A Amiga da Minha Irmã


Click to Download this video!

A AMIGA DA MINHA IRMÃ I
Esse fato se deu em meados de 1970, eu (CLAUDIO) tinha 20 anos, estava na sala deitado no sofá em casa quando minha irmã Claudia chega por volta das 11:30 horas num sábado com uma amiga Silvia, uma garota de 18 anos morena clara, olhos castanhos claros quase verdes, seios médio um corpo escultural, minha irmã a apresenta à mim dizendo Clau essa é minha amiga Silvia ela vai ficar uma semana com nós, veio estudar e trabalhar pra cá porque na cidade dela está dificil conseguir um bom trabalho, e diz à Silvia, “não te disse que meu irmão era um gato?” eu era claro, olhos azuis, 1,70 altura e cabelos castanhos escuros, e Silvia concorda, fiquei rosado eu era muito tímido, conversamos um pouco e logo fomos almoçar, minha mãe era uma excelente cozinheira, notei que ela me olhava discretamente, eu sempre tímido, não falava nada.
Terminado o almoço elas foram para o quarto junto minha irmã, que era enfrente ao meu, cochichavam e davam risadinhas. E eu imaginando o que será que elas estão dizendo?
Em seguida minha irmã falou, Clau vamos ao cinema hoje a noite? Tem um filme legal pra gente ver, falei vamos.
E à noitinha fomos ver o filme, minha irmã de propósito deixou Silvia sentar ao meu lado, era um filme romântico e muito sensual, toquei levemente sua mão e logo me excitei, eu me excito com muita facilidade, ela percebeu, fiquei envergonhado, por causa da minha timidez .
Terminado o filme fomos pra casa, já eram umas 23:00 horas, cada um foi para seus quartos, eu estava muito excitado só pensando na Silvia, quando eram 1:30 mais ou menos, levantei só de cueca e descalço, acendi a luz do corredor espiei no quarto da minha mãe pra checar se tava tudo bem, ela estava desmaiada de sono, então abri a porta do quarto das meninas as duas dormindo, deixei a porta semi-aberta para clarear, cheguei próximo da cama de Silvia, me ajoelhei tremulo, comecei beijar se lindo rosto, com muita sensualidade e delicadeza, quando ela virou o rosto e beijou-me com sua boca carnuda e gostosa, ela disse “pensei que você não queria nada comigo”, ela estava com uma camisola branca e uma minúscula calcinha preta, comecei beija-la cada centímetro do seu corpo, seus seios, sua barriga, suas coxas, e ela respirava ofegantemente, quando voltei para os seus seios lindos e gostosos, toquei a bucetinha por cima da calcinha, ela abriu levemente pra facilitar o toque, pus a mão por dentro e comecei a masturba-la mamando nos petinhos dela, ela começou a gemer, eu disse, não faça barulho se não a Claudia acorda, ela respondeu, que se dane, eu já estava nu ao lado da cama, quando percebo minha irmã, fechando a porta e acendeu o abajur, veio em minha direção, disse fique tranqüilo está tudo bem também quero participar, tocando meu pau, meus testículos, começou me masturbar e me disse “sem quis ver seu cacete ao vivo, eu falei sem problemas, minha irmã falou, vamos fazer ela gozar?
Eu disse é o que eu mais quero, falei vou chupar a bucetinha dela e você mama os peitinhos, nossa, Silvia gemia tanto, se contorcia na cama, parecia possuída, “ela disse, me come por favor, me come, homem delicioso”, eu não tinha muita experiência sexual, mas sempre lia livros e revistas sobre o comportamento sexual feminino e a reação do corpo de uma mulher, então sabia ser delicado e viril, eu mais que depressa, pus ela de quatro, aquelas nádegas lindas, a bucetinha toda aberta só pra mim, quando fui penetrá-la, minha minha irmã me pediu, deixa eu colocar seu cacete nela, e pegou meu pau, colocou na posição na entrada da buceta , e falou, agora fode ela.
Comecei penetrando devagar, depois dava estocadas fortes, que ela gritava “me fode gostoso, me fode”, até que ela gozou, caiu na cama meio desfalecida, nisso minha irmã já estava nua, me abraçou e disse também quero, fiquei sem saber o que fazer, ela se abaixou começou a mamar meu cacete, peguei sua cabeça a forçava a engoli-lo e ela obedecia, encostei ela na parede e esfregava o pau no grelinho dela, ela gemia. Deitei-a debrussos na cama, e beijava duas costas, nadegas, coxas, chupava suas nadegas gostosas, depois fizemos um 69 eu em baixo e ela em cima de mim, percebia seu liquido que escorrida da vagina senti o gozo dela meu rosto, e ela me pedia não pare, quando Silvia se levanta e vem participar junto na outra cama, e começou a chupar os seios da minha irmã, de vez em quando dava uma lambidinha na xaninha junto comigo, minha irmã delirava de tesão e Silvia também, quando eu falei não vou agüentar acho que vou gozar, preciso penetrar em voce Silvia que disse eu quero seu leite em mim, eu falei então no cuzinho ela concordou, minha irmã já tinha gozado pus a Silvia de bruços,dei vários chupões na bundinha que ficou com marcas rosadas nas nadegas dela, minha irmã pegou um creme de mãos passou no meu cacete, e disse agora fode o rabinho dela, não acreditei, fui penetrando bem lentamente pra não machucá-la, e dizia se doer você fala ok?. Ela disse pode por tudo quero sua porra toda La dentro, então dei varias estocadas, gemi tanto com aquele gozo maravilhoso, senti minha porra jorrando dentro daquele rabinho lindo, quando tirei vi que estava saindo porra pelo cusinho dela.
Minha irmã meu beijou na minha boca, e disse: não se preocupe, mas se você quiser faremos isso novamente.
E isso aconteceu muitas vezes na minha casa, só que elas que vinham para o meu quarto, primeiro a Silvia, depois minha irmã, às vezes as duas foi muito maravilhoso, jamais esquecerei essa história, hoje tenho 64 anos um dia desses perguntei pra minha irmã, você sabe alguma coisa da Silvia, ela respondeu nunca mais a vi, eu gostaria de saber como está aquela garota maravilhosa Silvia.
Essa é a minha história romântica e erótica.