Eu amo meu marido, mas ele não sabe foder como o Fernando fode


Click to Download this video!

Antes de mais nada quero deixar bem claro que amo meu marido, e tudo aconteceu num momento de fraqueza. me chamo Jessika sou casada e mãe de um casal de gemios lindo de morrer, mas depois que eles nasceram a nossa relação meio que esfriou raramente transávamos.
Na festa de aniversario das crianças estava aquela correria e um calor insubordinável, vestia uma saia sem nada por baixo, sou descendente de índio, com cabelos longos e seios enormes e um bumbum não tão grande. no decorrer da festa por um descuido meu vestido levantou deixando a mostra minha bucetinha rapidamente abaixei o vestido e conferi para ver se ninguém tinha visto, para minha tristeza vejo Fernando o melhor amigo do meu marido, ele trabalha vendendo roupa na rua, me encarando com um sorriso de tarado. confesso que fiquei sem jeito, e ate o final da festa não consegui olhar para cara do Fernando, no final da festa ele se despedi-o como se nada tivesse acontecido.
Não se passou nem uma semana Fernando, volta na minha casa quando estou sozinha pois as crianças estava na escola e meu marido no trabalho. Eu já tinha até me esquecido do acontecimento do vestido, abri o portão para ele guardar o carro ele já era de casa mesmo. e começou a mostrar sua mercadoria roupas de crianças, tapetas, toalhas tinha uma bolsa fechada que ele jogou no fundo co carro falando que isso eu não usava. Peguei a bolsa se nenhuma dificuldade como se ele quisesse que eu a pegasse assim que abri vejo um monde de lingeri e o mesma cara de tarado que o Fernando fez na festa.
avancei nele com tudo para bater, mas ele me imobilizou me pressionando entre o carro e o corpo dele sentia seu pau rosando na minha perna aquela acretividade toda começou a me excitar, e questionou " estou errado?" eu acenei com a cabeça que ele estava, então ele falou que ia conferir e com a mão que tampava minha boca escorregou ate minha bunda e nesse dia também estava sem calcinha. ai ele sorrio falou que ia me foder na garagem mesmo, assim que meu short ja estava no joelho minha camiseta levantada deixando meu seios a mostra e eu chorando, Fernando para me fala para eu fazer um desfile de lingeri para ele, coloca a bolsa sobre o meu pescoço e me leva para dentro da casa vou para o quarto. nessa hora podia ligar para meu marido, podia fugir pela janela, mas coloquei a primeira lingeri era um corpete amarelo e uma calcinha fio dental extremamente minuscula da mesma cor.
quando chego na sala a mesinha de centro esta num canto e o Fernando sentado na poltrona , me manda desfilar e eu o obedeço, porque não sei, quando chego perto dele sua mão começa a acariciar minhas coxas bunda e xota, parecia até um polvo, logo me dá um tapa na bunda e me manda vestir outra, mas me obriga voltar para o quarto nua
dessa vez peguei um maio frente unica lilas todo transparente com um decote que ia ate um umbigo. Quando eu fui para sala ele estava todo pelado cheirando a calcinha que estava usando ao me ver ele para de cheira a calcinha e faz um sinal para eu começar com o desfile quando me aproximo dele ele começa a mexer com aquele pau peludo dele ate eu firar as costas para ele nasse momento ele me pega por traz do maio e me puxa com tudo no colo dele e me manda, bem baixinho no pé do meu ouvido, rebolar na sua pica Ja estava com muito tesão minha bucetinha nunca esteve tão molhada e quando eu rebolava comecei a pedi para ele me foder , e foi o que ele vez nem tirou o maio, só puxou de lado liberando a minha xota e com uma estocada me penetrou e la comecei a cavalgar,com eu estava de costa para ele pensei que iria curti sossegada, ate que ele começa a acariciar meus seio, puxou meu rosto para tentar me beija mas eu o rejeitei e continuei cavalgando na sua pica ate que ele enviou o dedo no meu cú e falou que ia come-lo, nisso bati nele e falei não, num movimento tão rápido me vi deitada de prusso no chão da minha sala. Sem falar uma palavra começa a rascar meu cuzinho com aquele pau para eu não chora com um pedaço de pano que estava na sala e começa a bombar em mim violentamente ate eu sentir um liquido quente encher meu cuzinho, tirou o pau limpou na roupa que eu estava vestido e virou de barriga para cima sentou em cima de mim travando meus braços, e com o pau ainda duro como uma tora mandou eu chupa-lo, falei que não fazia boquete ele retrucou falando que eu não fazia anal e mesmo assim ele tinha gozado no meu cuzinho, Resolvi obedecer com a ilusão se eu não resistice ele seria menos violento, foi só eu topar que me ajundou pelos cabelos e me pois de joelho na poltrona que sentou, comecei pelas bolas dele com a língua subi ate a cabeça e comecei nesse momento não resisti e comecei a me mastubar ate que derrepente ele segura a minha cabeça e a força ate o seu pau ir no fundo da minha garganta comecei a bater nele para me liberar pois já estava ficando sem ar. Só me soltou depois que encheu minha boca de porra.
Quando derminou ele se vestiu, e estava saindo peguei uma vestido qualquer que estava pilha de roupa para passar e o acompanhei ate a garagem, na despedida ele me socou um beijo de língua que me amoleceu toda quando agarrava um dos meu seios, e lamendou não ter brincado com eles como eles o mereciam. A noite quando estamos todos reunido o safado retorna e convita meu marido na frente das crianças para irmos há praia no final de semana, que ele conseguiu uma casa, sendo a única contra meu marido confirma nossa ida.