No semáforo, encontrei um casal de irmãozinhos


Click to Download this video!

Olá a todos os leitores deste site. Esta é a primeira vez que escrevo.
Lendo alguns contos aqui, fiquei com vontade de compartilhar um fato real que aconteceu comigo, e posso garantir: É tudo verdade.
Pode parecer confuso ou mentiroso, mas não é.
Me chamo Raphael, tenho hoje 32 anos sou dentista, e moro em uma cidade da grande SP. O que vou narrar agora acontecer fazem 8 anos.
Nossa família é de SC. Meus avós, tios e primos são de Florianópolis. Apenas meu pai veio com a família para São Paulo e aqui vivemos até hoje. Tenho um irmão mais velho que mora nos EUA.
Bem no ano de 2008 eu ainda estava na universidade, e meus pais resolveram ir passear em SC. Fiquei sozinho em casa.
Em uma sexta feira eu voltando para casa por volta das 17:40 hs, quando parei o carro em um semáforo e 2 crianças vieram me pedir dinheiro. Sempre passava ali e via eles, mas nunca reparei neles. As vezes dava algumas moedas, outras vezes apenas dizia que não tinha. Mas desta vez foi diferente. Olhei e vi ali um menino de uns 10 anos, e uma menina um pouco menor. Estava calor e o menino estava sem camisa, usando apenas bermuda e chinelos. Branco, magro, cabelos e olhos castanhos. Já a menina vestia camiseta, saia e chinelo. Ela é branca, magra e muito parecida com o menino.
Puxei assunto com eles e fui logo falando: Nossa, hoje vocês estão bonitos eihhnn..
– Tio dá uma moeda – o menino pediu.
– Deixa eu ver se tenho alguma aqui – respondi já vasculhando o carro.
Não encontrei nenhuma e falei:
– ô garoto, está muito calor, vocês querem ir tomar um sorvete comigo… eu pago e ainda dou o troco para vocês.
Pensei que não iriam aceitar, pois são tantos casos de violência na cidade que todos estão assustados.
Nisto o farol ficou verde e eu avisei: – Olha… vou parar ali na esquina.
Segui um pouco e parei. Logo os dois vieram correndo. Abri a porta e entraram. O menino ficou na frente a menina no banco de trás.
Puxei assunto e perguntei os nomes, idades, onde moravam e se eram namorados rsrsrsrs
O menino que respondeu tudo: – Tio eu sou o Maicon, e tenho 10 anos. Ela é a Clara e tem 9. A gente não namora, a gente é irmão tio.
– Ahh ta, vocês são irmãos, eu não sabia… não podem namorar mesmo. Mas se bem que podem fazer coisas juntos, né seu safadinho… e dei risadas.
O menino sorriu também e a menina não teve nenhuma reação.
Parei em um posto de gasolina e deixei eles no carro e fui comprar sorvetes.
Voltei e seguimos para uma praça ali perto.
Tomamos o sorvete e conversamos, fui logo levando o assunto para o lado sexual.
– Maicon, você com 10 anos já deve ter pegado muitas menininhas né ?
– Claro tio eu pego mesmo – ele respondeu.
– E você Clara, já namorou muito?
Meio envergonhada e cabisbaixa ela apenas sussurou: ahããã.
Meu pau já estava doendo de tão duro. Eu queria de qualquer forma brincar com os dois. Queria chupar os dois, e fazer eles me chuparem. Queria beijar a menina na boca, e comer aquela bocetinha que devia ser lisinha. Eu tremia todo só de imaginar aqueles dois na minha cama. Mas como fazer ?? É difícil convencer crianças assim a fazer sexo. Mas decidi tentar.
Terminamos o sorvete e fui direto ao que eu de fato queria e falei:
– Crianças, eu seu que vocês são pequenos e que isto é errado, mas eu quero brincar com vocês dois lá na minha casa. Eu dou R$ 50,00 para cada um se vocês forem comigo e fizerem o que eu pedir, aceitam ?
Olhei para a menina que continuava calada. Já o Maicon falou:
– O tio fala que vai dar dinheiro e depois não dá nada. A gente já foi enganado tio.
– Como assim foram enganados, vocês já saíram com outro homem ?
– Já tio, e ele não pagou nada… – Disse Maicon.
– Por isto não querido, eu pago antes.
Peguei minha carteira e tirei duas notas de R$ 50. Dei uma na mão do Maicon e a outra na mão da Clara.
– E agora vamos para minha casa ?
Ficaram um pouco calado e voltei a perguntar:
– Vamos ou vão devolver o dinheiro ?
O menino respondeu: Nós vamos tio.
Segui direto para minha casa, que fica a uns 20 minutos de onde estávamos.
Passei a mão nas pernas do Maicon, e fui alisando até chegar no pintinho… passei a mão por cima e falei: Delicia. Ele só sorria.
A menina finalmente resolveu falar:
– Tio, o que o senhor quer fazer com a gente ?
– Clara, eu quero transar com vocês, só isto.
– Mas transar como tio… o senhor vai colocar aqui dentro (apontando para a xaninha) ?
– Vou primeiro dar beijinhos e passar a língua, depois sim vou meter…
Ela abaixou a cabeça e se calou.
O Maicon disse: – Mas tio, ela só fez com meninos pequenos, o senhor é grande.. ela não vai agüentar.
– Mas vocês não saíram com outro homem, então… se ela já fez, ela agüenta sim !!
A Clara voltou a falar:
– A gente só chupou o pinto do homem, e ele chupou a gente. Ele não meteu…
– Calma crianças… estamos chegando em casa e lá nós vemos o que vamos fazer. Tudo bem assim ?
– Tá tio, tudo bem – disse a Clara.
Guardei o carro e entramos em casa.
Levei os dois para a sala e já fui abraçando a Clara. Sentei no sofá e coloquei ela no meu colo.
Passei a mão e alisei seu corpinho infantil. Nem peito a menina tinha.
Dei um selinho na sua boquinha e fiz carinhos na nuca.
Lentamente tirei sua camiseta… lisinha e só com o biquinho do peito… dei umas lambidinhas e chupadinhas. Que tesão…
Tirei minha camiseta e sugeri subirmos para meu quarto.
Ao chegar eu pedi para o Maicon tirar a roupa e fiquei com a Clara no colo.
O menino tirou tudo e vi um lindo pintinho de uns 8 a 9 centímetros apenas. Durinho e lisinho.
Chamei ele para pertinho e coloquei a boca. Chupei um pouco e estava com gostinho e cheirinho de xixi.
Fiz a Clara se levantar e abaixei seu shorts. Via sua calcinha azul clarinha meia suja… que tesão de menina. Dei um beijo na sua xoxotinha sobre a calcinha e lentamente fui abaixando. Eles não falavam nada.
Passei a língua e dei uma chupadinha. Que coisa mais gostosa do mundo.
Suada, quente, com cheiro de xixi e sabor agridoce.
Pedi para deitarem na casa e tirei minha calça. Meu pau saltou para fora.
Me deitei no meio dos dois.
Revezei em chupar um e a outra.
Pedi para o Maicon me chupar. Ele fez uma carinha de nojo, mas acabou aceitando. Quase gozei na boca dele. Tive que pedir para parar.
Pedi para a Clara me chupar também. Ela fez gostoso. Boquinha quente, úmida e o dentinho raspava na minha glande, me dando um tesão impossível de controlar. Acabei gozando… Assim que sentiu os primeiros jatos, ela tirou a boquinha.
Fiquei na cama com eles um pouco. Aquilo estava bom demais.
Coloquei os dois no banho e lavei com muito carinho.
Pedi para o Maicon tentar colocar o pintinho dele na xoxotinha da irmã. Para minha surpresa ele entrou todinho. Ela nem reação teve, ou mostrou dor… nada.
Pensei é hoje que vou comer uma bocetinha infantil. Dito e feito.
Nos secamos e coloquei os dois para transarem e fiquei olhando.
Fizeram igual adultos. O Maicon meteu forte na irmã.
Pedi para ele deixar eu tentar meter…
A Clara estava deitada e eu fiquei em cima dela. A pequena quase sumia embaixo do meu corpo. Lentamente comecei a pincelar a cabeça do pau, e fui forçando, forçando, forçando… empurrava e tirava, empurrava mais forte e tirava.
Até que sentir sua bocetinha aceitar meu pau. Coloquei só a cabeça e fiquei parado.
– Está doendo meu amor ?
– Só um pouco tio.
– Agüenta mais um pouco que logo vai acabar.
– Tudo bem, só não goza lá dentro tio, não quero pegar bebê.
Nem liguei e fiquei ali sentindo aquele momento único e especial.
Que tesão.
O Maicon batendo punheta e eu ali, com o pau cravado na pequena.
Me segurei o Maximo que pude, e mesmo sem bombar muito, acabei gozando dentro dela.
Ficamos deitados e calados.
Até que a Clara me pediu:
– Tio tem alguma coisa para a gente comer ?
Não tinha nada, mas eu pedi:
– Se vocês ficarem um pouco mais aqui, eu vou pedir uma pizza, pode ser ?
– Pode sim tio.
Ficamos deitados e fazendo carinhos.
Descemos, e peguei refri e biscoitos.
Olhei no relógio já eram quase 19:00 hs. Pedi a pizza e comemos.
Dei mais R$ 20,00 para cada um.
No final gastei R$ 140,00, mais os sorvetes e a pizza… achei barato !!
Sei que muito aqui vão me condenar, me chamar de pedófilo e tal. Mas estou nem aí.
Eles são lindos e estavam dispostos. Em momento algum eu estuprei ninguém.
A Clara já devia ter transado com outro adulto, pois meu pau não encontrou tanta resistência como pensei.
Depois disto ainda saímos outras vezes. Sempre que meus pais não estavam em casa, eu ia buscar os dois.
Fomos 3 vezes ao Motel e eles entraram no porta malas do carro.
Ficamos juntos mais de um ano, até que eles sumiram. Perguntei para outros meninos que ficam nos semáforos da região e fiquei sabendo que foram de volta para o Nordeste. Sinto muita saudade e fico pensando como estão.
Sei o nome completo da menina, mas não encontro no face… tem dezenas com o mesmo nome. E depois de 8 anos já não sei como está seu rostinho.