Meu enteado comeu minha esposa


Click to Download this video!
Autor

Meu nome é Luiz, sou alto e loiro, alguns me chamam de alemão por ser muito branco, hj sou casado com 38 anos, minha esposa linda tem 35, seios e bunda médias (malhamos juntos 3 vezes por semana)e tbm e loira e tem um filho do casamento anterior hj com 16 anos.
Eu cresci sem uma figura materna, pois minha mãe morreu quando eu tinha 1 ano e nem tenho lembranças dela, portando quando comecei a ver pornografia na adolescência, tornou-se comum eu ver vídeos de incesto (mãe \filho). Sabia q era errado, mas aquilo me excitava e acabou se tornando comum pra mim. Conheci minha esposa com 30 anos, ela 27 (viúva) e o menino com 8. Dávamo-nos muito bem, mas aquela imagem de mãe e filho mexia cmg, então resolvi apimentar as coisas aos poucos. Chamei meu enteado e perguntei se ele queria alguns trocados (dinheiro), ele concordando, disse q se ele dissesse pra mãe q ela estava linda, todos os dias, eu daria uma graninha pra ele. E assim foi ele elogiava e ela ficava toda feliz e agradecia, aos poucos fui dizendo pra ele abraçar ela tbm, e q se ela perguntasse o q estava acontecendo, era pra ele responder q só estava feliz de ter a melhor e mais bonita mãe do mundo, e quando ele disse isso ela se derreteu toda pelo carinho.
Pouco depois pedi pra ele dar um selinho surpresa nela em minha frente, ele não sabia o que era então eu disse q daria o selinho nela assim q ela saísse do banho e q era pra ele fazer o mesmo. Fomos pra cozinha e esperamos, quando ela apareceu, eu falei: “olha a cheirosinha chegando, quero um abraço”, a abracei uns segundos e terminei com um selinho. Assim q sai olhei pro meu enteado (Alan) e ele tem pediu o abraço. Sua mãe veio toda contente abraçar o filhote e no final foi surpreendida com o selinho perguntando pq o filho tinha feito isso, respondi dizendo q ele estava com ciúmes de mim e demos risada. Naquela noite transei feito louco com ela, estava excitado com o ocorrido e pela possibilidade de acontecer algo. Na manha seguinte, ele deu outro selinho nela, q já não estranhou tanto. Dai pra frente, sempre mantive os dois muito apegados e carinhosos, virou rotina os selinhos pra ele ir à escola\ela ao trabalho e quando chegavam em casa. Agora eu esperaria o garoto crescer e demonstrar interesse por mulheres, e tempo passou, casei com ela 2 anos depois, estávamos morando juntos, sempre ficávamos a vontade em casa, eu e ele de shorts, ela de top ou uma camisa longa sem sutiã, e shorts curto ou apenas calcinha, aquele desfile dela era sensacional. Não demorou pedi pra ele apertar a bunda dela enquanto dava abraço nela, ao mesmo tempo q dizia “nossa mãe, pq vc tem um bumbum tão bonito?”. (ela estava de camisa e calcinha apenas)
Baby (minha mulher) ficou sem jeito e assustada sem falar nada, mas sorriu quando me viu dando risada. Novamente transamos a noite inteira, e fiz questão de elogiar bastante sua bundinha. O tempo passou e ficaram muito íntimos, selinhos e abraços pra todo lado. Ela dizia ser muito sortuda por ter 2 homens em casa q a amava tanto e dava tanto carinho. Ele já estava com 14 anos e arrumou uma namoradinha, com isso passou a se distanciar um pouco e só dava selinho ao sair de casa e se a namorada não estivesse junto, mas sempre dava um abraço apertado. Ate desanimei um pouco com minhas fantasias, mas estava feliz por meu enteado. 5 meses depois ele me disse q assim q sua namorada voltasse de uma viagem q tinha feito, ele iria terminar pq não estava mais feliz, pois esperava algo diferente pra uma mulher (isso q ele me falou acabou chamando minha atenção), então resolvi ver a reação de minha mulher em relação ao incesto. Aluguei um filme (spanking the monkey) e fomos assistir no quarto, eu e ela de conchinha, eu fingi q dormi no filme, principalmente na cena de incesto, na manha seguinte pedi desculpa e perguntei do filme, ela só falou q foi “bom”. Achei melhor a deixar digerir aquilo, mas percebi q durante a semana ela ficou mais fogosa e me procurava sempre, eu ficava louco de tesão, pois achei aquilo um bom sinal. Estava na hora de começar a juntar os dois.
Após duas semanas q o Alan estava solteiro, conversei com ele enquanto Baby estava na casa de uma amiga. Disse q sua mãe andava desanimada e q a gente deveria alegar um pouco ela, e pedi pra ela encenar uma disputa pela atenção dela cmg. Ele ficou todo contente, e concordou. Ele q já não era mais bobo, eu nem precisava dizer o q ele devia fazer. Ficamos na sala e quando a Baby chegou, levantei e dei um abraço e beijo em minha esposa, Alan fez a mesma coisa, só q pra minha surpresa ele segurou o selinho por alguns segundos, o q fez a Baby assustar e perguntar o q estava acontecendo, mas eu a puxei e disse: “com licença q a mulher eh minha” e a beijei dnv. Nisso meu enteado puxa ela de volta e da outro selinho ainda mais demorado e diz: “desculpa, ela já tem a mim”. E ela q ate então estava assustada, sorriu e perguntou o q deu na gente. Falei sorrindo: “ta me traindo na minha cara, assim não da, escolhe ele ou eu?”. Ela sorriu e abraçou o filho dando um beijo no rosto. Falei q ela tinha partido meu coração em tom de brincadeira e ela me beijou. Alan reclama pq eu ganhei o beijo na boca e ele no rosto. Ela da um selinho nele dizendo q tinha um filhote muito ciumento, pediu licença e foi tomar banho. Percebi q meu enteado ficou excitado, pois falou q ia pro quarto, mas saiu tentando esconder algo.
A noite estava querendo pegar ela, mas fiquei na minha, e ela veio toda fogosa. Falei q estava de coração partido, pois ela estava me traindo, q ela preferia o filho ao invés de mim. Ela entendeu q eu estava brincando, e disse: “meu bebe esta com ciúmes, q lindo”. Nisso pulei em cima dela dizendo q ia mostrar o quanto estava enciumado. Fiz questão de falar do filho dela enquanto acariciava. “Pq ter ciúmes? Seu filho te toca assim?” acariciava seu peitos q apesar de seus 33 anos estavam com tudo em cima, pois a gente sempre malhava. Redondos e com os mamilos rosados, quase do tom de sua pele branca. Chupava seus peitos e perguntava se o filho a chupava daquele jeito, e ela sempre me respondendo q só eu fazia aquilo. Toquei sua bucetinha q ela sempre manteve depiladinha, estava encharcada: “ta gostando neh safada”, provocava ela, chupei ela q não demorou pra gozar na minha boca, ela estava sedenta por sexo, logo botei ela de 4 e comecei a meter. Ela não parava de gemer: “Hummm, assim q delicia” ela estava delirando. Foi então q percebi q os gemidos tinham chamado a atenção de alguém, pois tinha uma sombra atrás da porta. Essa era minha oportunidade, então provoquei e falei em tom suficiente pra ele ouvir de tras da porta: “safada, me traindo, ta querendo dar pro próprio filho neh?”, nesse momento fiquei pensando como Alan deve ter se sentido. Mas a Baby negou: “não eh vdd”. Então resolvi ser mais ousado. Puxei o cabelo dela e dei um tapa na bundinha falando: “Admita a vdd, fale q vc eh uma mãe muito safada q quer ser pega pelo próprio filho, admita q eh uma puta!”. E pra minha alegria, ela entrou no clima da brincadeira: “é verdade, eu sou uma mãe safadinha q quer o seu filhinho”. Esse foi o meu sinal pra prosseguir. Falei em seu ouvido, pro Alan não me ouvir: “então fala pro seu filhinho te comer bem gostoso, fala”.
“vai filhinho, come a mamãe bem gostoso, enfia esse pau com gosto na mamãe”. Ela finalmente estava admitindo. “o que vc quer sua puta?” perguntei e ela confirmou dnv: “quero meu filhinho me comendo bem gostoso”.
Nisso percebi q a sombra saiu em direção ao banheiro. Eu sabia q agora era só colocar os dois juntos, ficamos um bom tempo transando ate capotar exaustos. Na manha seguinte Alan estava um pouco estranho, então eu precisei forcar pra ficar normal. Falei q daria uma carona pra ele ate a escola e disse pra dar o selinho logo na mãe. Ele deu o selinho e saímos, a partir dai voltou o normal, mas as transas com a baby ficaram mais intensas e as vezes ela mesma me chamava de filhinho. As vezes ela dizia q tinha dois bebês em casa. Como o Alan jogava futebol toda quinta com os amigos após a aula, perguntei se ele queria q eu o levasse da escola ao campo, já q eu sairia mais cedo do trabalho naquele dia. Ele disse q não iria jogar naquele dia, então vi q era essa minha oportunidade.
A noite falei com a Baby q queria tentar algo novo, e combinamos de no dia seguinte quando eu saísse do trabalho iria chegar em casa de fininho e encontrar ela no quarto do Alan, era pra ela amarrar os pés abertos, vendar os olhos e algemar as mãos na cama, deixando a chave do lado (td isso usando apenas uma lingerie bem sexy com a calcinha aberta), assim ela poderia aproveitar o tempo com seu filhinho… rsrs.. ela topou na hora. Durante o dia mandei algumas msgs pra ela, pra deixar o clima melhor, a ultima q mandei foi: “ta chegando a hora, mamãe”. Perto da hora liguei pro Alan, e disse q não estava conseguindo avisar a mãe dele q teria q ficar ate mais tarde e q não daria pra chegar cedo em casa, que se caso eu não conseguisse avisar ela, era pra ele dizer pra ela não se preocupar q ele ia demorar mais algumas horas no trabalho. Ele concordou e disse q logo estaria em casa, e eu desliguei o sinal do celular e o WIFI, e mandei uma msg (q ficou gravado, mas não foi enviado), “Amor, não vou poder ir, surgiu um trabalho urgente aqui, e o Alan esta indo pra casa, deixa o q a gente combinou pra outro dia”. Cliquei em enviar e deu falha, e liguei a lanterna do celular pra esgotar a bateria. (A msg era uma segurança, se ela ficasse brava e me questionasse, eu mostrava q a falha foi da msg).
Resolvi pegar um cinema, antes de ir pra casa pra matar o tempo. Quando cheguei, os dois estavam de conchinha no sofá da sala vendo novela. Beijei minha mulher, cumprimentei meu enteado e fui tomar um banho. Agora eu sabia q tinha acontecido algo, so precisava descobrir o q foi.

Continua… (próximo eh curtinho)rsrs

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...