Com 10 aninhos chupei meu primeiro pau


Click to Download this video!

Oi, me chamo Ritinha e hoje tenho 20 anos e sou noiva.
Adoro contos e resolvi contar um caso que aconteceu comigo quando eu tinha 10 anos.
Sempre fui uma menina esperta e antenada e filha única. Morava com minha mãe (meus pais se separaram quando eu tina 5) e sempre tive muita liberdade e já observara muitas coisas com minha mãe e seus namorados lá em casa, tipo beijos, apertos e carícias. Eu não entendia muito algumas coisas, mas sabia que era bom, pois minha mãe e seus namorados ficavam sempre felizes. Enfim, com 10 anos já beijava uns meninos e tinha vontade de ver um pinto de verdade.
Numas férias escolares, minha mãe resolveu viajar com um namorado para MG num sítio de um irmão dela, meu tio.
Elesse sentaram nas poltronas 37 e 38 e eu logo atrás, na janela na poltrona 41 do ônibus leito de 56 lugares. Na poltrona 42 sentou um senhor de mais ou menos 50 anos, cabelos grisalhos, e, muito boa aparência. Minha me deus umas instruções e me beijou e sentou e começou a beijar seu namorado. A partida seria as 18h e a previsão de chegada seria as 22h. Ou seja, viajaríamos a maior parte, já de noite.
O senhor começou a puxar assunto comigo, pois viu que eu era esperta, conversava bem e era bem bonitinha…moreninha de cabelo curto e já com os peitinhos aparecendo e apontando na blusinha. Eu vestia uma regata (tava calor) e um shortinho jeans. Conversamos e minha mãe, de vez em quando olhava pra trás e participava da conversa. A viagem estava muito legal, até que minha mãe e seu namorado começaram fazer coisas que faziam em casa, eu percebi isso.
Depois dormiram. Eu fiquei com vontade de ir ao banheiro e o Sr Paulo, teve que se levantar pra eu sair. Esbarrei minha bundinha no braço dele. Fui, fiz xixi e voltei. O Sr Paulo estava diferente, tinha ficado mais a vontade, aberto a camisa de botão o que me deixava ver seu peito, ainda musculoso, e estava bem mais relaxado sentado. Bem, sentei de novo ao seu lado e ele puxou de novo assunto. Agora ele me perguntava sobre namorados, primeiro beijo….essas coisas…falava bem mais baixo e o ônibus acelerava pela estrada, escura. Ele chegou bem perto do meu ouvido e disse baixinho: “você é uma menina linda”.
Fiquei sem jeito, mas como era esperta, apenas respondi: “obrigada”.
Daí em diante ele não parava de me elogiar e eu senti que ele quando vinha falar comigo, encostava a perna dele na minha e sua mão sempre no meu cabelo, bem perto da nuca.
Numa hora dessa ele encostou o braço no meu peitinho, duro e me disse: “nossa, você já está crescendo”. Eu fiquei olhando pra ele e gostei do elogio. Ele era bem bonito. O tempo passou o ônibus fez uma parada de 15 min para o lanche. Minha mãe continuava dormindo ao lado do namorado. Estavam cansados do dia de trabalho. Eu e Sr Paulo descemos bebi um refri e ele um café. Depois ele foi ao banheiro. Voltamos pro ônibus, as luzes se apagaram e seguiu a viagem. Em poucos minutos, muitos já dormiam. Aí Sr Paulo investiu pesado, afinal faltava pouco menos de 2h para chegar ao destino.
Ele conversando comigo pegou a minha mãozinha e pôs por cima da calça. Senti o membro dele duro. (ele tinha ido ao banheiro e tirado a cueca, safado). Logo ele abriu o zíper de fez minha mãozinha chegar até o pau dele. Deixei, pois estava gostando. Ele botou o pau pra fora e segurou minha mãozinha e começou a me ensinar uma punhetinha. Pela primeira vez eu via e segurava um piru de verdade. Nossa, era quente, duro e ao mesmo tempo macio. Ele falou baixinho no meu ouvido. “Não conte nada pra sua mãe e fique bem quietinha”. Segurou minha cabeça e me fez curvar até bem perto da piroca dele. Senti o cheiro, bom, e ele me pediu pra dar um beijinho na cabeça do pau dele, gostei. Ele pediu pra lamber, lambi. Pediu para eu chupar como se fosse um sorvete. Coloquei a cabeça na boca, tive que abrir bem, pois não estava conseguindo. Bem fiquei chupando igual a picolé. Ele gemia baixinho e fazia movimentos enfiando mais a piroca na minha boquinha e segurava minha cabeç a não me deixando respirar muito. Nossa! Eu estava chupando um pau grande, de verdade, e estava gostando.
Aí ele enfiou a mão por dentro da minha blusinha e começou a mexer nos biquinhos dos meus peitinhos. Aí fiquei louca, estavam doloridos, mas o carinho dele tava muito bom.
Ele levantou minha blusinha e começou a lamber os biquinhos e chupar bem devagar meus peitinhos. Tremi de forma diferente. Acho que gozei. Logo ele me fez chupar de novo o pau dele. E disse pra eu continuar que ele iria me dar leitinho pra beber. Não entendi muito bem, mas logo ele começou a se estremecer e seu pau começou a latejar na minha boca e ele segurou minha cabeça e disse : “é agora. Toma e bebe todo o leitinho”. Começou a sair líquido da cabeça do pau dele e inundar minha boca e garganta. Quase engasguei, mas fiz o que ele pediu. Engoli tudo, um leite meio amargo, salgado, com cheiro diferente, mas muito gostoso.
Fiquei de barriguinha cheia. O ônibus entrou na cidadezinha, o motorista acendeu as luzes, minha mãe acordou e me perguntou: tudo bem aí filhinha? E eu: sim. Fiz uma ótima viagem e olhei pro Sr Paulo e pisquei o olho. Ele sorriu satisfeito e falou com a minha mãe: Ela é uma garota muito esperta. Conversamos muito durante a viagem. Parabéns por sua filha. Minha mãe agradeceu e descemos. Uma semana de férias e encontrei o Sr Paulo pela cidadezinha e ele me convidou pra um banho de piscina na casa dele. Aí aprendi mais coisas. Depois eu escrevo.