Embebedei minha filha, para depois tirar o cabaço dela!

Click to this video!

A historia que vou contar agora a vocês, aconteceu recentemente. Mas tudo começou a uns anos atrás, eu era casado com uma bela mulher mas com o tempo o casamento esfriou, pro fim eu e minha então esposa decidimos nos separar e hoje estou divorciado a 5 anos; e deste casamento, eu e minha ex esposa tivemos duas filhas, a mais velha hoje tem 16 e a outra tem 13 anos.
O que irei agora lhes contar, aconteceu com a mais velha…

Depois da separação, eu e a mãe delas, passamos a por obvio, morar em casas separadas. Eu me mudei e deixei a casa para minha ex esposa e as nossas filhas. Nossas filhas passam toda a semana com a mãe delas e aos fins de semana elas vem ficar com o papai. A gente pede uma pizza, vê um filme, coisas do tipo, e desde que me separei e passei a morar sonzinho e receber minhas filhas nos fins de semana, eu comecei a olhar para a minha filha mais velha de forma inapropriada, ela me lembra um pouco a mãe, pele morena clara, cabelos castanhos, olhos também castanhos, muito linda, mas ela naquele momento da separação ela só tinha somente 11 anos, então resolvi me conter, só passava a mão, via ela pelada, mas nada de sexo. Obviamente eu tocava muita punheta para ela, e apesar de eu ter umas namoradas, o que eu queria era comer minha filinha, e agora que ela está crescida, decidi que iria fazer isso de um jeito ou e outro, só precisava do momento certo.

O momento certo então chegou, em um fim de semana a minha filha mais velha veio passar comigo, a mais nova não veio pois ela iria passar o final de semana acampando com as amigas e isso foi perfeito… Minha filha mais velha então chegou na minha casa, eu falei para ela se arrumar para a gente ir ao cinema, ela foi tomar banho, e eu fiquei matutando meu plano, se desse tudo certo, aquele seria o melhor dia da minha vida. Então ela tomou banho, se vestiu, e a gente foi para o shopping, assistimos um filme qualquer que eu nem prestei atenção, depois do filme a gente foi comer uns hambúrgueres e fritas em uma lanchonete, ai então voltamos para casa, quando chegamos já era um pouco tarde, por volta das dez e meia da noite, minha filha foi para o quarto dela, eu então fui para a cozinha, peguei uma garrafa de um vinho tinto seco que eu havia comprado, então preparei uma jarra de sangria e levei para o quarto da minha filha com dois copos, eu então bati na porta e ela falou “pode entrar!” eu entrei e minha filha ao ver eu entrando com aquela jarra, perguntou:
– O que é isso, pai?
– É só uma sangria gostosa.
– O que é sangria?
– Já já te explico.
Eu então coloquei a jarra e os copos sobre a cômoda, me sentei na cama ao lado dela, ela estava deitada de bruços, com um baby doll rosa, e aquela bundinha empinada dela já me deu uma enlouquecida de leve. Então eu disse:
– Filha, você me diz uma coisa?
– O quê?
– Primeiro, você pode soltar esse celular para a gente conversar?
Ela resmungou, soltou o celular e disse:
– Aii, o que você quer, pai?
– É assim que você trata o seu pai que te levou para passear hoje?
– Foi mal, pai!
– Tudo bem!
Ela então sentou-se ao meu lado e eu disse:
– Filha, sua mãe me disse que ficou sabendo que você e umas amigas foram vistas bebendo cerveja perto da escola.
Ela se assustou, guardou silêncio por um tempo, depois disse:
– Pai, a culpa não foi minha, as outras garotas…
Então eu interrompi ela e disse:
– Filha, relaxa, eu não quero brigar com você, pelo contrário.
– Contrário?
– Sim! Filha, você já esta está com 16 anos, logo fará 17, eu não penso como sua mãe, acho que você pode beber.
Ela se empolgou e perguntou:
– Sério, pai?
– Sim filha! Eu só não acho que você tem que começar bebendo com amigos na rua, eles podem não saber o que estão fazendo, então melhor você beber com seus pais.
– Mas minha mãe nunca vai deixar eu beber.
– Sua mãe não, mas eu sim! Essa jarra que eu trouxe é de sangria, é uma bebida feita com vinho, quer provar?
– Você está falando serio, pai?
– Sim! Vamos beber?
Então eu servi um copo de sangria para ela e bebi um copo também, eu fiz uma sangria bem forte para deixar minha filhinha bêbada logo, e ela começou a beber, tudo estava ocorrendo como eu planejei. Ela foi bebendo e logo já estava mais mole, então eu perguntei:
– Filha, me diz uma coisa. Você tem um namoradinho?
Ela com a voz já um pouco embriagada, disse:
– Ah pai, que pergunta estranha.
– Fica de boa filha, sou teu amigo, pode responder.
– Não pai, eu não tenho namorado!
– Mas você é bonita, deve ter muitos meninos afim de você, correto?
– Sim pai, mas eu só quero saber de estudar. Namorar eu deixo para o futuro.
– Então você ainda é virgem?
– Claro que sou pai, que pergunta!
Eu então decidi parar de fazer perguntas a ela; quando a jarra de sangria já havia acabada, e minha filha tinha bebido bem mais que eu e já estava bêbada, então eu fui até a cozinha, peguei uma garrafa de vodka, ofereci para ela, mas ela não queria beber, eu insisti, então ela bebeu uns 6 shots de vodka, eu não bebi nenhum, fiquei sóbrio, já minha filha tinha bebido tanto que desmaiou no meu colo, eu tentei acordar dela, queria ver se realmente ela estava desacordada, e realmente ela estava um pouco desacordada, não falava nada com nada. Então eu parti para a parte mais gostosa do meu plano!

Eu tirei a parte de cima do baby doll dela, ela estava sem sutiã e os peitinhos dela eram lindos, estava crescidinhos, nada muito grande mais eu adorei, cai de boca nas tetinhas dela, queria fazer tudo rápido para acabar logo e minha menininha não ver nada, chupei as tetinhas dela com muito gosto, apertei eles, passei a língua no biquinho, na aréola, eu estava cheio de tesão, meu pau estava duro como a pedra, então eu tirei minha calça e minha cueca, botei minha filha sentada na cama, abri a boca dela e enfiei meu pau, como era bom sentir o calorzinho da boca dela no meu pau, então como ela estava desacordada e não podia me chupar, eu comecei a foder a boquinha, a cabeça do meu pau ia fácil até a garganta dela, e isso foi muito bom, aquilo estava maravilhoso. Quando eu estava quase gozando, parei de meter na boca dela. Tirei a parte de baixo baby doll dela e depois a calcinha, como a xota dela era linda, então eu chupei a bucetinha dela com gosto, pena que tinha alguns pelos mas eu os ignorei e enfiei a linguinha na buceta dela, o melzinho dela era muito gostoso, amei aquilo. E mesmo ela desacordada, eu queria que ela sentisse o saborzinho dela, então parei de chapa-la, enfiei três dedos na buceta dela, depois passei na boquinha dela, ela nem se mexia, mas o meu tesão fazia eu curtir aquilo tudo. Então eu virei ela, botei ela de bruços na cama, abri a bundinha dela e comecei a chupar o cu dela, enfiei minha língua bem no fundo do cu dela, que maravilha foi chupar aquele cu gostoso, então eu botei ela de ladinho deitada, me deitei atrás dela de ladinho também, levantei uma das pernas dela e passei a cabeça do meu pau na entradinha da xota dela, ai que delica, então enfiei o meu pau em sua xota, a buceta dela era bem quentinha e úmida, maravilhosa. Comecei a socar meu pau na bucetinha dela bem devagar, não queria machuca-la, mas com o tempo o tesão tomou conta de mim e eu comecei a socar meu pau com muita força na xota dela, então algo aconteceu que me assustou, minha filha parecia estar um pouco acordada, ela dizia “Ai, ai, ai” então eu coloquei um cobertor sobre o rosto dela, para ela não ver nada, e continuei metendo na xota dela com muita força. Quando eu estava quase gozando, decidi gozar no cuzinho dela, então tirei o meu pau da buceta dela, meu pau estava todo melado, então enfiei a cabeça do meu pau no cu dela, por sinal que cu apertado ela tem, então fui enfiando mais o meu pau, quando o meu pau entrou todo no cu dela, percebi o corpo dela tremendo, mas eu continuei, soquei com força, eu queria logo gozar, não demorou e eu gozei no cu dela, enchi o rabinho da minha filha de porra, havia realizado meu sonho, gozei gostoso no cu dela, um dos melhores orgasmos de minha vida.
Então eu me levantei, limpei e vesti ela, fui para o meu quarto, tomei um banho gostoso mas, minha filha não sabia da minha cabeça, então comecei a tocar uma bronha gostosa, e quando estava quase para gozar, eu percebi que queria gozar na boquinha da minha filha, então fui até o quarto dela, ela ainda estava deitada, eu peguei o rosto dela, tapei os olhos dela para ela não me ver e meti meu pau com força na boca dela, logo eu gozei gostoso na garganta dela. Então depois disso fui para meu quarto e dormi como um anjo, no dia seguinte acordei e fui para a cozinha, fiz um café da manhã e quando minha filha acordou, ela foi até a cozinha, ela estava com uma cara de quem estava com muita ressaca, ela tomou café o seu da manhã quase calada, então ela disse:
– Pai, posso te falar uma coisa?
– Sim!
– Eu acordei com muitas dores, em algumas partes do corpo. Isso é normal depois de beber?
– Sim, é filha! Ainda mais você que bebeu muito.
– Ah ta! Nunca mais vou beber
– Filha, beber é bom! Você pode beber, vai se acostumar. Mas filha, não conte nada de bebidas e dores para sua mãe. Ela não vai gostar de saber disso.
– Eu sei, não vou falar. E pai, obrigado por deixar eu beber; te amo pai!
– Também te amo, filha!
Então eu dei um beijo na testa da minha filha, depois fui tomar um banho e tocar mais uma punheta pensando na minha filha!

Essa foi a minha historia comendo a minha filha mais velha. Por sinal, estou planejando embebedar ela novamente para comer aquele cuzinho gostoso de novo. Mas o que eu quero agora é ficar a sós com minha filha mais nova, dopa-la e comer ela também. Se eu fizer, escrevo aqui para vocês os detalhes, até mais… Espero que tenham gostado!