Amor verdadeiro è de irmão


Click to this video!

Tudo começou quando por dificuldades financeiras, mudamos para uma casa de um dormitório num bairro afastado de São Paulo.
Como só tinha um dormitório, minha mãe comprou uma sala de visita com um sofá cama de casal e eu e minha irmã tivemos que dormir na mesma cama.
Eu sempre achei minha irmã uma delícia ela é 6 anos mais nova do que eu e nessa época eu estava com dezessete anos e ela com onze para doze . Apesar da pouca idade, ela sempre foi ?safadinha? e gostava de ficar só de calcinha ou quando estávamos só em casa ela sempre arrumava um jeitinho de ficar peladinha na minha frente,só para me provocar.
Quantas vezes que em festas que íamos, dançávamos juntos ela propositalmente se esfregava em mim até sentir meu pau ficar duro.
Mais eu sempre mantive o respeito, apesar da tesão que sentia. Certa noite fomos dormir e minha irmã foi deitar com uma camiseta e só de calcinha, nós dormíamos um nos pés e outro na cabeceira do sofá cama, com as luzes apagadas e somente com a claridade que vinha da janela da sala, eu tinha uma visão maravilhosa da bundinha de minha irmã com aquela calcinha de algodão enfiada no seu reguinho.
Eu não conseguia dormir e estava morrendo de tesão e doidinho para bater uma punheta, nisso minha irmã entrelaçou as pernas e começou a se contorcer comprimindo com coxas sua bucetinha e ficou claro para mim que estava batendo uma siririca.
Fiquei alguns minutos olhando ela se contorcer e morrendo de tesão, com meu pau duro como uma pedra não aguentei, me deitei ao seu lado e perdendo todo o medo de qualquer reação dela,tirei meu pau para fora da cueca e coloquei no meio de suas pernas por cima de sua calcinha, bem em cima do suas coixas.
Ela continuou a apertar sua coxas, mas desta vez com meu pau no meio delas, eu não me movia, ela com o rosto enfiado no travesseiro fazendo movimentos com os quadris cada vez mais rápido, até que gozou e pediu sem olhar para mim que eu tirasse o pau da suas coxas.
Sua calcinha estava encharcada. Voltei para os pés do sofá cama com o meu pau duro e sem gozar.
Começamos a conversar baixinho para não acordar nossos pais e perguntei o que ela tinha sentido,ela me falou que nunca tinha sentido sensação tão gostosa na vida dela e eu disse que ela tinha gozado pela primeira vez.
Eu continuava com muita tesão e ela me perguntou se eu já tinha gozado eu disse que sim, batendo punheta, mais ou menos como ela tinha acabado de gozar.Perguntei se ela queria me ver gozar,ela curiosa disse quem sim.
Tirei o pau para fora pedi para ela baixar um pouco sua calcinha e vendo aquela bucetinha com poucos cabelinhos e ainda encharcada bati uma punheta e gozei com ela olhando sem tirar os olhos do meu cacete.
Batemos mais um papinho enquanto me limpava e depois dormimos.
Depois disso sempre que tínhamos oportunidade, aproveitávamos para um sarrinho. Pouco tempo depois já estávamos brincando sem cuecas e sem calcinha e eu gozava em cima do seu grelinho e muitas vezes ela gozava comigo.
Mudamos para o interior lá no Vale do Paraíba, a situação de meu pai já tinha melhorado e a casa era muito grande e cada um tinha seu quarto. Já tinha passado um bom tempo que não ?brincávamos?
Afinal dormíamos em quartos separados e eu estava namorando, minha irmã sempre safada, fazia de tudo para me provocar, até que um sábado a tarde, meus pais tinham saído e eu estava sozinho em casa com minha irmã e a empregada, quando a empregada foi embora, minha irmã entrou no meu quarto com algumas flâmulas na mão pedindo para que eu a ajudasse a separar as mais bonitas.
Ela iria enfeitar seu quarto com algumas, ela sentou na cama do meu lado e jogou várias bandeirinhas em cima de mim e com a desculpa de pega-las roçava a mão no meu pau. Como eu estava de bermuda, não deu para disfarçar que estava com ele duro, ela estava fazendo de propósito, peguei sua mão e apertei contra meu cacete, ela começou a alisar meu cacete por cima da bermuda.
Tirei o pau para fora e pedi para ela me bater uma punhetinha, ao invés disso ela levantou o vestido, tirou a calcinha de deitou do meu lado, segurando meu pau ela me pediu para fazer ela gozar.
Comecei a passar a mão na suas pernas, fui subindo até sua bucetinha que já estava meladinha, comecei a brincar com seu grelinho e ela me batendo uma punheta. Mortos de tesão estávamos já para gozar quando resolvi ser mais ousado, sai do seu lado, fiquei de joelhos no meio de suas pernas, pedi para ela afastar suas coxas e comecei a beijar seu grelinho, ela se contorcia de tanta tesão. Fiquei de pé ao lado da cama, coloquei meu cacete bem próximo ao seu rosto e pedi para ela me chupar, ela me olhou e muito timidamente colocou a boca na cabeça do meu pau e começou a chupar, com muita paciência e tesão fui ensinando a ela como se deve chupar um cacete, e ela como boa aluna aprendeu rapidamente me fazendo quase gozar de tanta tesão.
Voltei novamente para cima ela e comecei a roçar meu cacete no seu grelo até ela gozar e gozei em cima daquela bucetinha deliciosa.