O Bebê do Papai


Click to this video!

Me chamo Léo , tenho 17 anos e vou contar algo verídico que começou há alguns anos. Espero que gostem…

Tudo começou quando entrei na puberdade, sempre soube que era gay, na escola era motivo de zoação pelos garotos por ser branquinho e delicado. Não raro eles faziam gracinhas sobre o tamanho da minha bunda e me diziam que eu parecia mais uma garotinha!
Quando comecei a perceber que me sentia atraído por homens, achava errado, mas ainda assim não podia negar que gostava daquilo! Em casa meus pais sempre souberam, nunca tinham me perguntado diretamente, mas sempre diziam que eu seria amado incondicionalmente não importa como eu fosse.
Me senti desesperado quando comecei a achar meu pai atraente, todos os dias quando eu chegava da escola ele já estava em casa, sempre deitado no sofá, apenas com um samba-canção, de pernas abertas, quase enlouquecia imaginando o tamanho do seu pau quando estivesse duro, fantasiava mil coisas com aquele macho! Meu pai era o típico ursão peludo, branco e com os cabelos muito escuros, media em torno dos 1,90, seu rosto é bem quadrado, típica característica dos homens de sua família.
Já eu tinha puxado para mamãe, baixinho e curvilíneo, a palidez de papai e os cabelos castanhos encaracolados de mamãe.
Um dia na escola, após a aula de natação -que era obrigado a fazer- um garoto de outra turma estava me zoando no chuveiro, ele pegou na minha bunda com força, o que me deixou marcado, mas eu nem percebi na hora… Eu sempre ficava calado com medo de algum deles quer me bater, mas sempre ficava nisso.
No mesmo dia, quando cheguei em casa dei um beijo no meu pai e disse que ia tomar banho, entrei no chuveiro e logo papai bate na porta;
-Filho, posso entrar?
-Pode papai! – ele abriu a porta e entrou.
-Vou tomar banho com você, está muito calor e o chuveiro do papai quebrou! – disse já tirando o calção e abrindo o box.
Confesso que adorei, nós dois as vezes tomamos banho juntos, e eu adorava ver seu corpão nu.
Eu logo sai do chuveiro para ele poder se molhar, o que ele fezlogo em seguida, eu me virei de costas para pegar o sabonete e ele de repente pergunta:
– O que foi isso no seu bumbum?
Na hora eu me lembrei do apertão que o menino me deu e fiquei muito vermelho. Ele percebeu minha vergonha e falou;
– Pode falar, o papai não vai brigar com você!
– Hoje na aula de natação um garoto apertou meu bumbum! – disse morrendo de vergonha.
– E você deixou?
– Não papai, eu não sabia! – eu com medo dele brigar comecei a chorar.
– Não precisa chorar meu anjo, papai não vai brigar com você! – ele veio e ne abraçou.
Eu sou muito mais baixo que ele e fiquei com meu rosto colado na altura do seu estômago, seu torax todo peludo era muito gostoso de sentir. Eu parei de chorar e ele falou:
– Isso acontece sempre?
– Só as vezes, mas eles nunca ne machucaram!
– Você gosta quando eles fazem isso filho? – eu não respondi pois estava morrendo de vergonha, -Pode falar meu anjo, juro que não vou brigar com você!
– Eu gosto! Mas isso não é errado papai?
– Não se você gostar meu bebê! Deixa o papai ver se está dodoi? – ele foi descendo a mão pelas minhas costas em direção ao meu bumbum, de forma muito carinhosa, me deixando louco.
– Pode ver papai!
Ele me virou de costas para ele, me deixando entre ele e a parece, seu pauzão peludo estava já a meia bomba, ele se abaixou atrás de mim e começou a passar as mãos no meu bumbum. Fiquei todo arrepiado, ele percebeu e deu um sorisinho:
– Está com frio meu amor? – e eu simplismente adorando o toque das suas mãos quentes na minha pele.
– Um pouco papai….

Comentem se gostarem, e postarei os próximos capítulos! Beijos.