Brincando no Escuro


Click to Download this video!

Meu nome é Eliane, vou contar das brincadeiras de criança que fazíamos a muito tempo atrás, acho que tinha 12 anos, e os meninos de 13 a 14 anos, quando brincávamos de se esconder num muro do vizinho que ficava no escuro os meninos gostavam de ficar grudadinhos em mim. Eles diziam que era pra quem nos procurava, não me achar, todos me protegendo, eu adorava, nunca are eu que tinha que achar os meninos. Também tinha um estacionamento escuro que brincávamos de ver quem tinha coragem de ir até o fundo e encostar a mão na parede, no meio do caminho um e outro menino me pegava pela cintura e me protegia até chegar no fundo, eu ia rebolando minha bundinha nos pintinhos deles, as vezes notava um mais saliente que outros, mas não pensava em sexo ainda, um dos meninos eu tinha mais intimidade porque morava no mesmo pátio que eu, e tudo que ele pedia eu fazia, ele sempre que escolhia as brincadeiras. Uma vez um rapazinho maior quis brincar junto de encostar a mão na parede, e ele pediu pra eu ir com ele até o fundo do estacionamento, naquele clima de brincadeira eu fui, no meio do caminho me pegou pela cintura também, foi ai que percebi algo maior na minha bunda, fui até o fundo meio desconfiada, na volta quis sair correndo de medo e me livrar dele, mas ele deixava eu afrouxar um pouco e voltava a segurar minha bundo no seu pinto, chegamos na calçada e não quis ir mais, não disse o porque. Na outra noite tive que ficar em casa e convidei meu amiguinho do mesmo pátio pra brincar, ele teve a ideia de brincar de apagar a luz e ir comigo até a parede do quarto, colei minha bundinha nele, porque era assim a brincadeira e na hora me lembrei do rapazinho com um pintão na minha bunda, mas neste eu podia me encostar bem, senti um prazerzinho. Na rua de novo, brincando de se esconder, naquele muro todos queriam ficar comigo, agora eu estava de sainha, gostava de usar, e percebi que eles estavam discutindo pra ficar comigo, estava adorando ser o centro das atenções, um dos meninos quis me segurar pelas coxas e não deixei, mas quando foi a vez do meu amiguinho eu deixei ele alisar minhas pernas, senti um calorzinho nunca sentido, os outros com ciúmes perguntaram porque eu deixava ele e os outros não, não sabia o que dizer e deixei eles me alisarem também. O rapazinho maior ficou sabendo e quis brincar junto e tive que ir com ele no escurinho, pensando em me proteger dele, sugeri ir de frente e ele concordou logo, me segurou pela bunda e pediu silencio pra não nos acharem, fiquei quieta até ele passar a mão na minha calcinha, reclamei e ele pediu desculpas, mas não me soltou. Aquela noite fui para casa pensativa, estava com medo dele, mas tinha gostado um pouco. Outra noite quando brincávamos o rapazinho apareceu para brincar conosco, e eu achando que ninguém iria perceber, fui em casa e coloquei uma saia pra brincar, e rapazinho achou que era um convite pra ele avançar com sua mão, quando estávamos só eu e ele no escuro, ele me pegou na bunda por baixo da saia e ficou esfregando as mãos nas minhas coxas, segurei suas mãos e pedia pra ele retira-las, estava quieta e gostando, e ele percebendo até deslizou seus dedos na minha rachinha, dei um pulinho e suspirei, voltei para junto dos outros, que estavam rindo. Todos foram comigo e chegou a vez dele ir de novo, agora ele sabendo que ia ficar quieta, afastou minha calcinha e dedilhou meu grelinho, tremendo de nervosa e gostando no reflexo afastei as pernas e com isso facilitou a investida dele, senti seu pinto fora da bermuda encostando na minha bunda, seus dedos fizeram eu gozar e me assustar com esta nova sensação. Em casa queria fazer novamente e chamei meu amiguinho para brincar no pátio que estava escuro, deseja muito repetir o arreto que pedi para ele brincar com minha bucetinha como o rapazinho fez comigo, agora eu tive que afastar minha calcinha, pois ele era muito novo, com isso eu me aproveitei dele, levantei a saia pra ele, ele foi baixando seu calção, ia pedir pra ele levantar mas estava vendo um pintinho pela primeira vez, encostei minha bunda no seu pinto e ele colocou os dedos na minha bucetinha, coloquei minha mão em cima da mão dele para fazer o movimento certo, me contorcia em seus dedos e gozei, ele não quis parar e deixei ele me alisar mais um pouco, ele pediu para eu segurar seu pintinho e estava gostando de pegar num pintinho quentinho. Ele pediu para eu também tirar minha calcinha e ficar como ele, tirei e virei de frente, ele desvendando minha bucetinha e eu alisando seu pauzinho, gozei novamente e ele gozou na minha mão, nos vestimos e entramos em nossas casas. A tarde no quarto dele, como estávamos a sós e pediu para fazer tudo igual, mas no claro para ver minha xoxotinha, e eu sem dizer nada mas queria ver o que era aquilo que saiu do seu pinto, primeiro quis começar com seu pinto, até ele expelir seu leite branquinho no lençol, na minha mão e nas minhas pernas, e ele foi em direção as minhas coxas e brincou nela até eu gemer com um gozo gostoso. Ficamos nos olhando e tirando nossas dúvidas e marcando fazer tudo de novo. A noite só estávamos eu ele e outro menininho, sugeri fazer eles gozarem com meus carinhos, já de pintos duros, fiz um gozar e depois o outro. Não deixei eles me bolinarem, avisei meu amiguinho que deixaria ele mexer em mim a noite. Em nosso quintal, cheguei de saia e já fui tirando a calcinha e saia, e meu amiguinho tentou tirar minha blusa, não deixei e na segunda tentativa dele não fiz nenhuma resistência e mostrei meus peitinhos pra ele, queria agradar ele e abri o que pude minhas pernas, segurei a mão dele dentro da minha buceta e gozei, mas prossegui com os dedos dele dentro e sem parar gozei de novo, estava com minha buceta e minhas coxas lambuzadas com meu gozo, ele quis meter dentro de mim mas de medo não deixei e paramos sob protesto dele, pedi calminha seu taradinho, amanhã vamos brincar mais. Sai de sainha para encontrar meus amiguinhos para brincar no escurinho e encontrei aquele rapazinho que me abordou e informou que eles estavam me esperando no estacionamento, fomos naquela direção, chegando lá ele diz que sabia o que fazia com os outros e queria também, com medo dele fui resistindo até seus dedos tocarem na minha xoxotinha já molhadinha, aos poucos fui deixando seus dedos mais soltos, deixei ele baixar minha calcinha e ele de pau duro para fora, pensei que quisesse que eu masturbasse-o, mas ele quis colocar o pau nas minhas coxas por traz, fazia um vai e vem nas minhas coxas sem tirar os dedos de dentro da minha bucetinha lubrificadinha, gozei em seus dedos, mas ele queria mais e eu também. Me virou de frente pra ele e colocou uma perna minha em cima de um para-choque dum carro, deixando minha bucetinha abertinha pra ele, não suportando mais o prazer provocado por ele, não percebi que seu pau estava pronto para me desvirginar, encostou na entrada da bucetinha e segurando minha cintura forçou a entrada, e dentro de mim me segurou firme e começou a entrar e sair, uma mescla de dor e prazer gozei no seu pau, quando ele gozou dentro de mim eu já não estava mais sentindo dor, tirou o pau e vestiu-se bem ligeiro, procurei minha calcinha e vesti, escorria algo de mim, pensei que fosse o seu leite, chegando em casa vi que era sangue, no banho estancou o sangramento e dormi com medo de repetir. Deixava só meu amiguinho me comer, com ele era melhor porque podia confiar, eu dominava as ações. Aprendi a dar a bundinha, depois que descobri que podia engravidar, deixava ele gozar só no meu cuzinho. Ficamos namorando por alguns anos e tive que me mudar, mas não parei. Em outro conto digo como e com quem aprendi a gostar de mamar e tomar leitinho.