Pagando a divida com o agiota


Click to Download this video!

Sou agiota de longo tempo. Empresto dinheiro para pessoas conhecidas, comerciantes e, sendo muitas destas pessoas que não conseguem pegar valores altos ou estāo com nomes restritas junto aos bancos. Dificilmente recebo calote, e consigo ter uma vida relativamente boa tendo meus rendimentos do emprestimo de dinheiro e de alguns aluguéis.
Numa certa feita, uma advogada na faixa dos seus 40 e poucos anos entra em contato comigo pedindo um empréstimo com valor relativamente alto com prazo a perder de vista. Estudo a proposta dela e as garantias que ela vai me dar caso atrase ou fique impoasibilitada de me pagar.
Ela oferece apenas um carro popular con uns dois anos de uso, que era o real motivo de estar me pedindo o dinheiro para quitar o mesmo, p6 lhe faltava um ano para terminar de pagar, e ainda tinha que pagar o IPVA e renovar o seguro.
A mulher, demais insistente e falando que faria de tudo para não perder o carro, e que o marido não apoiava em um niquel sob a pendenga econônica dela.
Conversa vai, conversa vem e não chegamos num acordo.
Com intuito de tentar me desvinsilhar de emprestar dinheiro e correr risco de perder, dou uma olhada na mulher de cabo a rabo (e que rabo parecia ter a vulga doutora) que não era de se jogar fora, onde a fisionomia de rosto e corpo me lembrava a artriz Maitê Proença, faço a seguinte proposta:
– Você quer o dinheiro, quer 3 anos pra me pagar e me pagar um juro de poupança?! Tudo bem, te empresto. Mas além de ter que me pagar certinho todo décimo dia util do mês, vou querer que você venha pra cama comigo em pelo menos de 3 horas num motel. Se atrasar, vou querer comer teu rabo.
– Não me ofenda!!! Tenho marido seu oportunista!!! Cachorro. Vou te denunciar…
– Eu não sou obrigado te emprestar dinheiro a quem quer tambem me explorar, e se quiser me denunciar, fica a vontade. Vai ter um monte de gente também que vai querer teu rabo; empresarios, comerciantes, religiosos e até um pessoal do morro eu tenho que vai fazer a festa contigo se me entregar. Ninguém te mandou ter nome sujo na praça!
A mulher esitou.
– Tá bom. Vai me emprestar?!
– Sim. Assim que sairmos vou pegar o dinheiro no banco. Me espere as 13:00 naquele hotel fino perto do aeroporto. Vou querer te fatutar primeiro cobrando minha garantia. Quero ver se voce tem palavra.
Peguei o dinheiro no banco e passada das 12:30, cheguei no Motel e enviei mensagem pra ela pra se identificar na Portaria com o codinome “Penelope” para eles indicarem meu quarto. 13:05 ela chega e estaciona numa vaga compartilhada no quarto.
– Tá com dinheiro?!
– Claro. Pode tirar roupa e tomar uma ducha se quiser. Pedi para o serviço de quarto trazer uma boa espumante. Cortezia minha para uma cliente especial apartir de agora.
Ela se banha e aparece no quarto com seus cabelos claros e uma buceta pentelhuda com a beiçuda bem bonita e um talho de encher os olhos.
– Vem, vamos começar dando uns beijos nestes seios lindos que parecem uma obra de arte.
Logo estavamos num 69 e as vezes massageio o rabinho dela com movimentos circulares fazendo ela dar uma reboladinha com uns gemidos.
Nos viramos, ela fica na posição frango assado e meto na buceta dela fazendo ela gemer gostoso.
– Cachorro… Você tá fudendo minha bucetaaaa…
Começo a tremer as pernas e quando estou para gozar ela grita para não gozar dentro dela pois somente o marido poderia fazer isto, dou um tapa na cara dela e encho o ventre dela de porra até o utero, fazendo ao final sair espema pelos cantos da vagina enquano estava com meu pau encravado dentro dela.
Tiro meu pau, vou no banheiro e depois de 5 minutos volto.
Vem cá. Deixa chupar teus peitos mais um pouco e depois chupa neu pau. Depois podemos ir embora.
Terminamos e, no mes seguinte nos encontramos de novo. Ela tinha quitado o carro, mas continuva a me dever.
– O lance é o seguinte, tenho um pendrive aqui que editei um video que é ninha garantia que vais me pagar certinho.
Ponho o pendrice na TV do motel e começa a passar lances de nossa primeir transa. Se não quiser que mande este video para teu marido e para alguns cliente, já tá avisada.
A mulher chora mas se cotem.
Fizemos sexo novamente, recebi o dinheiro dos juros e tive una chupada que ela engoliu toda minha porra.
Já faz um ano que empresto dinheiro para ela e aonda sobra mais 24 meses.
Neste interlapsonde tempo ela somente atrasou duas vezes, que foi as duas vezes que além de comer a buceta dela, fudi o rabo dela, que era virgem.
Em suma: a coroa ” deve, paga e eu como ela sempre que puder!”