Coisas de Malandro 1


Click to Download this video!

Coisas de Malandro parte 1
Olá! Sou Gustavo, irei contar como inciei minha vida Louca
Quando eu tinha 9 anos eu morava com meus pais e meu irmão mais velho, Rodrigo era o rapaz serio e havia entrado na faculdade cedo, era conhecido por ser muito inteligente apesar de ser Racista nunca falou de amigos negros nem por faze piadas com o mesmo apenas não gostava da presença deles (as), assim que comecei em outra escola teve muitas amizades com meninos e meninas, a maioria da mesma idade, no meio do ano mudou-se para minha escola um menino chamado Rene, super legal e logo fiz amizade com o mesmo, ele era magro dos olhos escuros e tinha 9 anos, a nossa professora pediu um trabalho super fácil de se fazer em casa era em dupla e o Rene pediu pra fazer em minha casa porém eu não queria que meu irmão ficasse com raiva ou fizesse algo feio tipo mandar o mesmo ir embora, então falei com minha mãe e ela disse que eu poderia leva-lo quando não tivesse ninguém em casa meu irmão na faculdade e minha mãe e meu poi no serviço e assim eu fiz em uma sexta-feira, depois das aulas ele foi lá pra casa é claro que a mãe dele foi conhecer nossa família antes e ainda bem que a mesma entendeu o motivo da gente demorar a fazer os trabalhos, minha mãe sempre ajudou famílias necessitadas, ainda mais como as do Rene que quase nunca tinha o que comer, a mãe dele era solteira e trabalhava de gari, chegando em minha casa Rene estava um pouco serio meio com medo de entrar pois não era acostumado a essas casas grandes, depois de algum tempo ele se acostumou e eu levei ele para o meu quarto, levei comida fizemos o trabalho super rápido jogamos vídeo game e nos dormimos um pouco quando acordei com o barulho do portão abrindo era meu irmão, Rodrigo chegou em casa e eu e o Rene continuamos no quarto liguei a TV, ele passou pelo meu quarto viu o Rene fechou a cara e saiu não disse uma palavra.

Rene acordou um pouco assustado eu ainda estava acordado e jogando vídeo game, ele viu que ainda tinha louça do meu quarto perguntou se minha mãe não iria brigar por causa da louça, eu disse que não que podia deixar ali mesmo, ele insistiu em lavar e levou a louça pra cozinha desceu as escadas e passou pelo meu irmão que estava na sala assistindo TV, enquanto Rene estava lavando a louça meu irmão apareceu atrás dele, logo Rene se lembrou de tudo o que sua mãe havia falado sobre Rodrigo e o tanto que ele era Racista que não gostava de "gente preta", Rene ficou assustado com meu irmão que era alto 1,75 de altura 60 kg com seus 19 anos e ficou apavorado com a cara fechada de Rodrigo.

Rodrigo olhou para o garoto de 9 anos e disse:

– O que esta fazendo aqui? Comi da minha comida e acha que pode andar na casa toda por ai, você se acha dono dela agora?

Antes que o Rene pudesse responder, meu irmão pegou ele pelo braço e falou:

-Vou mostrar boas maneiras pra você seu negro, qual e o seu lugar

Arrastou o Rene para a garagem que ficava fora da casa no fundo do quintal, quando eu escutei a gritaria do meu irmão eu desci as escadas e só pude ver enquanto ele arrastava o Rene para a garagem eu fui atras calado, com medo, sem saber o que fazer, chegando lá meu irmão jogou Rene no chão, abaixou o shot dele até o joelho se afastou um pouco e foi abrindo a fivela de seu cinto e retirando o mesmo, Rene começou a chorar e a pedir pra que Rodrigo não batesse nele e Rodrigo apenas o olhava com uma cara de raiva, segurou o cinto dobrado em suas mãos e começou a bater no Rene

– Aiiiiiiii, para da doendo, ai minha mão!
– Bem feito foi colocar sua mão na frente, calma que ainda nem comecei…
– Aiiiiii – chovara e soluçava – PARA POR FAVOR DA CHEGA

Depois de uns 5 minutos batendo em Rene, ele parou o Rene não podia nem se mexer do tanto que tava mole, Rodrigo então foi até o Rene terminou de baixar suas calças pegou sua camisa de frio amarrou entra as mão de Rene levou ele no colo até um sofá velho que tinha na garagem colocou o mesmo debruçado no braço do sofá com sua bunda pequena para cima coberta apenas por uma cueca verde, então Rodrigo retirou a cueca de Rene e disse:

– Isso e pra você aprender qual e o seu lugar seu negro
Rene como não tinha forças nem para gritar apenas ficou imoveu

Rodrigo se posicionou atras de Rene, passou na mão um lubrificante de carro mesmo que tinha dentro da garagem, socou um dedo de uma vez só em Rene, fazendo o mesmo soltar um grunhido, nisso Rodrigo foi baixando o zíper da calça de vagar e depois baixou a calça até seus joelhos e eu vendo tudo aquilo da porta que havia ficado meio aberta sem fazer nenhum barulho e um pouco excitado com a situação e ao mesmo tempo com medo de tudo aquilo, Rodrigo baixou sua cueca então falando pro Rene:

– Irei te dar uma lição seu negro imundo, vou mostrar qual é o seu lugar sua puta!!
Cuspiu em sua mão alisando seu pau de uns 15 cm não muito grosso, abrindo a bunda de Rene bastante e forçando a entrada de seu cuzinho fazendo o mesmo gronir e gemer bem baixinho, Rodrigo não tinha pena fodia o menino como um cavalo, segurava na cintura do mesmo como se fosse ancas dava tavas na bunda do pequeno, retirava seu pau e colocava de novo.

– Ta gostando disso negro filho da puta? É se você contar para alguém dessa lição te dou outra ainda pior, ta me entendo??

Rene não conseguia falar, cada vez que meu irmão retirava seu membro de dentro de Rene podia se ver claramente a cara de dor e desespero do garoto e a cara de satisfação que meu irmão tinha vendo o sofrimento do garoto, olhou para o garoto mas uma vez socando bem forte como se estivesse tentando socar até as bolas, até o talo suado ambos os dois e disse:

– Se prepara sua puta pois já faz tempo que eu não gozo então vou encher esse seu rabo negro de porra e se de por agradecido por isso…

Rene então apenas deu um ultimo grito com a força que Rodrigo colocou seu pau todo dentro do menino e soltando toda aquela gala dentro dele, o fazendo ficar ainda mais mole que antes…

Quando Rodrigo se deu por satisfeito da situação levantou de cima do garoto, vestiu roupa nele e mandou ele ir para meu quarto sem dizer uma palavra para mim senão iria ter coisas piores com Rene então com muita dificuldade foi se vestindo as vezes bambeando as pernas e todas as vezes que isso acontecia Rodrigo dava lhe um tapa na nuca e mandava ele se apreçar, quando finalmente ele consegui sair da garagem eu já estava no meu quarto me fazendo de que estava dormindo, Rene entro então chorou um pouco e logo dormiu meu irmão pegou o telefone ligou para a casa da mãe de Rene falando que nosso pai havia pedido para o mesmo dormi lá em casa….