filhinha levada merece porra


Click to Download this video!

Vou contar um pedaço da minha vida, que durou em torno de cinco anos. Meu nome é Ademir, quando os fatos tiveram início eu tinha 35 anos, sou moreno claro, 1,80m 95Kg, meu pirulito digamos ser normal 18 cm.
sou casado com Juliana, dois anos mais nova que eu, linda loira de 1,75m 67Kg, muito gostosa, mas com um jeito estranho de entender as coisas da vida, mesmo assim a amo muito, nossa filha Joice, na época era bem novinha, uma loirinha magrinha, bunda pequena, até que bem jeitosinha . Mas vamos ao caso, Juli desde bem cedo conversava com Joice, sobre sexo, sexualidade, namoro, e outros bichos mais, sempre dizendo a ela que não admitiria que ela se envolvesse com nenhum rapaz antes de terminar o ensino médio, ou seja, quando completasse dezoito anos, mas as coisas não saíram bem como planejado, pois recém tinha feito seus 11 anos quando achou que podia ter um namoradinho.
Juli enlouqueceu, conversaram e discutiram por longo tempo, eu já tinha ido deitar, e fiquei assistindo TV, quando de repente, Juli entrou com Joice pelada porta adentro..
Joice foi dizendo, ela acha que está pronta para namorar, não sabe nem o que é um pau de verdade, e então me pediu, amorzinho, por favor endurece o têto?
têto é o apelido que Juli deu ao meu pênis, que essa mocinha vai mamar um leitinho, olhei para ela desconfiado, mas ela falou, é sério, endurece aí que ela vai te chupar, já que acha que já pode.
E fez Joice subir na cama e me mostrar sua linda bucetinha virgem, assim não foi preciso esforço para têto ficar em pé, conforme ele ia crescendo, Joice arregalava cada vez mais seus olhinhos.
Balancei ele mostrando sua envergadura para Joice, e Juli a pôs de quatro empurrando-a mais perto de mim, fiquei com pena, afinal era minha filha, a coitada chorava e implorava que não queria fazer isso.
Mas Juli foi irredutível, e disse que sempre que ela fizesse algo de errado a partir de agora seu castigo seria chupar têto.
Juli estava nervosa e gritou comigo para fazê-la chupar, então a peguei pelos cabelos e a puxei para junto de têto.
Mais ela não abria a boca, até que Juli deu um tapa na sua bundinha branca que a fez cair de boca aberta no meu pinto, Juli registrou o momento com foto .
.Aos poucos fui fazendo Joice se acalmar e fui ensinando como devia chupar mais gostoso, demorou até que ela conseguiu chupar de verdade, e só conseguiu porque eu a acalmava, elogiava e fazia carinhos, soube que a coisa se tornaria séria, quando Juli foi tirando sua roupa e passou a se masturbar, acariciava seus seios e sua xana, logo pegou uma prótese e enfiou na buceta.
Gemendo como doida, Juli estava excitadíssima com a cena, achei que isso não era bom, pois não era essa a ideia, seria só o castigo de Joice, mas Juli se empolgou, e vendo minha mulher excitada desse jeito acabei gostando da ideia também. Comecei a conversar com Joice, chamando ela de putinha, minha filhinha vadia, chupadeira.
E fui ajudando ela a fazer movimentos mais rápidos, e mais profundos, no fim ela já conseguia abocanhar em torno de quinze centímetros, ensinei ela a acariciar meu saco e a parte que ela não conseguia engolir, não mostrou empolgação em nenhum momento, então me concentrei para tentar gozar,.
Quando comecei a suspirar rapidamente, Juli fez uma gritaria, um escândalo, como jamais tinha visto, gozou como uma égua, se rolando no tapete, isso foi demais, só deu tempo de mandar Joice mamar tudo, para não desperdiçar, e enchi a boca da minha filhinha de leite. Ela tentou, mas não conseguiu engolir tudo, deixou um pouco escorrendo pelo pau, Juli levantou se fazendo de brava, e foi mostrando a Joice como devia fazer, lambeu meu cacete até ficar limpinho…..continua .