Abusada Pelo Professor


Click to Download this video!

Com 12 anos fui abusada pelo professor.
Era o último dia de aula e eu poderia ter passado de ano direto, se não fosse por uma matéria: matemática. O professor dessa matéria se chama Fernando, e deve ter uns 40 anos. Procurei o professor Fernando pela escola, boa parte dos alunos já tinham ido embora. Encontrei ele em um quartinho perto da quadra, onde guardavam os materiais pras aulas de educação fisica. Eu tinha cinco na matéria dele, e precisava de sete pra passar. Era quase impossível ele aceitar, mas não custava nada tentar.
—Professor Fernando…
—Oi, Bruna. O que quer?
—Você sabe… Eu preciso de dois pontos pra passar na sua matéria… Se não eu repito de ano.
—Hm… E daí?
—Não tem nada que eu possa fazer? Eu faço qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo!
—Sem chance. Se dedique mais no próximo ano.
Ele ia sair da sala, quando parou e deu meia volta, ficando perto de mim. Eu fui me afastando, até bater uma mesa.
—Qualquer coisa?
Eu só balancei a cabeça dizendo sim.
Ele voltou até a porta e a trancou, depois veio até mim e mandou eu tirar a roupa.
—Tira a roupa pra mim. Fica só de calcinha e sutiã, putinha.
Eu obedeci.
—Dá uma voltinha, quero dar uma boa olhada na putinha.
Eu fiz e ele mandou eu me apoiar na mesa, empinando a bunda pra ele. Ele ficou atrás de mim, eu ja podia sentir o pau duro dele me cutucando. Ele sussurrou no meu ouvido:
—Você precisa de dois pontos pra passar. Vou deixar você escolher os dois lugares que quer que eu goze. Bucetinha, boca ou cuzinho?
—B-Buceta e boca…
—Pede com carinho, minha putinha
—Fode minha bucetinha, goza nela e na minha boca, professor Fernando.
—Isso mesmo.
Ele atolou a calcinha na minha bunda e começou a passar a mão por ela. Apertando, massageando. Até que senti um tapa.
—Aii!
—Doeu, minha putinha? Você disse qualquer coisa, agora vai aguentar.
Ele continou dando tapas. Minha bunda já estava toda doída até que ele parou. Tirou minha calcinha e passou o dedo na minha bucetinha, que tava molhada de tesão.
—Tá molhadinha, é? Vadia. Nao adianta pedir pra parar, e se pedir não ganha a nota.
Tomei mais um tapa. Ele abaixou as calças e meteu. Doeu muito. Parecia ser grande e grosso, mas eu não podia pedir pra parar. Ele começou a se mexer mais rápido e batia mais na minha bunda. Continou assim ate que tirou o pau e gozou na minha bucetinha. A porra foi escorrendo pelas minhas pernas.
—De joelhos aqui.
Ele apontou e eu fui. Minha bucetinha ardia e doía, mas eu tinha gostado. Eu vi aquele pau e me assustei. Era grosso e grande, nao acreditei que aquilo entrou na minha buceta. Ele forçou minha cabeça pra perto do pau dele e eu coloquei na boca, tentando não usar os dentes. Ele controlava a velocidade com a mão enquanto me xingava de puta, vadia, safada e varios outros. Até que ele gozou.
—Engole tudo, putinha.
Eu engoli, o gosto era horrível. Comecei a tossir depois de ter engolido. Fiquei ali de joelhos enquanto ele vestia a calça e ia embora. Fiquei pensando sobre o que tinha acontecido. Me vesti e fui pra casa. No fim, eu acabei transando mais vezes com ele, so agora por vontade própria.

Fim! desculpe se o relato ficou muito curto, eu nao sei dar detalhes direito. mas espero que tenham gostado. Talvez eu poste minhas outras vezes com ele aqui. Tchau!