Fui chantageado por uma criança – parte V


Click to Download this video!

Comer o cuzinho da Ana não poderia ser algo normal, eu tinha que comer aquela menininha com classe, e com ela, seria da maneira que eu gosto, metendo forte e fundo.
Então conversei muito com ela, expliquei o que iria acontecer, e pra ela ver como seria, virei a pequena Laura de bruços e comecei a meter no cuzinho dela. Como ela já estava acostumada a levar as minhas rolas no cu, não fez muito cara feia no começo e acabou dando umas gemidas deliciosas para nos. Ana? só olhava com cara de espanto e curiosidade.

Quando acabei com a Laura, inclusive gozando no cu dela, Ana puxou a Laura pra sala e lá ficaram por alguns minutos. Quando voltaram, Ana disse:

ana: tio, eu quero fazer isso com o senhor
eu: a Laura conversou com você, já sabe que vai doer bastante na primeira vez, mas depois é só alegria, você sabe?
ana: sei sim
laura: ela vai gostar tio, vamos fazer
eu: ta, mas não aqui

Preparei as meninas, e fomos para o motel. Achei melhor leva-las pra este lugar, pois se a Ana excedesse nos gritos, ninguém ligaria. Mais um vez as escondi no chão do banco traseiro e entrei.

Já no quarto, Laura estava apreensiva, pedindo pra começar logo, e Ana estava também apreensiva, mas com uma carinha bem assustada.

eu: Ana, se você não quiser, a gente pode fazer isso outro dia
ana: não tio, só to com um pouco de medo de doer
eu: não se preocupe, vou fazer o mesmo que fiz com a Laura
ana: o que o sr fez?
laura: ele passou um creminho que não deixa doer

E la fui eu, passar xilocaína e ky no cuzinho da Ana. Quando o remédio fez efeito, levei ela pra o banheiro, joguei bastante agua no cuzinho dela, e depois de mais uma dedada de ky, a deitei de bruços e comecei a meter no cuzinho dela, mas eu não fiz com cuidado, igual a Laura, eu metia forte, rápido, socava até o fundo, e pra aliviar tudo aquilo, ainda chegava na orelha dela, e a chamada de vadia, vagabunda, puta e biscate.

Aquilo estava alucinante, estava arregaçando o cuzinho de uma linda menininha, enquanto uma outra, da mesma idade, estava na minha frente, olhando eu acabar com a amiguinha dela.

eu: ta gostando, vagabundinha?
ana: hummm… to… hummm
eu: adoro fuder cuzinho de menininhas vadiazinha
ana: hummm….

Eu estava metendo como que se estivesse metendo em uma mulher, e estava adorando fazer tudo aquilo, quando escuto Laura reclamar

laura: ah tio, porque você não faz assim comigo
eu: assim como
laura: bem rápido???
eu: então vira esse cuzinho logo pra mim

E Laura, rapidamente tirou toda a roupa e deitou ao lado de Ana, também de bruços, esperando ser fudida pelo cu. Eu então, tirei rapidamente e comecei a violentar o cu da Laura, que naquele momento parou de gemer e começou a gritar baixinho

eu: quer que eu pare? vagabunda
laura: não… continua…

Vocês não tem ideia da visão que eu tinha, duas menininhas, deitadas na cama, lado a lado, de bruços, com aquelas bundinhas branquinhas lindas, quase que me pedindo para serem fudidas, e eu então atendia aos pedido delas.

Ficamos no motel por quase duas horas, meu pinto doía muito de tanto gozar, de tanto ficar duro, e as duas pivetinhas não paravam de se beijar e se chupar. Acabamos todos tomando um delicioso banho de banheira, e ai que comecei a descobrir as fantasias das meninas

eu: Ana, qual a sua fantasia?
ana: fantasia?
eu: sim, fantasia sexual, alguma coisa que você quer fazer mas não pode?
ana: fazer o mesmo que eu fiz com a Camila
eu: quem é Camila
laura: tio, é uma menina metida la da escola
ana: ela não é metida, ela é linda

Durante as conversas, descobri que essa Camila era a menina mais linda da escola, que todos os meninos queriam ficar com ela, e Ana, lógico, também queria chupar o corpinho da pequena Camila. Fiquei curioso em conhecer a tal Camila, então combinei que naquela semana eu iria buscar a Laura, assim ela me mostrava a tal Camila.

Dias depois, avisei a prima da esposa que iria buscar a Laura na escola. Lá chegando, quando Laura me viu, veio ao meu encontro e já foi me puxando para me apresentar para a Camila. Durante os puxões, encontrei Ana, que também me puxou até a Camila.

laura: Camila esse é meu tio que te falei
camila: oi

Realmente, as meninas não estavam mentindo, Camila era simplesmente LINDA, um rostinho angelical, pele clarinha, cabelos loiros cumpridos, magrinha, e parecia ser muito gostosinha.

eu: oi, o que ela falou de mim?
camila: ela falou que você é um tio muito legal, e rico
eu: eu não sou rico, só trabalho e ganho bem
camila: ela falou que você tem um carrão, que mora num lugar com piscina, que tem um Iphone… queria tanto um Iphone
eu: e porque você não pede pros seus pais?
camila: meus pais não tem dinheiro pra comprar um, é muito caro
eu: é, muito caro
laura: tio, da um Iphone pra ela

Nisso Camila abriu um sorriso

camila: você me dá, tio
eu: calma, não é assim, pra ter um aparelho assim, precisa ter que fazer muita coisa
camila: ah, eu faria qualquer coisa pra ter um Iphone
eu: qualquer coisa?
camila: sim, qualquer coisa

Puxei Ana e Laura de lado e disse

eu: meninas, tenho um plano pra nos três pegarmos a Camila