Fui estuprado na Juventude por um Boiadeiro

Click to this video!

Ola pessoal, hoje vou compartilhar com você uma historia que aconteceu comigo quanto eu tinha uns 13 anos de idade, eu e um amigo meu o Antonio costumávamos pegar esterco de boi num mangueirão que havia na cidade, a gente vendia para colocarem em jardins, os bois chegavam de trem todas as Terças Feiras e as Quintas Feiras, tinha um matadouro na Cidade, os boi era confinados no mangueirão ate levarem para o matadouro, e sempre ficava um boiadeiro tomando conta dos bois, e assim acabamos fazendo amizade com o Otávio e o Paulo dois boiadeiro.

Eu e o Antonio eramos grandes amigos, e nisso acabamos se envolvendo sexualmente na famosa troca troca, eu era uma garoto bonito, umas pernas grossas lisinha, uma bunda saliente cordinha, muito gostoso, e gostava de usar calção bem apertadinhos que deixava transparecer bem a bunda, na troca troca eu mais dava do que comia, o Antonio era esperto sempre me comia primeiro e depois não queria dar, eu também não me importava gostava mesmo de dar, o pinto dele não era grande nem grosso, mais entrava ele gozava dentro, eu gostava.

Um dia no mangueirão o Otávio já um senhor de uns 50 anos mais gente boa, forte, grisalho, queimado de sol, rude, umas mãos grossas, cheia de calos, ásperas, uns dedos grossos compridos , a mão parecia uma raquete, chegou para mim e disse vem aqui mais tarde sozinho lá pelas 20 horas, eu muito inocente fui, no mangueirão tinha uma casinha com um quarto e banheiro onde eles ficavam, cheguei lá ele me levou para a casinha, ficamos conversando, estava calor, eu só de calção sem camisa, ele tirou a roupa dizendo que iria tomar um banho, nossa não acreditei ele tinha uma rola enorme pelo menos pelas que eu já tinha visto, fiquei vidrado, ele percebeu, foi tomar banho, voltou pelado e com o pinto já meio duro, se enxugando eu não tirava os olhos do pinto dele, ele então perguntou gostou, eu fiquei sem saber o que responder, ele pegou na minha mão e colocou no pinto dele, fiquei brincando batendo uma punheta, ele então disse da uma chupadinha dá, eu nunca tinha feito isto, fiquei com nojo, mais ele insistiu eu acabei colocando a boca, não tinha pratica, então ele me deitou na cama com a bunda para cima e começou a chupar o meu cu, nossa outra experiência que eu ainda não tinha feito adorei muito gostoso, relaxei, ele foi colocou um dedo no meu cu eu deixei colocou dois, passou vaselina, ficou sentado na minhas pernas e pincelando o pinto no meu cuzinho, nossa que delicia, eu fiquei completamente relaxado, ele então empurrou nossa que dor, uma rola grossa me arrombando, tentei sair fora ele não deixou ele dizia calma relaxa, o meu cu ardia eu me mexia, cada vez que eu me mexia entrava mais, eu ficava rebolando ai o prazer passou ser melhor que a dor, eu sei que foi todinha ele então bem devagarinho deitado sobre o meu corpo tirava e colocava trudo ate que encheu meu cu de porra, nossa quanta porra, me dava mais tesão que ele me chamava de putinha, que cu delicioso, maravilhoso sentir a porra quente jorrando dentro que delicia, fui embora com o cu ardendo, chegou ate sangrar, mais foi gostoso.

No dia seguinte eu fui de novo, ainda estava meio dolorido mais o tesão era maior que eu fui, só que cheguei lá o Paulo também estava, eles iriam levar os bois naquela madrugada, o Otávio me levou para a casa, eu disse a ele o Paulo esta ai, ele disse não tem problema, eu doido para foder acabei me entregando, nossa doeu muito, mais ele conseguiu colocar tudo dentro, Otávio já com a rola toda lá dentro do meu cuzinho, entra o Paulo, já pelado e com uma rola quasse do mesmo tamanho cabeçuda, eu deitado na cama o Otávio me puxou me colocou de quatro e o Paulo veio colocou a rola na minha boca, nossa mal cabia a cabeça na minha boca, o Otávio dizia isso putinha chupa gostoso a rola dele chupa, aquilo me dava o maior tesão, o Paulo também dizia isso sua vagabunda chupa gostoso e batia devagarinho na minha cara, eu gemia, o Otávio começou a dar tapas na minha bunda, nossa o Paulo acabou enchendo minha boca de porra, quasse me engasguei, senti um novo, e sem poder tirar o pau da boca acabei engolindo aquela porra todinha, quasse vomitei, e o Otávio gozou no meu cu, o Paulo foi e meteu a rola no meu cu e bombava forte acabou gozando de novo, fiquei com o cu cheio de porra, quando fui no banheiro parecia que eu estava mijando pelo cu de tanta porra que saia, que delicia, ai passei a foder com eles todas as vezes que vinha bois, fiquei bem uns 8 meses fodendo com os dois, ate que eles foram embora da Cidade.

Depois disso o meu relacionamento com o Antonio deu uma melhorada eu chupava o pinto dele também, ele gozou na minha boca, metia na minha bunda, ele gostava de me foder, um dia estávamos na casa dele, sua mãe não estava ele estava me fodendo, bateram na porta, ele disse fica ai vou ver quem é, eu fiquei pelado deitado na cama, ele veio ficou na cabeceira da cama, mandou eu chupar o pinto dele, eu não perguntei nada sobre a porta, de repente senti uma coisa pincelando o meu cu, e senti algo molhado, era um primo dele Fernando, que lambuzou o meu cu de creme Rince de cabelo e começou a pincelar o meu cu, eu fiquei assustado, o Antonio disse e meu primo pode ficar sossegado, eu relaxei, nossa quando ele empurrou, caralho doeu, apesar de eu estar já bem arrombado pela a rola dos boiadeiros, mais sempre a primeira entrada doí depois laceia, mais a rola do Fernando nossa era maior e mais grossa, mais entrou ele fodeu para caralho, o cara demora muito para gozar, ficou um bom tempo com a rola entrando e saindo do meu cu, cara novo, a rola dura que nem pedra quando batia lá dentro nossa doía muito, eu gozei muito neste dia, foi maravilhoso, com o Fernando nossa fiquei um bom tempo metendo com ele, numa outra oportunidade eu conto uma outra passagem com o Fernando mais depois de uns anos. espero que tenham gostado.