O Irmão do meu Amigo me Fudeu


Click to Download this video!

Meu Nome é Rodrigo tenho 30 anos, sou Branco, 1,80 de altura e 85 kl, mas na época eu tinha 12 anos, era magrinho e bochechas rosadas. Eu tinha um amigo chamado Marcel, 15 anos, que sempre me fazia chupar o pau dele, mas na hora em que ele ia me penetrar eu não aguentava, e o pau dele não era tão grande, mas eu não aguentava.
Um dia fui na casa do Marcel, chama-lo para brincar, mas o irmão dele atendeu e falou que ele não estava, perguntei se ele ia demorar e o irmão dele falou q se eu quisesse podia entrar para espera-lo.
O irmão do Marcel chamava-se Marcos. Um homem de 28 anos Bronzeado e alto, devia ter uns 1,90m de altura e muito forte. O cara era grande. Eu magrinho e baixinho, parecia um anão na sua frente.
Marcos falou pra eu sentar no sofá de dois lugares e ele sentou no outro sofá á minha frente. Ligou a TV e apertou o Play do video cassete e começou a rolar um filme porno onde a mulher estava de 4 e o homem metia rola nela. Marcos começou a passar a mão na calça olhou pra mim e falou – " Meu irmão falou q vc não aguenta fazer isso. "
Mesmo assustado respondi que não.
O que aconteceu em seguida foi muito louco e frenético. Marcos colocou a Rola meio dura dele pra fora da calça e com a voz bem firme falou
– " Chupa essa porra viadinho do caralho "
Fiquei olhando para o rosto dele assustado e ele falou novamente.
– " Se vc não chupar vou falar pra todo mundo q vc dá o cú pro meu irmão. "
Devagar ajoelhei na sua frente e coloquei minha boca na sua rola, que estava meio dura ainda, mas foi crescendo conforme fui chupando e salivando. A rola do Marcos era grossa e devia ter uns 20 cm, pois lembro-me que era muito grande. Marcos colocou sua mão sobre minha cabeça e começou a força-la fazendo eu me engasgar com aquela imensidão entrando na minha garganta e ia falando.
– " Isso viadinho do caralho, chupa a rola do seu macho. Engole filho da puta. Engole essa rola… "
Teve uma hora em q quase vomitei e mordi a rola do Marcos, então ele tirou a rola da minha boca, deu um tapa na minha cara e mandou eu ir para o banheiro. Marcos tirou minha roupa, ligou o chuveiro e acionou o chuveirinho, mandou eu virar de costas arrebitou minha bundinha e enfiou o chuveirinho no meu cuzinho. Mais tarde descobri q isso era uma chuca.
– " Quando vc sentir uma pressão senta na privada e faz força para cagar. " – falou ele.
Ele repetiu esse processo umas 3 vezes.
Marcos me pegou no colo, me levou até seu quarto, colocou-me na cama e mandou eu levantar as pernas. Fiquei na posição frango assado na beirada da cama. Ele ajoelhou-se no chão e começou a dar linguada no meu cú. Enfiava a linha e lambia como se fosse o melhor sorvete do mundo. Comecei a sentir uma explosão de sensações q nunca havia sentido na vida. Meu pauzinho, que na época ainda era pequeno, hoje tem 19 cm, começou a ficar duro.
Marcos então tirou sua camisa e a calça, assim eu pode ver seu corpo forte e com pelos no peitoral. Hoje lembro-me e penso, que cara gostoso ele era. Parecia um Soldado Americano. Pelado ele foi até a comoda, abriu a gaveta e pegou um gel (mais tarde entendi que aquele gel não era lubrificante e sim uma pomada anestésica).
Marcos começou a passar a pomada no meu cuzinho, eu ainda na posição frango assado. Ele enfiava o dedo e eu me contorcia um pouco, pois ardia e doía muito. Ele me olhava com cara de zangado.
– " Fica quieto putinha." – falou ele.
– " Ta doendo. " – eu falei.
– " Daqui a pouco para de doer e você não irá sentir mais nada. " – ele disse.
Aos poucos ele foi enfiando o dedo lambuzado de pomada e a dor foi passado. Eu Sentia apenas uma cocega no cu e era bom e meu pauzinho q havia ficado mole foi ficando duro novamente. Então Marcos levantou-se e ficou de pé na minha frente, afastou minhas pernas mais pra trás (eu ainda na posição de frango assado com as pernas pra cima bem abertas.
Marcos flexionou um pouco seus joelhos e encostou a cabeça da rola no meu cu, deu uma cuspida na cabeça da sua rola e olhou pra mim e falou
– " Vou te arrebentar moleque. Toda vez que vc sentar vc vai lembrar de mim por uma semana. "
– " Vai doer muito? " – perguntei
– " Essa pomada q passei fará vc sentir só prazer, mas amanha irá sentir dor, porém valerá a pena."
Ele foi enfiando a rola devagar. Fui sentindo como se estivesse me rasgando, mas não doía muito. A rola do Marcos foi entrando e parecia não ter mais fim. Ele me olhava fixamente nos olhos. Meus olhos ficavam se desviando entre seu olhar, seu peitoral forte e sua barriga, não era sarada mas tinha um abdomêm rígido e troncudo.
– " Caralho moleque que cú apertado vc tem!!! " – disse ele. – " Tá doendo? " – ele perguntou.
Balancei a cabeça acenando que não, então ele falou novamente.
– " Já entrou tudo. Agora vou começar a te arrebentar e segura o tranco porque agora o bagulho vai ficar doido. "
Eu conseguia sentir Marcos todo dentro de mim. Era sem explicação o poder q eu sentia sabendo que aguentei aquele cara todo dentro de mim. Ele era um "Deus" que tinha o poder de me matar com aquela rola gigante, mas aquilo apenas me dava prazer.
Marcos então começou a fazer movimentos para frente e para trás e foi acelerando os movimentos. Tudo foi ficando frenético. comecei a me masturbar enquanto sentia sua rola entrando e saindo do meu cú.
– " Está gostando sua putinha? O papai aqui sabe fuder né? – disse ele enquanto me fodia.
Marcos fazia uma cara de ódio olhando fixamente nos meus olhos enquanto socava a rola no meu cú. Ele cerrava os dentes e parecia q ia me espancar. Aquilo me deixava com medo e ao mesmo tempo um puro prazer. Ficamos naquele ritmo frenético por algum tempo e as vezes marcos dava uns tapas na minha cara e segura meu pescoço com as mãos forçando um pouco, quando ele via q eu ficava sem ar ele soltava um pouco.
– " Sua putinha. Vagabunda. Filho da Puta. Vou te deixar um oco no rabo q vc nunca mais vai me esquecer. "
Marcos começou a uivar e gritar e foi desacelerando o ritmo e falando.
– " Vou esporrar dentro de vc seu filho da puta. Vai levar minha porra dentro de vc. CARAAAALHO. AHHHHHHHH…
Consegui sentir um jato quente dentro de mim. Marcos estava completamente ensopado de suor e com a rola ainda dentro do meu rabo ele deitou em cima de mim me molhando com seu suor e me esquentando com seu corpo forte, pesado e quente.
Marcos colocou sua língua dentro da minha boca e começou a me beijar como louco. Eu ainda estava com a pernas abertas e sua rola dentro de mim. Sentia seu peso q me sufocava, mas não me incomodava. Ele afastou o rosto e olhou fixamento nos meus olhos e disse.
– " Se vc contar sobre isso pra alguém eu te mato entendeu? "
Acenei q sim com a cabeça e ele saiu de cima de mim e começou a se vestir e mandou eu me vestir também. Ele me alertou novamente para não contar a ninguém e me mandou embora.
Chegando em casa minha mãe percebe q eu mancava um pouco, mas eu disse que havia tropeçado e me machucado. Eu senti uma vontade tremenda de ir ao banheiro o dia inteiro mas não queria dispensar a unica coisa que tinha do Marcos ainda dentro de mim. Eu conseguia sentir sua porra quente dentro de mim ainda. Quando finalmente fui ao banheiro vi que meu cu sangrava e doía muito. Mas valeu a pena e faria tudo novamente. Sempre que eu sentava eu sentia uma dor e lembrava do rosto dele.
Marcos passou a me ignorar sempre q me via brincando com Marcel em sua casa. As vezes eu percebia q ele estava sozinho em casa e ia lá chamar, mas ele não me atendia. Com o tempo fui aceitando que foi só aquela vez mesmo. Enquanto Marcel? Marcel foi me comer duas semanas depois e conseguiu. Não foi com pomada, foi apenas no cuspi, mas aguentei, porque a rola do Marcel era de adolecente normal, tinha uns 15 cm. Falei para Marcel colocar a cabeça da rola e depois empurrar com tudo. Marcel passou a me comer toda semana e isso foi me deixando prático.
Com treze anos eu já treinava meu cu em casa enfiando pepinos cada vez maiores, mas sempre fazendo com q não laceava muito, pois eu sabia q quanto mais apertado melhor. Então certo dia fui na casa do Denis, um coleguinha de escola, e quem me atendeu foi o pai dele, o Sr. Mauricio, um Homem de aproximadamente 40 anos, grisalho, 1,80m, bem parrudo e forte. Sr. Mauricio mandou eu entrar e disse q o Denis havia saindo com a mãe mas retornaria em uma hora. Sr. Mauricio falou pra eu sentar e começou a conversar comigo de assuntos que nem lembro pois eu estava olhando seu pau que crescia cada vez mais sobre a calça social. Sr. Mauricio Falou que queria me mostrar uma coisa mas eu não poderia falar pra ninguém.
Ele tirou sua rola pra fora e quando olhei aquele pau duro até me assustei, era bem maior e mais grosso que a do Marcos. Devia ter uns 25 cm.
– " Nossa será que vou aquentar? " perguntei olhando para o Sr. Mauricio.
– " Aguenta filho. Eu te pego no colo e coloco ela toda dentro de vc com carinho.

…E eu aguentei a rola do Sr. Mauricio e na outra semana ele me chamou novamente mas dessa vez com mais dois amigos… mas essa é outra história…