Todas procuram um amante macho e pauzudo


Click to this video!

Já era proximo de umas 18 horas e lembrei que precisava levar o carro pra trocar o óleo, pois no dia seguinte meu marido iria viajar com o carro, então pedi pro meu marido, que disse que não poderia pois precisava fazer algumas coisas do trabalho.

Então do jeito que eu estava eu sai.

Eu estava com roupa de ficar em casa, um shortinho branco curto meio transparente e uma blusinha preta decotada. Meu marido ainda gritou se eu ia sair daquele jeito, afinal sou meio gordinha e tenho bundão e peitão, então aquele traje ficava bem provocante, pra não dizer pornografico.

Mas eu sabia disso, e me aproveitava, pois adorava andar pela rua com os homens me desejando.

Disse que estava com pressa falei que iria assim mesmo. No elevador olhando no espelho acabei notando que como estava com uma calcinha fio dental vermelha de rendinha por baixo, ela ficava aparecendo na transparencia do shorts, mas nem liguei e notei que o porteiro do prédio me comeu com os olhos, o que me deixou excitada.

Chegando na oficina, que já estava quase fechando só tinha um homem lá, de meia idade (uns 45 anos) alto e forte. Estava de bermuda e uma camisa de uniforme, aberta até o meio do peito. Não pude deixar de olhar ele todo, era um homem muito sexy. E deu pra reparar no volume de sua bermuda (sim, conferi tudo inclusive a mala) que tinha coisa grande lá dentro. Não consegui não me excitar.

Desci do carro e vi que ele também me olhou inteira com uma cara de cafajeteste, me desejando. Mas disse que já estava fechando, mas como eu insisti muito ele aceitou. Mas pediu pra fechar a oficina antes pra evitar que chegasse mais alguém, naquele momento me excitei por saber que estaria sózinha num lugar fechado e sem ninguém com uma tentação daquela, que não deixou de demonstrar que queria me comer.

Enquanto ele fazia o trabalho fiquei ao lado dele e fomos conversando e nos apresentando, ele sempre nem disfarçava as olhadas pro meu corpo.

E eu consegui reparar que até o volume em sua bermuda cresceu e já estava demonnstrando que ele estava bem excitado, e ele via que eu estava olhando, e sorria ao me ver desejando descaradamente aquele caralho, deixando o duro intencionamente, e ajeitando na bermuda.

Mas eu também aproveitava e provocava ele, virando de costas para olhar algumas coisas pra ele ver minha bunda, me abaixando na frente dele pra que ele visse meus peitos e por aí vai.

Quando ele terminou, se virou pra mim e disse que estava pronto. A mala estava gigante, e eu conseguia ver o formato do seu pau, bem grosso e comprido e apontando para a direita dentro da bermuda. Fiquei olhando e minha boca chegou a caixa, fiquei muito excitada.

Mas logo ele disse que finalizou e o valor seria 120 reais. Entrei pela porta do motorista e fiquei de quatro, pra pegar minha carteira no porta luva.

Ele estava atras, e por isso mesmo fiz questão de empinar bem a bunda pra provocar. Como não achei a carteira, ainda de quatro olhei pra traz e perguntei se poderia voltar pagar no dia seguinte.

Ele estava com uma cara de tarado, e disse:

"Se tirar esse shortinho e deixar eu ver essa bunda só de com essa calcinha já está pago"

Eu estremeci de tesão, e olhei pra ele sorrindo e aprovando a ideia.

Ele baixou o shorts e tirou ele todo, jogando no chão.

"Meu deus que rabo gostoso"
Ele arredou minha calcinha pro lado e passou a dois dedos na minha buceta, que estava escorrendo de molhada.

"Tá gostando né sua puta"

Eu dei uma risada safada e gostosa.

Ele tirou a bermuda, olhei pra trás e vi que uma piroca preta gigante, grossa com um cabeção grande e brilhante pulou pra fora, extremamente dura e mirando para o infinito no horizonte.

Ele sem cerimonia, arrancou minha calcinha, deu uma pincelada, que foi quando percebi o quão dura ela estava, puro ferro e logo ele furou com tudo, socando forte até o fim.

Eu nunca havia sentido aquele prazer antes, ele me socou a vara como um animal, me possuiu até o fim, me fez a femea dele.

E eu correspondi, empinei meu rabo, abri bem as pernas se abrindo toda, de quatro ali naquele carro, pedindo pra ele me foder com força, pra provar para aquele macho que eu era a femea dele. E que merecia ser possuida por aquele pinto maravilhoso.

Acho que minha eterna procura do homem perfeito fodedor havia acabado, enquanto metia ferro em mim, passava a mão pelo meu corpo, como se dizendo que tudo aqui era dele agora

Eu tava tão molhada e ele estava tão duro que entrou fácil, e ele meteu forte socando lá no fundo por uns 15 minutos, maravilhosos onde ele estava entrando em lugares em mim que ninguém nunca entrou, até que senti ele tentanto enfiar mais e mais, querendo entrar dentro de mim e derrepente minha buceta se encheu da porra daquele macho.

Ele ficou gozando e metendo por uns 5 minutos, e nesse tempo todo jatos fortes de porra inundavam minha buceta, e a cada metida vazava pra fora escorrendo e pingando no banco do carro.

Quando tirou eu aproveitei e sai da posiçaõ de quatro (já estava com dores).

E fiquei chocada ao ver que aquela piroca toda melada continuava dura. Não resisti e dei uma chupada gostosa nela, esfregando aquela pica na minha cara, chupando aquelas bolas grandes e peludas, levando ele ao exctase, passando a linguinha em cada centimetro daquela vara, e socando tudo que entrava na minha boca na sequencia, até que rependinamente ele gozou de novo na minha boca, jatos fortes de leite quente. que engoli cada gole, saborendo o suco do meu homem.

Continuei chupando aquela piroca que insistia em não ficar mole.

Tentei me levantar falando que precisava ir embora, mas ele me agarrou e me beijou forte na boca, e disse que eu ia ser dele pra sempre. E continuou me beijando forte e apaixonadamente. Respondi que eu era dele quando ele quisesse.

Me levantou e me jogou de pernas abertas no capo do carro, e me fodeu novamente, incessavelmente, me furando forte com aquela delicia de pica.

Até que finalmente ele gozou de novo e aparentemnte se deu por satisfeito. Mas eu não…

Ao ver ele de pé com aquela pica meia bomba toda melada me agachei e falei que queria chupar mais um pouco.

Ele não deixou, e falou para eu ir embora pois poderiam estar preocupados comigo.

Nos vestimos e pedi o número dele, que me deu e me abraçou e me beijou novamente, pedindo pra me ver de novo.
Eu apenas sorri.

Mas estava feliz que tinha deixado ele satisfeito, assim que ele vai querer me comer de novo.
E não demorou…

(continua)