Perdi o medo dos novinhos 2!!!

Click to this video!

Para entender melhor meu relato leiam Perdi o medo dos novinhos!!!

Como disse no conto anterior, sou casado com uma mulher 8 anos mais velha que eu, que devido ao seu trabalho não é muito apta ao sexo freqüente. Transamos no máximo 4 vezes no mês, a única coisa que não abro mão é de mamar os seios dela, chupo seus peitões todo dia. Mas eu como sou tarado por sexo as vezes procuro algo fora de casa mesmo, Tenho uma prima que mora na cidade vizinha que vez ou outra passo lá pra dar uma foda com ela, no clube que freqüento com uns colegas tem uma garçonete a Lucinha que também sempre que está disponível como ela, aliás eu e toda a galera do clube. Tem também o Sr. Geraldo, enfermeiro chefe do hospital que toda quarta-feira, depois do sagrado futebol libera o cuzinho pra mim e pra 2 colegas do hospital. Além dos contatos de face e whats que de vez em quando aparecem
Mas meu conto é sobre o Thiaguinho. Depois da nossa primeira transa e da minha preocupação com a saúde dele, demorou 3 semanas para transarmos de novo. Esperei chegarem todos os exames dele, entreguei pra dona Elza dizendo que estava tudo bem, ela me agradeceu. A desculpa que usei para tais exames era que ele estava muito pálido. Kkkkkkk. nesse período apenas nos falamos por mensagens e algumas trocas de olhares em casa.
Novamente numa sexta-feira, , me certifiquei de minha esposa chegaria tarde, marcamos as 15 horas para ele vir em casa, eu confesso que estava ansioso, pois já fazia uns 8 dias que não fodia ninguém, estava instigado no ultimo, tomei um banho e fiquei enrolado na toalha deitado no sofá alisando minha rola, de repente ouço o barulho portão, fui olhar era ele, com um shortinho de deixar qualquer piriguete com inveja, uma camiseta regata coladinha cabelinho de lado, na hora meu pau endureceu.
Ele entrou, e eu já fui agarrando ele, beijando, lambendo, mordendo a orelha, estava louco de tesão por aquele garotinho, nos beijamos por alguns minutos e eu tirei a roupa dele, deixando-o peladinho na frente, pedi pra ele dar uma voltinha e fiquei encantado com aquele corpinho delicado, branquinho ali na minha frente e a minha disposição. Peguei ele no colo e levei pra cama, deitei ele e fui lambendo dos até chegar no pescoço, quando vejo um chupão, perguntei quem tinha feito aquilo , ele me disse que tinha sido o garoto que era vizinho dele, falou que tinha transado no dia anterior, eu comecei a chupar o outro lado do pescocinho dele e deixei uma marca também e disse que era pra mostrar que aquele corpo também era meu, ele deu uma risadinha, e disse que era minha putinha e eu poderia usar e abusar dele, eu fiquei alisando aquele corpinho e pedi pra que ele me contasse sobre sua foda com o tal vizinho.
Ele me disse que o garoto se chamava Giovane, tinha 15 anos e tinha uma piça de uns 20 cm, e que morava no mesmo quintal dele, pois eles moravam numas quitinets, falou que o Giovane sempre ficava sozinho em casa pq a mãe trabalhava a noite, e ele ia lá pra assistir vídeos, e no dia anterior não foi diferente, ele foi pra assistir os vídeos e como de costume o Giovane já foi agarrando ele e mandando ele chupar, depois virava ele de costas e metia, sempre mordendo a orelha e chupando o pescoço. Thiaguinho me disse que ele e esse garoto transavam há um ano, no início ele não gostava porque o pau dele era muito grande e o machucava,e não havia carinho nenhum por parte do garoto, era sempre um sexo brusco e forte, as vezes o Giovane dava umas mordidinhas na orelha e algumas chupadinhas no pescoço, e até essas chupadas eram fortes que deixava marcas, e ele socava rápido e forte, sempre de quatro ou em pé e eram fodas rápidas.
Aquelas histórias estavam me deixando explodindo de tesão, eu ali passando a mão nele, beijando, chupando e ele contando como o vizinho usava aquele corpinho, estava quase gozando quando resolvi dar uma parada e dar minha rola pra ele mamar, noooooossa, ele chupa muito bem, não agüentei gozei naquela boquinha, e o thiaguinho era tão experiente que como da outra vez, engoliu tudo. Eu fui tomar um banho pra me recuperar, pois ainda tinha que comer aquele cuzinho. Ele também tomou banho e voltamos pra cama, eu coloquei ele no meu colo e fazendo carinho nele, pedi pra ele continuar a contar suas aventuras. Nessa vez ele falou do tio dele, contou os detalhes da relação com tio.
Depois de meia hora ouvindo as histórias dele, o coloquei de bruços e soquei bem devagar, carinhosamente comecei o vai e vem, e beijando meu garotinho, ele gemia e se contorcia com meu pau dentro do seu cuzinho, eu me deliciava naquele cuzinho, soquei uns 10 minutos parei um pouquinho e mudamos de posição, deixei-o de frango assado e volteia meter, dessa vez com um pouco mais de velocidade e força, enquanto eu metia, olhava a carinha de prazer dele, com olhinhos fechados e gemendo muito, meti um pouco e pedi pré ele sentar, nooooooossa, como foi bom, ele cavalgava na minha rola com maestria, realmente ele sabia o que estava fazendo. Quando estava para gozar segurei na cinturinha dele e despejei meus jatos de leite no rabinho dele, eu urrava de tanto prazer e ele dava uns gemidinhos finos, parecia um anjinho sendo devorado kkkkkkkkkkkk.
Após encher ele de leite deitei, coloquei ele de bruços do meu lado na cama e fiquei acariciando ele e vendo minha porra sair do seu cuzinho, era lindo ver aquele garotinho lisinho ali na minha frente, e saber que ele havia acabado de ser possuído por mim. Ficamos assim por uns 40 minutos e depois fomos tomar banho, Thiaguinho se despediu, nos beijamos e ele partiu e já deixamos combinado pra segunda-feira, uma outra foda.
Depois da segunda-feira, eu e Thiaguinho fudemos uma porção de vezes, sempre que dava a gente metia, tinha vezes que eu nem esperava dona Elza ir embora, aproveitava enquanto ela estava fazendo algo lá fora, chamava ele e dava uma rapidinha, era muito bom, ficamos assim por 3 meses, e nesse tempo ele sempre me contava o que fazia com o tal vizinho, com o tio Kaio dele, e me contou que havia outros coleguinhas dele na mesma faixa etária que transavam com homens mais velhos, na hora não dei muita importância pois estava me satisfazendo apenas com ele.
Um certo dia, como de costume, ele veio até em casa, transamos bastante, mas sentia que ele não estava legal, embora nossa foda tenha sido gostosa, senti que ele parecia triste, então perguntei o que houve… Mas vou deixar para o próximo conto.