Eu, Uma Garotinha e Minha Madrasta: Perdi meu cabaço!


Click to Download this video!

Moro com meu pai e minha madrasta em uma cidade no interior de São Paulo. Eles tem uma loja de 1,99 aqui na cidade, é uma loja pequena, mas que traz sustento para nossa casa. Meu nome é Bruno e tenho 16 anos atualmente, tenho mais uma irmã que mora com a minha mãe. Minha madrasta tem um filho que é gay, casado e mora em Portugal. Ele tem um salão de cabeleireiro lá. Há um ano e meio atras minha madrasta contratou uma vendedora, seu nome é Zefa. Zefa é do maranhão… Bem humilde, chegou aqui para trabalhar e mandar dinheiro para sua família na cidade onde ela mora. Ela tem 3 filhos, porem, só uma, a mais novinha, veio com ela. Cris Lohane tem 8 anos atualmente. Na época ela tinha 6…
Em um dia como outro qualquer, sai da escola e fui pra loja, por volta das 14:00h… Eu trabalho lá no período da tarde pro meu pai me dar uma grana no final do mês. No final do expediente, quase na hora de fechar, entra uma cliente, e ela conhecia Zefa. Me pareceu, que elas eram da mesma cidade e tal… Elas se cumprimentaram, conversaram um pouco, e Zefa apresentou a filha para a mulher, dizendo que só tinha trago ela por enquanto, porque os outros eram maiores e precisavam menos dela. A mulher, se abaixou e disse que Cris Lohane era linda, que era bom ficar perto da mamae, e todo aquele papo de velho quando ve uma criança. Pra finalizar a mulher deu um beijo nela e falou: “Nossa, você é muito fofa, sabia? Fofa e cheirosa.” A menina muito esperta e falastrona respondeu:” Obrigada. Mas eu não to cheirosa nada. Estou lavando meu cabelo com sabão de coco, porque o sabonete la em casa, acabou ja faz mó tempão.”
Nooossa… Zefa, mãe da garota, ficou super sem graça. Tentou disfarçar, disse que estava sem tempo, brigou com a menina dizendo:”eu hein, isso é coisa que se diga, Cris Lohane!?” Eu senti vergonha por ela, juro por Deus. Foi constrangedor, a suposta amiga da Zefa, ficou sem graça, sem saber o que dizer… Ela apenas sorriu um sorriso amarelo, e começou a prestar atenção nas desculpas que a Zefa arrumava pra se livrar do constrangimento. Minha madrasta no balcão da loja, ficou sem jeito, e ajudou a Zefa a sair dessa, a mulher foi em bora, mas Zefa ainda estava constrangida por nos estarmos ali e ter ouvindo tudo. Começamos a fechar, e minha madrasta chamou Zefa para conversar. Eu fingi que arrumava as prateleiras em baixo do balcão, com fones de ouvido para poder escutar. Minha madrasta disse pra Zefa, que se ela estivesse passando por algum tipo de dificuldade poderia dizer, que ela fazia questão de ajudar, que ela, como patroa, queria que a funcionária estivesse bem e entusiasmada para trabalhar. Zefa começou a chorar, se emocionou, disse que passou por um “perrengue” porque a filha teve que comprar materiais escolares lá na cidade dela, e ela teve que mandar o dinheiro, e ficou apertada. Enfim… Minha madrasta concluiu dizendo que ela poderia contar com ela, e que se ela quisesse, poderia tomar um banho na loja, dar banho na criança ou pedir um vale, e deu 100$ pra Zefa. Elas foram em bora, nos também, em casa minha madrasta contou pro meu pai, ele disse que ela agiu certo e a vida segui.
Isso aconteceu no meio do mês de abril. Depois disso a relação com Zefa e minha madrasta cresceu muito, se estreitou. A Zefa se mudou para mais perto da loja. Antes, ela pegava dois ônibus para ir trabalhar, quando mudou, passou a pegar só um, e minha madrasta continuou pagando os dois passes. Meu pai reclamou, mas ela não ligou. Era frequente minha madrasta comprar coisas pra Cris Lohane, saíam juntas, passava o final de semana la em casa, viaja com a gente, enfim… A menina virou parte da família. Cris é uma menina bonitinha, mulata, tem cabelos bem lisos pretos, olhos castanhos escuros, um aspecto saudável e limpo, parece uma indiazinha, ela lembra muito a Tainá. Uma índia criança que fez um filme nacional…. Zefa, mesmo com poucos recursos, sempre zelou muito pela aparência da filha, com a ajuda da minha madrasta, ficou melhor ainda, Cris Lohane parecia uma patricinha. Ate então, acreditávamos que minha madrasta espelhava a ausência do seu filho, e falta de netos com a Cris Lohane, e assim as coisas foram caminhando.
Ate que na véspera do natal… A loja fica sempre cheia, nos vendemos artigos natalinos feito água… Era o comecinho de dezembro, faltava uma semana para as minhas ferias, e eu segui minha rotina. Fui pra loja depois da escola, quando cheguei lá, a loja estava cheia, e só a Zefa estava atendendo, eu a ajudei e 20min depois, estava tudo mais calmo, e eu perguntei pra Zefa onde estava minha madrasta. Ela respondeu que ela estava se sentindo mal, e estava lá dentro com a Cris Lohane… Eu nem dei importância, e fui guardar minha mochila, e trocar meu uniforme para fazer minhas atribuições diárias.
La na loja tem o espaço comercial, que é onde os clientes circulam, ficam expostos os produtos e etc… E a parte de trás, que tem um pequeno comodo, com uma despensa, que usamos como estoque e com uma geladeira. Um banheiro bem apertado, que não tem nem box ou pia. Quando tomamos banho, molha tudo, e você tem que disputar espaço com o vazo. E completa com um espaço comum, que da acesso a estes pequenos cômodos. Lá, possui um cofre, umas caixas de papelão desmontadas, uma mesa de escritório velha e um filtro. Para entrar nesse lugar, existem três chaves: Uma com meu pai, outra comigo, e a ultima, que fica no molho de chaves para abrir a porta da frente da loja. Essa fica sempre com quem vai abrir a loja no dia seguinte, as vezes fica com meu pai, as vezes com a Zefa, mas na maioria das vezes, fica sempre com minha madrasta. Aporta fica sempre trancada por causa dos assaltos, então, colocamos o dinheiro no cofre e toda quarta depositamos no banco.
Fui guardar minhas coisas… abri a porta e quando passei pela porta do banheiro, me deparei com uma cena aterradora: O chuveiro ligado, minha madrasta pelada sentada num vibrador no vaso com a água caindo sobre ela, Cris Lohane de costas para minha madrasta de frente para a parede, com a bundinha empinada, na ponta dos pés, toda cheia de sabão e minha madrasta passando o dedo na xaninha e no cuzinho da Cris com vontade. A menina se empinava toda, e ia se abaixando, minha madrasta com um toque, catucava, e Cris Lohane se empinava em pé de novo. Depois minha madrasta trouxe a menina pra perto dela a colocando em pé no meio das suas pernas, e ficou siriricando a menina. Nesse momento, elas me viram… Minha madrasta levou um susto. Deu um pulo do vaso, largando seu vibrador que estava grudado na tampa da privada com uma daquelas borrachinhas que prendem o vidro nas estantes. Ela tentou tirar rápido mas como estava preso, fez um barulhão na tampa do vazo. Ela ficou sem saber o que dizer… E mandou eu fechar a porta do banheiro. Eu ofegante, sem saber o que falar, fechei a porta, larguei minha mochila e voltei pra loja.
Passaram-se uns 5 min a Cris Lohane foi la na loja me chamar, como se nada tivesse acontecido, dizendo que a dona Nilda (minha madrasta) estava me chamando. Eu fui meio sem saber o que pensar, estava em choque. Nem excitado eu fiquei! Quando cheguei lá, minha madrasta disse:”E ai, como vamos ficar?” Eu nem respondi, só fiquei parado na frente dela gaguejando igual um idiota. Ai ela falou:”Acho que não vai contar nada, se não, já teria contado. Não faço mal pra ela. A Cris gosta, se não foce comigo, seria com outra pessoa.” E conclui dizendo que poderia ser pior, que poderia ser com um homem, que iria força-la, obriga-la, machuca-la… Que Cris Lohane poderia ficar traumatizada, e que com ela não seria assim. Ela só fazia o que a menina queria ou gostava. Eu ainda sem ação só perguntei se meu pai sabia, ai ela me deu uma olhada seria, ficou tensa, e disse:”Claro que não, ta louco!? Não sabe, e nem vai saber, néh?” Eu indignado com a cara de pau dela não respondi, e perguntei:”A quanto tempo isso acontece?” Ela me questionou o porque que eu queria saber com um sorriso irônico no rosto… Eu não respondi. Ela ficou calada por um segundo e respondeu:”Há, não sei. Acho que a uns seis meses. É, com certeza é isso. Seis meses!” E deu uma risadinha. Eu sem saber o que dizer, sorri de volta, e falei pra ela tomar cuidado para não magoar meu pai, porque ele amava muito ela, e que ela poderia ser presa se alguém descobrisse. Ela fez uns rodeios, disse que ninguém saberia, que era nosso segredo, que ela trata a menina muito bem, e enfatizou que a Cris gostava muito. Ela me perguntou se eu era virgem, se ja tinha ficado com alguma menina, o que eu sabia sobre sexo e bla bla bal.
Sou tímido, nerd, tenho só um amigo, não sou muito enturmado. Na escola, sou o ultimo cara que pegaria alguém. Acho que sou invisível para as meninas, e atraio os valentões. Apesar dos meus 16 anos, sou magrelo, branco, uso óculos, sou o esteriótipo de otário. Atualmente, sou um pouquinho menos, talvez essa experiencia tenha me deixado mais descolado, mas na época, eu era muito mais cuzão!
Falei a verdade pra minha madrasta e ela disse que eu poderia treinar com a Cris Lohane. Ela ficaria assistindo e dando dicas para eu me preparar e me tornar um “garanhão adolescente”. Eu muito tímido, fiquei morrendo de vergonha e extremamente constrangido só de imaginar minha madrasta me vendo pelado, fiquei meio apavorado, e disse que ia pensar. No outro dia, quando cheguei da escola minha madrasta tinha comprado um celular novinho pra mim, um samsung galax S, foda pra caralho. Me deu, e disse:”Um incentivo pra manter nosso segredo de pé.” E me deu também um cartão de memoria dentro de uma caixinha de tic tac. Falou que era para eu olhar o conteúdo dos arquivos pra eu ver como a Cris Lohane gostava de brincar com ela, e depois apagar os videos. Cheguei em casa, tomei meu banho, e fui ver… Eram videos que minha madrasta gravou da Cris se masturbando, sentindo um leve prazer e sorrindo. Minha madrasta dava objetos pra ela, e Cris passava na bocetinha. Em um outro momento, minha madrasta chupa a Cris e ela fica quietinha, só dando uns sorrisinhos bem discretos enquanto observava a minha madrasta lamber sua bucetinha. Eu vi e fiquei de pau duro, finalmente. Estava ate ficando preocupado.
Nesse mesmo dia, na hora da janta a Zefa e Cris Lohane jantaram lá em casa, comemos, e na hora de ir em bora, minha madrasta pediu que eu fosse com ela, porque “não queria ir sozinha, pois estava se sentindo mal”. Entramos no carro, eu, minha madrasta, Zefa e Cris. Eu na frente e Cris e Zefa atras. Quando chegamos na casa da Zefa, Cris Lohane disse que dormiria la em casa, e claro que minha madrasta não se opôs. Disse que tudo bem, que se Zefa não se importasse amanha cedo ela a deixaria na escola. Zefa resistiu, mas acabou deixando… Na volta minha madrasta disse pra Cris:”Meu amor, o que você acha de chupar o pauzinho do Bruno(meu nome) igual você me contou que fez com seu irmão.” E Concluiu dizendo:”Tipo um pirulito, você quer!?” Ela pulando no banco de tras disse:”Ué…ta bom, eu faço, rapidinho!” Eu parado, estava perplexo… Queria sair de dentro do carro, e ir pra casa correndo. Ai minha madrasta me deu um tapa no peito, e disse:”Vai la pra trás bruno, anda, rápido!” Eu meio desengonçado, super sem graça, com a cabeça baixa, fui me arrastando para o banco de trás. Sentei e Cris ficou atras do banco do motorista sentadinha sobre seus joelhos em cima do banco me olhando, e eu, ridiculamente, tentava por o cinto. (Eu sei. Eu sou ridículo) Ai minha madrasta disse: “Anda moleque, poem o pau pra fora, larga de ser froxo, menino.” Eu comecei a mexer na minha calça, e Cris ja veio com a mãozinha… Coloquei meu pau pra fora, estava meio mole, meio duro. Mas pra mole, do que pra duro, pra falar a verdade. Estava tenso, suava frio, PQP! Quando coloquei pra fora minha madrasta disse:”Ai, ate que enfim… Prometo que não vou olhar. Relaxa ai.” A Cris me olhava, sorria, colocava a mãozinha e tirava rápido… Ai eu comecei a ficar duro. Dei umas punhetadas, ai minha madrasta disse:”Poem a mão dela. Mostra como é. Mostra como se faz!” Eu meio ofegante, falei: “ta bom… ta bom” Peguei a mãozinha dela e coloquei no meu pau… Ela começou a fazer movimentos como se ele fosse uma boceta. Ficava só passando a mão pra cima e para baixo, ai eu fiz ela fechar as mãos e me punhetar… Eu estava duro feito pedra, comecei a relaxar. Cris ficava me punhetando e olhando pra minha madrasta, eu já estava maluco so com a punheta, ai minha madrasta diz:”Vai logo com isso vocês dois… poem ela pra chupar.” Quando ela terminou a frase, a Cris começou a lamber meu pau… Nooossaaa… Eu quase bati a cabeça no teto do carro, me arrepiei inteiro. Que sensação incrível, pqp! Ela começou pela cabeça, lambia freneticamente, depois começou a colocar dentro da boca e mamar… Ela mamava, lambia e punhetava. Meu pau sumia na boquinha quentinha dela, nossa que loucura…
O primeiro boquete da minha vida. Ja tinha batido punheta, ja tinha gozado muito lendo contos, assistindo filme pornos, lendo HQs, mas nada era tão bom quanto a chupadinha da Cris. Quando ela parava, eu forçava a cabecinha dela de volta, ai ela fazia:”hummm, naunnnn… Espera!” Minha madrasta dizia:”Faz só mais um pouquinho, ja ta acabando.” E ela voltava a chupar. So sei que quando gozei, estava na porta da minha casa, com minha madrasta no banco da frente se masturbando, e Cris assustada com a reação do meu gozo… Minha madrasta começou a rir, e me disse meia ofegante:”Pronto Brunão… agora esta no meio do caminho pra perder esse cabaço!” E deu uma gargalhada sacana. Cris Lohane me olhava e ria com as mãozinhas abertas de nervoso por ter caído porra nos seus dedinhos, eu ainda em estado de êxtase, abracei ela, rimos juntos e ela limpou a mãozinha na minha calça.
No outro dia eu fui para a escola, quando estava quase na hora da minha saída recebo um wpp da minha madrasta que dizia: “Não vai pra loja… vem pra casa!” Da minha escola pra minha casa é mais perto, do que da escola pra loja, então fui rapidão. Quando cheguei la era umas 13:00h e minha madrasta não tinha levado a Cris pra escola, meu pai foi buscar mercadoria, e depois ia pra loja, então, só estava a gente em casa. Minha madrasta usava um vestido longo meio hippie chique estampado, Cris Lohane, usava um vestidinho preto com gira-sois bordados e uma cross branca. Cris estava sentada no sofá de três lugares, e minha madrasta no de dois… Sentei ao lado da minha madrasta, e ela me disse para eu sentar ao lado da menina. Sai do meu lugar, e fui para o sofá ficar ao lado da Cris, olhei pra ela, ela sorriu e minha madrasta disse: “Faz um carinho nela, Bruno. Ontem ela fez em você, hoje você faz nela!” Eu meio sem graça comecei a passar a mão nas pernas da Cris… Meu pau começou a ficar duro, e minha madrasta olhando. Comecei a passar a mão na bucetinha dela… nossa, que delicia, bem quentinha… Eu nem sabia o que estava fazendo, mas eu estava gostando e sentindo tesão. Cirs arreganhou as perninha colocando os pés em cima do sofá… E minha madrasta olhando. Eu siriricando meio de mal jeito, e a Cris Lohane me olhava e se ajeitava pra me ajudar a encontrar o lugar certo… Minha madrasta me diz meio brava:”Tira a calcinha dela Bruno!” Eu tirei, a menina me ajudou e aproveitou e tirou suas cross… Eu continuei siriricando e Cris me olhava, olhava pra minha madrasta no outro sofá e ficava mexendo no controle da televisão. Minha madrasta perguntava:”Ta gostando meu amor?” Cris mexia no cabelo de um jeito inocente e dizia que sim… Ai minha madrasta afirmava:”Mas comigo é melhor, né?” E sorria… Cris Lohane só acenava positivamente com a cabeça. Nesse momento minha madrasta diz:”Começa a chupar ela, Bruno. Assim ó!” Veio ate mim, levantou o vestidinho dela dizendo:”Ele num sabe bonequinha, vamos ensinar pra ele.” Deu um beijo na barriguinha dela, foi descendo com uma lambida, e foi pra bucetinha da Cris…Nossaa a menina deu uma arrepiada, se contorceu inteira, os dedinhos dos seus pés se contraiam, mexia os quadris sutilmente, ela respirava pela boca ofegante bem lentamente dando suspiros, sorria bem assanhada, fechava os olhinhos e rangia os dentes de vez em quando… minha madrasta dizia: “ó bruno, esta vendo? É assim, chupa com calma, lambe ela todinha bem devagar. Nossa bonequinha vai ficando bem molinha. Você gosta de carinho,néh?” Perguntou pra Cris, e ela acenou com a cabeça positivamente, sorriu, e disse sim. Enquanto minha madrasta falava, ia passando o dedo na bocetinha dela toda babada e enfiava o dedo mindinho no cuzinho da Cris… Minha madrasta chupava, e começou a tirar sua calcinha, e eu ali do lado com o pau duro. Ela me olhou e disse para eu abaixar minhas calças.. Eu sem graça, fiquei meio resistente, mas desci a calça, fiquei de cueca, e passando a mão no meu pau… Do nada minha madrasta agarrou meu cacete, eu levei um susto, chega dei uma broxada. Num tinha tesão algum nela, sei lá, mó estranho… Mas ela pôs meu pau pra fora e começou a me punhetar. Pqp…meu pai tava bem. Ela punhetava muito bem, fazia direitinho, parecia eu mesmo, eu ali me contorcendo com ela me masturbando, ela chupando a Cris Lohane do meu lado e tocando uma siririca com a outra mão. De repente ela pulou no meu cacete e começou a chupar… Caraalhooo, não tenho palavras. Acho que ate chorei! Foi muito boom, muito bom mesmo, me deixou doidão. Chupou, chupou, me punhetou ai teve um momento que ela parou e disse:”Agora chupa a Cris, vai… do jeito que te falei.” Meu irmão… eu não pensei duas vezes… Cai de boca na menina. Ela foi pro sofá, ficou fazendo carinho na Cris, chupando os peitinhos dela, e me dizendo o que eu deveria fazer: “isso, com calma… deixa bem molhado… faz sua língua percorrer toda essa boceta. Acha o grilinho dela com a língua e capricha na chupada quando achar… não tenha nojinho de se afogar na baba… enfia o dedo no rabinho dela bem devagar” Entre uma dica e outra ela interagia com a Cris, dizia:”Você gosta, né bonequinha… gosta que chupem sua bocetinha? Ta Gostando de ter mais gente pra brincar com voce, né?” E Cris Lohane sorria e murmurava ofegante:”gosto, éh…Uhumm”. Minha madrasta:”Você gosta de mordidinha…hum? gosta de tapinha na bocetinha, gosta? Diz do que você gosta, que ele faz!” E eu ia reproduzindo o que ela ia dizendo: dei umas mordidinhas na parte inteira da coxa, uns tapinhas na bucetinha, coloquei o dedo no cuzinho dela, e me masturbava, claro. Minha madrasta pegou seu vibrador, o mesmo que vi no banheiro da loja, e começou a se foder com aquilo, e olhando eu chupando a Cris…
Fiquei mais a vontade, ja estava entendendo o timing, então ela se escorou na outra ponta do sofá e ficou assistindo a gente. Eu comecei a passar meu pau na bucetinha dela, fazia igual ela estava fazendo com o dedo. Colocava pressão, e esfregava, tentava empurrar mas não entrava. Olhava pra minha madrasta ela cheia de tesão ficava me mandando “ir”, dizia:”Vai Bruno, come ela gostoso… Tenta o cuzinho, ja esta laceado” Eu maluco de tesão comecei a esfregar na bucetinha e a empurrar no cu… Depois da quinta ou sexta vez, começou a entrar… Nossa que delicia foi ver meu pau comendo aquele cu… Cris tentava olhar, fazia uma carinha de dor, me olhava, olhava pra minha madrasta, e eu metendo… Minha madrasta dizia:”Agora vai empurrando com calma… Isso garoto, bem gostoso!” E eu empurrando… Meu pau num é muito grande, e minha madrasta já tinha enfiado alguma coisa nela, então ela aguentou bem… Mas estava apertado, quente… fazia umas contrações muito gostosas… Ate que entrou tuto! Eu abri um sorriso e comecei a fazer os movimentos de entra e sai… Eu metia e estimulava a bucetinha dela com meu dedão… Cris Lohane ficava quietinha, só me olhava, fazia umas carinhas de dor e segurava seus pézinhos toda arreganhada, as vezes mexia o quadril… Minha madrasta dizia se masturbando:”Tira do cuzinho dela, passa o pau na bocetinha, e volta pra bundinha! Você gosta, né bonequinha? Ele esta te fodendo, ta gostoso, néh?” Nesse momento se aproximou e ficou do lado da Cris passando o dedo na bucetinha dela. Eu fazia o que ela tinha mandado… Esfregava na boceta e voltava a enfiar no cuzinho. Em um dado momento, quando fiz isso, ela pegou no meu pau e disse:”faz assim, ó” E pressionou meu pau no grilinho da Cris, e balançou bem rápido de um lado pra outro, como se fosse um vibrador. Cris reagiu na hora, deu uns suspiros, respirou fundo, abriu a boquinha como se fosse dizer alguma coisa, sorriu, e minha madrasta disse:”é bom néh, minha linda, você gosta!?” E deu um beijo na boquinha dela, chupando seus beicinhos. Eu vi o efeito que causou e continuei fazendo… Cris Lohane me olhava nos olhos, dava umas reboladinhas e sorria. Em um dado momento, minha madrasta diz pra Cris virar, e ficar de quatro pra mim, quando ela virou, aproveitamos, e tiramos o vestidinho dela por completo… Ela ficou de quatro peladinha, eu fiz um carinho, dei mais umas chupadinhas enquanto Cris chupava os peitos da minha madrasta, esfreguei meu pau na bucetinha dela com força, e empurrei meu pau no rabinho dela de novo… Ela de quatro, deu uma gemidinha de dor e surpresa… Aquela bundinha pequenininha na minha frente, e eu metendo bem gostoso, fiquei ali um minutinho ou dois e minha madrasta quis que ela ficasse no meu colo, de costas pra mim, escorada no meu peito, de frente pra ela… E assim fizemos. Sentei no sofá sem tirar meu pau de dentro daquele cuzinho, e nos acomodamos. Cris no meu colo ficou cavalgando devagar, se mexendo bem gostoso… Apoiava os pés nas minhas coxas e se movimentava… Nossa, eu estava pra gozar, que delicia. Eu fazia o movimento de entra e sai, e Cris fazia a parte dela… Que novinha safada…
Minha madrasta, sentou na nossa frente, ficava se masturbando, beijando os pés e a panturrilha da Cris, e dizendo:”nossa, como vocês dois são putinhos, que delicia.” Eu gemia, que parecia um porco no abate… Pra melhorar minha madrasta começou a chupar a bocetinha da Cris enquanto ela rebolava no meu colo… Pqp, que gostooooooo! Cris se contorcia inteira, rebolava, se contraia, seu cuzinho apertava meu pau de um jeito inacreditável. É quente e molhado ao mesmo tempo, uma delicia de sensação. Cris levantava os pézinhos, os coloca nos ombros da minha madrasta, passava a mão no cabelinho, virava o rosto, e me olhava… Ai eu mesmo sem saber, comecei beija-la… Chupava seu lábio inferior e ela dava sorrisinhos tímidos sacanas e estéricos, e murmurava bem baixinho uns sons que nem sei descrever. Rebolava a cinturinha, segurava minha mão… E minha madrasta chupando, com força e vontade enquanto se masturbava… Em uma determinada hora, Cris fez um movimento brusco e meu pau saiu de dentro, minha madrasta sem pensar, caiu de boca, me punhetou e colocou de volta, ai eu não aguentei… Dei mais umas três bombadas, e gozeeei feito louco… Parecia uma torneira aberta… Gozei litros naquele cuzinhio! Quando gozei a Cris disse: “Ai… Quero fazer coco”. E colocou a mão na barriguinha! Minha madrasta me disse: “corre pro banheiro com ela sem tirar o pau de dentro, se não, corre o risco dela cagar a casa inteira”. PQP… Eu sem força pra levantar um garfo depois da gozada que dei, tive que correr com a garota no colo ate o banheiro com a rola quase mole dentro. Parecia uma gincana. Merda! Mas assim eu fiz… disse pra ela se segurar, e corri pro banheiro… Antes de chegar meu pau saiu de dentro, mas a putinha segurou. Conseguimos chegar no vaso e ela fez o que tinha que fazer.
Depois, fui pro meu quarto, tomei um banho, me olhei no espelho convicto de que não era mais cabaço, e o melhor: Comi um cuzinho virgem! A bocetinha ficou para outro momento. Nos arrumamos, paramos pra comer alguma coisa, e fomos pra loja… Rotina de sempre, porem, dessa vez eu tinha a experiencia de ter fodido com alguém. Depois parei pra pensar se minha madrasta não tinha abusado do filho e por isso que ele era gay… Dei uma pesquisada, falei com uma galera em uns fóruns e muitos gays, assumidos, me disseram que não tem nada a ver, que ele poderia ter sido abusado sim, mas que não influenciaria a esse ponto. A conclusão que cheguei é que provavelmente, no caso dele, o possível abuso não pode ter sido um fator determinante para a homossexualidade, porem, como ele não se dá muito bem com a mãe, creio que tenha acontecido, e ele guarda magoas ate hoje. No caso da Cris Lohane, eu realmente vi que ela gosta, que sente prazer, não sei se ela chega a gozar como uma mulher mais velha, mas tenho certeza que ela gosta. Pesquisei sobre isso também, e me parece que existe uma tal de “inicialização sexual precoce” que consiste em crianças se manifestarem sexualmente desde cedo. Mas agora fico me perguntando: Será que se ninguém estimular ou se aproveitar da situação, e tratar isso como uma coisa natural da idade, o interesse pelo próprio corpo e tal… Será que passa ou todas as crianças que tem essa característica esta condenada a se iniciar muito cedo no sexo?? Enfim… não sei. O que sei, é que pra mim foi bom, e continua sendo. Depois conto como comi a bocetinha da Cris Lohane!