Veado é Tudo Igual!… Será Que Tenho Razão Mesmo? (Final)


Click to this video!
Autor

…Mas essa euforia e alegria iriam demorar muito pouco… Logo pela manhã teria uma surpresa negativa que se confirmaria à noite… Acreditava que ninguém da fazenda sabia o que estava acontecendo entre Eu e o Tarcísio… Estava totalmente enganado e fui surpreendido por alguém que queria se vingar do Tarcísio.
Ao acordar sentia-me sei lá alegre, leve, eufórico, feliz, uma sensação diferente e gostosa. Sorri algumas vezes e ficava olhando o meu corpo no espelho tentando notar algo diferente, recordando-me da noite anterior… Durante o banho estava tão sensível que imaginei o Tarcísio passando o sabonete em todo o meu corpo com as suas mãos grandes… “O QUE ESTAVA ACONTECENDO COMIGO”… Chegando à mesa do café da manhã minha prima foi logo dizendo:
“BOM DIA DORMINHOCO”… Continuamos nosso café da manhã e Ângela falou novamente: “PRIMINHO VOCÊ ESTÁ COM UM BRILHO NOS OLHOS… AHRAAAM… JÀ SEI… QUAL DELAS LIGOU PARA VOCÊ… FALA PRIMINHO… VOCÊ SABE QUE SOU CURIOSA DE NATUREZA”…
Como sou muito tímido continue calado e sorri… Puxa! Ângela não tinha a menor ideia de que a minha felicidade não era por causa de suas amigas que conheci no shopping. Quando terminamos o café combinamos de passear pela fazenda… Aguardamos o Sr. Agenor na entrada da casa grande e percebi que logo à frente o Tarcísio conversava com alguns peões… “UFAAA!… O MEU CORAÇÃO DISPAROU”… Quando olhei para o outro lado notei o Evandro, aquele peão que ficou me observando pela janela aproximando-se e vindo a meu encontro… Sentia as minhas pernas tremendo e não conseguia sair de onde estava então olhei para baixo fazendo de conta que não o tinha visto…
Tomei um susto, tudo aconteceu muito rápido e só lembro-me do tempo que levei para olhar para baixo e dos gritos do Tarcísio. Quando tentei compreender o que estava acontecendo vi a imagem de Tarcísio e Evandro discutindo, empurrando um ao outro e falando muitos palavrões. Num certo momento o Tarcísio tentou dar um soco no Evandro e foi incrível como ele livrou-se daquele soco e ainda conseguiu derrubar o Tarcísio que caiu sentado feito uma jaca. Alguns peões riram da queda que o Tarcísio levou e furioso levantou-se gritando que iria enchê-lo de porrada… O Sr. Agenor gritou que parassem com aquilo ou seriam despedidos e mandou o Agenor sair dali imediatamente… Com muita raiva o Agenor saiu, mas gritou:
“SEU MERDA!… PENSA QUE TENHO MEDO DE VOCÊ SEU PEÃO DE UMA PORRA… SEU SAFADO… NA HORA QUE QUISER É SÓ FALAR E MARCAR O LOCAL SEU FDP”…
Sr. Agenor chamou o Tarcísio e perguntou o que tinha sido aquilo e que os sobrinhos do Sr. Sandoval estavam presenciando tudo… Perguntou se estava querendo ser demitido… Tarcísio alegou que estava protegendo a sobrinha e o sobrinho do Sr. Sandoval… Essa desculpa ficou muito estranha e o Sr. Agenor mandou que fosse cuidar de seus afazeres e veio ao nosso encontro pedindo muitas desculpas por tudo aquilo que aconteceu, informando ainda que nunca mais iria acontecer novamente…
Foi tudo muito estranho, mas o que levou o Tarcísio a agir daquela maneira e como o Evandro foi impressionante durante briga com o Tarcísio… Fiquei com aquelas imagens em minha cabeça… Não parei de pensar em tudo aquilo e se teria sido por minha causa… Era estranho ficar com esses pensamentos, que infantilidade achar que dois homens estavam me disputando…
“POR QUE… POR QUE… CONTINUAVA COM ESSES PENSAMENTOS ESTRANHOS… PUXA VIDA!… EU SOU UM HOMEM TAMBÉM… NÃO SOU GAY”…
Outro capaz ajudou a mim e a Ângela durante a cavalgada pela fazendo, pois o Tarcísio foi enviado à fazenda Delta após a confusão de manhã, só fui ter conhecimento desse detalhe no dia seguinte… Foi um dia gostoso, curtia muito cavalgar pela fazenda de meu tio, os pastos são lindos, a vista é maravilhosa. Somente quem já conheceu a Chapada dos Veadeiros em Goiás com as suas cachoeiras, águas cristalinas e uma paisagem ímpar de arrancar suspiros, entende o que estou falando…
A tarde transcorreu normal e não quis ir à Goiânia com a Ângela, pois tinha a esperança de encontrar com o Tarcísio, mas foi em vão mesmo eu indo ao local aonde perdi a minha virgindade e foi até pior, pois saí cheio de lembranças que aumentaram ainda mais a confusão em minha cabeça…
“NÃO SOU GAY… PORQUE ME SENTIA DAQUELA MANEIRA”…
… Perto de anoitecer recebi uma ligação de Ângela informando que já havia falado com o tio Sandoval e iria dormir na casa de suas amigas… Fiquei chateado, pois ficaria sem a companhia de minha prima e muito mais ainda por não ter conseguido quaisquer notícias de Tarcísio e do Evandro, mesmo isso sendo estranho pensava no Evandro…
Após o jantar achei melhor ir para o meu quarto descansar, pois estava sentindo-me sozinho… Ao fechar a porta de meu quarto comecei a sentir uma sensação de ansiedade e angústia preenchendo a minha cabeça e o meu peito… Fiquei em conflito, pois pensamentos me impeliam a dormir só de camiseta, nu da cintura para baixo… Imaginava como seria a reação do Tarcísio quando tirasse o lençol que estaria cobrindo-me… Seria uma surpresa maravilhosa e despertaria com ele envolvendo-me em seus braços fortes e musculosos… Não conseguia entender esse desejo forte de dormir nu e mais ainda a sensação de culpa e medo… Desliguei a luz e mesmo com vergonha deitei-me só de camiseta, nu da cintura para baixo e ficando de lado me cobrir com o lençol na esperança de ser acordado por Tarcísio…
Após algum tempo acabei dormindo e o que esperava aconteceu, mas não da maneira que esperava e desejava… Sentir a minha cama cedendo e despertei, meu coração disparou e quando o lençol foi removido lentamente já estava com o meu coração a mil por hora… Pensei imediatamente que o Tarcísio havia chegado… Senti o lençol sendo removido e um momento de silêncio e calmaria tomou conta do quarto, como se o Tarcísio estivesse admirando o meu corpo e a minha bunda que ele não cansava de falar que é uma delícia… Meu coração estava disparado e sentir o Tarcísio envolvendo-me em seus braços, o contato de seu corpo quente junto ao meu estava me levando à loucura e não resistindo mais empinei minha bunda movendo-a em sentido a seu corpo… “AAIII!”… Sentia aquela rola dura e quente roçando em minha bunda deixando-a melada, isso foi muito excitante… “AAAH!… QUE SENSAÇÃO MARAVILHOSA AQUELA”… Um calor estava espalhando-se por meu corpo, deixando-me muito excitado… Tarcísio estava fazendo diferente dessa vez e ao roçar a sua barba cerrada em meu pescoço, um arrepio tomou conta de todo o meu corpo arrancando gemidos abafados de prazer… Mais uma vez Tarcísio destruía qualquer possibilidade de resistência da minha parte…
“POR QUE NÃO CONSEGUIA DIZER NÃO… POR QUE ESTAVA COM TANTA VONTADE DE SER POSSUÍDO DE NOVO POR UM HOMEM… POR QUE QUERIA SENTIR UMA ROLA ENTRANDO DEVAGAR EM MINHA BUNDA…”.
Muito excitado virei minha cabeça de lado para olhar o Tarcísio e tomei o maior susto, ao tentar gritar minha boca foi tapada e fui totalmente imobilizado…
Era o Evandro… O Evandro estava em meu quarto… Evandro segurava-me de encontro a seu corpo… Estava totalmente imobilizado e encoxado sentindo sua rola pulsando e sendo apertada de encontro a minha bunda… Evandro continuou segurando-me e após alguns minutos com a sua voz grave:
“FIQUE CALMO… NÃO VOU TE FAZER MAL… SÓ PEÇO QUE NÃO GRITE E OLHA O QUE TENHO EM MEU CELULAR”… Evandro tinha na mão o seu celular com imagens de Tarcísio tirando a minha virgindade, inclusive imagens dele saindo de meu quarto na outra noite…
Evandro falou ainda: “POSSO SER UM PEÃO, MAS NÃO SOU BURRO E SE VOCÊ NÃO FICAR QUIETO SEREI OBRIGADO A COLOCAR ESSAS IMAGENS NA INTERNET… PENSA SÓ O QUE VAI ACONTECER QUANDO O Sr. SANDOVAL SOUBER DE TUDO ISSO E O QUE O HOMEM DE CONFIANÇA DELE FEZ COM O SEU SOBRINHO QUERIDO”…
Não sabia se meu coração estava acelerado pela excitação inicial que sentir antes de descobrir que era o Evandro ou devido ao medo de tudo vir à tona. Pensava que ninguém soubesse, mas parece que estava totalmente enganado… Evandro falou que já desconfiava de tudo e bastou seguir o FDP daquele peão metido a fodão… Evandro disse ainda que tudo ficou muito fácil quando estava nas proximidades do estábulo e percebeu o Tarcísio juntamente comigo aproximando-se do estábulo… Aproveitou o momento em que os peões estavam indo verificar as cercas e escondeu-se filmando tudo…
Evandro tirou a mão de minha boca e disse: “NÃO GRITE… NÃO TENHO NADA CONTRA VOCÊ, MAS TENHO QUE DAR UMA LIÇÃO NAQUELE FDP DO TARCÍSIO… VOU TER ALGO QUE ELE PENSA SER SÓ DELE… VOU ME VINGAR DAQUELE MERDA QUE SE ACHA O TAL… NADA CONTRA VOCÊ… POR ISSO ME DEIXA COMER A SUA BUNDINHA E PROMETO QUE DESTRUO ESSAS IMAGENS… EMBORA SÓ GOSTE DE MULHER A SUA BUNDA REALMENTE É LINDA, MACIA, LISA E BEM EMPINADINHA IGUAL À DE UMA MULHER”…
O que podia fazer… Não existia nenhuma opção que pudesse me salvar daquela situação… Olhava para aquele homem de olhos verdes, barba cerrada e com um olhar penetrante que me deixava “paralisada”… Não falei nada e simplesmente virei de lado ficando quieto só aguardando o que iria acontecer… Evandro entendeu a mensagem, pois aproximou o seu corpo quente abraçando-me forte… Beijou o meu pescoço, alisou todo o meu corpo várias vezes… Suas mãos fortes deslizavam e quando sua barba roçava em meu pescoço era deliciosa a sensação daquele arrepio… Evandro estava apesar do medo que sentia e de sua vingança contra o Tarcísio, me deixando excitadíssimo e receptivo… Meu corpo estava respondendo a todos os seus toques e carícias… Faltou pouco para que eu gemesse alto quando sua barba roçava em meu pescoço e a sua língua quente começou a deslizar por meu pescoço… Incrível mas estava gostando muito…
“O QUE ESTAVA ACONTECENDO COMIGO… ESTAVA SENDO CHANTAGEADO… MAS ESTAVA GOSTANDO MUITO DAQUELA SITUAÇÃO”…
Evandro virou-me de frente e começou a deslizar sua língua por meus peitinhos e começou a sugá-los… Não deu para segurar os gemidos de prazer: “AAAAH!… AAAH!…AAAAI!”… Não conseguia imaginar o que estaria para acontecer… Evandro continuava a sugar meus biquinhos do peito e sentia sua mão percorrendo a região de minha pélvis e seu dedo buscando passagem por meu cuzinho… Seu dedo tocava o meu cuzinho apertadinho e sempre que sugava os bicos de meus peitos, forçava um pouco mais o seu dedo na entrada de meu anel… Aquele homem estava me levando à loucura e seu dedo começou a entrar bem devagar dentro de meu rabinho… Gemi várias vezes: “AAAAH!… AAAIII!…HUUUM!…” Evandro brincava com a língua em meus peitinhos e seu dedo já totalmente dentro de meu buraquinho, entrava e sai bem devagar… Não tinha mais controle sobre a situação e só queria sentir mais e mais prazer… Evandro por vários minutos continuou com esse ritual de excitação, deixando-me louco e excitadíssimo com todo aquele prazer proporcionado naquele momento.
Evandro colocou-me de quatro na cama e disse:
“ABRE UM POUQUINHO AS PERNAS… CARALHO! QUE GOSTOSA ESSA SUA BUNDA… QUE CUZINHO LINDO… BEM ROSADINHO”… Sentia Evandro esfregando a cabeça de sua rola em meu anel, tornando-o mais e mais molhadinho… “UFAAA!… O CONTATO DAQUELA ROLA LUBRIFICANDO O MEU ANEL ME DEIXAVA DOIDO DE PRAZER… COMO ESTAVA DESEJANDO TER AQUELE CACETE DURO DENTRO DE MINHA BUNDA”…
Evandro posicionou a sua rola na entrada de meu buraquinho e começou a forçar a porta de trás de meu rabinho, puxando a minha cintura ao seu encontro… Alisava minhas costas… Dava tapinhas em minha bunda e ai não deu para segurar o gemido quando sua rola venceu a barreira inicial de resistência do meu cuzinho… Gritei baixinho: “AAAIIIIH!… HUUUUMM!… AAAAH!”… Sua rola entrava lentamente, era muito mais grossa que a do Tarcísio, não doía, pois estava tão excitado e receptivo, que sentia plenamente a pulsação forte daquele membro sendo enterrado justinho dentro de minha bunda…
Evandro após conseguir a penetração total, alisava minhas costas e de vez em quando roçando sua barba cerrada em meu pescoço, levando-me à loucura… Iniciou um movimento de vai e vem sem tirar totalmente a sua rola de dentro de mim… Foram muitos minutos e sentia-me totalmente dominado… Evandro continua penetrando-me mais e mais… Logo depois por várias vezes passou a tirar totalmente a sua rola de dentro de minha bunda e de forma rápida e frenética a enfiava todinha de novo… Sentia os seus testículos batendo em meu bumbum e assim tinha a certeza de que o Evandro havia enterrado toda a sua rola dura dentro de meu rabinho… Esses movimentos me faziam gemer e pedir que não parasse: “AIIII!… AAAAAH!… CONTINUA NÃO PARAAAAA!… AAAAI!”…
“O QUE FIZ NAQUELA NOITE NÃO CONSEGUIR ENTENDER ATÉ HOJE… POR QUE… POR QUE… FALEI AQUILO PARA O EVANDRO… NÃO SOU GAY… POR QUE FIZ AQUILO…”
Evandro muito excitado deitou-me de bruços deixando todo o peso de seu corpo sobre mim… Sentia aquela rola dura toda enterrada dentro de minha bunda… “GRITEI BAIXINHO VÁRIAS VEZES”… Evandro segurou os meus braços acima de minha cabeça fazendo um X com os pulsos um sobre o outro, segurando os dois e começou a força mais e mais a sua rola dentro de mim, chupando o meu pescoço, roçando minha nuca e adorando os meus gemidos de prazer… Foi deliciosa a sensação de dominação, do corpo suado colado ao meu e de ter o Evandro fodendo mais e mais minha bunda sem parar… Foram vários minutos que estavam levando-me à loucura total e ao êxtase… Evandro parou momentaneamente e sem tirar sua rola de dentro de mim colocou-me em seu colo e guiou-me a levantar e descer no sentido de seu colo…
Quando achei que já tinha experimentado novas sensações, Evandro começou a segurar delicadamente a minha rola e passei a gemer alto de prazer… “AAAAI!… UUUUI!… AAAAH!”… Sentia a minha rola ficando dura muito dura… Que sensação maravilhosa estava experimentando… Descia e subia lentamente no colo do Evandro engolindo sua rola com a minha bunda… Estava delirando com o prazer que sentia ao ver a minha rola totalmente dura ao ponto de Evandro parar de manuseá-la… Minha rola latejava ereta e sentia as minhas pernas ficando bambas, mas continuava subindo e descendo no colo de Evandro, engolindo totalmente a sua rola dura com minha bunda… Como foi delicioso sentir a rola dele dura latejando forte toda enterrada dentro de minha bunda e eu experimentando a sensação de ser possuído com a minha rola toda dura…
Que prazer estava sentindo naquela noite, nunca imaginei que o medo da chantagem se transformaria numa noite maravilhosa aonde experimentaria sensações deliciosas de prazer… Evandro dizia:
“ISSO… ASSIM MESMO… DESCE E SOBE… ISSO MESMO… BEM DEVAGAR”… Incrível… Foi incrível como a minha rola estava dura e num certo momento senti um arrepio percorrendo todo o meu corpo de forma intensa como nunca tinha experimentado antes e as minhas pernas começaram a tremer e descobri como é delicioso gozar de pau duro com uma rola toda enterrada dentro de mim… Gozei forte… Estava tão ofegante e sentia o meu sêmen jorrando forte de minha rola totalmente dura e latejando… Não conseguia mais subir e descer no colo do Evandro e gozei sentado em seu colo com a sua rola toda enterrada dentro de minha bunda, sentia o meu anel se contraindo todinho e apertando o membro de Evandro…
“FOI MARAVILHOSOOOO… AAAAI! QUE PRAZER SENTIR NAQUELA NOITE”…
Evandro ainda me abraçava forte e dizia: “GOSTOU MUITO NÉ”… Tentei me recompor, mas estava muito ofegante e adorando o contato com o seu corpo quente e suado… Minhas pernas tremiam muito e não entendia direito o que havia acontecido comigo… Nunca tinha gozado daquela maneira tão intensa, forte e prazerosa… Estava muito ofegante e Evandro então sem tirar a sua rola ainda dura dentro de minha bunda, nos deitou de lado e ficamos encoxados por algum tempo… Minha respiração aos pouco voltava ao normal e sentia-me feliz… Sim!… Não posso negar que gostei muito de tudo aquilo… Dominado e perdido nos braços daquele homem que me subjugou e destruiu qualquer possibilidade de não aceitar que talvez o Tarcísio tenha razão com a sua teoria de que “VEADO É TUDO IGUAL QUANDO O ASSUNTO É ROLA”… Pensei sim muito nisso, pois podia ter saído daquela situação gritando por socorro, chamando o caseiro e não aceitando a chantagem… Não foi culpa do Evandro, pois intimamente naquela noite estava ansiosamente esperando o Tarcísio e até fazendo preparativos…
Estava tão cansado que acabei dormindo e de manhã quando despertei o Evandro já havia saído… Bateu um aperto no peito… Puxa o que aconteceu comigo… Porque gostei tanto de tudo o que aconteceu comigo nesses três dias de férias na fazenda de meu tio… Não sei o que mudou em mim, mas foi algo muito profundo, pois não estava mais preocupado com as imagens no celular do Evandro e nem com o fato dele poder publicar na internet…
Levantei-me da cama e percebi que ainda estava nu, mas não sentia mais aquela vergonha da noite anterior… Comecei a tomar um banho e cada momento daquela noite maravilhosa passou por minha cabeça como um flash… Sentia que o meu corpo reagiu a cada sensação e estímulo que experimentei e jamais imaginei ser possível ter tanto prazer…
Fui tomar o meu café da manhã e não nego estava muito feliz e queria muito encontrar o Evandro e sei lá conversar com ele, não sei explicar, minha cabeça estava a mil por hora…
Bom infelizmente nem tudo são alegrias e depois do café da manhã o Sr. Agenor falou que minha prima não viria hoje, mas a novidade boa é que os meus tios chegariam hoje pela tarde… Perguntei pelo Evandro e o Sr. Agenor falou que bem cedo ele pediu as contas e viajou. O Sr. Agenor confidenciou que foi até melhor, pois com certeza o meu tio iria demiti-lo depois da encrenca dele com o Tarcísio…
Puxa vida!… Nem lembrei mais do Tarcísio, que após a confusão com o Evandro foi deslocado para a fazenda Delta e provavelmente passaria a trabalhar por lá… Alguns dias depois já com os meus tios na fazenda, as férias foram passando e foi bem legal de certa forma, mas o vazio permaneceu e nem sempre temos tudo que desejamos, mas reconheço que a teoria do Tarcísio realmente tem lógica e experimentando comprovei que ele tinha total razão quando dizia que “VEADO É TUDO IGUAL QUANDO O ASSUNTO É ROLA”…
Tentei resistir de todas as formas, mas sucumbir ao prazer que esses momentos na fazenda dos meus tios me proporcionaram.