Michelle, Prima Evangélica deu o Cuzinho e tomou toda porra – 1


Click to this video!

A prima da minha ex-mulher é de Caxias e veio a SP fazer um curso de 5 dias, pediu se eu deixaria ela ficar em casa, pois pagar hotel mais refeição ficaria muito caro.

Liguei para minha (ex) e perguntei sobre a prima dela, pois não passo o dia em casa, apenas final de semana, ela disse que a prima dela é Evangélica e que não teria problema, pois era de confiança, que poderia a deixar ficar sim, (eu e minha ex, somos muito amigos, pois tenho dois filhos com ela).

Ela me ligou na sexta-feira e disse que iria ir no sábado para domingo, pois o ônibus de Caxias sairia às 21h30 e chegaria ao domingo. Eu disse que sem problema, e que se eu não estivesse em casa, deixaria a chave no vizinho.

Sábado, eu fui a uma festa na chácara do Marcelo, amigo de infância e dormi por lá. Esqueci-me de deixar a bendita chave no vizinho, ela chegou e me ligou perguntando se eu tinha deixado a chave no vizinho, eu na mesma hora disse, havia esquecido, mas para ela aguentar ali, uns 20 minutinhos que daqui a pouco estaria ali.

Na última vez que vi a Michelle, ela tinha uns 15 anos. Eu me lembrava da fisionomia dela daquela época, era magricelinha, pernas finas, tinha apenas uma boca linda, mas nunca olhei para ela com outros olhos, pois ela ainda era uma criança.

Cheguei a frente a minha casa, ela estava sentada na área dos vizinhos, um senhor e uma senhora muito gentil, meus vizinhos são 10!…

Abri o portão e ela entrou, agradeceu e entrou e, no que eu desço do carro, vejo uma mulher loira, cabelos compridos presos, olhos verdes, com uma saia até aos joelhos, e aquela boca linda ainda. Desci e falei:

“-Nossa!… Como você mudou hem Michelle, vamos entrar!…”.

Peguei a mochila dela e entramos e, como moro sozinho, e tenho uma secretaria do lar, minha casa é extremamente arrumada. Eu odeio bagunça e, tudo em casa, é no lugar. Coloquei a mochila dela no quarto que ela iria dormir, peguei sabonete, shampoo, toalhas e coloquei no banheiro que ela ia usar, no próprio quarto.

Fomos para sala e começamos a conversar, perguntei o que ela estava fazendo, como estavam os pais delas e conversa vai, conversa vem, disse que iria tomar um banho e que, se ela quisesse estava tudo pronto no banheiro dela.

Fui para o meu banho, mas já imaginando como ela tinha ficou gostosa, deve ser uma maravilha sem roupa, pena que é evangélica, mas tudo bem.

Tenho a mania de sair do banheiro de cueca samba canção, saí e fui para a sala, ela veio com uma calça de moletom e uma camiseta branca, perguntei se ela queria pipoca, pois eu ia assistir a um filme e depois iria comer.

Ela disse que sim estourei duas porções no micro ondas, fui para sala e coloquei o filme, um policial, pois gosto muito. Ficamos assistindo e estava um calor de matar, perguntei se ela não estava com calor, ela disse que estava, mas só tinha trazido roupa para sair para o curso e aquele moletom para dormir.

Perguntei se ela queria um short meu, ela disse que não precisava, insisti e ela aceitou, fui peguei um que eu uso para correr, todos os dias e dei a ela. Na hora que ela viu o short, falou:

“-Você não tem uma bermuda? Este é muito curto!…”.

Eu disse:

“-Mas o que tem? Você está em casa, ninguém vai ver você com ele!”

Ela sorriu e falou:

“-OK!… Tudo bem…”.

Ela foi até ao quarto e quando voltou, (Meu deus, que mulher gostosa!). Umas pernas lindas, sua bunda redondinha e arrebitada, coxas grossas, meu pau logo deu sinal na hora, coloquei uma almofada no colo e continuamos a ver o filme. Numa certa parte do filme, o agente da policia se envolve com uma mulher e os dois começam a fazer amor (Aquele sexo que ninguém vê nos filmes, pois a tela fica bem escura), percebi que ela ficou meio incomodada com a cena, se levantou e disse que iria pegar água.

Eu disse para ela pegar Coca-Cola com gelo que, estava na geladeira. Ela foi e fiquei ali, mas como eu havia me esquecido de pedir para ela colocar limão, fui até à cozinha e, chegando lá, eu vi que ela estava com a mão na bocetinha, arrumando a calcinha e colando um dedo no outro, (tava melada).

Voltei um pouco e disse:

“-Mi, não se esqueça do limão!”

E entrei na cozinha, nisso ela rapidamente ela arrumou o shorts e pegou a coca, ela estava com a na geladeira aberta, cheguei bem perto dela e disse no ouvido dela:

“-O limão, está ali em baixo.”

Percebi que ela arrepiou com a minha fala, e deixei a ali e voltei para a sala. Ela chegou com os copos de coca e coloquei o filme novamente, e nós ficamos ali assistindo. O filme acabou e fui tratar do meu cachorro. Ela foi para o quarto, foi ficando tarde e ela disse que iria dormir.

Dei boa noite e um beijo nela, mas quando ela foi virar o rosto esperei ela beijar, ela veio e eu virei, deu um selinho, ela olhou e me pediu desculpas e, eu disse:

“-Que desculpa nada, esquece isso.”

Fui dormir e ela também.

Na madrugada começou a ventar muito e nos fundos de casa tem um pé de jabuticaba, encostados à janela dela e, nisso, os galhos da jabuticabeira, batiam na janela dela. Ela acordou assustada e foi até ao meu quarto, me chamou e disse:

“-Tem gente aí no fundo, acorda…”.

Quando olhei para ela, ela estava de camisola transparente, toda gostosa, e eu durmo sem cueca e, ela sussurrando, disse novamente:

“-Tem gente aí no fundo, tá fazendo o maior barulho lá fora…”.

Eu com não sou besta, levantei com tudo da cama e ela me viu pelado, eu saí correndo para ver o que era, mas já sabendo, mais ou menos, que era o vendo no pé de jabuticaba.

Ela ficou na casa, e eu saí peladão e percebi que era mesmo o pé de jabuticaba. Esperei um pouco e entrei, disse que tinha alguém lá sim, tentando abrir a janela, mas acho que a pessoa escutou ela levantar e correu. Ela ficou com um medo tremendo e eu, disse:

“-Pode voltar a dormir, se foi ladrão não volta mais!”.

Ela disse:

“-Posso dormir aqui com você?”.

Na hora eu, em pensamentos, agradeci:

“(Obrigado meu deus)”

E disse:

“-Claro, querida, sem problemas!”.

Eu, ainda pelado, ela disse:

“-Só coloca uma roupa, por favor!”.

Eu disse para ela que eu só dormia assim, que já estava acostumado desde criança assim.

Ela perguntou se não tinha como eu colocar a samba-canção, e aí em disse que sim, mas que se de madrugada me desce calor, eu iria tirar. Ela, com aquela camisolinha, deitou-se de um lado da minha cama e eu, me deitei do outro.

Passados uns 40 minutos eu ainda não tinha dormido, mas ela não sabia. Fingi dormir e me virei para seu lado. Ela estava de costas para mim e, nisso, fiquei olhando para aquela bunda carnuda e empinada para mim, meu pau começou a ficar duro e comecei a encostar-me a ela, que nem percebia, pois estava dormindo. Fui encostando-me até que ela virou o pescoço e eu fingi estar dormindo.

Ela olhou para baixo e viu meu pau duro e, eu, com o olho meio aberto, só observando ela olhar… Ela olhava para mim e depois para meu cacete. Muito devagarinho, ela começou a encostar a mão nele e tirava…, escorregava a mão e tirava novamente, de repente, ela pegou no me pau e apertou de leve.

Essa foi a deixa, para eu abrir os olhos, ela levou um susto e pediu perdão. Eu disse:

“-Querida, você quer pegar nele?”.

Ela disse:

“-Não, eu não quero não, me desculpe, foi o capeta quem fez isso!”.

Eu disse:

“-Fica tranquila!”.

E coloquei a mão dela novamente em meu pau, o tirei da cueca e ela pegou, segurou, eu perguntei:

“-Quer chupar um pouquinho?”.

Ela:

“-Não… Não, eu não quero não, eu sou virgem e não quero isso, deus vai me castigar…”.

E largou do meu pau e, eu, logo, comecei a colocar minha mão na bocetinha dela. Ela pedia:

“-Para, por favor!”.

Eu nem aí com o que ela pedia, até que ela colocou a mão de novo no meu pau e começou a tocar uma punheta. Fiquei mexendo na bocetinha dela, até ela gozar. Quando ela gozou, eu disse:

“-Fecha os olhos, vou fazer você ver estrelas de tanto tesão!”.

Meti a minha língua, até ao fundo e comece a chupar a sua boceta e o seu cuzinho. Toda vez que eu passava a língua no cuzinho dela, ela gemia e eu comecei a ficar ali mais ali no cuzinho dela.

Ela apenas disse que iria gozar, coloquei minha boca na boceta dela novamente e suguei todo seu mel.

Nisso, eu pedi para que ela chupasse o meu pau um pouquinho e, ela veio meio que sem jeito e começou a chupar…, que boca maravilhosa! Nisso fui colocando um dedo no cuzinho dela, e ela, ficava louca. Deitei-a de frente, e fui para cima dela. Ela me disse que era virgem, e eu, disse que iria fazer tudo com muito carinho e que ela iria amar.

Comecei a colocar meu cacete na bocetinha dela, ela se esquivava e não me deixava. Eu disse que, se ela não quisesse tudo bem… Ela disse:

“-Eu estou me guardando para o futuro marido…”.

Aí, eu disse:

“-Tudo bem!…”.

Dei um beijo nela e me deitei meio puto e ela percebeu. Ela pediu desculpas e deitou-se de costas, mas nisso, meu pau estava duro como se fosse uma barra de ferro. Deitei de conchinha com ela e comecei a passar meu pau na bunda dela.

Ela disse, para eu parar, mas eu fui insistindo, até que ela empurrou sua bunda contra meu pau. Nisso, eu molhei meu dedo na bocetinha dela e passei no seu cuzinho, e coloquei meu pau na entradinha… Nem acreditei… Ela foi empurrando e foi entrando até que ela parou e:

“-Uuuiii…, está doendo muito…”.

E eu falei que logo iria passar, era só esperar e fui colocando. Ela dava um gritinhos que me davam mais tesão ainda e, quando entrou, ela falou:

“-Aaaiii, você está me rasgando!…”.

Eu parei, esperei uns 2 minutos e comecei a mexer e socava no rabinho dela e ela, gemia como uma gata no cio, e falava:

“- Come…, me come gostoso, delícia, come…”.

E eu, fui socando até quase gozar. Quando estava começando a gozar tirei o pau e coloquei em frente da boca dela e disse:

“-A abre a boca…, quero que você engula tudinho…, tudinho…, já que você não quer entregar seu cabacinho pra mim, vai tomar a minha porra.”

Ela abriu a boca e eu gozei muito, mas muito mesmo, ela não deixou nem uma gota cair no chão.

Ficamos ali nos beijando, ela pediu um creme relaxante para passar no cuzinho, pois estava pegando fogo.

No dia seguinte fui para o trabalho e ela para o tal curso, quando cheguei de volta a casa ela estava com o jantar pronto, deitada na sala, só com uma camisolinha, esperando-me, e disse:

“-Vá jantar e tomar seu banho, que hoje você vai ganhar um prêmio.”

Olhei para ela e disse:

“-O que eu mais quero, é você todinha para mim!”.

E ela disse:

“-Vamos ver, se você merece…”.

O que aconteceu depois, eu contarei num outro dia! …

Valeu