Meu enteado comeu minha esposa 2


Click to Download this video!
Autor

continuacao… meu enteado comeu minha esposa

Terminei o banho e passamos a noite normalmente, quando fui deitar Baby veio pouco depois: “desculpa não ter vindo pra nossa brincadeira amor, fiquei sem bateria, mas ainda bem q consegui mandar aquela ultima msg antes, e aproveita q esta de pé e coloca meu celular pra carregar? Eu esqueci em cima da mesa”. Ela quieta, foi e colocou o celular no carregador ao lado da cama. Ela poderia estar suspeitando q eu armei aquilo (o q era vdd, mas ela não podia saber ainda). Ela deitou ao meu lado, então esperei meu celular ligar e quando pegasse o sinal do wifi, ela receberia a msg atrasada, este seria o meu álibi me inocentando de qualquer suspeita dela. E logo ela recebeu uma msg, olhou o celular e depois pegou o meu (acredito q foi ver a hora q mandei a msg), me fiz de curioso e perguntei o q aconteceu, ela só me respondeu q não era nada, era apenas a operadora do celular mandando msg promocional. Eu estava louco pra pega-la de todas as formas possíveis, mas sabia q ela precisava pensar no q aconteceu, pois isso iria perturbar ela e certamente ela se sentiria com culpa. Falei q estava cansado e q queria dormir abraçado com minha bela esposa, naquela noite enfatizei o quanto a amava e fiz carinhos (acho q isso acabou a fazendo ficar com mais culpa), mas eu pretendia eliminar esse pensamento dela em breve.
Na sexta (manha seguinte) resolvi levantar cedo e fazer o café, levei pra ela na cama (fiz isso algumas vezes, mas dei a desculpa q era pra compensar por ter faltado ao nosso dia). Depois nos arrumamos e eu levei o Alan pra escola a caminho do trabalho. Como eles se comportaram estranho, achei melhor perguntar se tinham brigado, e ele não respondeu, mas percebi q ficou vermelho de vergonha. Percebi q ele tbm se sentia culpado, mas não tanto quanto a mãe dele. Só falei pra ele conversar com ela e pedir desculpas, pois a mulher sempre tem razão. Já a noite os dois continuavam distantes, então sugeri assistirmos um filme no nosso quarto os 3. Eles aceitaram, mas sem entusiasmo, ficaram o tempo todo quietos nem se tocavam mesmo ela estando no meio da cama entre nos dois. Então precisei ser mais ousado, falei q os dois precisavam resolver a “briguinha” deles e q mãe e filho q se amam não deveriam brigar independente do q tivesse acontecido. Falei q ia tomar um banho pra eles conversarem ali, tomei meu banho tentando pensar no q fazer, pois a situação estava complicada quando escutei a porta do quarto do Alan bater eu sai do banho e fui pro quarto e peguei a Baby com os olhos vermelho, pois tinha chorado. Fiquei triste em ver aquilo, mas resolvi ser mais radical e gritei: “ALAN, VENHA JÁ AQUI”. Foi a primeira vez q gritei com ele, ele veio assustado e eu mandei ele pedir desculpas pra mãe dele, q ele retrucou dizendo q não tinha falado nada. Então respondi bravo: “não interessa, peça desculpas, o q foi q te falei hj de manha?”. E ele respondeu dizendo q “mulher tem sempre razão”, e pediu desculpas pra mãe dele q aceitou dizendo q estava td bem, mas com um sorriso triste.
“Não, não esta bem”. Continuei falando enquanto peguei um lençol e os dois me olhando. Peguei a mão direita do Alan e amarrei na mão esquerda de sua mãe com o lençol. Eles me perguntando o q eu estava fazendo, e eu apenas respondi q estava colocando 2 crianças de castigo ate eles se acertarem e fazerem as pazes. Falava em tom firme como se estivesse bravo e peguei a outra mão do Alan e tbm amarrei na outra mão de sua mãe. Fazendo-o ficar abraçando ela por traz. E disse q eles iam passar a noite ali de castigo, e q era bom estarem de bem quando amanhecesse. Estranharam e tentaram (principalmente a Baby) a me fazer soltar eles, mas continuei firme e disse q só depois deles pararem de birra. Fiz com q eles deitarem na cama (obvio q de conchinha) demoraram pra achar uma posição confortável para os braços, joguei o cobertor por cima deles e sai do quarto dizendo q ia ficar no quarto do Alan e só ia abrir a porta de manha, e antes deles falarem algo eu fechei a porta e tranquei por fora. Arrumei o outro quarto pra eu dormir e liguei a TV. Depois de um tempo resolvi espiar e tomei cuidado com barulho e sombra embaixo da porta, eu sabia q eles iriam soltar as mãos rapidamente, pois nem estavam firmes. E fiquei um tempinho tentando ouvir algo no quarto, após alguns minutos e com muito esforço eu ouvi bem baixinho ela gemendo. Finalmente estava td pronto e eu só precisava achar um jeito de tornar normal para os 3, e resolvi q depois deles fazerem as pazes eu iria pega-los no flagra.
Na manha seguinte, soltei eles depois de ter preparado o café da manha, ela ainda estava com a camisa branca, sem sutiã e o shortinho curto e ele só de shorts tbm, eu fiquei me perguntando aonde ele deveria ter gozado. Estavam com cara de sono, mas estavam se comportando normalmente, revezaram pra tomar banho (ela demorou mais, acredito q pra se limpar),estavam bem apegados como sempre, só trocavam mais olhares. Vendo q estava td pronto e era sábado de manha, falei q ia na casa de um amigo rapidamente, e depois iria direto ao mercado voltando em aproximadamente duas horas, eles se olharam e eu perguntei se queriam me acompanhar, logico q deram a desculpa q não queriam atrapalhar minha conversa com meu amigo e resolveram ficar. Fui no quarto guardei minha carteira e sai de casa. Voltei entre 15 e 20 minutos depois, em silencio. Percebi gemidos em meu quarto e fui abrindo a porta ao mesmo tempo q falava: “querida, esqueci a carteira!”. Nisso vejo o Alan pegando ela de 4, ele pelado e ela só de calcinha colocada de lado. Todos assustados, antes q ela pudesse tentar se explicar eu fechei a porta e sai, pois queria vê-la correr atrás de mim. E assim foi, ela veio me implorando pra esperar, e o Alan veio, mas ficou afastado. E por impulso, disso q não era o q eu estava pensando e q poderia me explicar. Eu dei risada e falei: “explicar o q? q vc eh uma puta q gosta de dar pro próprio filho?”. Nisso os olhos dela ficaram vermelhos e ela me dizia q me amava q não queria me perder. Então falei: “não estou bravo, estou decepcionado com vc, vcs tansando escondido de mim, seu próprio marido e nem se importou em me chamar pra participar tbm, poxa assim vc me deixa triste”. Nisso ela ficou paralisada sem entender, e perguntando o q eu queria dizer com aquilo. Foi ai q eu sorri e beijei ela, meu enteado se assustou com minha atitude, mas ficou animado quando eu perguntei se ele queria continuar o q estava fazendo.
Peguei ela no colo e levei pro nosso quarto, perguntando ao Alan se ele já tinha comido o cuzinho da mamãe, ele disse q não, então falei q aquele era o dia. Ela ainda estava sem entender meio q paralisada, mas aos poucos foi se soltando ao ver os dois homens q a amam a possuindo, eu tocando seus peitos médios e redondinhos e o Alan chupava a bucetinha da mãe. Não demorou e ela já estava cheia de tesao. Eu chamando ela de mamãe safada, eu e o Alan parecíamos ter o mesmo tamanho de pau, mas ele no seus 15 anos ainda poderia crescer mais. Quando ele foi penetrar a mãe eu não deixei, falei pra ele pegar um tubo de vaselina na gaveta, e disse q hj ele seria responsável pelo cuzinho da mãe. Ela se arrepiou toda, a fiz montar em cima de meu pau, no qual ela estava com tanto tesão q gozou ao colocar ele dentro daquela bucetinha. Ela se tremia toda e quando terminou de gozar, falei pra ela ajudar o filho, encheu o cuzinho de vaselina e o pau do filho, fazendo uma punheta posiciono na entrada do cuzinho e falava: “Alan, fode o cuzinho da mamãe, fode”. Eu ficava louco com aquilo, afinal foram anos praquele momento. Meu tesao estava a mil e ele foi enfiando o pau no cuzinho dela q foi gemendo no meu ouvido: “q pau gostoso amos, parece o seu”. Nossa q delicia, ela gemia e rebolava gostoso, por ter dois paus dentro dela, no cu e buceta, estava mais apertada. Eu pegava em seus peitos chupava seu pescoço, e ela dizendo q estávamos acabando com ela daquele jeito enquanto ela gozava e gritava, mudamos de posição e invertemos, Alan por baixo no cuzinho, eu por cima dela na bucetinha sempre fazendo sanduiche nela q gostava e pedia mais. Não demorou e o Alan gozou no cuzinho da mãe (ele tenteou tirar, mas ela pediu pra não tirar e continuar fodendo a mamãe), acho q ele não tinha muita experiência e por isso gozou logo, mas meu tesao tbm era muito e assim q ela sentiu a porra do filho no cuzinho começou a gozar me beijando e ofegando, eu logico gozei junto, deixando a bucetinha e o cuzinho cheio de porra. Logico q o Alan (q esta na adolescência) já estava pronto pra outra. E começou td de novo com a mãe, obvio q quando vi isso tbm fiquei cheio de vontade, e dessa vez perguntei: “já gozou dentro da sua mãe?”. Disse q ela não tinha deixado. Então falei dnv q hj era o dia de ele dar leitinho pra mãe dele. Ela ficou assustada com minha atitude, mas ficou excitada e mordendo os lábios.
Passamos a tarde inteira comendo ela, ela de 4 chupando um e dando pra outro, cavalgando, papai e mamãe, de ladinho, sanduiche, dupla penetração. E caímos exaustos, ela chorava dizendo q era a mulher mais feliz do mundo, mas não sabia se ia dar conta de dois tarados em casa. Nós rimos muito com isso, eu fico feliz, pois sei q com 2 em casa ela jamais ira ter qualquer caso fora e confio muito nela. Foi então todos deitados na cama eu perguntei: “Então, vão me contar o que aconteceu na quinta feira? Quero detalhes!”.
Nisso ela me deu um tapinha no ombro perguntando se eu tinha planejado aquilo. Falei q era claro q eu tinha planejado inclusive a noite passada q os amarrei de conchinha e q tinha a ouvido gemer. Ela ficou vermelha com vergonha, mas os dois começaram a me contar os detalhes sobre aquelas 2 transas…
Continuaa…. rsrs

Achei q ficaria menor, mas acabei colocando detalhes demais, se quiserem conto como eles me falaram q foi aquelas 2 transas.