Filhinha medrosa, na pica do papai


Click to Download this video!

Oi Sou Paulo 32 e este conto é verdadeiro, casado com Katia 28 veterinária, temos uma filha de 10 anos, Márcia ou Marcinha como chamamos, certa vez chovia muito e Marcinha estava lavando louça, e caiu um raio próximo a nossa casa, não sabemos dizer onde porem Marcinha que estava na pia descalça e com a mão molhada pegou um pequeno choque elétrico, proveniente desse raio, e fez um pequena vermelhidão na mão, a partir desse dia Marcinha não podia ouvir um trovão que corria pra onde esta eu ou a mãe dela e ficava chorando e agarrada na gente.
Como minha mulher é Veterinária e presta serviço para vários fazendeiros da região, foi fazer uma vacinação em animais no sul do Pará e teve que se ausentar de casa por 5 dias, depois que a minha mulher viajou as 08 da manhã o dia transcorreu normal eu de férias assistindo tv e Marcinha escutando musica em seu quarto. A noite jantamos assistimos tv e fomos dormir fui para meu quarto e Marcinha por dela, só que uma meia hora depois começou a chover e não demorou os trovões e raios, quando vi a Marcinha estava na beira de minha cama, chorando e dizendo que estava com medo e ia dormir ali comigo. Vale lembra que minha filha e uma delicinha, toda gostosinha bundinha arrebitada pernas grossinhas peitinho de pêra, um tesãozinho, afastei um pouco e Marcinha deitou de costa pra mim, fiquei acordado pois perdi o sono, toda vez que se ouvia um trovão Marcinha se agarrava mais a mim, e se encostou de vez comigo, deitou por cima do meu braço e minha outra mão passou por cima do corpo dela fazendo com que a abraçasse. Só que pica não conhece filha, esquentou levantou e com isso meu pau endureceu e ficou certo na bundinha dela, não sei ela percebeu mais toda vez que trovejava ela se aconchegava mais e sacudia a bunda no meu pau que nessas altura estava quase estourando. O tesão subiu minha cabeça e comecei a passar a mão no seu corpinho e ela ficou toda arrepiada, levei a mão em sua barriga e ela parada, fiquei passando a mão em volta de seu umbigo mexendo com os cabelinhos da barriga e ela começou a respirar mais forte, tirei a mão e ela pego e voltou com a minha mão para a barriga dela dizendo que estava gostoso, como ela tava de bulsinha e shortinho levei a ponta dos dedos ate o elástico do shortinho eu suspendia o elástico e passava as pontas dos dedos e cada vez eu ia mais, e encontrei com o elástico da calcinha dela, ela estava bufando, oras prendia a respiração e soltava fazendo um bufado de tesão, então eu levantei também o elástico da calcinha e passei a mão nos seu pentelinhos finos ela toda molinha nos meus braços e fui levando a mão ate chegar na rachinha que tava toda molhadinha, nisso ela disse pai… respondi que é ela; tá muito gostoso, perguntei que brincar com papai, sim disse ela, então perguntei posso tirar teu short, sim disse ela, tirei o short e a calcinha junto e vi que ela estava com a bucetinha encharcada, posso tira a blusa, ela mesmo sentou na cama e tirou a blusa, então não tive mais nenhum receio ela queria foder, comecei beijando a orelha pescoço e a boquinha e fui descendo e meti a boca nos peitinhos, e voltei pra boca dando um beijo de língua delicioso, fui beijando de novo pescoço peito barriga e fui chegando pra bucetinha dela e meti a boca chupando o grelinho e fazendo ela ir a loucura, ela agarrava em meus cabelos empurrando minha cabeça de encontro com sua bucetinha e começou a estremecer e gosou como louca ai subi em cima dela e comecei a pincelar a cabeça do meu pau na bucetinha e ela se arreganhava toda e disse pra ela vai doer um pouquinho mais é gostoso ela disse então vai logo pra passar a dor e ficar só o gostoso, fui empurrando o pau de devagar colava um pouquinho e retirava e ela começou a rebelar de baixo de mim. Segurei nos ombros dela e fui enfiando o pau e parava ela disse que estava ardendo ai eu meti o resto e senti o cabacinho dela ser rompido, ela quis me empurrar de cima dela mais eu disse espera que já passa fiquei parado esperando ela se acostumar, ai comecei um vai e vem muito vagarosamente e ela começou a se soltar e fui aumentando a velocidade ela cruzou a perna por cima de mina escadeira e me pressionava de forma que fazia com que as estocadas fossem mais fortes, ela gosou de novo e eu gosei dentro dela tirei o pau de dentro e vi o estrago que tinha feito porra e sangue escorria da bucetinha dela, levantei peguei o meu Celular e fotografei o dia que tirei o cabaço de minha filhinha, peguei os panos de cama e troquei que tava sujo de sangue e fomos para o banheiro. Marcinha disse pai e agora, eu disse não pode falar nada disso pra minguem ela disse claro não sou doida mais eu que fuder com o Sr. Todo dia, eu vi uma revista em quadrinho na escola de um mulher chupando o pau do cara a gente faz isso, assim como eu chupei tua pepeca tu vai chupar meu pirulito e ainda vou cair no teu cusinho. Ela abaixou pegou meu pau e colocou na boca e deu vida pra ele novamente. Mais isso é outra historia que conto depois
Quem gostou deixa o comentário pois tem mais 4 dias de foda com minha filhinha