Quando comecei a perder a vergonha


Click to Download this video!

Moramos em Pedreiras, uma cidade próxima a Campinas, muito conhecida pelas belas montanhas e lagoas… Um lugar lindo que faz parte dos melhores roteiros turísticos do Brasil.
Hoje mantemos amigos, confidentes, etc…, em cidades desde São Paulo, Valinhos, e alguns até de outros Estados.
Conheci meu marido há tempos, ele é Empresário no Ramo Automobilístico e foi amor e paixão desde o começo. Perdi minha virgindade com ele, mas dois anos depois, depois de uma pequena briga com ele, fiquei magoada e acabei dando para um primo, meses depois voltamos, mas não contei sobre o primo que já tinha me comido umas 10 vezes e nem que em uma dessas vezes foi junto com um amigo dele.
O Marido desconfiou e numa cidade pequena foi fácil de ele saber o que tinha ocorrido naqueles meses… Olha, foi o maior bafafá! Ele até saiu com minha irmã que sempre esteve a fim dele…, e aí, eu magoei, mas soube o que ele deve ter sentido…
Foram meses atrás dele, telefonemas, cartas, e-mail, mensagens e nada, pensei que tudo tinha terminado, ele foi para São Paulo, continuei tentando e quando soube onde morava, até na porta do prédio dele passei a noite.
Mudei-me para lá para a casa de uma tia e nada, comecei a trabalhar em uma perfumaria em um shopping e passei por um monte coisas do destino…, um dia ele entrou na perfumaria onde eu estava trabalhando (eu estava de costas) e perguntou para uma colega de trabalho se tinha chegado o Egoiste Platinum da Channel (seu perfume preferido), na mesma hora me virei e vi que era ele mesmo, só que estava de lado e não me viu , cutuquei em seu ombro e quando ele se virou dei-lhe um beijo na boca, para espanto da gerente e colegas e, mais ainda, dele, que me afastou dele e saiu da loja…, para minha surpresa, a gerente que sabia da história disse:
“- É ele?”
“- É!”
Respondi…
“-Vá já atrás dele e esclareça tudo, quem sabe se ele acaba relevando aquilo (o caso com meu primo e amigo). Fale o quanto o ama!”
Ela falou.
Não pensei duas vezes, fui e consegui alcançá-lo já perto da saída, implorei, e ele me fez largá-lo, estava extremamente magoado comigo, acabamos conversando na calçada do shopping, num lugar menos movimentado, disse o quanto o amava, que estava arrependida, que fui usada, e o faria o homem mais feliz do mundo e nunca mais mentiria para ele, nem esconderia nada dele.
Ele perguntou se eu queria ir a um hotel, quando eu disse que sim, ele disse:
“-Agora não! Tenho de pensar muito a respeito…”.
Entregou-me um telefone que eu não conhecia e despediu-se com um beijo rápido, mas intenso e sincero, foi aí que tive certeza que ele também me amava (foi o que minhas colegas de trabalho acharam quando lhes contei).
Ele não ligou no 1ºdia, eu fiquei triste, mas no 2º, ele me ligou de manhã perguntando se eu desejava passar o final de semana com ele em um hotel de luxo, próximo do shopping, aceitei e avisei ao pessoal da loja que me deu a maior força, mas avisaram: não vá mentir ou falhar novamente, esse homem (era 10 anos mais velho que eu) é para casar!
Cheguei ao hotel antes da hora marcada toda produzida e o aguardei no salão, ele chegou 15 eternos minutos depois; subimos ao quarto e começou a conversa que durou horas, até nos telefonarem perguntando se almoçaríamos no salão ou preferíamos que fosse servido no quarto, escolhemos o quarto.
Muita coisa já tinha sido esclarecida quando chegou o almoço, excelente e com um vinho delicioso do Minho. Depois da sobremesa estávamos relaxando e conversando pouco, esperando o garçom retirar o carrinho, quando novamente ligaram perguntando se poderiam retirar o almoço e se já sabíamos se jantaríamos lá.
Voltamos com a conversa, só que desta vez mais picante, eu quis saber como foi com a minha irmã e ele me relatou tudo. Nos mínimos detalhes (como eu exigi), e para minha surpresa (ela tinha 18 anos e eu 21) ela saiu com ele três vezes e em todas tentou engravidar. Ela fez de tudo com ele, até forçou um anal, coisa que eu nunca tinha feito.
Mas ao invés de ciúme, eu senti muito tesão em saber como tinha sido o sexo dele com minha irmã (fiquei com vontade de trepar já, e como agora era minha vez, caprichei ao contar tudo que fiz com meu primo e o ménage a trois com o amigo dele.
Contei tudo, inclusive que apesar de ter sido usada, adorei ser fodida por dois homens potentes…, mas notei a curiosidade e tesão que ele estava sentindo!
Acabamos tendo as melhores fodas de nossas vidas, e continuamos até na hora do jantar quando descemos após o banho.
Jantamos, mas não víamos a hora de voltar à suíte. Voltando lá aproveitamos para fazer amor o tempo todo, continuamos mesmo depois dos preservativos se acabarem.
Só não fiz sexo anal, pois sempre achei dolorido e um tanto anti-higiênico.
Mas além do excelente sexo, o mais importante foi a porta que foi aberta para futuros planos sexuais com base na cumplicidade, lealdade, amor, carinho, compreensão, liberdade de expor o que se deseja e um possível futuro casamento em breve.
Tudo dependeria de nunca escondermos mais nada e nunca mentirmos um para o outro…, pois, por pior que possa parecer, é preferível sempre falar a verdade!
No dia que saímos do hotel estávamos praticamente noivos e com muitos planos. Encontramo-nos vários dias naquela semana e sempre foi tudo ótimo, mas havia algo que ainda parecia não resolvido por mim e por ele…, a imagem dele transando com minha irmã e a de eu ter transado com meu traiçoeiro primo e seu amigo…, ao mesmo tempo, eu desejava me casar com o “Armando”, mas como resolver isso?
Depois de uns 10 dias ele teve uma conversa comigo sobre como eu tive coragem de sair com meu primo e depois transar com dois ao mesmo tempo…, eu lhe confessei que do meu primo ele já sabia o que houve, mas que eu tive vontade de sentir como era estar com dois homens…, e, para terminar com o papo, perguntei se iríamos nos casar algum dia, ou se ele estava me enrolando?
A resposta dele me deixou desmontada, surpresa e com a sexualidade aguçada, pois respondeu ele:
“-Eu nunca estive com duas mulheres juntas, se você me proporcionar isso, considere-se noiva oficial, e a 2ª proposta é a seguinte: Depois disso, quero ver você transando com outro homem na minha frente, de preferência um casal, assim, um verá o outro em ação e saberemos se conseguiremos dominar os ciúmes…, aí então, já estaremos a caminho do casamento!”
No começo eu protestei (da boca pra fora, pois me deu tesão, só de pensar naquilo) me fiz um pouco de difícil, mas acabei entrando no clima e fantasiando durante nossa transa e acabei aceitando!
O que pensei que seria difícil foi o mais fácil, pois com uma colega minha e uma amiga dela eles foram os três para um motel, e quando ele voltou, contou como foi, senti tanto tesão que acabamos transando no carro na garagem.
Chegou ao final da semana; dos muitos clubes de swing que existem na cidade selecionamos três que fomos conhecer antes de abrirem. E nos explicaram o que era swing, as regras, o respeito etc.
Quando chegou a noite, vesti uma minissaia, calcinha mínima, sutiã transparente e blusa com decote generoso. Chegando lá fomos à nossa mesa, assistimos ao show, e depois de uns drinks, notamos que havia muita coisa rolando por ali e então, fomos ver tudo.
Havia uma sala com uma janela onde 3 casais já estavam transando, na sala coletiva as coisas estavam quentes, decidimos entrar no labirinto (quando antes estivemos lá, haviam luzes fracas, mas naquela hora estava tudo escuro e de vez em quando, um lampejo estroboscópio, entramos de mãos dadas e às vezes, ele me segurava, sentia passarem a mão em minha bunda, um beijo no pescoço, me pegaram pelos bicos dos seios e me direcionaram à frente e, quando a luz lampejou, era um casal e meu noivo sumiu, o cara me pegou pela mão e levou ao pau dele, aproveitei e dei uma boa acariciada naquela rola, o cara me virou de costas levantou minha saia e tacou o pau entre minhas pernas afastando a calcinha, já pronto para me penetrar, a cabeça entrou, mas aí eu vi o meu noivo me procurando e, se não fosse isso, eu seria bem capaz de deixar, mas fui até meu noivo e, no caminho, fui bolinada de várias formas. Saímos de lá e fomos para uma salinha com treliça que fecha e apaga a luz e ninguém nos vê; contei para ele de minha experiência e como me senti; transamos!
Descansamos um pouco e fomos a uma sala coletiva (ele queria voltar ao labirinto, onde havia várias pessoas transando e fazendo sexo oral lá {me arrependi}, mas na sala coletiva rolava isso, um casal bem novo sentou-se no sofá e os convidei a ficarem ao meu lado e, não sei como, já estava no colo do cara e de frente, nosso beijo foi rápido, mas ele levantou minha blusa tirou o sutiã e já chupava meus seios. Olhei o meu noivo, e ele estava beijando a noiva do outro e massageando a xana dela… Foi aí que eu abaixei meu corpo até ficar na altura da rola do cara, que já estava bem dura e para fora… Aí eu comecei a fazer um oral, o pau do cara tinha uma cabeça enorme e um corpo estreito, parecendo uma chupeta, pronta para mamar, olhei para o “Armando” ele estava sugando os seios dela e nem viu o que eu fazia…
Aproveitei e caprichei no boquete, o cara quase gozou na minha boca, e ficou tão louco (não conheço ninguém que faça um boquete melhor que eu, essa é a opinião de meu marido e de outros também) que me levantou até o colo dele e disse: vamos meter?
Topei!
Assim que aquela chupeta começou a entrar em mim, a noiva dele viu antes do meu e delicadamente me retirou do colo dele e assumiu meu lugar na foda, até ele gozar dentro dela! Beijei o meu noivo na boca, mesmo tendo acabado de chupar outro pau, ele não viu mesmo!…
Fomos dar mais uma volta, e não aceitei entrar no labirinto (me arrependi), mesmo com vontade e ainda presenciamos em outro recinto um “gang bang”, a mulher devia estar com uns seis homens ou mais, fiquei com uma vontade louca de fazer aquilo, mas não disse nada. (me arrependi)
Fomos a outra sala coletiva e uma morena de olhos verdes, linda, se ofereceu para ficar comigo enquanto o marido dela e meu noivo observariam, educadamente, eu rejeitei, mas me arrependi muito…
Em outra sala uma mulher bonita fez sinal para o meu noivo, e baixou as calças dele fazendo um boquete, tentei fazer um no marido dela, mas o negócio dele era ver a esposa chupando outro, pois pediu para eu bater uma punheta para ele…, foi o que fiz!
Já íamos para outro ambiente, quando um casal bonito e quase nu veio até nós e propuseram uma troca total, meu noivo foi o 1º a aceitar. Eles eram lindos, eu já estava só de minissaia e a blusa mostrando os bicos dos peitos, como sabia que meu noivo queria ver, chamei um coroa que a companheira tinha ido embora e combinamos, sentei o coroa no sofá e tirei suas calças e comecei o boquete enquanto o outro tirou o resto de minhas roupas e me chupava os seios enquanto dedilhava minha boceta.
Vi que meu noivo e a esposa do cara estavam nus e se acariciando, mas nos observando, aproveitei e pedi para ele as duas das camisinhas que nos tinham dado na entrada, ia começar meu 2º ménage, o coroa tinha uma rola enorme, bonita e cheirosa (reconheci o Kenzo) coloquei a camisinha nele e sentei-me de frente sentindo aquela rola maravilhosa e experiente dentro de mim, o outro tentou fazer anal, mas avisei que não fazia, tentei fazer oral nele, mas estava difícil, a solução foi ficar de quatro e enquanto o coroa fodia maravilhosamente a minha boceta, eu chupava o caralho do outro cara com gosto, aí que olhei que meu noivo e a companheira dele nos observavam, mas já estavam fazendo sexo, e todo mundo estava nu.
O maravilhoso coroa me socava a boceta cada vez com maior ímpeto, enquanto o outro acabava de gozar dentro da minha boca, engoli toda aquela porra quente; finalmente o coroa gozou dentro da minha boceta e quando vi a rola dele, a camisinha estava lotada de porra!
Aí foi feita a inversão. (meu noivo espiava) O marido da que estava com meu então noivo colocou a camisinha e me colocou desta vez deitada no sofá enquanto ele me penetrava na frente chupava e mexia em meus seios, o coroa de joelho me entregava aquela majestosa rola para eu chupar.
Mal começamos e produzindo todos os sons de gozo, ouvimos um outro que era o da mulher do cara que tinha gozado, e depois ficaram nos observando com outras oito pessoas na sala.
Ninguém resiste ao meu boquete, o coroa gozou em minha boca minutos depois e, para minha surpresa, uma boa quantidade, depois esperamos o outro gozar na minha xana.
Terminado tudo trocamos cartões, telefones e eles saíram.., aí dei um baita beijo demorado na boca de meu noivo, que foi correspondido, ele nem lembrava que eu tinha feito três boquetes e engolido muita porra de outros machos, perguntei se agora já poderíamos nos casar e ele disse que sim, beijei-o mais demoradamente…, mas depois lembrou dos boquetes e brigou comigo, e saiu para lavar a boca no banheiro enquanto eu terminava de me vestir na sala.
Quando terminei chegou perto de mim um cara e sorriu dizendo:
“Eu queria ser um daqueles dois, você foi maravilhosa!…”.
Nesse momento meu noivo chegava e o cara retirou-se… Sabia que ele estava bravo comigo, fiquei quieta e fomos para a saída, quando me lembrei de tantos arrependimentos que tive por não fazer coisas, que resolvi falar sobre o cara, inclusive quando perguntou se meu noivo me deixaria transar com ele… (silencio); mas a resposta dele me surpreendeu:
– Bom…, você pisou na bola comigo ao me beijar depois de engolir porra, por outro lado contou algo que aconteceu na minha ausência, o cara está aqui na sala?
“-Não, mas eu fiquei com tesão pelo cara!”
“- E ele já saiu?”
De onde a gente estava dava para ver a saída!
“-Você seria capaz de convidá-lo para meter?”
“-Claro! Só não sai foda se ele já estiver com outra…”.
“-Então vamos procura-lo!”
Andamos por alguns ambientes e logo o achamos, exatamente onde faziam uma gang-bang, ele observava uma mulher com quatro homens, ele era quase o 5º, mas eu me adiantei e fui até ele, e antes que falasse qualquer coisa, dei-lhe um selinho e falei:
“-Sua proposta foi aceita!”
Apresentamo-nos e descobrimos uma sala reversada que fechava a chave, ficamos lá, os três tiramos a roupa e mais uma vez tomei a iniciativa e fiquei num superboquete de 31 minutos e o dele em mim, foi de uns 10 minutos, aí rolou sexo com a assistência de meu então noivo, que só participou ao final, quando o rapaz tentou um anal, eu até deixei, mas após entrara uns oito centímetros, a dor me tirou a chance de perder a virgindade anal.
Volto a esclarecer que essas histórias são reais, aconteceram comigo, já fomos a outras casas de Swing e a outras festas de casais, e nos divertimos muito, mas avisamos:
Swing é para casal que tem lealdade, afinidade, cumplicidade, sinceridade e sem ciúmes doentio!