Não lembro quando e nem por quem fui iniciada ao sexo


Click to Download this video!

Me chamo Laura, tenho 18 anos, 1.72 de altura, cabelos castanhos claros e compridos.
Não lembro quem me iniciou no sexo e nem quem. Lembro de muitas coisas na minha infância, muitas cenas de sexo eu lembro até de detalhes. Eu morava num prédio com meus avós, alguns tios e primos. Era grande a casa e éramos muitas pessoas. Meus pais eram separados e moravam em outras cidades um pouco distante de onde eu morava. A cidade que eu morava era pequena, tinha bastante mato até, rios e marés, parecia mais com interior do que cidade. Eu vivia pela rua brincando com outras crianças, a gente até entrava no mato algumas vezes. Então provável que existisse oportunidades pras pessoas de má fé abusar da inocência de uma criança. Existem muitos fatos que eu vivi no sexo. Vou relatar um aqui. Um dos que eu gostei, apesar de na época não ter muita noção da crueldade que faziam comigo e eu achava uma sensação prazerosa. Eu tinha 8 quando o meu professor de natação já fazia uns meses que ele vinha me aliciando. E nessa idade eu já havia sido penetrada por outros homens e o pau entrava quase tudo, dependendo do tamanho. Mas meu professor não sabia disso até então. E um certo dia que minha tia demorou ir me buscar, o professor Janderson sempre nos fazia companhia até todas as crianças irem embora. Nada da minha tia aparecer, eu estava meio preocupada e demonstrava isso, achava que a tia Elza havia me esquecido no clube. O tio janderson me acalmava, falando que ela já iria aparecer. E nessa espera, ele me puxou pra piscina pra eu nadar mais um pouco, mas ele me levava pro fundo, fazia menção de me soltar e era fundo demais pra mim, aí eu agarra na cintura dele com as minhas pernas e o pau dele encostava na minha bucetinha. Ele parecia adorar e não parava e roçar o pau em mim debaixo d’água. Eu pedia que parasse de querer me soltar e ele disse que era só uma brincadeira. Quando saímos da água, o pau dele estava muito volumoso na sunga. Ele olhava pra mim e pro pau dele, ele sabia que eu havia notado e eu olhava. Ele perguntou se eu contava tudo que me acontecia ou poderia acontecer comigo pra minha família. Eu disse que não. Ele perguntou se eu já pensava em namorar, e eu dizia que era pequena pra ter um namorado. Mas como criança não mede suas palavras, eu acabei falando que um ex namorado da tia Elza tinha beijado minha boca. Na verdade ele só deu um selinho, mas eu falei que teria me beijado. O tio Janderson pareceu surpreso e me encheu de perguntas, de como tinha sido isso, quando, e porque eu deixei e porque não falei nada pra ninguém, etc. Eu respondi tudo. Ele perguntou até se alguém já tinha brincado com a minha pepequinha. Eu disse que sim, e relatei um caso recente com um primo que tinha ido passar as férias em casa. Só que ele tinha 15 anos. Falei que ele brincou de casinha comigo e era o meu marido e nós ”namoramos” que nem adultos. Ele colocou o pipi dele na minha xaninha. Meu professor queria sorrir, parecia bem surpreso e fazia mais peguntas e no final perguntou se podíamos brincar juntos, que ele me daria um presente de melhor aluna, começou a me iludir e pediu que eu não falasse à ninguém. Porém, nada aconteceu nesse dia, minha tia chegou. Ele me tratava super carinhosamente, e era gentil com a minha tia. Demonstrava cuidado comigo, mas hoje penso que era tudo falsidade porque ele era um monstro. Passou duas semanas e teve um final de semana que ele liberou todo mundo da aula, só que ele havia avisado os pais das outras crianças que esse dia não teria aula, mas não avisou a minha tia e por isso ela me levou no clube. Ela costumava demorar me pegar de volta porque ela fazia curso e tinha o dia corrido. E nesse dia ele me abraçou muito, me beijou no rosto, ficou conversando comigo na beira da piscina. No dia da aula de natação, o clube era muito deserto, as pessoas trabalhavam mais no meio da semana. E era estranho que só ele dava aula nesse dia. Aí ele havia comprado sorvete, chocolate, biscoito, essas coisas que criança adora. Ele sempre me agradou depois que eu comecei a dar liberdade pra ele e ele já estava louco pra me comer. Devia ser esse o motivo de tantos mimos. Aí ele tinha uma espécie de DVD que tinha uma tela, parecia um notbook. Ele colocou um filme de anime erótico. Aquelas cenas não me excitavam. Ele me sentou na coxa dele numa poltrona e ficamos assistindo, e eu comendo biscoito. Aí ele começou passar o dedo em cima da minha bucetinha por cima do maiô. Era bem legal, eu mantia as pernas abertas porque estava gostando daquela carícia. Ele passou alguns minutos massageando, depois afastou o maiô e ficou passando o dedo na racha da minha buceta. Me deitou na poltrona e ficou passando o dedo indicador no meu clitóris. Ele abriu os grandes lábios da buceta e comelou lamber, chupou. E colou pau pra fora da cueca, era grande diante dos meus olhos, o pau dele estava babando. Ele bateu uma leve punheta e se abaixou diante das minhas pernas… Foi tentar meter a pica, e foi entrando devagar, e na medida que a piroca ia entrando, ele gemia, como se tivesse pra gozar. E começou bombar, fazer vai e vem.. A sensação era sem igual. Sentir aquela piroca roçando dentro de mim, parecia que aquele atrito na parede do lado de dentro da vagina era a melhor sensação, uma espécia de cócegas prazerosa. Ele sentou na poltrona e me encaixou no pau dele de costas pra ele, me fazendo cavalgar, depois me colocou de bunda pra cima, e mais uma vez bombou bastante. Nada dele gozar. Ele me carregou no colo e me fazia pular, era muito legal. Eu estava tão satisfeita de me alimentar por cima com doces e por baixo com uma rola gostosa. Sim, eu não sabia usar esses termos na infância e apesar de gostar, eu era só uma criança que fora roubada a pureza por homens conscientes do que faziam. E hoje relato com as minhas palavras e declaro que gostava. Ele gozou, e gozou dentro de mim, ele gemia como se tivesse sendo chicoteado, eu até me assustava com aquela reação toda. Ele me limpou com papel higiênico e mandou eu nadar na piscina, pra que minha tia não desconfiasse. E na piscina e me fodeu mais um pouco. Dentro da água, ele colocou a pica pra fora e afastou meu maiô e meteu. Eu nem reclamava. Ele disse que eu era gostosinha, que queria me comer mais vezes. Que sempre ia me dar doces, perguntava quais tipos eu gostava, o que eu iria querer na próxima semana. O ruim era que nas aulas sempre teriam as outras crianças e o circulo de responsáveis indo buscar as crianças. Então ele começou a dizer pra minha tia que iríamos levar as aulas mais tardes porque ele não dava conta de manusear todas as crianças, orientar, era muita bagunça e muita criança pra ele cuidar. Então ia aumentar o horário. Mina tia lerda, acreditava e ia mais tarde me buscar, quase uma hora a mais. E nesse período ele aproveitava pra se roçar em mim na piscina, ou dentro do vestuário que ele me fodia. Ele me comeu durante 6 meses, sempre que dava a gente transava. Na minha cabeça ele era meu namoradinho e era um namoro escondido por ele ser grande eu pequena. Ainda bem que ele nunca penetrou meu ânus e nem me colocou pra chupar ele. Nem ele e nem ninguém. Apenas me penetraram na vagina e me chuparam. Deixamos de foder porque me tiraram das aulas de natação por conta de não ter quem me levasse mais e acharam desnecessário. Então nem ele poderia fazer nada. Hoje nem sei por onde ele anda. Pois eu moro em outra cidade há anos com a minha mãe.