Minhas experiência na adolescência II


Click to this video!

eu continuasse falaria para nosso pais,estava ficando puto,então falei,se você contar para nosso pais eu falo que nosso avô ta comendo você,ela arregalou os olhos e falou,foi você que estava na janela? Disse que era, ai historia mudou,pediu para não falar nada,disse que com uma condição, de poder comer o cuzinho dela,tentou mudar o assunto,mas comecei a chantagear,ficou de pensar, um dia só nos dois em casa,meus pais tinham ido a uma festa e chegariam tarde, eu estava vendo tv, ela apareceu com uma lanche para nos dois,viu um pouco de tv e disse que iria dormir,foi mas deixou a porta semi-aberta, dei um tempo e fui no quarto dela,ela estava deitada de bruço em cima de um travesseiro,com a bundinha empinada,cheguei devagar e puxei sua calcinha e via aquela bunda linda,desnuda,passei a beijar,passei a língua no cuzinho,meu pau parecia uma pedra de tão duro,estava quase gozando,deitei logo em cima dela e queria enfiar,ela me pediu calma,pedi para me ensinar,ela mandou eu me afastar ,pegou um creme e mandou eu passar no cuzinho,passei nele todo e mandou eu enfiar devagar,fui forçando a entrada e ela reclamou de novo,mandou eu ter calma,mandou eu tirar e colocar a pontinha,fiz o que ela mandou e ela foi rebolando e levantando a bundinha e meu pau foi deslizando,tentei bombar,e ela mandou eu ficar quieto e esperar e continuou a rebolar,mandou eu ir empurrando e ela ficou deitada e mandou eu socar,fiquei socando,ela gemia,arregaçava as duas banda da bunda e mandava socar com força, socava e beijava seu pescoço,dizendo que gostoso,não agüentei e enchi seu cuzinho de porra,fiquei um pouco parado e fui tirando meu pau do cuzinho dela,ela falou que sou muito apressado,disse que era minha primeira vez e que na próxima iria ter mais calma,disse que nunca mais faria de novo,falei para ela que nunca contaria para ninguém e que se ela me desse de novo eu ficaria vigiando para ela dar para nosso avô,pois sabia que ela adorava dar o cu para ele desde novinha,ela ficou de pensar.Passados mais algum tempo eu voltei a comer o cuzinho dela. E queria sempre, ela reclamava dizia que era muito tarado, mas gostava. Certa vez ela estava menstruada, não deu para transarmos, estava a mil,tinha parado com as punhetas diárias, nossa mãe estava com um shortinho de malha amarelo,com uma calcinha,pequenininha atolada, e eu a secando,minha irmã percebeu e falou,secando nossa mãe,você ta ficando doente,mostrei meu pau para ela e dizia,doente ta você por essa pica roliça no seu cú, vai dizer que não gosta de uma pica de uma garotão,sempre dura,que goza duas a três vezes direto,em vez do meu avô que é só uma,ela ficou quieta,minha mãe foi tomar banho,quando saiu,fui lá e peguei sua calcinha e comecei a punhetar na frente de minha irmã,ela ficou olhando e quando ia gozar mandei ela me chupar que queria gozar na boquinha dela,ela veio e chupou e enchi sua boquinha de porra que engoliu tudo.
Passei a ficar mais ousado em relação a sexo,certa vez fomos para um sitio de uns parentes,pois teria aniversario de um deles, minha tia estava gostosa,queria comer aquele rabo dela,minha irmã percebeu as minhas secada nela,e dizia,cuidado ela é irmã de nossa mãe,pode dar merda, falei para ela que nossa tia,era tão safada como ela,que gosta de uma putaria,perguntou o que estava falando disse que não era nada. Na madrugada todos se arrumando para dormir,alguns bebendo ainda, eu percebi meu avô fazendo sinal para minha tia, ele foi para os fundos da casa que tinhas umas arvores e logo depois ela foi, chamei minha irmã e disse vamos ali comigo,ela dizia você ta doido,deixa para gente fazer em casa,falei vem comigo que quero te amostrar uma coisa,fomos bem devagar e se escondemos atrás de uma arvore,meu avô atrás dela socando o cu ,minha irmã ficou perplexa,falei nosso avô deve papar as mulheres toda da família e ela disse,nossa tia,tão certinha,rebolando no pau do pai,resolvemos sair devagar,minha irmã entrou e resolvi voltar e fazer questão que minha tia me visse,minha tia se segurando na arvore e meu avô continuava a socar,fiz um movimento e ela olhou para mim e fiz sinal para ficar quieta e sai. Noutro dia, estávamos todos na piscina, minha tia estava com o marido dela,todos bebendo, e ela chamou seu marido para ir na cidade,mas ele não queria pois estava bebendo,então me chamou para acompanhá-la,fomos conversando banalidades,na volta ela para o carro numa estrada cheio de arvores,da estrada não dava para ver a gente,então ela me perguntou o que eu tinha visto ontem,disse que não tinha visto nada,ela então mandou eu não contar nada a ninguém,que me daria um presente muito legal, disse que queria que ela deixasse eu passar mão na boceta dela,disse que não podia,pois eu era um menino e sobrinho dela,disse que sentia tesão e que meu pau estava duro,disse que não,pois não poderia fazer isso,então perguntei,com seu pai pode? Ela ficou sem graça, arriei meu short e amostrei minha pica,ela ficou olhando e disse só um pouquinho seu chantagista safado, e caiu de boca,que delicia,ela engolia ele todo,empurrava ele ,para engoli ele todo,colocava a língua para fora e lambia meu saco,com meu pau todo na boca,me segurava para não gozar,sai do carro,ficando em pé e ela voltou a chupar,mandei ela se virar que queria comer o cu,ela falou que não,disse só um pouquino.falou só um pouquinho,se virou ,ficou de quatro no banco do carro e apontei,olhei para a boceta,toda lisinha e enfiei,ela gemeu e fiquei bombando,socava com força,ela gemia e dizia,soca moleque filho da puta,safado,que pica gostosa,soca,mete com força,fode sua tia,levantou virou o rosto,puxou minha cabeça e me beijou,ta gostando de fuder a titia,ta? Só repondia hum hum,era minha primeira boceta,ela dava reboladinha e dizia vou gozar,soca,mais forte,soquei e ela gemeu,ficou parada,dei mais umas socada,ela meteu a mão para trás e me afastou,pegou meu pau e apontou no seu cu,fui enfiando e entrou tudo,mais largo que o da minha irma,fiquei bombando,ela gemia,puxei seu quadril e dei mais umas estocada e enchi seu cu de porra. Nos ajeitamos,ela estava do lado de fora do carro,me agarrou,me beijando e dizendo para não falar nada para ninguém,pois eu sempre iria ter mais,falei que manteria segredo. Voltamos para o sitio,minha irmã logo me olhou,dei uma piscadinha para ela,ela sorriu,minha mãe também me olhava curiosa. Já estava com meus quase 15 anos e já tinha comido um cu e boceta,já estava me sentindo o garanhão.Rsrsrsrss.
Continuava ainda excitado,qualquer fragrante já ficava de pau duro,minha mãe percebia,mas nada falava,depois do episodia com minha tia,eu sempre a via me olhando,ela com seus 38 anos,uma mulher com um belo corpo,meus amigos.