Dívida do gato na luz, pagamento da 1ª parcela


Click to Download this video!

Meu nome é Carlos (Para preservar as identidades, usarei nomes fictícios o restante é tudo real).
Sou do Rio, 35 anos, formado em microeletrônica, branco, sou casado, faço academia e tenho um porte físico normal, sou casado com Ellen, 35 anos, branca, cabelos pretos longos e um belo corpo malhado.
Nos meus 10 anos de casado, eu aprontei muita atividades extraconjugais, e de uns meses para cá, eu comecei a me excitar pensando que minha esposa poderia estar fazendo a mesma coisa que eu. Cheguei até mesmo a perguntar a ela se ela já havia saído com alguém ou se queria sair com meu consentimento, mas ela sempre achou isso um absurdo…
Foi então, quando eu comecei a bolar um plano! Arquitetei uma maneira de a minha esposa sair com outro e eu saber de tudo sem ela saber.
Uns meses atrás, conversando com ela, eu inventei que um amigo havia sido preso por furto de eletricidade (gato de luz). Expliquei-lhe também, que eu achava que a nossa casa, em virtude de o antigo proprietário ter sido um grande trambiqueiro, tinha grandes possibilidades de ter um gato desses também… Ela ficou apavorada e deixei morrer o assunto.
Dessa época para cá, eu fiz a compra de quatro micro-câmeras coloridas, de ótima qualidade, todas de padrão HDTV com som estéreo e imagem, sem fio, e um receptor com monitor de 25 polegadas, tudo em um site chinês. O material todo chegou e eu pude colocar meu plano em ação. O gravador de filmes eu já tinha. Ele gravava em fita e depois em passaria par DVDs, tudo em qualidade profissional.
Aluguei por alguns dias uma casa no mesmo bairro que o meu, nesses sites tipo aluguetemporada.com.br e marquei um encontro com um garoto de programas que achei no jornal.
Encontramo-nos e seu nome era Marcus e ele tinha ótima aparência e o porte físico exatamente como eu sei que a minha esposa gosta e fui muito aberto com ele. Expliquei toda a situação e o que ele teria que fazer, e que eu pagaria seus honorários e ainda gratificaria muito bem se ele obtivesse sucesso no nosso empreendimento.
Preparei a casa alugada com as câmeras escondidas em diversos pontos dos cômodos e arrumei um quartinho para me esconder, além de poder assistir e gravar, tudo que viesse a acontecer no ambiente.
No dia combinado, liguei para o Marcus e passei as dicas de perfume, de como agradar a ela e de como ela gosta das coisas, principalmente durante o sexo.
Eu trabalho em casa, onde tenho uma oficina completa nos fundos e um pequeno salãozinho na frente onde recebo meus clientes, mas saio nas terças e quintas para visitar alguns clientes corporativos…
Então avisei ao Marcus para colocar o plano em ação na terça feira e, apenas pedi para ele algumas coisas… Que, quando estiver falando com ela em minha casa, mantivesse o celular dele ligado com o meu e em viva voz, para eu ouvir – e gravar também – tudo o que eles estivessem combinando.
Aproveitei para combinar, também que se nosso plano desse um bom resultado, quando estivesse com ela na casa alugada, ele deveria usar preservativos e nunca fazer uso de qualquer tipo de violência ou fazer algo contra a vontade dela…
Fora essas recomendações, tudo podia e devia.
Chegou terça, fui trabalhar e em torno das 10h00, enquanto as crianças estavam no colégio, Marcus tocou a campainha, trajando um uniforme muito semelhante ao da Companhia de Força e Luz e, de uniforme e crachá, mais um formulário, tudo muito bem falsificado.
Quando minha esposa atendeu, ele disse que era fiscal da Companhia e que precisava verificar o relógio de energia. Como a Ellen não entende nada sobre esses assuntos de verificação e cobrança, abriu a porta.
Marcus fingiu que verificava algumas coisas no relógio e começou a anotar no formulário.
Depois de uns 20 min, Marcus chamou Ellen e informou que havia constatado um gato e que viria uma multa e possivelmente, o titular da conta (Eu) sofreria um processo judicial e que, certamente seria condenado a algum tempo de prisão…
Ellen se apavorou e, sem conhecer nada, começou a chorar. Marcus então fez o combinado, disse para ela que analisaria o problema e que faria uma ligação para ela em uma hora para dizer o tamanho da multa e o que poderia ser feito.
Ele pegou o número do celular dela e disse para ela não dizer nada para seu marido, pois isso poderia apavorá-lo à toa, e que possivelmente, talvez tudo pudesse ser resolvido sem maiores complicações. Ellen concordou e entrou em casa.
Depois de uma hora, Marcus estava na casa alugada, do meu lado, e ligou para Ellen do meu celular, que parece número restrito e grava a conversa… A conversa que eles tiveram foi mais ou menos assim:
Ellen:
“-Alô!”
Marcus:
“-Dona Ellen, é o Marcus da Companhia de Luz, estou ligando para passar uma posição sobre a ocorrência.”
Ellen:
“-Por favor, seu Marcus, como fica essa história?”
Marcus:
“-Dona Ellen, em caso de gato, a Companhia faz a média dos últimos cinco anos e cobra e, se a conta não for paga, o dono do imóvel sofre o devido processo, acaba gastando com advogados, mas no fim, sempre acaba indo parar na Cadeia…”.
Ellen:
“-Meu Deus!…”
Marcus:
“-Já fizemos a apuração do débito do seu marido e, já incluindo multa e juros, o montante está ultrapassando os trinta mil reais.”
Ellen:
“-Não temos a mínima condição de pagar isso tudo e, ainda por cima, como posso assumir uma dívida dessas se nem tenho certeza desse gato?”.
Nesse Momento Marcus foi direto ao assunto…
Marcus:
“-Dona Ellen, eu gostei muito da Senhora e, posso até tentar resolver esse assunto sem apresentar o resultado da averiguação para minha chefia… Mas…”.
Ellen:
“-Sim, mas o que?”.
Marcus:
“-Bem, eu achei a senhora muito atraente e posso até resolver o problema do furto de energia, mas em compensação, quero transar com a senhora…”.
Ellen:
“-Mas o que é isso?! Eu não sou puta, sou uma senhora casada, mãe de família…”.
Marcus:
“-Bem, se a senhora fosse puta eu não faria essa proposta… Como sei que é uma mulher direita e muito gostosa, quero você e… com um detalhe a mais.”
Ellen:
“-Que detalhe?”.
Marcus:
“-Como sua multa é alta, terá que dividir sua dívida em três vezes… Ao final da nossa terceira relação amorosa eu rasgo os formulários na sua frente. Antes de tomar qualquer decisão, acho que a Senhora deve pensar no seu bem estar e no da sua família e, eu te ligo em uma hora para saber o que resolveu.”
Marcus desligou e não sei como Ellen ficou, mas imagino que muito inquieta devido à dúvida… Deixar o marido ir preso ou assumir algo que não pode pagar ou transar com um estranho e quitar a dívida?
Marcus esperou o tempo e ligou… Ellen atendeu com a voz tremula de choro e disse que não era certo, mas que ela não tinha outra opção a não ser a de aceitar.
Marcus perguntou quando ela poderia ir a casa dele (casa que eu aluguei) e ela disse que na quinta feira às 09h00 da manhã, após ela deixar as crianças no colégio e de malhar com o marido na academia.
Ela pegou o endereço e ambos desligaram.
Nesse dia cheguei do trabalho e Ellen estava normal, não comentou nada e não deixou transparecer nada a respeito do ocorrido.
Quinta feira chegou, saímos, deixamos as crianças no colégio e malhamos e, eu saí da academia mais cedo para ir o trabalho… Na verdade, liguei para meus clientes avisando que iria faltar e fui para a casa alugada. Guardei o carro na garagem fechada e entrei no quartinho das filmagens, para aguardar a chegada de Ellen.
Marcus já estava lá, aguardando à mesma e, quando a campainha tocou, era Ellen, bem na hora combinada e Marcus apenas de short, chinelo e camiseta, atendeu à porta.
Ellen entrou e, logo na sala, Marcus a puxou de encontro a seu corpo e deu-lhe um puta beijo de língua, apertando sua bunda sobre a calca justa de lycra da academia, que ela vestia.
Ellen viu uma caixa de camisinha na estante da sala e disse que não estava 100% certa daquilo e Marcus logo disse que era para ela relaxar, pois ele seria gentil e carinhoso com ela.
Logo ele pegou as camisinhas e Ellen pela mão e puxou-a para o quarto. Eu estava assistindo tudo pelo monitor, gravando tudo, de pau duro e pensando se havia feito o certo, mas não tinha como voltar atrás.
Marcus deu outro beijo em Ellen, e acho que ela se lembrou do ditado que eu já lhe havia dito:
“Se o estupro é inevitável, relaxa e goza”.
Ela foi se soltando e descendo sua mão até ao short dele.
Ela sentiu o volume por cima do short e ele perguntou se ela havia gostado do que sentiu… Ela respondeu que ainda não sabia ao certo, pois não havia visto direito… Então Marcus colocou suas duas mãos sobre os ombros dela e forçou-a para baixo, parando seu rosto na frente do short dele.
Ellen começou a morder o pau de Marcus por cima do short e, em seguida, abaixou a roupa dele, com cueca e tudo, liberando aquela rola de uns 19 cm… Ela levantou o pau dele e começou a lamber e chupar seu saco, que estava todo depilado (coisa da profissão), e ela lambia, mordia, chupava como uma profissional…
Ela lambeu do saco à cabeça da pica dele e, aos poucos, foi engolindo aquele caralho, lentamente…, enquanto Marcus puxava a cabeça dela de encontro a ele.
Ele gemia enquanto tirava sua camisa e o top dela. Ela se deliciou com aquela rola por uns cinco minutos; levantou-se e Marcus a beijou, e foi descendo sua boca até aos seus seios, onde ficou chupando os dois por um bom tempo.
Ellen gemia alto, a casa era só deles e, então, ela se liberou, tirou o tênis e Marcus a deitou na cama e tirou sua calça e calcinha, ele viu aquela xota perfeita, com seus pentelhos baixinhos, e caiu de boca nela…
Ellen se contorceu de tesão, enquanto Marcus lambia seu grelinho e chupava sua boceta molhada. Não demorou muito e vi Ellen contorcer todo seu corpo e soltar um gemido de gozo na boca do Marcus. Que delícia, ver aquilo! Eu assistia e tocava uma punheta gostosa ao mesmo tempo.
Marcus virou Ellen de quatro na beira da cama, vestiu a camisinha e pincelou com a cabeça do seu pau na bocetinha dela, ela começou a rebolar pedindo para ele meter… Porém Marcus estava gostando de enlouquecê-la com a cabeça do pau! Ele roçava a entradinha dela e perguntava:
“-Você quer meu pau aí dentro?”
E Ellen respondia:
“-Sim quero ele todo dentro de mim!… enterra logo, essa pica gostosa na minha xoxota!…”.
Marcus então segurou na cintura dela, apontou o pau na entrada da bocetinha dela e puxou-a pela cintura, enterrando-lhe na xana, toda a sua rola!…
Vi a expressão de prazer no rosto da Ellen, quando ele socou-lhe a pica! Ela abaixou a cabeça na cama, gemendo e cravando suas unhas no travesseiro.
Ele começou a meter nela e ela gemia cada vez mais, sentindo aquela rola e, eu, sei que Ellen goza rápido, mas como ela havia gozado antes, demoraria um pouco mais… Enganei-me, na quinta ou sexta metida de Marcus, Ellen gritou gozando novamente, e não parou mais, como se tivesse tendo orgasmos múltiplos (às vezes ela tem, mas são raros).
Ele meteu mais um pouco naquela posição e em seguida sentou na cama e mandou que ela sentasse de frente para ele no seu colo, ela foi sentando, encaixando o pau e cruzando suas pernas nas costas dele.
Ela começou um beijo longo nele e, enquanto fazia movimentos curtos com seu corpo, com todo o pau de Marcus enterrado nela, os dois se beijavam até que percebi que ambos apertavam as costas um do outro e começaram a gemer enquanto se beijavam…
Eles estavam gozando juntos, deliciosamente sem parar de se beijar. Eles ficaram parados naquela posição por uns minutos e caíram deitados na cama. Ellen ficou com a cabeça sobre o peito do Marcus e ele tirou a camisinha cheia. Ambos foram tomar banho, Marcus levou mais uma camisinha e transaram no chuveiro, não pude acompanhar, pois não havia câmera no banheiro, mas fiquei ouvindo o barulho pela parede e gozei gostoso.
Algum tempo depois, ambos voltaram para o quarto e Marcus deitou na cama, Ellen deitou sobre ele e começou a beijá-lo e, ao mesmo tempo, rebolar sua xota no pau de Marcus, que ainda estava mole da foda do banheiro…
Logo, logo o clima foi esquentando e o pau de Marcus ficando duro novamente e procurando a entrada da xotinha de Ellen, que com a experiência dela, deu uma rebolada gostosa, encaixando certinha a cabeça do pau de Marcus em sua xota e empurrou seu corpo para baixo sumindo com pau dele.
Marcus deu umas três metidas e lembrou-se do acordo da camisinha. Puxou Ellen para o lado, vestiu o garoto e voltou a meter nela com força, sei que ainda rolaram mais três posições diferentes e Ellen gozou mais duas vezes até ao gozo final de Marcus.
Ambos deitaram relaxaram um pouco, ele perguntou se ela havia gostado e ela disse que muito, então ele saiu um pouco do script que havia combinado comigo… Ele disse para ela que até ter recebido o último pagamento, ela seria de propriedade dele…
Então ele se levantou, pegou um pouco de condicionador e uma gilete e aproveitou a Ellen deitada e passou o condicionador em seus pentelhos. Ela perguntou o que ele faria e ele falou para ela relaxar e aguardar… Ele raspou os pentelhos dela formando a letra ‘M’, e disse o seguinte:
“- Quero que você apareça aqui na próxima vez com esse mesmo ‘M’ que eu fiz, pois nesse momento sou seu dono… Se não estiver com ele, será o fim do nosso acordo. Quero que hoje à noite, você transe com seu marido e nem imagino qual desculpa dará do ‘M’… E, para ter certeza que cumpriu o que seu dono mandou; você ligará para mim no meu celular minutos antes da sua relação amorosa com ele, quero ouvir você dando para o corninho com meu ‘M’ marcado.”
“-Terça, eu quero você aqui às 09h30, de minissaia, camisa transparente, sem sutiã e sem calcinha, hoje fui bom com você, te tratei como uma dama… Terça, você será minha puta!…”.
Ela apenas balançou a cabeça concordando, ambos se vestiram, ela pegou o número do celular de Marcus, se beijaram e Ellen foi pegar as crianças no colégio e depois para casa.
Eu já havia tocado duas punhetas! Saí do quarto, me lavei e comentei da performance dos dois com Marcus. Ele riu e disse que ela era muito boa e que eu tirei na sorte grande ao me casar com ela. Despedi-me e fui para o trabalho aproveitar a parte da tarde e tentar tirar o atraso junto aos meus clientes.
Quando cheguei a casa, jantamos, as crianças dormiram e fui tomar banho… Ao sair do banho Ellen estava deitada de banho tomado apenas de roupão, olhei discretamente para cabeceira da cama e vi seu celular aberto, Marcos já devia estar na escuta…
Ela me beijou e começou a me chupar… Depois disso comecei a beijar seus peitos e ir descendo para chupar sua xota e quando que vi o ‘M’ desenhado em seus pentelhos, ela virou meu olhar para ela e disse:
“- Gostou do ‘M’ que eu fiz para você? É o ‘M’ de maravilhosa, para você sempre lembrar-se, desta bocetinha Maravilhosa que é só sua.”
Sabia que ‘M’ era aquele e sabia que Marcus estava escutando, e com isso fiquei mais excitado ainda e meti com vontade naquela noite, Ellen gozou mais duas vezes, além das muitas que gozou pela manhã, inclusive, na segunda vez ela chegou até a errar um pouco o nome, disse:
“-Mar… meu amor, eu estou gozando gostoso!…”.
Fingi que não ouvi. Afinal eu procurei isso.
Ellen pagou muito bem sua primeira parcela e as outras também, mas as outras eu contarei em uma próxima vez.

2ª parcela
3ª e última parcela