Fui estuprado pelo primo


Click to this video!

Hello, Hello.. Bom.. não sei pq mas eu sempre gostei de ler contos de estupro.. creio que isso veio após uma experiência meio traumática e excitante que rolou cmg a muito tempo atrás.
Eu sempro fui um garoto magrinho, baixinho, quietinho, inocente, eu ainda não estudava nessa época, então quando minha mãe saía para levar minhas irmãs na escola (que era mto longe) ela me deixava com a minha avó paterna, (o que foi irresponsável, pois minha avó era alcoólatra e não cuidava nem dos filhos, e pra piorar tinha um tio que morava com ela que era um assassino, ele matou dois de seus irmãos por pura bobagem, dinheiro, mulher e inveja!) Definitivamente não era uma boa idéia deixar um garoto de 5 anos ali.
No fundo do terreno morava um outro tio (que tbm foi morto pelo outro tio um tempo depois) enfim, esse tio era casado, sua mulher trabalhava o dia todo, e ele tbm, ele operador de maquinas e ela faxineira, eles dois tinham dois filhos, mas um deles era só de criação, eles já eram adolescentes nessa epoca, Rodrigo (o adotado) tinha 14 anos, e Lucas que tinha 16, chamávamos ele de “Ponêi” (um jeuto caipira de se fala “Japonês”)só por causa dos olhos puxados, mas na vdd ele era meio índio, tinha cabelo preto bem liso era baixo era gordinho e sem nenhum pelo no corpo, sua pele era bem avermelhada e escura tinha mãos e pés grandes. Enfim, certo dia como rotina eu ficava na casa da vó os tios que moravam no fundo ia trabalhar e os meninos iam pra escola, mas nesse dia o lucas matou aula, estava sozinho em sua casa, minha avó e meu tio estavam bebados dormindo, eu assistia desenho no quarto, De repente o lucas apareceu na cozinha e sem dizer uma palavra me chamou com a mão, inocente eu fui, ele me levou até sua casa fechou a porta e me disse:
– Você quer brincar?
Respondi
– Sim, peraí que eu vou lá buscar meus brinquedos!
Ele me segurou pelo braço e falou
– Não! Eu sei de uma brincadeira nova, só que você não pode contar pra ninguém!
Inocente eu concordei com a cabeça, aí ele
– Você faz o que eu mandar e em troca te dou uma colher de leite em pó, beleza?
Bom eu era bem vermento nessa epoca, lemvro ki comia açúcar puro, achocolatado tudo que era doce!
Nisso ele me levou até o quarto de seus pais, me colocou contra parede e se sentou na cama atrás de mim, aí abaixou minha bermuda e passou a alisar meu bum bum, com saliva nos dedos grossos ele massageava meu rabinho virgem, ele tirou o pau pra fora e me pediu pra olhar, nossa, era grande grosso duro e quente! Ele disse pra mim
– pode por a mão!
Aí eu coloquei, era muito estranho aquele negócio, o que seria? Ele colocou a mão na minha e me ensinou a bater punheta pra ele, enquanto isso ele com a mão na minha bunda, depois me pediu pra chupar o pau dele, era enorme pra uma boquinha, era mais grosso ki minha canela, eu tentava mas n dava, aí eu só passava a língua pra cima e pra baixo, ele parecia gostar, mas aquilo n tava sendo “divertido” pra mim, ele então me pôs de costas e pediu pra abrir minha bunda, ele passava o pau no meu cu tentando entrar, mas era muito difícil, lambuzou meu cu de saliva e nada, então ele só batia punheta, mas não desistiu, me pediu pra vir pra trás de vagar, empurrando devagarinho, até que entrou a cabeça, doia muito, aí ele disse
– quietinho, só vai doer um pouquinho, eh rapidinho!
Aí tapou minha boca e começou a meter, isso sem por o pau todo neh, pois se.. Iria sair pela minha boca, eu era mto raquítico, continuou a meter e depois de um tempo, já não doía mais, aí ele falo
– vamo lá ver se tem alguém vindo
Sem tirar o pau, se não ía “fechar o portal” ele me levou a sala com o pau no cu, olhou pela janela e não viu ninguém, depois me levou a cozinha e deu uma colher de leite em pó, pra me “satisfazer” até a hora que terminar a “brincadeira”, ainda com o pau no cu ele passou a meter mais rápido e pedia pra eu ficar de quatro, ele me pedia pra gemer que nem uma menininha, aí eu senti vários jatos dentro de mim, ele tinha gozado no meu cu, depois levou me ao banheiro me limpou com papel higiênico, me deu mais uma colher de leite em pó e disse
– não conta pra ninguém viu?
E eu
– tá, a gente pode brincar de novo?
Ele
– Vamo ver…
Depois eu voltei pra casa da vó e continuei assistindo desenho como se nada tivesse acontecido! Realmente eu não sabia o que ele tinha feito, só na adolescência, mas aí, já tinha passado 9 anos, fiquei assustado tentando entender!
Hoje eu tenho 20 anos, sou gay, ainda magro e baixo, quietinho, mas inocente? Nunca mais, faço de tudo pra ser estrupado, sonho em poder dar pro meu primo outra vez, hoje ele eh casado com filhos e td, mas ainda sim, se eu voltar vê-lo eu vou seduzi-lo, qro por chifres na vadia da mulher dele!