Comi o cú da mulata e virei dono!


Click to this video!

Ina é uma coroa gostosa, tem seus 50 anos, +/- 1.65, olhos castanhos claros, uma mulata de lábios e uma buceta carnudas… Separada e mãe de um filho.
Depois que se separou, foi morar junto com a mãe, e não quis se envolver com nenhum outro homem.
Sua unica maneira de dispensar seu tesão era um velho vibrador que lhe consolava.
Conheci Ina ao lado de meu trabalho quando nos esbarramos sena na entrada e saída de nossos trabalhos.
Um dia convidei ela para sair e, abreviando a história, acabamos de indo acabar num motel.
Tenho tara por mulatas e coroas, e agora estava com ela.
Entramos no motel, tiramos nossas roupas e Ina me convidou para tomarmos banho juntos, mas não antes de darmos um longo beijo com uma de minhas mãos segurando ela pelas costas na altura dos outros e outra mão em uma de suas nadegas puxando firme ao meu corpo, já com meu penis duro entre suas pernas rente ao talho de sua buceta carnuda bem depiladinha.
No banho lavo suas costas e aproveito já para dar minhas primeiras chupadas em seus peitos cheios, duros e agora com seus mamilos negros durinhos de exitação. Ajoelho-me e começo a lavar sua buceta carnuda; viro ela e peço para ela arrebitar seu rabinho passando o sabonente em seus rego. Enfio o dedinho no seu rabo e ela cerra os lábios soltando um leve gemido.
Na cama, nos deitamos e decidimos fazer um 69. Enquanto recebo uma senhora mamada no meu pau, chupo a buceta de Inalda e, não demorando muito, arregaço suas nadegas e fico intercalando uma chupada em sua buceta e com o dedo indicador lubrificado de KY, masturbo seu rabo virgem fazendo gemer pedindo mais.
Quando estamos explodindo de tesão, chamo ela:
– Vem cavalgar no meu pau minha fêmea!!!
Inalda se vira e senta no meu caralho falando alto:
– MARAVILHA!!!!
Ela agora era toda minha, cavalgava como uma verdadeira amazona e entre sua respiração ofegante e um gemido sutil…
– Quero que goze dentro de mim!!! Me enche de porra…
Largo um urro dizendo:
– Lá vai porra meu amor!
Na medida que vou imundando o ventre de Inalda ela vai diminuindo o ritmo e larga um sorrizo lindo pra mim.
Ela sai de cima de mim e posso ver de relance rios de porra descendo de sua buceta. Ela aproveita e passa a mão umas duas vezes em sua vagina e lambendo minha porra.
Com meu pau ainda duro, ela chupa um pouco ele, deitando no meu lado me abraçado.
Ficamos assim uns 15 minutos, deitados apenas nos olhando olho no olho, e ela com um sorrizo nos labios no olhar.
Quebrando o silêncio, ela fala:
– Adorei quando você me masturbou me chupando e colocando o dedo no meu rabinho… Nunca fiz anal, quer tirar a virgindade do meu rabo?!
– Óbvio que quero, mas antes quero que repita aquele oral gostoso.
Inalda cai de boca novamente deixando meu pau duro novente. Peço para ela ficar de 4 próximo da cama, lubrifico o cú dela com KY masturbando ela com o dedo, empapo meu pau de lubrificante, e ponho devagar meu caralho dentro dela, que também ajuda vindo para trás arrebitando a bunda.
Ela geme alto dizendo:
– Mete gostoso teu vergalhão no meu rabo.
Metido o cabeção empurro o resto bombando naquele rabo gostoso segurando firme pelos quadris, arrancando um grito…. e, do nada, me espanto com seu o pedido:
– Me violenta. Quero ser violentada seu FDP!!!! Me estupra cachorro!!!
Não demora muito Inalda transforma em uma ninfomaniaca, soltando seus gemidos em palavrões que possivelmente ecoam Motel afora. Seus olhos refletidos no espelho transparceremnser outra mulher, que me entraves através deles
– Mete meu macho… Tú virou meu dono. Come meu cú!!! Me enche ele de porra!
Bato forte na bunda dela atendendo seus pedidos
– Cadela! Rabo gostoso… Geme pro teu macho… Quem é teu macho comedor?!
– Tú é meu machoooo… virou meu dono…
Vou socando com vontade e, quando estou prestes pra gozar, dou umas cravadadas no cú até fundo enchendo de porra.
Fico alguns instantes com meu pau cravado no cú dela mandando ela ficar quieta. Mando virar e peço para chupar mais um pouco.
Inalda deita agora exausta. Pergunto:
– o que houve gata?! Nossa… realmente soltou a loba dentro de ti.
– Me senti submissa e adorei. Tinha que extravasar. Me beija agora.
– A anos que não dava pra ninguém. Criei meu filho e nunca tinha tirado tempo pra mim. Agora vou querer que me coma de vez em quando.
Ficamos outras vezes juntos e realmente fui eleito dono dela na cama.
Outra hora deixo aqui outras histórias com a coroa.