A única traição


Click to this video!

Meu nome não é importante, tenho 42 anos, tenho um corpo normal, 1,67 cm de altura e os meus seios são um pouco volumosos. Sou casada desde meus 21 anos. Meu marido de uns tempos ora cá anda bebendo além da conta, mas já estou acostumada. Aos fins de semana ele tem chegado em casa tontinho. Sábado ou domingo a tarde vai com amigos assistir futebol e chega entre 20 ou 20:30, bêbado e vai direto pra cama e só no outro dia. Em um sábado de março deste ano, ele tinha ido beber com os amigos e eu fiquei em casa tirando a mesa do almoço e após assistir TV de tarde, estava muito quente aquele dia e eu sempre ficava a vontade, com um shortinho de algodão bem folgado e curto, e uma blusinha também folgada e curta. Aquele dia ele chegou mais cedo de que os outros dias. Estava tão bêbado que precisou ser carregado pra casa, o amigo que trazia ele estava passando um sufoco pra carregar ele. Tocou a campainha e sai correndo pra atender, eram eles, aquele homem que estava com meu marido eu nunca tinha visto. Segurei ele por um ombro e o amigo por outro, e fomos em direção a cama, quando fomos colocar meu marido na cama, um dos meus seios pulou pra fora da blusa, e por uns instantes não pude recoloca-lo pra dentro, se não deixaria meu marido cair. Quase morri de vergonha vendo aquele estranho que não tirava os olhos do meu seio, pedi desculpa pelo ocorrido e ele disse que não me preocupasse e que seu seio ainda ta com tudo em cima, não é pra se envergonhar, que meu marido é um homem de sorte. Ofereci um cafezinho que havia preparado a alguns minutos atrás, quando já estávamos na sala, me abaixei para pegar minha xícara pra levar pra cozinha e tomar café com ele, ele deu uma colada na minha bunda e pediu desculpas, não tinha percebido que tinha parado de repente. Notei que estava exitado, acho que pela visão do meu seio. Na cozinha, quando fui lavar as xícaras ele me abraçou pela cintura e com uma velocidade, por de baixo da blusa segurou um seio em cada mão, tentei me desvencilhar das suas mãos mas ele me apertou contra a pia e beijava e lambia meu pescoço. Baixou meu short, que trançou nas minhas pernas e no desespero pra levanta-lo, cai no chão e só facilitou a investida dele, rasgou minha blusa, retirando-a completamente. Segurou meus braços e sugava meus peitos, de uma só estocada penetrou minha bucetinha, já um pouco lubrificada dos carinhos em meus peitos. Fingindo não gostar e tentando me soltar, rebolava mais com sua pica me bombando. Ele pedia calma, porque não queria me machucar, disse que até estava gostando. Gozei e ele não parava, parecia que não transava a meses. Deixei de fazer força e fui facilitando mais, ele percebeu e disse: isso mesmo amorzinho, beijou meus seios e foi subindo pelo pescoço e beijou minha boca, e no auge do tesão começamos a enroscar nossas línguas, gozei de novo e em seguida ele gozou dentro de mim, eu imóvel no chão, ele foi saindo dentro de mim e me deu um beijo de despedida e falou que era o pagamento por ter trazido meu marido pra casa. Foi em bora e eu sai correndo pro banho, coloquei a mão no meio das pernas e percebi que escorria esperma de dentro, me esfregando acabei me exitando e gozei novamente. Nem acredito no que aconteceu, fui dormir com meu marido, que só acordou 11:40 de domingo, estava um pouco nervosa que passei a evita-lo dentro de casa, que nunca desconfio de nada e nunca mais vi seu amigo.