Me descobri com meu primo


Click to Download this video!

Quando eu tinha meus 5 anos, eu já era apaixonada pelo meu primo Rodrigo. Ele é 9 anos mais velho que eu, e na minha inocência, ele era o meu príncipe encantado. Apesar dele saber que eu era apaixonada por ele, nunca tentou nada comigo, e olha que nós éramos muito íntimos, ele me adorava, brincava comigo, me pegava no colo, mas nunca tentou nada comigo, e eu, tinha como único sentimento, de beija-lo e ficar agarradinho com ele.

Os anos foram passando, as brincadeiras continuavam, e minha paixão por ele aumentava a cada dia. Quando ele aparecia com namorada nova, eu ficava um porre, pois tinha muito ciúme dele, queria ele só pra mim, e ele vivia dizendo isso: “eu sou só seu, não precisa ficar com ciúme”, mas era elas que ele beijava, não a mim.

Quando estava com meus 10 anos, já tentava arrancar uns beijos dele, nuns selinhos que ele as vezes desviava. Ou seja, ele me respeitava muito, mas sinceramente não queria ser respeitada, queria ser beijada, perder a BV com ele. Nesta época não pensava em sexo ou algo assim, somente queria que ele me beijasse e fossemos namoradinhos.

Até que meus pais tiveram que fazer uma viagem que demoraria duas semanas, e como eram viagens de negócios e não poderia perder aula, acabei ficando duas semanas na casa da minha tia, com meu priminho lindo. Eu nem estava chateada com a partida dos meus pais, aquelas duas semanas eu perderia a BV com ele.

Já no primeiro dia, fiquei direto grudadinha nele, e ele, cuidou muito bem de mim. A noite ficamos assistindo filmes e cansada, acabei dormindo no sofá, encostada no colo dele. Acabei acordando quando ele estava me levando pra cama no colo, e pedi pra dormir com ele na cama, e assim ele fez. Dormimos agarradinhos, de conchinha, durante toda a noite. E por incrível que pareça, ele não tentou nada comigo, nem me beijar, e também nada me passou pela cabeça em fazer sexo com ele.

Isso aconteceu por 3 dias, até que no final de semana, a mocreia da namorada dele veio em casa, e me afastou do meu primo naquele sábado. Com raiva, acabei não ficando com eles na sala e fui dormir na minha cama.

Acabei adormecendo e quando eram quase 1 da manha do domingo, me levantei e fui pro quarto dele, pois queria dormir novamente com o meu príncipe, e pra minha surpresa, a cama dele estava ainda arrumada. Pensei que ele tinha saindo com a mocreia, quando fui de mansinho ver se ele ainda estava em casa, quando tive uma visão maravilhosa.

Meu primo estava sentado no sofá, sua namorada estava sentada no colo de frente pra ele, sem as calças e com a blusa levantada, ela subia e descia no colo dele, enquanto ele acariciava e chupava os peitos dela.

Naquele momento, algo despertou dentro de mim, comecei a sentir pela primeira vez, tesão por meu primo. Eu me imaginei la, no lugar da mocreia, ele passando a mão em mim, chupando meus peitos (apesar que com 10 anos eu não tinha nada) e fazendo aquilo que ele estava fazendo com ela (que eu também não sabia).

Eu nem piscava, vendo aquela cena, quando minhas pernas amoleceram nas cenas seguintes. Ela desceu, ficou de quatro no sofá e meu primeiro começou a meter na buceta dela por trás. Quando vi aquele pinto enorme, duro, ser colocando na buceta da mocreia, e ele bombando forte, senti que minha buceta tinha encharcada completamente, um fogo percorreu por todo meu corpo.

Em certo momento, tanto ele chupava a buceta dela, quando ela caia de boca naquele pinto delicioso que ele tinha. Eles ainda fizeram outras posições que me deixaram ainda mais com tesão, e quando ele finalizou, gozando no corpo dela, eu sai correndo pra meu quarto, tranquei a porta, tirei toda a minha roupa e comecei a passar a mão por todo meu corpo, como que imaginasse meu primo me acariciando.

Quando toquei minha buceta, ela estava totalmente molhada, e toca-la me dava uma sensação estranha, mas deliciosa. Não cheguei a gozar, mas eu estava em delírio com tudo aquilo. Eu não sabia o que era tudo aquilo, mas eu queria que meu primo fizesse comigo o mesmo que ele fez com a mocreia.

Naquele mesma noite, fiquei esperando ele, e quando ele foi levar a mocreia pra casa e voltou, sai correndo pro quarto dele e fui deitar com ele, só que desta vez, eu encaixava a minha bunda no pinto dele, mas o gostoso só quis dormir.

No domingo, acordei e já olhava meu primo não como príncipe encantado, mas como homem, pensava nas cenas de sexo na noite passada e o fogo já percorria meu corpo.
Acho que ele também notou que estava diferente, pois minhas roupas estavam menores, já fazia de tudo pra ele olhar minha bunda, minha barriguinha, nas brincadeiras eu me esfregava mais nele, até que num certo momento no sofá, ele sentado, acabei na brincadeira sentando de frente pra ele, e tipo que comecei a imitar a mocreia em cima dele.

Ele se tocou na hora, e me perguntou

– Você espiou eu e Vanessa (a mocreia) ontem a noite?
– Sim
– Há menina, você não devia fazer isso…

E assim se passou o dia, até irmos dormir. Quando nos deixamos de conchinha, dessa vez eu peguei a mão dele e coloquei por debaixo da blusa do pijama, e ele ficou acariciando minha barriga, quando comecei a sentir seu pinto começar a ficar duro, e foi ai que ele disfarçou, e virou para o outro lado. Virei também, dessa vez eu estava atrás dele, então enfiei minha mão por dentro da camiseta dele e comecei a acaricia-lo.

Sentia que a respiração dele estava ofegante, significava que ele estava gostando, mas ele não se virava pra mim. Acabamos dormindo assim.

Na segunda, fui pra escola e estava decidida que que faria comigo aquela noite. À tarde foi normal, acabei ficando com ele mas estava com menos roupa ainda, e ele então perguntou

– O que você viu sábado a noite?
– Tudo
– Tudo o que?
– Ora, tudo

E sai dando risadinha. À noite, meus tios foram dormir e fiquei sozinho com ele no sofá, quando comecei a querer brincar com ele, mas ele queria mesmo era assistir o filme, então novamente sentei no colo dele de frente, e levantei minha blusa.

Ele olhou meio assustado pra mim e acabou entrando meio na brincadeira, mas evitava muito tocar em mim, e o que eu mais queria naquele momento era que ele tirasse toda a minha roupa e me beijasse inteira.

Quando percebi que ele estava meio irredutível comigo, roubei um selinho dele, me levantei e disse que iria dormir, pois estava com sono. Uma surpresa o aguardava.

Ele ao chegar no quarto, me viu dormindo, já coberta, então ele entrou se cobrindo, e pedi pra ele me abraçar. Quando ele me abraçou, acabou tomando um susto. Eu tinha deitada totalmente sem roupa

– O que é isso menina, vai por uma roupa
– eu não quero colocar roupa, eu quero ficar assim com você
– mas eu não posso, não é certo, você é minha prima…
– Para com isso, e deita logo

E virei de lado, esperando ele se encaixar comigo. Peguei a mão dele e coloquei na minha barriga, só que desta vez a mão percorreu mais partes do meu corpo, e já sentia seu pinto duro dentro das calças, então falei sussurrando

– tira a sua roupa

Ele demorou um pouco e tirou a roupa. Eu não consigo descrever a sensação, quando ele se encostou em mim, quando senti aquele corpo encostando no meu, e pincipalmente, seu pinto encaixado na minha bunda. Aquele era o meu momento, e se pudesse, o congelaria por anos assim.

– Primo, posso te pedir uma coisa?
– Pede
– Faz comigo o que você fez com a Vanessa?
– Eu não posso, você é minha prima, você é muito nova, você…

Me encaixando melhor nele, disse

– Eu sou mulher, e quero que você faça comigo… sou toda sua…

Ele não mostrou reação nenhuma, então estava na hora de agir. Me virei e acabei subindo sentada em cima dele. Ele me olhava com tesão e já me acariciava a barriga e as coxas, mas ainda não tomou a iniciativa, então escorreguei para as pernas dele e peguei o pinto dele. Não sabia o que fazer, mas iria imitar a mocreia, que bateu uma pra ele e começou a chupar.

Rodrigo olhava com cara de que não acreditava que a priminha dele esta fazendo aquilo, e pela cara, parecia que estava gostando. Acho que ele estava quase pra gozar, quando se sentou na cama, e me jogou do lado e começou a me chupar inteira. Quando ele começou a passar a língua na minha buceta, eu me contorcia toda, estava adorando ser chupada, sentir aquela língua querendo invadir a minha buceta. Quando ele começou a subir por meu corpo, eu forcei a cabeça dele vir de encontro com meu rosto, e então realizei um dos meus antigos sonhos: beijar a boca gostosa dele.

Enquanto ele me beijava, senti seu pinto sendo encaixado na minha buceta, então senti que aquela seria a hora que eu me sentiria completa com ele. Ele forçou um pouco a entrada mas como eu estava completamente molhada, seu pinto até que entrou fácil, e ao romper o meu lacre, senti todo aquele pinto entrando dentro de mim.

Nossa, que delicia, ele parou de me beijar, e me olhava enquanto bombava aquele pinto enorme dentro de mim. Senti dor por alguns minutos, mas depois foi só prazer, e em poucas bombadas, tive o meu primeiro orgasmo.

Ele continuava, pela cara dele, estava adorando fuder a priminha dele, quando pedi pra ele me pegar por trás, e quando ele saiu de mim, já fiquei na posição de quatro, e mais uma vez, sentir a sensação daquele pinto delicioso entrando dentro de mim. Não demorou muito e eu gozei novamente.

Queria muito sentar no pinto dele, então pedi pra ele ficar sentado no canto da cama, e fui lá sentar no colo dele, e comecei a fazer o mesmo que a mocreia fazia, subia e descia no pinto dele, enquanto ele me beijava e acariciava meu corpo.

– Há muito tempo eu queria fazer isso com você, primo

Ele estava realmente gostando de fazer tudo aquilo comigo, pois ele me pegava com força, me beijava com vontade, e me acariciava loucamente. Quando estava quase pra gozar, senti um liquido quente sendo derramado dentro da minha buceta. Meu primo gozou dentro de mim, e eu, gozei segundos depois.

Deitamos na cama pra descansar, acabamos ficando na posição de conchinha, ele me acariciava mas nada falava

– O que foi primo, não gostou?
– eu? gostei muito…
– então porque esta assim?
– porque você é menor, é minha prima, é minha… (interrompi ele)
– Se você ta preocupado que eu contar pra alguém, pode ficar tranquilo. Esse será nosso segredo. Se você ta preocupado que eu sou sua prima, não to nem ai. Eu te amo e quero você todos os dias assim.

Depois de ouvir isso, ele se animou, fez umas brincadeiras comigo e perguntou:

– E você, gostou?
– Eu? adorei, amei, e quero mais, muito mais

Acabamos transando mais uma vez naquele dia. Nos dias posteriores, enquanto fiquei la, ele metia comigo todos os dias, e dias antes dos meus pais voltarem, acabei dando o cu pra ele.

Quase todas as semanas eu dava um pulinho na casa dele pra dar um pulinho no colo dele. Certa vez, ele me levou escondido num motel, e trepamos muito naquele dia. aos 12 anos, eu era uma espécie de putinha amante dele, e o safado fazia o que queria comigo.

Anos depois ele casou, e era claro que eu estava morrendo de ciúmes da esposa dele, mas depois de um tempo eu não me preocupei, porque semanalmente, ele vinha provar da bucetinha da priminha dele.