Como Fiz Minha Namorada Dar Pro Pai Dela


Click to Download this video!

Antes de qualquer coisa devo adiantar que esse conto é real. Improvável, mas real.
Durante minha vida já fiz muitas loucuras por sexo. E cada uma dessas loucuras me deixa com um tesão incontrolável.
Mas nada nunca se comparou a isso.
Eu namoro a Alice a algum tempo. Alice é uma delicia. 21 aninhos, branquinha dos cabelos pretos lisos que vão até a cintura. É uma mulher alta com os seus 1,71 de altura, magrinha com peitos e bundas grandes. É um verdadeiro tesão.
No começo ela era muito retraída sexualmente falando, mal tinha feito sexo em sua vida. Imaginem como ela ficou quando comentei pela primeira vez que eu tinha tesão em imaginar ela com outros e outras. Foi uma dura batalha, que durou meses de conversas e discussões até ela aceitar a ideia. Tivemos uma experiência mais leve com um rapaz, e fizemos sexo com uma menina e ela começou a gostar muito da ideia. Se mostrou uma verdadeira safadinha enrustida.
Nesse tempo que estamos juntos eu me aproximei da família dela. Filha de pais separados, mas sempre mantem muito contato com o pai e a mãe. Fui super bem recebido na casa de ambos.
Com o tempo acabei pegando mais intimidade com o pai. Passamos a jogar futebol semanalmente, de vez enquando tomavamos uma cervejinha juntos e sempre com um contato muito legal.
Após eu e ele estarmos bastante próximos ele começou a se abrir comigo sobre a vida dele, de como a ex-esposa era uma safada manipuladora, de como ele amava a filha, que eu devia cuidar bem dela e etc.
Numa noite de sábado, eu e Alice fomos pra casa do pai dela tomar cerveja, comer petiscos e ouvir musica. Um programa bem casual. Já tarde da noite e um pouco alterados, Alice foi dormir me deixando com o meu sogro. Conversa vai e vem, o assunto acaba chegando no sexo. Ele me perguntou se eu estava tomando cuidado, transando de camisinha com a filha dele, não comendo putas por ai pra não passar DST pra filha e etc.
Quando eu pergunto sobre a vida sexual dele, ele me diz que está meio na “seca”, que perdeu o contato com a mulherada e que tava pensando em ir na zona tirar o atraso.
Durante esse diálogo, me veio na cabeça uma coisa muito louca. Mas muito louca até mesmo pra mim. E se eu fizesse minha namorada (filha dele) dar pra ele?
Obviamente nem ele, nem ela jamais aceitariam. Eu já tinha anteriormente abordado um assunto sobre incesto com Alice e tudo o que ela fez foi ter nojo.
Mas ai eu tive uma ideia bizarra, que poderia dar certo.
Falei com o meu sogro que antes de namorar eu já tinha ido numa casa de swing onde poderia até rolar sexo gratuito com mulheres casadas e tal. Ele se interessou bastante e ficou bem animadinho.
Falei pra ele que eu iria com ele lá, mas não faria nada, só iria apresentar a casa e deixar ele a vontade com uma mulher. Ele me olhou meio desconfiado e perguntou se Alice não ia ficar brava com isso.
“Ela não precisa saber” eu disse.
E afinal de contas eu não iria fazer nada errado. Ele concordou e marcamos pro Sábado seguinte.
Durante a semana eu arquitetei cada detalhe do meu plano sombrio e incestuoso, quase desisti, era muito arriscado. Mas o tesão falou mais alto…
Na sexta eu conversei com a Alice, falei pra ela que queria levar ela numa casa de swing, onde poderíamos ver pessoas fazendo sexo e quem sabe poderiamos até ter uma experiência nossa. Com certa dificuldade, ela topou ir.
Eis que meu plano começou a dar certo.
Falei com o meu sogro que iria encontrar ele na porta as 22:30, e estava lá dentro com Alice as 21h. A casa era grande, com vários ambientes. Deviam ter umas 20 pessoas lá dentro. Quando chegamos, Alice e eu, já tratei de apresentar a casa e comprar bebidas pra ela. Ela viu casais fazendo sexo, se excitou, alguns passaram a mão nela, uma mulher a beijou de leve nos lábios mas nada mais do que isso. Passado algum tempo, eu sentei com ela numa mesa em um ambiente meio boate, mais escuro e ficamos conversando e analisando o ambiente. Eu já notei ela bem excitada.
Quando foi 22:32 meu sogro mandou mensagem no meu celular falando que tava me esperando na porta.
Falei com Alice que iria no banheiro, que ela poderia ficar a vontade e conversar com quem viesse conversar com ela.
Fui lá fora, encontrei meu sogro, que estranhou o fato de eu já estar lá dentro, mas contornei facilmente a situação.
Entrei com ele pela casa, e levei para o ambiente mais sexual, longe de onde Alice estava. Andamos por uns 20 minutos e eu mandei mensagem pra ela não estranhar meu sumiço. “Amor, me espere ai que eu tenho uma ideia”.
Ela respondeu quase de imediato “Humm, to curiosa.”
Enquanto isso meu sogro se deliciava assistindo através de um vidro uma sala onde tinham uns 4 casais fazendo sexo lá dentro. Eu já estava muito acostumado com aquilo tudo, mas ele não. Ele ficava travado, com olhos abertos não acreditando no que via. Porém era notável a ereção dele nas calças.
Puxei o braço dele e falei que ia levar ele pra um lugar onde ele iria tirar o atraso dele.
Levei ele para o espaço de Glory Holes. Pra quem não sabe, Glory Hole é um buraco de poucos centímetros feito em uma parede que separa dois espaços. Então alguém vai lá, coloca o pau no buraco e a pessoa do outro lado chupa, transa e faz tudo sem que se vejam.
Entenderam meu plano né?
Alice já tinha me mandado 3 mensagens e um espaço de 5 minutos me perguntando onde eu estava, o que estava fazendo e etc. Eu tinha que ser rápido.
Expliquei pro meu sogro o Glory Hole, falei pra ele esperar naquela cabine que em coisa de poucos minutos alguma boca faminta iria aparecer ali pra chupar ele. Ele duvidou, ficou preocupado, queria ver a mulher…
“Sogrão, você não precisa ver a mulher, só coloca o seu pau ai que você vai ter prazer”
“Mas e se for um viado que aparecer ali e começar a me chupar?”
“É ai que tá sogrão, eu vou arrumar a mulher pra você”
“Que mulher é essa?é puta?”
“Ela é esposa de um amigo meu, está aqui na casa agora. Eu expliquei que tinha um amigo meu divorciado querendo sexo sem compromisso, dei uma boa procedência de você e eles logo aceitaram. Mas tem que ser por aqui porque querem sigilo”
Ele sorriu
“Nó, ai eu gostei hein. Como ela é? é gostosa?”
Eu dei a exata descrição da filha dele. Ele nem notou. Nem ao menos cogitou a hipótese.
“Beleza, to aqui esperando então” Ele disse.
Eu finalizei
“Quando baterem duas vezes na parede, é só você por o pau no buraco e ser feliz. Só toma cuidado pra não ficar falando nada, eles querem algo bem sigiloso de ambas as partes”
“Isso é tranquilo, vou ficar calado”.
Sai de lá e fui correndo atrás de Alice que estava conversando com um casal na mesa.
Ela estava meio brava pelo chá de cadeira que tomou de mim, mas logo reverti a situação, dispensei o casal dizendo que ia dar uma volta e falei pra ela que iria levar ela até a surpresa.
Durante o caminho, enquanto ela olhava toda a putaria que acontecia naquela casa, meu coração batia rápido. Eu mal ouvia ou enxergava o que tava acontecendo, só pensava no que estava para acontecer.
Se ela descobrisse, era o fim do namoro. Se ele descobrisse, capaz que me mataria. Mas, o tesão era incontrolável.
Levei ela nas cabines de Glory Hole, expliquei o que era aquilo e pedi pra ela experimentar. Tinha uma musica alta tocando lá, então tomei cuidado pra que o meu sogro em uma das cabines não ouvisse nada.
Ela não quis, disse que jamais faria sem ver a pessoa, que poderia ser algum cara feio, velho ou gordo.
Eu vendo meu plano indo por água a baixo, usei meu ultimo recurso, chantagem emocional. Fiz jogo psicológico, pedi de aniversário, quase implorei… então ela aceitou. Disse que faria por mim.
Levei ela pra cabine dois, bem ao lado da um onde estava o meu sogro. Já tinha um pornô rolando em uma TV dentro da cabine onde uma loirinha chupava um velho (achei divertidamente irônico).
Bati duas vezes na parede…. e nada.
Bati de novo, e então apareceu um pau, surpreendentemente grande, com algumas veias saltando pra fora, mas nada que deixasse transparecer ser o pau de um cinquentão. Ela com muito cuidado pegou nele, olhou pra mim e perguntou
“posso amor?”
“Deve” eu respondi.
Quando ela abocanhou aquele pau, meus senhores…. meu coração quase saiu pela boca. Minha pulsação estava tão rápida que eu tive a sensação de desmaio momentâneo. Minhas pernas ficaram tão bambas que eu me sentei em uma cadeira que tinha na cabine.
Minha namorada, que nunca tinha feito sexo com outro desde quando estava comigo, estava ali chupando um pau na minha frente… e não era um pau qualquer, era o pau do próprio pai. Em poucos minutos ela já estava super animada, chupando como nunca chupou antes, babando, lambendo ele inteirinho e enquanto isso se tocava e dizia rapidamente “que delicia amor, esse pau tá uma delicia”
Em coisa de duas musicas (minha referencia de tempo) eu já tinha gozado duas vezes me masturbando vendo aquela cena.
Eis então que sem falar nada, ela levanta, se vira pro meu lado, dobra o corpo e sussurra no meu ouvido “vou deixar ele me comer agora”
Com a mão ela ajeita o pau que vinha do buraco e faz entrar na buceta dela. Nem ao menos se preocupou com camisinha. Nesse momento ela geme muito alto e começa a fazer aquele movimento de vai e vem.
Durante meia hora ou mais, ela deu sem parar pro pai dela. Gemia igual uma louca, me chupava, me beijava, dizia que estava uma delicia. Em um certo momento ela gritou “ele tá gozando em mim amor, tá gozando”
E então eles pararam. Ela ajoelhou, limpou o pau dele com a boca, engoliu a porra que tinha restado e ele recolheu o pau de volta pra cabine dele.
Eu estava em êxtase, tinha gozado 4 vezes e minha namorada estava lá me agradecendo pela experiência.
Peguei o celular, mandei mensagem pra ele falando que depois que terminasse, ficasse uns 15 minutos na cabine pra não se encontrar com o casal. Minha namorada perguntou pra quem eu estava mandando msg, inventei uma desculpa qualquer que era respondendo um amigo.
Mais que depressa fiz ela se arrumar e disse que queria ir embora pra gente transar, só eu e ela. Levei ela pra casa.
Pouco tempo depois meu sogro me manda msg perguntando onde eu estava, eu respondo que tive que sair pra ir ver Alice que ela estava desconfiada. Ele só me responde dizendo que teve uma transa deliciosa com a esposa do meu amigo e que ela tem a boquinha de veludo. Que ele é muito sortudo.
Nessa noite eu comi Alice igual eu nunca comi antes, fui a exaustão com ela.
Isso foi a 2 meses atrás, eles jamais sequer desconfiam do que aconteceu, conversam como pai e filha e enquanto isso eu assisto ao show de longe, sabendo que minha namorada engoliu porra do próprio pai.
Ambos já disseram pra mim que queria repetir a dose, quem sabe eu tenha coragem de fazer novamente.
Porem acredito que eu nunca mais vou conseguir ter uma experiência tão intensa e proibida quanto essa. Mas valeu a pena cada segundo.