Os primeiros pêlinhos na xereca da minha filha


Click to this video!

Me chamo Andre, tenho 41 anos. Sou casado com Vera (38 anos) e pai de Isabel (10 anos) ou Belinha como a chamamos. Há cerca de 3 meses, era noite e eu e minha mulher conversamos enquanto nos preparávamos para dormir:
– Querido você não vai acreditar, adivinha o que vi hoje?
– Nem imagino. De alguma dica.
– É sobre nossa filha.
– Ela fez o que? Pegou dinheiro escondido, escondeu alguma reclamação da escola, quebrou alguma coisa minha…?
– Não seu bobo, ela não fez nada de errado.
– Então não faço idéia.
– Hoje ela estava tomando banho, dai me deu vontade de fazer xixi, eu entrei no banheiro e enquanto urinava olhei para ela se lavando e você não vai acreditar o que vi.
– O que?
– Esta nascendo os primeiros pêlinhos na coisinha dela.
– Coisinha? Que coisinha?
– Na xereca dela, amor.
– Você ta de brincando? Ela só tem 10 anos. Ela não tá muito nova pra já nascer cabelos na bucet… digo na xereca não?
– Ta não amor, comigo também foi mais ou menos nessa idade.
– Mas ela nem tem peitos ainda.
– Você deve esta cego viu? Vi ela nua e esta linda. Se você a visse iria concordar comigo.
– Ma… ma…mal consigo acreditar. Descreva-me pra eu poder tentar imaginar.
– Bem ela tem seios pequenos tipo duas laranjas pequenas sabe? Coxas começando engrossar, o bumbum ta bem redondinho tipo o daquela garota que faz ginástica artística sabe? E os pêlinhos na xereca estão começando nascer. Tem uma penugem bem ralinha cobrindo toda testinha da xereca dela e uns pêlinhos mais grandinhos começando nascer perto da rachinha e subindo pelo capozinho de fusca dela. Nossa você tinha que ver como nossa filha ta linda, nós fizemos ela bem feita viu? rsrs
– Como não pude ver vou ficar aqui imaginando rsrs. Você bem que podia tirar uma foto pra eu ver né?
– Acho que ela nunca deixaria tirar uma foto dela nua, você sabe ela é muito tímida.
– Uma foto seria ótimo, mas já que não dá, podíamos combinar que enquanto vocês duas tomarem banho, eu entrar com uma desculpa qualquer pra poder ver.
– Sabe ate que não é uma má idéia, mas acho que ainda assim ela vai ficar com vergonha.
– Somos pai e mãe dela e é melhor aprender sobre nudez em casa que na rua não é mesmo?
– Você tem razão querido. Vamos pensar em alguma coisa pra voltarmos ser unidos sem nenhuma vergonha como uns anos atrás.
Minha mulher disse aquilo, mas o tempo foi passando e nada dela ajudar colocar o plano em pratica.
– Cansei de esperar viu? Você só enrola.
– Calma querido tem que ser na hora certa, não quero assustá-la.
– Pois pra mim chega, ou vai ser hoje ou nunca.
– Nossa pra que essa pressa toda? Curiosidade mais chata.
– Se fosse eu que tivesse prometido algo a você e não cumprisse estaria na merda né? Greve de sexo, ia ter que dormir no sofá…
– Você tem razão querido, é muito ruim ficar curioso. Mas como vamos fazer pra você matar essa curiosidade?
– Na hora que ela for tomar banho você entra e toma também, deixa o resto comigo.
– Combinado.
Por volta das 19h30min a janta estava pronta e minha filha estava trancada no quarto mexendo no notebook.
– Belinha a janta ta quase pronta, sai desse computador vai tomar banho.
– Espera só mais 10 minutinhos papai.
– Nada disso vá para o banheiro agora.
Instantes depois Belinha entrou no banheiro e segundos depois ouvi o chuveiro ser ligado. Minha mulher passou por mim e foi para o quarto pegar a toalha, na volta ela olhou para mim, respirou fundo, bateu na porta e entrou no banheiro. Agora só me faltava criar coragem para fazer a minha parte.
Eu vestia apenas uma camiseta e um short branco de jogar futebol. Apos uns 5 minutos que as duas estavam lá eu cheguei na porta, meu coração batia a mil, por fim criei coragem e bati na porta:
– Toc, toc, toc. Vocês vão demorar?
Minha mulher abriu a porta e colocou a cabeça pra fora.
– Porque querido?
– Porque estou apertado preciso usar o sanitário urgente.
– Só um instante papai, menos de 10 minutos a gente acaba.
– Não vai dar pra esperar, vou mijar na roupa, me deixa entrar.
– Mas papai já estamos acabando e…
– Ta bom amor entre não quero meu chão todo mijado.
Minha mulher me mandou entrar e minha filha tomou um susto. Quando entrei ela ficou tentando se esconder atrás da minha mulher. Coloquei meu pau pra fora e comecei mijar, propositalmente deixei um pouco de xixi cair no meu short. Belinha tentava não olhar pra meu pau e minha mulher tentava sair da frente pra eu poder ver os primeiros pêlinhos que estavam nascendo na xereca da nossa filha e saísse logo do banheiro, pois Belinha estava vermelha de vergonha.
– Caramba estava tão apertado que mijei na roupa.
– Ha ha ha ha ha. Não se esquece de trocar de short seu mijão.
– Trocar de short e ficar fedendo xixi? Nem pensar. Vou precisar de um banho.
– A gente já vai sair papai só um minutinho.
– A água ta boa?
– Ta sim querido.
– Acho que vou aproveitar que já estou aqui e tomar um banho, o que acham?
– Tomar banho com a gente?
– Claro.
– Eu não vejo problemas, mas acho que Belinha vai ficar com vergonha e…
– Vergonha de que? Sou o pai dela, não há motivos para vergonha.
Minha filha arregalou os olhos quando comecei tirar a roupa. Dava pra ver a vergonha que ela estava sentindo. Já minha mulher me deu um olhar de reprovação, pois aquilo não fazia parte do plano. Completamente nu entrei embaixo do chuveiro com elas. Tinha que me segurar pra não ficar excitado, pois Belinha estava realmente ficando super linda. Seu corpo antes magrinho agora já estava ganhando curvas, seus seios começavam a crescer, a bundinha começava se arredondar e claro seus primeiros pelinhos púbicos começavam nascer. Apos uns 10 minutos de banho minha filha já estava mais a vontade. Minha mulher talvez prevendo o que poderia acontecer no futuro chamou minha filha pra sair do banho, mas eu não deixei.
– Pode ir indo querida, Belinha só vai me ajudar esfregar as minhas costas e já vai.
Sem graça minha mulher saiu. Apos esfregar minhas costas me ofereci para fazer o mesmo. Passava a bucha nas costas de minha filha e depois passei só a usar as mãos. Alisava seu corpinho gostoso. Costas, pernas, coxas, bunda. Era uma delicia acariciar sua pele macia. A virei de frente e fiquei alisando suas coxas, pude ver sua bucetinha a poucos centímetros do meu rosto.
– Nossa, que legal. Já começou nascer pelinhos na sua xereca.
– Sim.
– Tem muito tempo?
– Não, começou tem uns dois meses mais ou menos.
– Ta muito linda viu filha?
Com nossa conversinha e eu alisando aquele corpinho gostoso. Não tive como segurar a ereção.
– Opss desculpe querida, tentei segurar, mas você esta tão linda que não resisti.
– Ai que vergonha papai, tampa isso.
– Desculpa querida, mas não tem como esconder ta muito duro olha.
– É… eu estou vendo.
– Só não conte pra sua mãe, senão ela briga comigo.
– Ta bom prometo guardar esse segredinho.
– Agora deixa terminar de te esfregar antes que sua mãe volte aqui.
Continuei acariciando seu corpo enquanto meu pau balançava duro pra lá pra cá, de vez em quando esbarrava nela, deixando ela envergonhada. Fiquei atrás dela e encostei meu pinto na bunda dela, senti ela se arrepiar. Fui empurrando ele entre as pernas dela. Ela abriu um pouco as pernas facilitando a entrada do meu pau. Fiquei ali brincando de fazer vai e vem. Meu pau entrava por trás dela e aparecia na frente com a cabeça esfregando a entradinha da sua xota. Estava uma delicia, porem minha mulher quebrou o clima e chamou Belinha. Assustada com medo de a mãe entrar e nos pegar no flagra Belinha se enrolou na toalha.
– Melhor eu ir mamãe ta chamando.
– Verdade, depois quando estivermos sozinhos e com mais tempo tomamos outro banho.
Belinha balançou a cabeça positivamente e saiu eu fiquei e me acabei na punheta.
Continua…