Traindo Meu Maridinho Com o Segurança do Trabalho


Click to this video!

Olá, quero compartilhar de meu relato ele é real e aconteceu a oito meses atrás é um pouco longo e espero que gostem. Meu nome é Romana,tenho 34 anos sou morena de praia, cabelos na cintura pintados de preto,não sou muito bonita de rosto mas me cuido pois tenho 1.70 de altura e 69 kg, coxas grossas, seios médios turbinados com silicone, o que os deixou mais volumosos e bicudos (desejo meu) e com 112 de bumbum empinado por 14 anos de academia.Moro no Rio de Janeiro no bairro de Bangu (zona oeste do RJ). Como algumas jovens, casei cedo com 20 anos com um amigo e sócio nos negócios de meu pai que tinha 40 anos na época. Meu pai queria me ver casada com um homem mais velho e com uma situação mais definida ao contrario dos jovens de minha idade. Aceitei essa condição pois meu pai na época com 79 anos não tinha irmãos e já estava muito doente alem de minha mãe ter falecido a alguns anos e de eu ser a sua única filha. Meu casamento foi no civil sem pompas, meu marido André no começo me tratava muito bem (hoje sei que era para satisfazer o meu pai) e como o seu cargo exigia viagens longas aproveitei esse tempo para terminar minha faculdade de direito na qual sou formada e trabalho num escritório de advocacia no centro do RJ e a malhar na academia, onde fazia musculação, gap e spinning. Após três anos de casada meu pai faleceu, me deixando alguns bens e parte de seus negócios, que deixei nas mãos de André. A partir desse momento, André passou a viajar mais vezes me deixando até quatro meses sozinha em casa e passou também a me criticar pela minha forma física e roupas que usava. No começo achava que era ciúme de marido mas com o passar dos tempos vi que era implicância de um homem que não me amava. Na praia quando ia com ele, não podia usar bikinis cavados, fio dental era coisa de puta, roupas decotadas,transparentes ou sensuais como mini saias ou vestidos justos coisa de mulher safada e puta, o que me deixava puta de raiva, pois ele adorava ver as mulheres dos outros nesses trajes achando que eu não percebia e nessa fase eu tinha me descoberto uma fetichista comprando espartilhos, meias 7/8, tangas, body cavados,mas que nunca usava, sexo era quase uma obrigação comigo e eu que adorava sexo, era tarada por sexo oral e desejava a muito dar a minha bundinha , fui perdendo as esperanças com o tempo quanto a isso, o que me deixava muito triste e pra baixo, afogando sempre minhas frustrações na academia .Levei essa vida de santa de casa até os 32 anos, quando conheci Marcos (nome fictício), segurança do prédio onde trabalho.Marcos tem 29 anos,solteiro, é negro tem 1.80 de altura e malhava sempre, parte da exigência de sua função além de ter um sorriso brilhante e sacana . No inicio foi apenas bom dia e boa noite na subida e na decida do elevador ou conversas mornas no corredor do prédio quando o encontrava em suas rondas antes de ir embora. Não me imaginava atraída por outros homens muito menos atraente depois de anos de esculachos de meu marido e muito mais por um negro do porte de Marcos, mas com o passar dos dias isso foi mudando, até o dia em que encontrei Marcos no elevador. Ele vinha da garagem e eu ia para o 26º andar onde trabalho, como o elevador estava um pouco cheio acabei parada na sua frente encostando de leve minha bunda em seu pau e há medida que o elevador subia (no prédio onde trabalho há 2 mezaninos antes dos andares) mais gente entrava me fazendo encostar a bunda mais ainda no pau de Marcos. Nesse dia eu vestia uma saia social justa azul e que dava para perceber a tanguinha bem enfiada na bunda que vestia e uma blusa decotada branca com sutiã. Senti algo roçar na minha bunda e logo percebi que era o pau de Marcos, isso me tirou do serio e passei a aproveitar a situação dando uma leve rebolada como se me ajeitasse o que deixou o pau de Marcos mais duro ainda, me sentindo uma puta de uma olhada para Marcos que me sorriu sacanamente e após o meu sorriso apertou de leve a minha bunda me deixando com o coração a mil por hora.Na saída de do elevador só havia eu, Marcos (que não saiu de trás ) e mais dois senhores, sai e sorri para Marcos que me devolveu o sorriso mais lindo que vi. Aquilo ficou na minha cabeça o dia inteiro e com o passar dos dias resolvi conversar mais com Marcos contando minha vida de mulher solitária e aproveitando nossos encontros ocasionais no elevador para sarrar um pouco mais nele. Conhecendo um pouco de minha vida, Marcos passou a me cantar direto, dizendo que meu marido era uma otário por deixar uma mulher gostosa como eu sozinha e que com ele eu nunca teria esses problemas com ele que não era ciumento essas coisas e me convidava sempre para ir num pagode aqui no centro com ele, convite que sempre recusava pensando no meu casamento com Andre, até o dia em que descobri nas coisas de Andre cartas de amor de uma mulher de Minas Gerais, o filho da puta me traia a anos e me deixava a ver navios. A partir desse dia resolvi que seria ama puta, mas não para Andre e sim para Marcos. Aproveitei a viajem de Andre, que segundo ele duraria dois meses e tirei escondido dele uma semana de folga do trabalho indo a praia todos os dias usando um bikini fio dental vermelho que realçava a minha cor morena e deixava os homens babando na praia.Também marquei hora com uma depiladora e me depilei toda deixando apenas um bigodinho na minha bucetinha. Voltei ao trabalho na semana seguinte na segunda e logo que me viu Marcos logo percebeu minha mudança dizendo que eu estava maravilhosa e um tesão com a nova cor adquirida. Na quarta feira ele me ligou me dizendo que eu estava muito gostosa e me convidou novamente para o pagode que aceitei prontamente para seu espanto, marcamos para sexta 22:00 horas no centro,dia de sua folga no plantão, nesse dia sai mais cedo para me arrumar, cheguei em casa tomei um banho caprichado fiz o cabelo as unhas e escolhi a roupa para o encontro que foi um vestido curto vermelho esvoaçante com um senhor decote no seios, para acompanhar uma calcinha fio dental de renda vermelha, sapatos altos vermelho e uma pulseirinha no tornozelo, em suma, estava como uma puta no cio.Peguei o carro e sai para o encontro.Acabei chegando cedo por volta das 09 horas no centro estacionei o carro e deixei o flanelinha louco com a visão da minha calcinha vermelha, fui para a local indicado por Marcos chamando a atenção de todos os homens na rua, no meio do caminho Marcos me liga e diz que vai se atrasar e que chegará por volta da meia noite mas disse que eu poderia esperá-lo no pagode o que fiz um pouco ressabiada .O local era quase escuro bem simples sem muito luxo, luz verde no bar e no caminho para os banheiros,alguns casais dançando ao som da banda, a maioria (quase todos na verdade) negros, se espantaram com a minha chegada, uma morena de vermelho sozinha chamou a atenção dos homens. Escolhi uma mesa atrás de uma coluna o que me deixava quase escondida e liguei para Marcos dizendo a ele onde me encontrava no pagode, pedi uma cerveja e fiquei observando as pessoas, após a terceira cerveja que bebi com água em menos de 40 minutos (o local era um forno alem do meu nervosismo)logo apareceu um rapaz me convidando para dançar, como Marcos iria demorar aceitei o convite, seu nome era Luis um negro cheiroso e sabia dançar muito bem, dancei com ele duas musicas e percebi que ele sempre tentava passar a mão na minha bunda e voltava, como já estava um pouco alta da cerveja disse em seu ouvido que se me levasse para um canto escuro eu deixava ele apertar o que queria, Luis me levou pra um canto longe dos olhares e começou a alisar a minha bunda por cima do vestido e eu adorando aquilo me sentindo uma puta com um desconhecido, em pouco tempo Luis já estava com a mão por baixo do vestido apertando minha bunda e me chamado de safada e piranha enquanto o pagode rolava até chegar na minha xoxotinha que já estava piscando de tesão, alisou um pouco por cima da calcinha deu tapinha de leve na minha xoxotinha e me beijou, quase tive um orgasmo na mão daquele safado só que a musica acabou e tivemos que parar. Luis me levou para sua mesa e me apresentou seu primo Roger um negão tipo Marcos conversávamos os três onde o Luis alisava minha perna e num determinado momento sem nenhum constrangimento pegou a mão de Roger e colocou na minha coxa dizendo que eu seria um ótimo fim de noite para os dois, disse ao Luis que não daria pois estava aguardando uma pessoa mas que se me desse seu telefone ligaria para marcar, trocamos os telefones e voltei para a minha mesa, fui ao banheiro para retocar a maquiagem, vinte minutos depois chega Marcos lindo com uma calça jeans e camisa social, sentou ao meu lado me deu um longo beijo na boca o primeiro de muitos na noite e me pediu desculpas pelo atraso me levantei e eu disse a ele que só desculpava se fizesse a minha espera valer a pena mostrando meu corpo no vestido já um pouco amassado.Ele se levantou e me levou pra pista pra sambar, sambamos e bebíamos e a uma certa hora (2 da manha) eu já estava doida pra dar, Marcos me sarrava direto alisava minha bunda,minhas coxas e xoxotinha e eu pela primeira vez pude sentir o calibre de seu pau, alisava seu cacete por cima da calça e olhava pra ele com a maior cara de safada.Nesse momento levei ele pra um canto escuro encostei ele na parede e dei as costa pra ele e comecei a rebola em seu pau, depois levantei o vestido e continuei rebolando nele agora só de calcinha Marcos ficou louco, me chamava de louca, putinha e eu adorando me puxou pelos cabelos e disse que me levaria pra um motel. Saímos do pagode,dei a chave do carro e partimos direto para um motel no centro mesmo, fui do seu lado alisando seu pau por cima da calça louca para sentir ele dentro mim, no motel na entrada perto do frigobar Marcos começou a me beijar e alisar a minha bunda e xoxotinha, tirou a parte de cima do vestido e começou a chupar meus seios que nessa hora já estavam duros de tesão,foi abaixando lambendo minha barriga até chegar no meu umbigo ai tirou meu vestido e ficou maravilhado com a visão da minha xoxotinha na calcinha vermelha contrastando com minha pele morena de praia, Marcos me colocou deitada na mesa e começou a chupar minha xoxota por cima da calcinha, tirou a calcinha e passou a chupar com força minha buceta e grelo me fazendo gozar como uma puta em cima da mesa.Depois disso me deu um delicioso beijo apertando os bicos de meus seios,só então percebi que Marcos estava só de calça,resolvi tira-la levando Marcos para o quarto o safado estava com uma cueca boxe e quando tirei vi o maior pau da minha vida devia ter uns 24 cm, e quando saiu da cueca bateu no meu rosto de leve,nessa hora gelei de tesão e senti um frio na barriga, ia ter que agüentar aquela rola na boca, xota e talvez no cuzinho.Era grande,cheio de veias, com a cabeça um pouco menor que o corpo do pau e grosso, minha mão quase não fechava nele, Marcos tem o pau depilado igual a desses atores pornôs coisa que adoro pois deixa o pau com a impressão de ser maior então comecei a dar beijinhos na cabeça de seu pau (adoro fazer isso) e a lamber o corpo do pau do saco até a metade e voltava, dava um beijinho na cabeça e lambia o corpo até que coloquei a cabeça do pau na boca e fiquei brincando com a língua, Marcos ficou doido, olhei pra ele com cara de safada, tirei o pau da boca com um pouco de minha baba e olhando pra ele meti a boca em sua rola indo quase até a metade e deixando ele doido fiquei mamando uns 20 minutos quando ele me puxou pelos cabelos e me levou pra cama, abriu uma das minhas pernas e a outra colocou no seu ombro e começou a tentar me penetrar com seu pau,apesar de grosso e grande seu pau entrou com facilidade tamanho tesão e úmida que a minha buceta estava, Marcos passou a me fuder violentamente dando varias estocadas na minha buceta que recebia um pouco mais da metade de seu pau e que eu via através do espelho do teto, ficamos assim uns dez minutos até que Marcos me pediu para cavalgá-lo o que fiz, assim tive controle total de seu pau em minha buceta entrando mais um pouco e tendo o primeiro de três orgasmos nessa posição, depois Marcos me botou de lado e continuou a me comer agora mais devagar e apertando meus seios, mordendo meu pescoço e me chamando de puta gostosa, as vezes perguntava se eu estava gostando de trair o meu marido com um negão e eu dizia que sim, após uns 10 minutos assim Marcos me botou de quatro e começou a fuder a minha buceta, ai a sua pica entrou toda, chegava a bater no útero me deixando louca e me fazendo gozar umas três vezes, ficamos assim uma meia hora ate que Marcos disse que ia gozar e perguntou se podia gozar na minha boca, nessa hora tirei seu pau de minha xota virei e comecei a mamar a sua pica esperando seu gozo que veio em 6 jatos fortes na minha boca,Marcos urrava gozando na minha boca, bebi tudo e o que escorreu pela boca passava o pau no meu rosto, estava realizada em foda com aquele negão. Depois de Marcos me deu um delicioso beijo e formos tomar um banho para dormimos. Na manha seguinte pedimos um café e antes do garçom chegar perguntei se poderia chupar seu pau na mesa com o garçom colocando o café, Marcos aceitou na hora, fomos pra mesa encostei Marcos nela, me ajoelhei e passei a mamá-lo ate que a campainha tocou, Marcos mandou entrar, o garçom quando entrou em senhor que devia ter uns 60 anos tomou um susto me vendo chupar aquela tora preta, Marcos riu e disse que não tinha problema que era um desejo meu e mandou o garçom colocar o café na mesa.O garçom colocava mas não tirava o olho da minha mamada até que Marcos tirou seu pau da minha boca e disse que ia gozar na minha cara, abrir a boca e recebi o primeiro jato dentro, o segundo e terceiro jato acertou meu rosto e cabelo e o quarto nos meus seios levantei e fiquei pegando a porra com a mão e levando a boca, o garçom espatifado com a cena disse para Marcos que eu era uma putona por beber porra assim,ele saiu e tomamos o nosso café. Na saída Marcos me perguntou quando iria comer a minha bundinha, disse-lhe que numa próxima vez o que culminou na minha separação, hj somos amigos e sempre saímos juntos, se vocês gostaram vou contar como Marcos me enrrabou e como sai com Luis e Roger. Beijos.