Após um breve silêncio, ele me beijou profundamente.. Começamos a nos beijar selvagemente, depois nos despimos e ao me virar meu filho já estava olhando para mim, nossos olhares se cruzaram, apaixonadamente… Olhei em direção ao seu instrumento de trabalho e contemplei a sua pica longa e grossa, que era delineada pela cueca apertada, pronta pra foder minha buceta e comemorar o ano novo. Eu não tinha nenhum remédio contraceptivo e nem ele camisinha, portanto havia sim a possibilidade do meu filho me engravidar. Eu não tinha medo que isso pudesse acontecer, mas se acontecesse,  aconteceria naturalmente, deixaria a natureza fazer o seu papel. Meu filho se livrou da cueca  mostrando sua linda pica grande, grossa e lisa, com uma glande que mais parecia com um cogumelo vermelho, totalmente ereto de desejo por mim, sua mãe.  Como havíamos acabado de chegar, suados com o calor da noite e da caminhada pela praia, precisávamos de um banho, e  debaixo do chuveiro, nos beijamos e nos lavamos. Ao tocar o seu pinto, eu não resisti e chupei-o, da mesma forma que ele fez com os meus seios. Depois ele me levou no colo para a sua cama, e ainda molhados , ele me deitou, abriu as minhas pernas, e foi logo beijando minha buceta,  pra em seguida chupar o meu clitóris, com sua língua quente percorrendo toda a extensão da minha buceta, e  não demorou muito e pra eu ter um orgasmo maravilhoso, com certeza o primeiro de muitos que eu ainda teria naquela passagem de ano.  Depois desse orgasmo maravilhoso Raffa veio sobre mim, me abraçou e foi introduzindo lentamente sua pica em minha buceta meladinha de desejo, pra depois me foder selvagemente como se fosse a primeira vez que comia a minha buceta. “OOOHHHH, mãe QUE BUCETA maravilhOSAAAAA, VOU TE FODER sempre”, A essa palavras, e com sua pica cravada em minha buceta não demorou pra eu ter mais um orgasmo, o segundo daquela noite, Raffa me fodia como louco e logo despejou  um rio de porra dentro de min e eu gozei mais uma vez junto com ele. Após um breve silêncio, ficamos ali coladinhos um ao outro, nos olhando nos olhos, e nos beijando. Depois de um descanso, reiniciamos a nossa sessão de sexo incestuoso, dessa vez Raffa ficou por baixo eu fui por cima dele, ajeitei sua pica na entradinha da minha buceta e fui descendo, minha buceta ia engolindo sua vara ate senti-la tocando meu útero, eu me sentindo toda preenchida fui rebolando em sua vara e depois comecei a cavalgava, logo senti arrepios em meu corpo e minha espinha e gozei varias vezes no pau do meu filho, sentindo sua respiração ofegante e seu pau crescendo de tamanho e grossura dentro de mim, Raffa anunciava que seu gozo estava vindo, e sussurrando em meu ouvido dizia: “Mãe, EU VOU GOZAR!!!. EU VOU TE ENCHER COM A MINHA PORRA!!! EU VOU ENCHER O TEU ÚTERO COM A MINHA PORRA!!!” Novamente eu gozei, quase que escandalosamente  gritando “GOZA FILHO!!! GOZA COMIGO!!! ME DEIXA SENTIR O CALOR DE TUA PORRA DENTRO DE MIM”!!!GOZA GOSTOSO NA MINHA BUCETA!!! Raffa encheu mais uma vez a minha buceta com sua porra grossa e quente me fazendo  sentir os seus jatos de porra batendo em meu interior, dentro de minha buceta, no fundo de meu útero. Deitei sobre seu peito enquanto sentia seu pau mexendo dentro de min, e eu contraia os músculos da minha buceta ate sugar a ultima gotinha de porra que pudesse sair dele, ficamos assim até sua pica amolecer e sair da minha buceta. Depois de duas trepadas maravilhosas Raffa cansado acabou adormecendo,  eu fiquei acordada por mais um tempo, pensando no que havia acontecido, ainda em êxtase, eu sorria saciada, como mãe, como mulher, como amante e como fêmea do meu filho…. Nesse meio tempo comecei a pensar que  eu ainda era uma mulher fértil… e provavelmente estava ovulando nesses dias…e como nem eu nem meu filho usamos qualquer tipo de preservativo, eu não estava tomando nenhum anticoncepcional, o risco de uma gravidez era muito grande haja visto a grande quantidade de porra que o Raffa injetou em minha buceta… Eu poderia engravidar de meu próprio filho!!! Nesse instante meu pensamento voou, acariciei minha barriga e imaginei a quantidade de espermatozoides do meu filho brigando para  fecundar meu óvulo, e dar inicio a uma nova vida… Quando agente começa a pensar nessa possibilidade bate uma insegurança, uma mistura de medo e alegria ao mesmo tempo, medo pelo que teríamos pela frente, e alegria pela possibilidade de ser mãe de novo, de um filho do meu próprio filho”. A barreira do incesto nós já havíamos quebrado à um ano atrás, desde então nós éramos mãe/filho e amantes, com um caso secreto que, jamais poderia ser revelado. Quando bateu o sono acabei por dormir coladinha ao meu filho, e só acordamos la pelas nove da manhã, tomamos um banho, mesmo porque estávamos com vestígios e cheiro de porra vencida. Durante o banho, Raffa perguntou se eu estava tomando algum anticoncepcional, eu respondi que não, e ele com cara de surpreso e preocupação disse: Mãe, e se você engravidar?!!!  Filho, não quero usar nenhum medicamento e nem quero que você use preservativo, deixa as coisas acontecerem naturalmente, quero que você me foda quantas vezes você quiser, e que encha minha buceta de porra todas as vezes que me foder. Quero ter você dentro de mim por inteiro e sem barreiras, se eu engravidar, saiba que esse filho ou filha será o fruto do nosso amor, e eu vou ama-lo mais ainda. Deixe a natureza agir, que ela se decida, Raffa me beijou ardentemente me dizendo: Minha mulher eu te amo, você é tudo pra mim, a essas palavras eu me senti a mulher mais feliz do mundo, era a primeira vez que meu filho não me chamava de mãe e sim “minha mulher”.  Tomamos café da manhã e Raffa  saiu, dizendo que voltaria logo, não demorou ele chegou com um buque de flores e me entregou dizendo: Esse buque de flores é pra minha mulher e pra mãe dos meus filhos, carinhosamente ele me beijou e depois me despiu pra iniciarmos mais uma seção de sexo. Filho quero que me foda sem preocupação, eu quero ir ao extremo do mais proibido dos sexos… é mais excitante… Transamos por um longo tempo e gozamos inúmeras vezes, agora mais do que nunca eu queria ficar gravida do meu filho. Tomamos uma ducha e saímos pra almoçar, como ninguém nos conhecia não economizamos em nossas caricias, e nem escondíamos a nossa relação incestuosa. Em nossos passeios pelas ruas e shoppings da cidade nos comportávamos  como um casal de namorados normal e muito feliz, e não nos preocupávamos se alguém notasse nossa diferença de idade, o nosso comportamento era realmente de um casal apaixonado, portanto ninguém poderia imaginar que fossemos mãe e filho e nosso segredo incestuoso estaria protegido. Nossa viagem pra passar a virada do ano na praia deu uma verdadeira guinada, e vivemos nesses dias uma verdadeira lua de mel, portanto resolvemos aproveitar nossa lua de mel por mais alguns dias. Eu estava louca de amor pelo meu filho, e agora obcecada pelo desejo de engravidar e ter um filho dele, e cada vez que estávamos na pousada acabávamos na cama nos acariciando, nos beijando e fazendo amor. Mais uma vez nos despimos e acabamos na cama, Raffa veio logo me beijando, depois chupando meus seios e foi descendo, pela minha barriga, umbigo e minha região pubiana, abriu minhas pernas e começou por cheirar minha buceta, cheirou ate ficar saciado, depois  começou a chupa-la, chupava com vontade e eu esfregava sua cara contra minha buceta ate chegar ao clímax e gozar varias vezes seguidas. Depois mudamos de posição num delicioso meia nove e eu gozava outra vez com sua língua quente explorando minha buceta. Quando não estava aguentando mais pedi ao Raffa pra me foder e novamente gozei como louca, mas não o deixei gozar. Eu queria sentir o máximo de prazer que sua pica pudesse me dar e senti-la mais uma vez esguichar toda a sua porra dentro de mim. Raffa me fodia com força e aumentava as estocadas me fazendo sentir a cabeça de sua rola tocando meu útero, eu apenas rebolava em cima dele, ora lentamente, ora violentamente, e quando o meu orgasmo se aproximou, eu comecei a gritar “EU VOU GOZAR AGORA FILHO!!! GOZE COMIGO, GOSA RAFFA!!! ME ENCHA DE PORRA!!! ENCHA O MEU ÚTERO DE PORRA!!! ME FAÇA UM FILHO!!! ME ENGRAVIDE!!! EU QUERO UM FILHO TEU!!!”. Meu filho não teve dúvidas e soltou seus jatos de porra quentinha bem no fundo da minha buceta e gozou, gritando “ESTOU GOZANDO!!! MÃE VOU TE ENCHER DE PORRA!!! VOU TE ENGRAVIDAR!!!”VOU TE DAR UM FILHO MEU!!!!. , Eu queria agora ser mãe de novo, gerar um filho, gerar um fruto incestuoso, um filho de meu filho. Uma semana depois eu e o Raffa voltamos pra casa, felizes e satisfeitos com nossa lua de mel, mas preocupados, pois se quiséssemos  continuar como um casal feliz e apaixonado como estávamos, teríamos que mudar de cidade ou seriamos apedrejados como na idade média e como ainda acontece em alguns países. Mas a vida tem que seguir e depois de um mês comecei a sentir enjoos, náuseas, e minha menstruação não veio, os enjoos se tornaram frequentes, procuramos um ginecologista em outra cidade  e depois do exame de urina a gravidez foi confirmada, eu estava gravida do meu próprio filho. Raffa que havia ido ao médico comigo ficou tão feliz como eu, seu filho já estava sendo gerado em meu ventre, esse filho que seria meu filho e meu neto, filho e irmão do meu filho, tudo parecia loucura, mas era fruto de um amor proibido, incestuoso, mas seria também muito amado por nos dois. Depois da confirmação de gravidez pus minha casa a venda e nos mudamos pra outro estado, uma nova cidade e como novos moradores, e sendo nós desconhecido, tocamos nossa vida em frente como um casal de fato, um marido com sua mulher grávida. Minha barriga foi crescendo cada vez mais  e o meu filho todo orgulhoso, podia desfilar comigo, sua mãe, e esposa por toda cidade. Quando completou os nove meses, entrei em trabalho de parto, fomos ao hospital e pra nossa surpresa nasceram um lindo casal  com pouco mais de dois quilos e seiscentos  gramas. “Luan e Luana” nasceram  de parto normal e sem nenhum problema de saúde ou congênito e já estão com dois anos e três meses. Eu, meu filhos, e nossos filhos gêmeos  formamos  uma linda família, incestuosa sim, mas muito feliz
Mayara Nascimento