Chorei Assistindo Minha Esposa Chupar o Negão

Click to this video!
Autor

Leia a versão ilustrada: />

Até onde eu me lembro sempre fui um homem de Deus. Falo sério quando digo que todo maldito sábado, desde os seis anos de idade, eu estava lá. Sempre com uma roupa social e meu cabelo de vaca lambida, era o orgulho dos meus pais e naquela época era um orgulho para mim também. Os sábados na igreja eram os melhores, desde os seis anos até os meus cinquenta frequentei a mesma igreja que os meus pais, e posso dizer ver meus pais unidos por tantos anos era meu motivo de alegria desde a infância. Não sei bem quando me interessei sexualmente por uma mulher , mas, sei que foi na igreja, vendo meus pais juntos, que me interessei em compartilhar minha vida com alguém especial.

Por um momento, achei que tinha encontrado um amor assim. Sarah era minha esposa e isso já fazia dez anos, ela tinha tudo que uma mulher gostaria de ter e que todas as mulheres invejavam, um metro e sessenta de altura, os cabelos curtos que nunca chegavam até o ombro, a boca grande carnuda, daquelas que faz um homem perder a cabeça, olhos negros penetrantes, por último, não menos importante, um rabo grande, tão grande que eu nunca consegui comer direito. Enfim, uma esposa perfeita, difícil de acreditar, certo? muitos não acreditavam. Verdade seja dita, Sara não

tinha quase nada antes de me conhecer e por consequência, eu paguei todos os anos de sua faculdade, mas isso não significava que ela não me amava.

Se eu me lembro bem, nunca fui um homem possessivo, nunca perguntava para onde minha esposa ia ou quando voltava, eu nunca me importei, a confiança era grande e o amor maior ainda. Apesar de nunca perguntar, Sarah, minha esposa, sempre me falava antes de sair para onde iria, eu nunca imaginei, até aquele dia, que ela poderia estar mentindo.

Era uma quinta-feira e noite passada eu estava com tanto sono que não consegui assistir o jogo de futebol na televisão, coisa que para mim é sagrado. Então, quando acordei, liguei o meu notebook para procurar o resultado da partida. Achei videos no youtube e comecei a assistir um por um, enquanto isso, Sara se despedia de mim indo para seu consultório, ela era dentista.

Naquele momento em que disse tchau ela ainda era minha doce e amada esposa, cuja fidelidade nunca foi questionada. Porém, um erro da rotina apressada a traiu, ela tinha esquecido o celular na mesma mesa, na mesma em que eu estava sentado. Mas apesar desse descuido eu estava muito concentrado nos jogos para perceber que o celular estava bem ali na minha frente.

Foi então que ele começou a vibrar, chamando minha atenção. Eu o peguei sem me importar muito, poderia ser um cliente ligando para Sara ou uma mensagem da operadora, qualquer bobagem dessas. Quando olhei para a tela do celular vi que era uma mensagem de Whatsapp, enviada por um homem que eu nunca tinha visto na vida, a foto era pequena demais, mas eu conseguia ver que o homem parecia um jamaicano ou algo assim.

Tentei ver as mensagens que ele havia enviado, mas o telefone estava bloqueado e eu não conseguia me lembrar a senha. A curiosidade me corroía por dentro, então, em um ato de desespero liguei para o consultório de Sarah, Falei com Deisy a atendente baranga que ficava na frente do escritório assustando os pacientes com sua feiura, tratei Deisy gentilmente, perguntei se minha esposa estava livre, não estava. Pedi então para Deisy dizer para minha esposa que ela havia esquecido o celular em casa. Para conseguir a senha do celular resolvi mentir dizendo que precisava de fotos dos nossos filhos, pois estava fazendo montagens com eles no notebook. A secretária foi perguntar para Sara como era a senha do celular, ela estava demorando tanto que eu já estava imaginando que não conseguiria a senha, mas depois de tanto tempo, a secretaria veio e disse que eu só precisava fazer um L na tela para desbloquear o telefone.

Desliguei o telefone e rapidamente fui testar a senha, estava correta. Sem enrolar fui em direção as mensagens que o homem negro havia enviado para minha mulher. Fiquei chocado quando as li.

”Gostou da noite, morena?”

”Quer ver o video para se lembrar de mim?”

Abaixo da última mensagem estava um vídeo, fiquei com medo de ver, mas a curiosidade me atraia, e eu sem pensar, cliquei no vídeo. O vídeo começa com minha adorável esposa rindo feito uma retardada, toda boba, olhando para alguém, eu consigo ouvir a risada de um homem no canto e de um outro homem atrás da câmera. Minha esposa se

aproxima e a câmera anda junto dela, até que um homem negro aparece e para minha surpresa os dois começam a se beijar. Eu estava horrorizado com a cena, era nojento ver os lábios da minha esposa tocando os lábios de um completo estranho. Mas os dois pareciam se conhecer, pareciam se conhecer bastante. As coisas começaram a piorar quando ela começou a beijar o corpo do homem, ele era um negro daqueles fortões, aqueles que a gente vê em filmes fazendo coisas impossíveis, naquele momento minha esposa estava babando em cima do peito do negro, beijando de uma forma que ela nunca havia me beijado, uma mistura de ciumes e inveja percorreu pelo meu corpo. Eu respirei fundo econtinuei assistindo.

Não parecia a minha mulher no vídeo, estava com uma cara de safada que eu nunca tinha visto antes, passava a língua em torno dos lábios e dizia palavras que eu não conseguia ouvir, para o homem na frente dela. Sara começou a se abaixar e eu já estava suando frio assistindo o vídeo. Ela tirou a cueca do homem, expondo a rola enorme dela, era o maior pau que eu tinha visto em toda minha vida e pela reação de Sara, que soltou um gritinho seguido por um sorriso de orelha a orelha, era o maior pau que ela tinha visto também, e ela estava muito satisfeita com aquilo.

Ela segurou o pau com bastante firmeza, dava pra ver a felicidade no olhar dela e eu estava começando a odiar cada segundo daquele vídeo, mas algo dentro do meu corpo me dizia para continuar acompanhando. Ela começou a beijar a cabeça da rola, era muito maior do que a minha e essa comparação começou a doer. Ela começou a lamber lentamente, sempre olhando nos olhos do homem, sempre olhando com aquela cara de safada.

A boca carnuda da minha esposa estava começando a ser preenchida pela tora descomunal do negão, em alguns momentos ela começava a babar em cima do pau, devo admitir que aquilo tudo me deixava muito triste e excitado, para ser bem mais honesto, ela nunca tinha me chupado. Como sou um homem de Deus eu nunca tive contato com sexo mais agressivo, algo como sexo oral ou anal eram desconhecidos para mim. Mas naquele momento vendo minha mulher chupar aquele pau enorme, percebi que deveria ser prazeroso.

Com apenas alguns minutos o pau negro estava completamente babado pela minha esposa, não me pergunte como uma mulher tão pequena consegue enfiar uma rola tão grande na boca, eu não faço ideia. Ela tinha suas pequenas formas de fazer o cara pedir mais, ela o olhava nos olhos o tempo inteiro e esfregava o rosto no pau do homem como quem faz carinho em um gato ou qualquer merda desse tipo.

Ver a minha mulher caindo de boca no pau do negão estava me fazendo sentir uma mistura de humilhação e excitação, a cada chupada que ela dava eu imaginava os beijos que eu recebia e a cada momento em que ela parava para admirar o tamanho do pau eu me sentia envergonhado por não ter um pau tão grande, me sentia menos homem.

Eu só percebi que estava chorando quando o vídeo terminou, quando recebi uma nova mensagem do negro, perguntando para minha mulher se ela queria o outro vídeo. Qual seria o outro vídeo? O que mais ela teria feito com esse negro?

Leia a versão ilustrada: />