A cadelinha favorita do meu padrastro


Click to Download this video!

Fui apaixonada por meu padrasto. Até hoje adoro vídeos de incesto, pois eu me vejo neles. Aprendi mto com o Felipe. A visão de família que tenho é de dois provedores financeiros. Minha mãe é enfermeira, sempre teve uma vida voltada para os pacientes no hospital. Meu pai administrava uma imobiliária. Eles nunca se deram mto bem. Ele sempre foi machista e ríspido. E minha mãe sempre buscava contornar os comportamentos do meu pai para a “família” ficar tudo bem. Admiro mto ela. Contudo, após sucessivas traições minha mãe se separou do meu pai, quando eu tinha 15anos. Eu fiquei com ela. Após alguns meses, começaram aparecer alguns namorados, nada mto sério. Infelizmente, o que eu notava era que eles apenas queriam dormir com ela e nada mais. Dava pena dela. Todos os namorados dela eram a mesma merda para mim. Sempre com a mesma historinha: gosto muito da sua mãe, vc é tão bonita, sua mãe fala mto de vc, blablabla.

Entretanto, ela finalmente acertou. Eu devia ter já 16 anos, eu acho. Ele era alto. Tinha 42anos. Corpo de velho. Era meio gordo. Alguns cabelos brancos. Tinha cara de mau. Barba bonita. Voz bem forte. Braços fortes. Eu confesso que achei Ele bonito. Atraente. Foi uma conexão que eu não sei explicar. Eu não sei explicar de verdade. A primeira vez que eu o vi, Eu, mamãe e Ele fomos ao shopping. Eles já tinham saído antes, provavelmente, já tivessem até fodido.

Depois de uns meses, eu e minha mãe fomos morar na casa dEle. Ele já tinha filhos do casamento que terminou, mas não moravam com Ele, pois já eram grandes. Inicialmente, não gostei da ideia de ir p outra casa, deixar o bairro, a escola, meus amigos mais próximos. Mas como eu teria um quarto só pra mim e tava decoradinho, comecei a mudar de ideia. Ele trabalhava home office, e minha mãe é enfermeira. Então, eu passava um bom tempo com Ele em casa quando minha mãe tinha escala longa na clínica.

Para falar a verdade não lembro bem como começou nossa ligação. Acho que desde o primeiro dia que cheguei na casa nova, nós já nos abraçávamos mais fortemente. Ele me beijava, tocava meu rosto, pegava meus cabelos (são lisos, um pouco abaixo dos ombros). Eu, na verdade, adorava quando Ele me pegava forte, pra abraçar, beijar no rosto. Eu me sentia protegida E também amada. Lembro de uma das primeiras noites Ele tava assistindo a um filme. Mamãe tava no trabalho. Eu saí do quarto e fui a cozinha. Passei na sala Ele tava lá. Eu pensei, poxa, Ele nem sabe que vai ter dias solitários morando com minha mãe. Ela é viciada em trabalho. Ele me chamou para ver o filme. Ok. Eu sentei ao lado dEle. Com os pés no sofá tbm. Aí Ele disse se eu tava com medo porque tava distante dEle. Meu coração ficou batendo forte. Eu tbm tava com um pouco de medo, nervosismo, não sei explicar. Mas eu fiquei mais próxima. Ele me abraçou. E apos, rapidamente, me colocou sentada no colo dele de frente para Ele. Ele era tão forte. a forma como Ele me pegou dava medo, mas ao mesmo tempo dava sensação boa de desejo. De querer Ele. Ele então, sem dizer nada, apenas olhando nos meus olhos colocou as mãos embaixo da minha blusa e tocou meus seios. Ele massageava meus peitos, e, depois de um tempo, com a ponta dos dedos começou a apertar o bico dos meus peitos. Era uma dor misturada com tesão. Eu fechei meus olhos e sorri. Ele perguntou se eu tava gostando Eu só respondi: muito. Ele riu e falou: minha cadelinha. Depois Eu beijei Ele. Era tão bom. Ele beijava tão bem. Ele chupava minha língua. Mordia meus lábios. Ninguém tinha me beijado daquela forma, eu só tinha dado beijo normal. Mas no sofá Ele pegava nos meus cabelos e puxava um pouco enquanto me beijava o pescoço. A barba dEle me tocando dava uma sensação mto gostosa. Ele tocava minhas coxas. Ele tinha mãos fortes. Só de tocar eu sentia algo quente entre minhas pernas. Depois Ele tirou meu pijama e me deixou só de calcinha, e então me sentou no sofá, e abriu minhas pernas, eu já estava molhada, claro, e Ele deve ter visto o molhado na calcinha. Depois começou só passar os dedos eu ainda vestida. Fazer carinhozinho. Eu fechava minhas pernas, mas ele abria e falava algo, como… vc tá gostando, goza pra mim. Beijava minhas coxas, e então Ele afastou um pouco a calcinha e me viu toda encharcada e só passou o dedo e fez carinho que ficou mais molhado e colocou em minha boca p eu chupar. Eu chupei. Nesse momento eu já queria q Ele tirasse, arrancasse toda a calcinha. Ele com a calcinha afastada lambeu minha ppka e entao, eu fechei minhas pernas na cabeça dele. Depois Ele retirou minha calcinha jogou no chão e começou a fazer o que eu queria tanto. E fui saber que era a coisa mais prazerosa do mundo: a boca, língua, dedos e vontade do cara querer dar prazer pra mulher. Depois ele me fez muitos carinhos naquela noite. Eu fodi com ele naquele dia depois na cama da minha mãe. Ali eu perdia totalmente minha pureza. Eu passaria a ve-lo como um proprietário do meu corpo e eu como um objeto para Ele. Eu me apaixonei mais por Ele. E tive uma surpresa já naquele dia: eu queria ser a cadelinha dEle. Eu nunca tinha tocado um pau. Ele estava se tocando primeiro, no sofá, e então disse para eu tocar no pau dEle que Ele gostava. E eu toquei. Fiz carinho na cabecinha somente com a mão. Depois ele disse que ia ficar melhor se eu colocasse na boca. Ele sentado no sofá eu fiquei de joelhos na frente dele. Não olhei pra Ele…abri minha boca, mas aí Ele disse: primeiro lambe bastante, cadela. E então eu lambi meus lábios para ficarem molhados, acumulei um pouco de saliva na boca abaixei meu rosto.. olhei pra ele. segurei na base do pau dEle eu dei uma lambida de perto da minha mão até a cabeça. Aí Ele disse que era assim..mas tinha que lamber mais. E ir na cabeça. E então, eu lambi tudo. Deixei tudo molhado. E girava minha língua na cabeça do pau dEle. Era gostoso. Ele gemia e fazia uma carinha mto linda, tão bom olhar pra ele e ver q ele tava gostando. Eu adorava tá deixando Ele assim. Ele ainda pediu para eu (que pensei que era algo mal educado se fazer) cuspir no pau dEle e lamber. E eu fiz. Ele forçava minha cabeça no pau dEle. E Ele dizia as vezes: oh o dente cadela. Era desconfortável Ele pressionando minha cabeça, mas eu me sentia poderosa. Depois Ele disse pra eu abrir a boquinha que tinha leite pra mim, e de joelhos e Ele de pé colocou tudo aquilo na minha boca. E disse: agora engole tudo pro papai, cadelinha. E eu fiz. Só que, não sei se proposital, caiu um pouco de porra no chão, e Ele disse para eu lamber. Pois cadela sabe satisfazer plenamente. E eu lambi. Sim. Eu de quatro, baixei e coloquei minhas duas mãos no chão e fiquei lambendo como uma cadela de verdade a porra no chão.

Estando com Ele…Ele também gostava que eu andasse de quatro em casa sem roupa. Agisse feito uma cachorra. Lambesse o pé dele. O chão de porra. Se eu não tomasse todo o leitinho dele (sempre engoli) e caísse um pouquinho no chão ele fazia eu ir lamber tudo do chão. Ele gozava no meu rosto, várias vezes chorei com aquilo nos olhos. E ele gostava..sorria e se divertia. As vezes Ele gozava no chão, de propósito, só p eu lamber. Ele dava comida e água em potes no chão para eu comer. Queria que eu “desse a patinha” para Ele. Comprou uns brinquedos para usar enquanto a gente fodia. Era maravilhoso. Ele gostava. Começou a pagar sessões de depilação para mim. Eu deixava do jeito que ele quisesse. Parecia que meu prazer tbm era deixar Ele feliz. Comprou uma coleira pra mim. Usava pra me prender e andar cmg em casa, mas tbm pra friccionar no meu clitóris e bater na minha ppka, bunda. Pedia que eu ficasse de joelhos com patinhas levantadas igual de cachorro e com língua para fora. Que eu latisse. Que eu fizesse xixi e coco para ele ver tudo. Que eu babasse em mim. Ele prendia minha língua ou minha boca, de forma que formasse mta saliva e eu ficasse toda babada. Gostava de umas coisas também, como..Deixar meus seios ficarem vermelhos, marcados, com cera derretida de velas; pepeka ficar inchada, vermelha, dolorida com grampos, batida com cinto e coleira e coberta de cera derretida de velas e meu clitóris ficar preso com grampos. Prender meu pescoço até eu ficar um pouco sufocada. E com rosto vermelho e cansada. Amarrar meus braços, pernas, meu corpo. Bater na minha bunda até ficar marcada. Dar tapas no meu rosto. Chegou um ponto que eu não sabia distinguir dor de tesão. Eu fiz mtas coisas com Ele. E não me arrependo. Amava Ele. Eu me satisfazia tanto quanto ele. Eu só posso agradece-Lo por me tratar daquela forma.
Anal deve ter sido na segunda ou terceira vez. Ele gostava. E eu passei a gostar. E pedir sempre. Dava sensações gostosas, arrepios, eu me sentia a cachorrinha dEle de verdade. Ele ensinou como fazer pra limpar. E deixar como ele gostava. Eu de quatro implorava para Ele socar tudo. E bem forte. Bater na minha bunda. Comer meu rabo. Arrombar meu cuzinho. E eu gostava, eu me sentia amada e protegida. Eu me sentia a menina mais poderosa, gostosa e perfeita. .
Acho que chegou um tempo que não dava mais p disfarçar, Ele sempre me protegida, sempre eu era a certa…minha mãe era a errada. Eles brigavam. E depois, parecia que Ele vinha comigo para descontar a raiva da minha mãe. Mas Ele fazia tudo pra mim. Acho que ele falou algo pra minha mãe, principalmente, depois do episódio que o cachorro me fodeu, e eu passei mal. Mas ela nunca comentou nada comigo. Ela nunca falou em separação dEle. Ela devia gostar dele. Quem não gostaria? Eu sabia que eles fodiam…dava ciúmes sim. Eu achava que ele me amava. Que ele preferia a mim a minha mãe. Ele já era, tipo um namoradinho meu. Eu ate chamava Ele de namoradinho, as vezes. Ele nunca disse eu te amo. Mas eu sempre falava. E ele gostava. Mas ações são melhores que palavras..ele me ensinou isso!
Claro, eu nunca podia falar de nenhum garoto ou fazer algo que Ele não gostasse. Ele sempre pegava pesado, caso fosse contrariado. Ele dizia que eu era uma arrombada filha da puta, que ninguém ia querer ficar cmg, que eu era um lixo. Era nojenta. Se eu ficasse com um cara ele ia mostrar fotos, videos meus ao cara. E nenhum cara ia querer nada sério cmg porque eu era uma puta sem valor. Eu sempre chorava e implorava para Ele me amar e nunca nos deixar. Ele sempre se fazia de vítima. Eu me sentia mal. Eu sempre tinha que fazer uma declaração bonita para no final Ele me comer gostoso, me perdoar e a gente ficar bem. Eu adorava Ele. Amava mto .
No momento de prazer, loucura..eu não sentia nenhuma dor por minha mãe. Nada msm. Eu só sentia ele. Desejo. Prazer. Só quando eu a via e conversava com ela, olhava no rosto dela eu sentia sim…eu me sentia uma traidora, uma covarde, uma infeliz. Depois da primeira noite com ele, eu já estava mto envolvida. Eu queria Ele próximo de mim. Eu queria Ele. Queria fazer tudo com Ele. Quando Ele tava trabalhando numa sala na casa que era onde Ele trabalhava pra empresa…eu ia tirar a atenção dEle. Ele dizia que não podia naquela hora, mas sempre mudava de ideia. A gente ficava junto em toda parte da casa. No meu quarto, no quarto dEle, no escritório, na sala, na cozinha, tudo. Eu contava as horas pra sair do colegio e chegar em casa. A gente pouco falava da minha mãe. Não tinha tempo mesmo. Era prazer. Era diversão. Era desejo. Era sexo.
O cachorro dEle, chamado Ben, comeu minha pepeka. Certa vez. Eu fiquei com medo no início, quando Ele disse o que queria, claro, mas eu confiava nEle e fazia tudo por Ele. Então, Ele me convenceu. Ele Disse que queria mto ver um cachorro me comendo. E eu topei. Ele queria que o cachorro comesse meu cu, no momento eu aceitei, mas No dia, eu disse que queria que o cachorro fosse na pepeka e o cu depois eu dava pra Ele. Ele por fim aceitou. Eu adorei, Ele me tratou bem como sempre. Ele colocou Ben para lamber minha ppka. Nossa, mto gostoso. Incrível. Cachorro manda mto bem nisso. Eu recomendo. Aquela lingua gostosa aquele focinho. Depois eu fiquei de quatro e eu tive que chupar um pouco o pau do Ben (eu não qria, mas topei). Depois de um tempo…. Ele apoiou o cachorro nas minhas costas que já estava com tipo meias nas patinhas para que evitasse que as unhas do cachorro me machucasse mto. E depois direcionou o pau vermelho do cachorro pra minha buceta, e o cachorro foi socando, socando, socando, Ele pediu que eu chupasse o pau dEle, enquanto o cachorro bombava em mim..Foi mto gostoso. Chupar um pau e ter um cachorro fodendo vc, mto bom. Depois de um tempo.. do cachorro socar e socar eu senti algo abrindo dentro…nossa, nesse momento eu queria morrer…verdade. Eu chorei. Parece que vai rasgando por dentro. Fica tipo uma bola no pau do cachorro que fez ele ficar preso na minha buceta. É bom…é sim. Mto. Mas doi e dá vontade de sair um pouco, mas não dá pois o cachorro vai querer morder se tentar sair dele. Então, tem que aguentar. Ele ficou ao meu lado. É mto gostoso. Minutos depois o cachorro vai soltando… Sentindo todo aquele gozo saindo da buceta, escorrendo pelas coxas..é mta porra, mto mesmo… é gostoso demais. E eu lambi um pouco o chão de gozo de cachorro para Ele ver. Depois, dEle cuidar de mim. e ficar Como um paizinho falando coisas boas de mim, depois de ser arrombada por um cachorro. Como prometido. Eu como uma cadelinha que sou… Dei meu cuzinho para meu padrasto. Fiquei de quatro com a bundinha empinada pedindo para ele me comer forte. E me comeu perfeitamente! Só que a noite eu passei mto mal. Senti febre e dores. Ele me deu alguns remedios. Minha mãe precisou saber, pois a febre não baixava e as dores estavam insuportáveis, então ele ligou pra ela. Eu não fui à clínica. Fiquei em casa, minha mãe trouxe injeção e medicamentos que eu tomei, e depois fui melhorando. Ele sempre ficou ao meu lado. Como um bom paizinho que sempre foi pra mim!!
Contei isso para eu lembrar que eu conheci alguém maravilhoso. Felipe s2

Deixa teu comentário (críticas construtivas, pls) se chegar até o final kkkk. Tá grande, talvez eu precise ser mais concisa, além de colocar mais detalhes… 🙁