Comi Minha Filha II

Click to this video!
Autor

Acordei com minha filha coma cabeça no meu peito e suas pernas a bertas e sua buceta nas minhas coxas, meu caralho ficou logo duro, vendo aquela delicia da minha filha peladinha e juntinho de mim.
Procurei não acordá-la e fui fazer o nosso café, quando estava quase terminando ela entrou na cozinha peladinha, me abraçou e nos beijamos, senti ela ficar arrepiada, falou papai que lingua deliciosa, estou adorando te beijar. Meu caralho ficou duro como pedra novamente, ela pegou e falou que lindo papai, se a baixou e abocanhou o mesmo, conseguindo colocar grande parte na boca. me fazendo gemer de prazer. Pedi a ela para mas ela falou papai está gostoso quero tomar mais leitinho, adorei ontem. Eu já não aguentava mais e falei vou gozar, ela não tirou o caralho da boca, abriu mais e sentiu meu gozo encher sua boca, depois de ter bebido tudo tirou meu caralho da boca e limpou, deixando ele limpinho e ao mesmo tempo duro.
Papai quero sentir seu caralho hoje, me faça mulher, quero ser sua putinha sempre.
Disse calma vamos ter muito tempo. Tomamos café e fomos para a minha cama. onde comecamos nos beijando, fui descendo e cheguei a um dos seus seios, pequenos e deliciosos, ela gemia e falava que delicia papai chupa mais, estou gozando, estou molhadinha com sua boca nos meus peitinhos, gemia gostoso me chupar com mais carinho e prazer. Fui descendo e cheguei na sua bucetinha, rosadinha e fechadinha, uma delicia. cai de boca no seu clitoris quando ela gemeu mais alto, perguntei quer que o papai pare: Ela disse não continua papai, por favor, está muito bom, estou adorando. Acariciava sua buceta e ela gemia como uma gata, eu louco para enfiar meu caralho lá, mas estava com receio e tinha que manter a calma. Afim de não assustá-la.
Isso é muito bom papai! Hum, continua”
“Ta princesa?”
“Ta muito gostoso, ai!” Ela começava soltar gemidos mais longos “Ta muito gostoso assim!” falava entrecortada entre gemidos. Ele a virou um pouco de lado, pensando em o quanto estava molhada aquela boceta carnuda e suculenta da filha. Me levantei e falei para ela sentar em cima do meu caralho. Mianha filha sentou em cima do meu caralho, passando a esfregar sua buceta no meu caralho, ela começou a se esfregar meu caralho, gemia e esfregava forte, ele sentiu sua buceta molhadinha, parecendo te urinado.
“Esta bom?” ela disse que sim com um gemido longo . “então fala que ta gostoso esfregar sua boceta molhada na caralho gostosa do papai!”
Ela abraçou ele esfregando mais forte e falou na orelha dele “Papai, esta uma delicia esfregar minha boceta molhada, no seu caralho grosso e duro. Estava adorando tanto quanto ela, falou continua esfregando gostoso que o papai tem o que você está querendo e vai gozar ainda mais.” ela ficou feliz em obedecer e ele começou a acaricia e chupar seus peitinhos. Sara fechou os olhos, se esfregando no caralho do pai, indo para frente e para traz e gemendo baixinho a cada movimento. “Papai, aperta meus peitinhos, chupa elas mais forte que eu vou adorar mais “Isso, você falou que eu tinha peitinhos deliciosas então chupa eles forte, aperta eles.” ela deu um longo gemido, “isso ta muito gostoso papai,.
Ele riu e começou a apertar seus peitinhos, ela gemeu mais alto. Em quanto apertava ele perdia a boca nela, apertava e lambia os mamilos pontudos e durinhos de filha, ela gemia e se esfregava, até que finalmente ele começou a chupar forte, colocando um dos peitinhos na boca. Ele sentia a boceta molhada dela encharcada esfregar para frente e para traz no seu caralho, ouvia os gemidos dela e abocanhava aquelas tetas deliciosa, até que não deu pra agüentar mais.
“O papai vai gozar delicia. Quer tomar mais leitinho do papai?”
“Arrãn, quero sim, é muito gostoso adoro seu leitinho.” Disse ela animada
“Então fica de joelhos ficou com a boca aberta esperando o pai que levantava e tocava uma punheta. Ele chegou perto dela pediu para ela abrir a boca e tentar colocar uma parte do caralho nela, quando saiu o primeiro gozo ela adorou e abriu mais a boca recebendo tudo na boca e passou a engolir o leitinho do pai, ela soltou um gemido e fez biquinho para o pai, o que fez com que escorresse um pouco de porra por seu queixo que formou uma grande gota que caiu nos seus peitinhos, passou a o dedo pelos peitinhos e pelo queixo, pegando o restinho e engoliu.
“Tem mais papai?” perguntou ela desejando mais e mordendo o lábio inferior, ainda passando a língua pela boca e sentindo o gosto.
“Vem cá, da umas lambidinhas na rola do papai pra acabar com o restinho” ele deu uma espremida no pau, o que fez sair mais umas gotinhas que ela lambeu como uma gata.
“Acabou?” disse com uma carinha triste.
“Não, vai lavar a boca e esses peitinhos pequenos e deliciosas que o papai te da mais leitinho pra tomar.”
“Ta bom, eu posso ficar me esfregando mais? “
“ Vou te mostrar coisa melhor, quer?
Quero sim” disse animada e saiu correndo para o banheiro, o que fez ele reparar naquela bundinha arrebitada e redonda.
“Vem papai!” Sara falou impacientemente esfregando uma perna na outra.
“Estou indo” ele foi e se sentou ao lado dela “Levanta filhinha e fica de costas para o papai” Sara obedeceu e ficou de costas na frente do pai com as perninhas juntas, “Consegue abraçar os joelho delicia?”
Foram para a sala, onde ele falou:
“Senta no sofá e abre as pernas delicia do papai!”
Ela foi para o sofá se sentar, abriu as pernas e deixou aquela desejável pedaço de carne, rosada, suculenta e molhada amostra, o pai se abaixou e começou a chupa-la, o que arrancou gemidos mais constates de Sara “Que gostoso papai, hum, me lambe mais, ai, que linguá gostosa, hã!”
“Você tem uma boceta carnuda e gostosa igual a da sua mãe!”
“Então chupa pra aliviar a saudade dela papai!”
Ele parou de chupa-la e começou a mexer no clítoris dela. Sara não parava de gemer, e ele se deliciava ao ver gotas do mel dela escorrendo pela boceta, ele lambia cada gota profundamente, sentindo a língua penetrar para dentro dos lábios suculentos da boceta da filha o que ela apreciava e demonstrava gemendo alto. Sabendo que ela estava adorando ele começou a enfiar e tirar o dedo da boceta dela, mexer no clítoris e chupa-la, o que deixou Sara louca, sem parar de gemer um só instante.
“Isso papai, hum, não para ta gostoso, hum, continua” ele falava esporadicamente
O pai Sara enfiou tudo o que podia na boca, chupava os lábios carnudos e rosados da boceta de Sara, queria a carne macia em sua boca, alternava de um, para o outro, paras os dois, enfiava a língua dentro da boceta quente e molhada, sentindo a textura interna do maravilhoso orgão da filha, seu polegar massageava o clítoris deixando ela louca e seus dedos indicador e médio entravam e saiam dela, tudo isso fazendo Sara escorrer e gemer mais e mais. Ele saboreava o gozo de sua filha que fluia feito como se estivesse urinando.
Depois de uns belos 30 minutos saboreando a boceta gostosa da filha ele queria enfiar seu caralho naquela buceta deliciosa molhadinha de tanto gozo. Ele disse: “deita filhinha!”. Sem falar nada Sara deitou de lado no sofá, o pai pegou uma das pernas da filha e colocou no seu ombro “agora você vai sentir a minha vara entrando gostoso em você”
“Mas papai! Ela é muito grande, não vai caber tudinho em mim!”
“Vai sim, você vai adorar!”
“Então enfia papai!”
Ele começou a esfregar o caralho na boceta da filha, sentindo os lábios fartos e carnudos envolverem sua rola e sendo encharcado pelo liquido que escorria da filha. Ela foi estava adorando sentindo o caralho duro se esfregando em sua boceta, e provocando ela, sem entrar fundo para sentir sua grandeza. “enfia logo papai, eu quero sentir sua rola dura e grossa, quero sentir minha boceta te engolir!”
Ele enfiou fundo dentro dela que deu um grito de prazer, no vai e vem ela gemia e gritava mais alto em quanto o caralho pai era envolvida pela pele macia, quente e gostosa, dos carnudos lábios de boceta de Sara, e a cabeça e o corpo da sua vara sendo apertado pelos músculos quentes que praticamente jorravam mel.
“Oh papai!!! Você tem uma vara muito gostosa. Hum. Ta gostoso papai? Gosta da minha boceta apertadinha envolvendo seu caralho, ah?”
“Você é uma delicia meu doce! Tão gostosa quanto sua mãe, apertada, quente, carnuda e molhada!” naquele vai e vem gostoso ele passou a apertar os peitos de Sara que sinalizou que estava gostando com mais gemidos “Aperta forte papai, aperta o biquinho! Hum, isso, enfia mais forte hum.” ele apertava os peitos da Sara e dava longos beliscões nos mamilos pontudos dela. “Eu enfio mais forte se você pedir pra mim te foder!”
“Então me fode papai, me fode forte, enfia tudo dentro de mim! Vai, assim ah!” ela gemia loucamente, estava quase gritando, o pai puxou a perna que estava em cima do ombro dele e começou a lamber o pequeno pesinho dela que enlouquecia de prazer ao sentir a vara dele entrando fundo em sua boceta, indo e vindo fortemente dura e grossa gritava de prazer.
“Me fode papai, me fode gostoso!” ele foi diminuindo a velocidade, ate ficar entrando e saindo bem devagarinho entrando até o fundo fervendo e saindo até a farta carne de fora. “Oh papai! Que delicia!”
“Que chupar a rola do papai?”
“Quero sim papai!” Ele saiu de dentro dela e sentou no sofá, Sara ficou de joelho no sofá e abaixou a cabeça para chegar na vara do pai e começou a lamber. Lambia de um lado para o outro de da baixo atá a cabeço inchada, quando terminou de limpar todo o própio gozo,assim como um pouco do sangue, enfiou a cabeça na boca e começou a subir e descer. Tirava da boca e enfiava de novo, parava com o vai e vem e ficava passando a língua em volta da cabeça da pica do pai la dentro. “Coloca tudo na boca, até o fim filhinha” ele falou.
Ele se inclinou para o lado e começou a mexer no rabo gostoso da filha. Sara deu umas ultimas chupadas, deixou a boca cheia de saliva e foi indo e vindo, enfiou tudo na boca, sentindo a cabeça da pica do pai ficar cutucando o finzinho do céu da boca, enfiou tudo e sentiu ela na sua garganta. Tirou da boca, deu umas chupadelas, levantou um pouco a cabeça deixou um pouco de cuspe escorrer para a rola do pai e enfiou de novo tudo na boca. O Pai adorava e em quanto acariciava e apertava a bunda da filha viu que sua boceta estava pingando e não quis desperdiçar aquele liquido gostoso.
“Vem cá filhinha, fica de pé aqui no sofá de costas, para o papai chupar sua boceta apetitosa” Ela levantou e ficou com a bunda branquinha na cara dele e abaixou, como se foce abraçar os joelho, para continuar enfiando tudo o que podia da rola do pai na boca, que olhou a boceta gostosa da filha parecendo um mega hamburger gigante, a pele lisinha da virilha e por dentro muita carne, colocou a boca na boceta da filha, chupava e lambia e sorvia todo o mel que escorria.
Quando cansou de chupar o pai e ser chupada por ele ela se levantou, virou de frente, se abaixou e de joelhos no sofá enfiou a rola do pai em sua boceta novamente, ele adorou a iniciativa. Ela começou a mexer de vagar, levantando indo para traz, abaixando e indo para frente, os dois se mexiam juntos e ela não parava de gemer, ela abraçou ele e mexia.
“Poe a língua pra fora delicia!” ela obedeceu e ele começou a chupar sua língua e sua boca, agarrou nos peitinhos gostosos da filha e começou a apertar do jeito que ela gostava. Sara se empolgou e começou a beijar o pai em quanto mexia e sentia a rola dura dele entrando e saindo dela mais rápido e com mais força. Logo o pai começou a chupar forte os peitinhos da filha.
Até que ambos gozaram e ficaram deitados no sofá descansando.
Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...