Que Mamadeira Gostosa Papai


Click to Download this video!

Oi, meu nome é Ci.
Vou contar pra vocês algo que aconteceu quando eu ainda era menininha.
É um segredo entre eu e o papai, mas como já passou muito tempo, acho que posso contar.
Meu quarto era muito perto do quarto dos meus pais, muitas vezes quando era bem tarde eu escutava uns barulhos estranhos que vinham do quarto deles, as vezes parecia que mamãe estava muito feliz, outras vezes ela dava uns gritinhos, parecia que eles estavam brincando. Sempre fiquei curiosa, não sabia o que estava acontecendo.
Teve um dia que consegui escutar melhor o que eles falavam.
Eu estava deitadinha com meu ursinho quando eles começaram a fazer barulho e eu acordei. Fiquei quietinha na minha cama mas comecei a ficar apertadinha para fazer xixi. Não queria incomodar eles, então me levantei devagarinho e fui ao banheiro na pontinha dos pés.
A porta não estava totalmente fechada, tinha uma frestinha de uns 2 dedinhos aberta, passei bem devagar para não ser vista mas escutei algo que me deixou muito feliz. Minha mãe falou pro meu pai:
– Vai amor, me dá leitinho;
– Vai amor, me dá esse leitinho gostoso;
Então escutei o papai perguntar pra mamãe:
– Onde você quer meu leitinho?
Mamãe respondeu:
-Na minha boca, quero o leite todo na minha boca.
Ué, onde mais mamãe ia querer leite né, só podia ser na boca.
Eu amo leite! Adoro leite! Tomo um copão de leite todo dia antes de ir pra escola.
Não sabia se corria para o banheiro, se corria pro meu quarto ou colocava a cabeça na porta e falava: Papai eu também quero!
Decidi ficar quietinha, ir fazer meu xixizinho e voltar pro meu quarto.
Isso aconteceu muitas vezes, toda semana eu escutava mamãe pedir leite pro papai. Eu sempre ia dormir morrendo de vontade de tomar também.
Como eu estudo de manhã e a mamãe sempre sai bem cedo para trabalhar, é o papai que me acorda, me dá um banho rápido e faz meu café da manhã. Todo dia eu tomo meu bainho, coloco meu uniforme e vou pra cozinha tomar café.
Outro dia eu decidi brincar com o meu papai. Me arrumei todinha e fui pra cozinha esperar ele me servir. Quando ele chegou e fiz cara de menina pidona e falei:
-Papai, me dá leitinho.
Nossa, ele arregalou os olhos fez cara de bravo e falou:
-Que isso menina, não fala desse jeito comigo, tem leite na geladeira, se serve rápido que a gente está atrasado.
Eu fiquei triste, quase chorei. Estava brincando com o papai, não entendi o motivo dele ter ficado tão bravo. Ele sempre dava pra mamãe, ele até perguntava onde ela queria.
Peguei o leite correndo na geladeira, enchi meu copão e bebi rapidinho pra gente não se atrasar.
Fiquei o dia inteiro pensando por que a mamãe pedia e o papai dava. Por que quando eu pedi ele ficou bravo. Será que fiz alguma coisa errada? Será que tem um jeito certo de pedir? Será que quando a gente não estivesse atrasado ele ia me dar? A partir daquele dia eu ia tentar descobrir.
Decidi então descobrir a melhor maneira de pedir leitinho pro papai.
Teve uma noite que eu escutei os barulhos novamente, logo pensei, hoje eu descubro como pedir. Me levantei bem devagar, sai do quarto e parei no corredor esperando o momento certo. Depois de uns 10 minutos escutei minha mãe falando pro papai:
-Quero todo seu leitinho
Meu, eu fiquei tão feliz! A primeira coisa que veio na minha cabeça foi. Hoje eu descubro!
Coloquei a cabeça mais perto da porta, fui abrindo um pouquinho e vi uma coisa engraçada.
A mamãe estava pelada de joelhos na frente do papai, o papai estava em pé, pelado, de frente pra mamãe. Eu conseguia ver a mamãe de costas mexendo a cabeça pra frente e pra trás. Ela parava e pedia leite pro papai, o papai tremia um pouco e falava que já ia dar pra ela. De repente a mamãe começou a mexer a cabeça de novo e o papai começou a falar pra ela:
– toma, toma, toma meu leitinho sua vagabunda.
Não entendi nada, não sei o que é vagabunda, mas deve ser algo bom, a mamãe disse, sou mesmo, sou tua vagabunda.
Depois disso eu sai de mancinho e voltei pra minha caminha.
O mais importante disso tudo é que agora eu já descobri como pedir leite pro papai.
É DE JELHOS! EBAAAAAAAAA! EU DESCOBRI!
Eu fiquei muito ansiosa, queria pedir no dia seguinte mas decidi esperar 2 dias.
Era meu aniversário de 12 anos, ele não tinha como negar pra mim.
No dia do aniversário eu fiz tudo certinho. Mamãe saiu, tomei meu banho, me vesti, fui pra cozinha e fiquei ajoelhada. Assim que meu pai entrou na cozinha eu sorri e falei:
-Papai, me dá leitinho.
Dessa vez foi pior, ele me pegou pelo braço, me levantou e disse:
-Está ficando louca menina?
-Nunca mais faça isso.
-Já pro quarto que você está de castigo.
Na hora eu comecei a chorar e disse que era meu aniversário, ele nem ligou, mandou eu subir na hora e não sair mais de lá.
Sai correndo pro quarto, tranquei a porta, pulei na cama e não parei de chorar.
Passaram alguns minutos e eu lembrei. A mamãe estava pelada. Deve ser por isso que eu levei bronca, pedi do jeito errado.
Escutei o papai ligar pro serviço e dizer que não ia trabalhar. Logo abri um sorrisão pois teria outra chance para tentar.
Dessa vez eu vou fazer tudo direitinho.
Escutei o papai subir e entrar no quarto dele. Fiquei quietinha. Não demorou muito e escutei o papai ligar o chuveiro. É AGORA! É AGORA!
Tirei meu sapatinho, minhas meias, a sainha, arranquei a blusinha da escola e por último meu sutiã. É, eu já usava sutiã. As meninas da escola até me zoavam por causa do meu peitão rsrs.
Estava toda peladinha e morrendo de vergonha.
Entrei no quarto deles sem fazer barulho, fiquei ajoelhada no mesmo lugar que a mamãe estava aquele dia e fiquei esperando meu pai sair do banho.
Ufa, agora estou fazendo tudo certinho.
De repente papai sai do banheiro enrolado em uma toalha.
Ela olhou pra mim toda peladinha e ajoelhada na sua frente e não teve reação.
Pela primeira vez ele não gritou e não brigou, na verdade ele nem se mexeu.
Eu olhei bem nos olhos dele e falei fazendo charminho:
– papai, da leitinho pra mim por favor;
Ele contínuo parado, ai eu insisti:
– vai papai, hoje é meu aniversário, da leitinho pra mim por favor;
Meu pai continuou quieto e só me olhava.
De repente meu pai esboçou uma reação, a toalha começou a crescer bem onde tem o pipi do papai.
Eu abri um sorrisão, andei com os joelhos pra bem pertinho do pipi do papai e disse:
– É aqui que a mamãe toma leitinho?
Pela primeira vez ele se mexeu. Ficou meio ofegante, segurou forte a toalha e disse:
-Eu sei que é seu aniversário mas isso está errado, acho que você tem que sair do quarto agora.
Ele falou isso mas continuou ali parado. Diferente das outras vezes. Eu era uma menininha mas não era boba, se o papai quisesse realmente que eu saísse, ele tinha me tirado do quarto. Acho que ele segurou a toalha porque o pipi estava ficando cada vez maior. Estava tão grande que a toalha já estava apontando pra minha direção. Já que ele não estava bravo, eu não ia desistir.
-papai, por que é errado?
Acredite, para minha surpresa ele falou:
-Porque ninguém pode mamar na mamadeira do papai, só mamãe;
Eu fiquei tão feliz, sorria, gritava, sentia um calor dentro de mim, comecei a suar. Papai tinha uma mamadeira escondida.
-papai papai papai
-Deixa eu ver sua mamadeira?
-Não
-Deixa vai papai, é meu aniversário deixa eu ver;
-Não
-diz que sim, diz que sim
-Não
-Juro que é só ver
Não
Eu não ia desistir nunca. Comecei a fazer charminho e insistir.
– Eu quero, eu quero, eu quero ver a mamadeira do papai, eu quero, eu queroooooo.
Ele me olhou sério, afrouxou a mão da toalha e disse:
– Ta bom
– EBAAAAAAA!
-Vou mostrar rapidinho, ver o papai pelado é normal, mas você não pode tocar.
Meus mamilos estavam duros, minha bocetinha estava molhada, minha boca salivava. Eu não fazia ideia do que estava acontecendo comigo. Eu só sorri e disse:
– não toco, eu juro papai
Papai tirou as mãos da toalha, aquela coisa já estava quase batendo na minha cara. Nessa hora ele me olhou pra mim e disse:
-Você não quer tanto ver? Pode abrir
Eu não sabia o que esperar, minhas mãozinhas estavam tremendo quando eu peguei as pontas da toalha e comecei a abrir. De repente a mamadeira do papai pulou pra fora. Ela ficou a uns 10cm da minha cara. Fiquei surpresa com o tamanho da mamadeira.
-Nossa papai, como essa mamadeira é grande. Agora sei pq a mamãe não toma leite no café da manhã. Toda noite toma esse mamadeirão rs
Ele somente sorriu
-Como você escondeu ela tanto tempo de mim?
-Eu n]ão escondi, é que ela não fica assim o tempo todo, ela geralmente fica mole.
Eu estava com vontade de pegar mas tinha prometido que ia só ver.
-Jura? Por que ela cresce papai?
Ele sorriu novamente e falou:
-Ai ai ai, assim você vai deixar o papai sem graça, deixa eu guardar a mamadeira que você já viu demais.
Ele fez que ia sair andando e eu desesperada peguei na mamadeira dele e disse:
-Não, não, não papai, deixa eu ver mais um pouquinho;
Ele ficou paralisado. Minhas duas mãozinhas estavam segurando ela, ainda sobrava um pedaço para fora.
Ele olhou pra mim e disse:
-eu não disse pra você não tocar?
Sem tirar as mãozinhas, fiz cara de boba e disse:
-falou sim papai;
-Então pq você não solta ela?
-Por que eu quero saber um monte de coisa, se eu soltar o senhor vai embora.
Acho que nessa hora ele já não tinha mais controle da situação.
Ele voltou a ficar de frente pra mim e disse que ia responder tudo que eu quisesse saber.
Eu continuei a me fazer de boba e não larguei a mamadeira do papai.
-Vai filhinha, fala logo o que você quer saber.
-É que o senhor não me explicou o por que ele cresce.
-ele fica assim toda vez que vê uma menina linda e gostosa, lá dentro ele começa a produzir leite, ai fica grande como você está vendo.
-E como faz pra ele ficar mole outra vez?
-Tem que colocar a boquinha e chupar ele todinho.
Na minha cabeça eu só escutava LEITE LEITE LEITE!
Sem ele perceber e bem devagarinho fui chegando mais perto daquela mamadeira. Ai que vontade de mamar!
-Então o senhor me acha linda e gostosa?
-Sim meu amor, vc tem a bocetinha mais linda que o papai já viu, suas tetinhas são grandes e gostosas, sua bundinha é tão redondinha. Papai fica louco toda vez que que dá banho em você.
-Nossa papai, nunca vi sua mamadeira assim quando a gente toma banho.
– Assim desse jeito não, tenho que me controlar, mas toda vez ela cresce. Você sempre me deixa cheio de leitinho.
-E o senhor faz o que com esse leitinho?
-Eu dou pra mamãe!
Fiquei indignada. Muito brava. Com muita raiva.
Apertei a mamadeira do papai com força e exclamei:
-Isso não é justo!
-Se você produz leitinho por mim, não está certo dar pra mamãe
Papai tomou um susto e falou:
-Calma meu amor, eu não posso….
Nem esperei ele termina de falar, coloquei a mamadeira dentro da minha boca
Papai tentou me empurrar e disse:
-Para filhinha, isso não é certo
Eu não tirei o pau da boca, estava adorando aquela coisa quente lá dentro.
Continuei mamando e só olhei pra ele séria, fazendo sinal negativo com a cabeça.
Eu sei que ele estava gostando mas tentou me empurrar novamente:
-Para filhinha, papai não pode te dar…..
Mais uma vez lhe interrompi. Tirei o pau da boca só por alguns segundos e disse:
-Não paro papai, só estou pegando o que é meu, essa mamadeira é minha e esta muito gostosa
-Quem deixou ele assim duro?
-Você meu anjo!
Quem deixa você todo dia assim?
-Você minha gostosa!
-Então de quem é essa mamadeira gostosa?
Ai ele se soltou de vez.
-É da minha filhinha vagabunda!
Vagabunda, agora sei o que é vagabunda. Aquilo me instigou. Fiquei com mais vontade ainda.
Sem a resistência do papai comecei a me aventurar, estava gostando daquilo. Comecei a passar a língua na cabecinha enquanto encarava meu pai nos olhos. Ele suspirava. Cada vez que fazia uma pergunta eu percebia que aquela mamadeira pulsava na minha boca.
Eu não ia parar. Não sei se por instinto, comecei a bater aquela pica na minha cara. Parecia que eu queria disputar com a minha mãe quem era dona da mamadeira do papai.
-Quem é sua vagabundinha?
-Você lindinha
Aquilo não me satisfez. Comecei a esfregar aquele pau na minha cara e perguntei:
-Quem é sua vagabunda predileta?
Papai entendeu na hora mas disfarçou.
Olhei bem nos olhos dele. Segurei o pau bem forte na base. Dei um beijinho na ponta e disse:
-Quem (outro beijinho)
-É (outro bejinho)
-sua (outro beijinho)
-Vagabunda (outro beijinho)
-Predileta (parei e fiquei esperando a resposta)
Papai não aguentou.
-Você é mais linda! Você é a mais gostosa! Acho que você vai virar minha VAGABUNDA predileta!
Era um desafio. Meu sorriso deu a volta ao mundo! Minha bucetinha escorria, eu sentia uma coisa louca dentro de mim.
Daí pra frente não parei mais. Não queira mais parar. Pra mim isso poderia ser eterno. A mamadeira do papai estava cada vez mais grossa, quente e melada. Tirei um pouquinho da boca e fiquei olhando pra ela toda contente. Papai olhou pra mim e disse:
-Pra ser minha vagabunda predileta tem que beber todo o leitinho
Sorri docemente pro papai e antes de colocar ela novamente na boca eu disse:
-Com a sede que eu to papai, vou tomar teu leitinho eternamente
Ele só apontou pra mamadeira e disse:
-Então chupa gostoso meu pau. O papai já vai te dar
Era o que faltava. Com a mãozinha eu subia e descia o pau do papai enquanto colocava a cabecinha na boca. Papai estava suando, começou a tremer, eu não tinha muita experiência mas sabia que ele estava adorando. Do nada ele enrolou meu cabelo em suas mãos e começou a colocar a mamadeira com força na minha boca. Eu nem precisava mais fazer nada, ele me dominou por completa.
-Quer leitinho sua putinha?
Com o pau inteiro na boca eu só conseguia fazer:
-uhum
Ele fazia mais forte
-Quer o leitinho do papai?
-uhum uhum (ele soltou meus cabelos e disse)
-então toma meu amor, é tudo seu
Eu fiquei louca, peguei aquele pau inteiro na mão, coloquei a cabecinha na minha boca e comecei e mamar só na pontinha. Mamava bem devagarinho. Olhava com cara de safada pro papai. Não tirava aquele pau da boca por nada. Mamei, mamei, manei, mamei bem gostoso, como se fosse a última mamadeira do mundo. Até que uma hora ele não aguentou.
-Toma safada!
Eu só sorri com o pau entre meus lábios.
Meldessssssssssssssss……que coisinha mais gostosa……papai encheu minha boquinha de leite. Era muito leitinho na primeira vez que explodiu na minha boquinha, mas depois foi soltando uns jatinhos menores, o primeiro foi diferente de engolir, acho que o papai estava com muito leitinho guardado. Os outros vieram mais leves, mais fininhos, uma delícia. Papai se encostou na parede mas eu não conseguia para de mamar. Tirei ele da boca e comecei a esfregar no meu rostinho aquele leitinho gostoso que ainda restava no pau. Do nada saiu mais um jatinho. O jatinho caiu nos meus peitos. Papai olhou pra mim e sorriu.
-Você não disse que ia beber tudo?
Eu soltei o pau dele, lambuzei meus dedos naquele leitinho e levei eles até a boca. Chupei um dedo de cada vez. Quando acabei tudinho, olhei pra ele com cara de bobinha. Fiz cara de quem não estava satisfeita. Olhei para a mamadeira do papai e falei igual menininha:
-Quero mais papai!
Ele olhou pra mim e falou bem alto:
-Com certeza você é minha VAGABUNDA PREFERIDA!
Deste dia em diante, nunca mais tomei um copo de leite ates de ir pra escola. Leite agora é só na mamadeira do papai.