Eu e os 3 pedreiros


Click to this video!

Quando o Cavernoso morreu, obviamente, fiquei triste e solitário, afinal, ele era como se fosse o meu marido, pois várias vezes ele me deu muito mais do que sexo gostoso; me deu também amor, carinho, autoestima, e muitas outras coisas que, apenas sexo, não haveria entre duas pessoas, fossem quem fossem. E entre eu e Cavernoso, o lance era especial e único, como poucas vezes eu tive.

Com 14 anos, eu era uma verdadeira putinha… Tinha pinto? Eu dava bem gostoso. Era grande e grosso? Melhor ainda. E Não importava a idade do cara, se era garoto, jovem ou velho.

Um belo dia, a casa em que eu morava estava em obras, com 3 pedreiros: Ramon de 53 anos que era o chefe, Neco de 35 anos que era um negro maravilhoso e Silva que era nordestino. Eles eram os responsáveis por tocar a obra encomendada por meus pais e eu ficava por perto, dando apenas uma força, tipo fazendo a ponte entre minha mãe e eles quando eles precisavam de algo para a obra.

Um belo dia, minha mãe saiu prá comprar a lista de itens para a obra, e eu fiquei em casa. Minha mãe me deixou dinheiro, e me pediu que se o homem do gás passasse pela rua, que eu pegasse um botijão, pois estava precisando. O que minha mãe não sabia, era que eu pagava o gás de outra maneira bem mais gostosa, e ainda acabava ficando com o dinheiro que ela dava prá comprar gás.

Quando o cara do gás chegou, fui com ele pro meu quarto, só que me esqueci de fechar a porta, tamanho o tesão em que eu estava. E foi dessa forma, que tudo o que eu mais queria aconteceu…

Eu estava ali, de quatro levando rola grossa, e Ramon passou indo na direção do outro quarto, quando ele voltou e parou, olhando aquela cena admirado. A principio não vi Ramon, mas quando vi ele ali parado e olhando, sorri e comecei a gemer mais alto, fazendo caras e bocas, enquanto o cara do gás me fodia gostoso. Quando o cara gozou e tirou o pauzão de dentro de mim, levei-o ao portão e voltei de novo prá dentro da casa, tentando imaginar o que Ramon iria querer prá ficar no silêncio.

Ao entrar, Ramon me chamou de canto e disse: não tenho nada a ver com vc, o cu é seu, vc dá ele prá quem vc quiser. Mas, meus homens querem muito dar uma fodida nesse teu cuzinho. Eu olhei prá ele e apenas disse: que venham vcs três juntos, se quiserem, que eu dou conta. Podem vir vcs três!

Ramon saiu e foi chamar os rapazes, e qual não foi minha agradável surpresa, ao ver que cada um tinha a pica maior que a do outro. Ramon tinha uns 18 cms por 3,5 cms , Neco era o dotadão da turma com 22 cmsX 5cms e o Silva era o mais "modesto" com 15 cms X 7,5 cms. Ou seja, curto e grosso.

Comecei dando pro Ramon, como era mais experiente, achei que me ensinaria alguma coisa nova, mas, que nada, ele só me comeu de papai e mamãe, e logo que gozou, saiu dali prá se limpar.

Em seguida, veio o Neco, que começou me comendo de quatro, me pôs de ladinho, em seguida de frango assado, para terminar me comendo cavalgando a picona grossa e gostosa dele, gozando e enchendo de porra grossa e quente, o meu já arrombado e alargado cuzinho. Faltava o Silva…

Decidi deixar ele por último por ter o pau mais grosso de todos, e me dei muito bem. Fiquei de quatro, e Silva encaixou o cabeção da pica no meu cuzinho sedento de rola. Ele tentou entrar devagar, mas como meu cuzinho já tinha levado duas rolas grossas e gostosas, a pica do Silva, entrou entrando, fazendo eu me contorcer de puro prazer e tesão, que deixou também Silva excitado. Então, ele pôs suas mãos em minha cintura, e começou a estocar meu cuzinho com todo tesão, com toda a vontade e desejo, me levando ao delírio puro. Eu gemia, rebolava no cacete gostoso de Silva, sem a mínima dó ou piedade do meu arrombado cuzinho esfolado, que queria mais e mais a pica de Silva. Foi aí que pedi prá Silva tirar o pau que eu queria mudar a posição. Ele tirou e eu me deitei de barriga prá cima, coloquei minhas pernas nos ombros dele, e senti a penetração daquele cacete gostoso. Quando me penetrou, Silva ficou tão excitado com o prazer que sentiu, que começou a me foder beijando a minha boca ao mesmo tempo. Por minha vez, eu levava rola, e acariciava as costas do Silva, que gemia de tesão e me chamava de putinha gostosa, minha eguinha, entre outras coisas. Quando percebeu que ia gozar, Silva soltou um urro ao mesmo tempo em que cravou o picão dentro do meu cuzinho esfolado, e cheio da porra quente daqueles três machos gostosos e fodedores. Silva saiu de dentro de mim, e pediu permissão prá tomar um banho, o que eu concedi. Quando ele estava debaixo do chuveiro, eu entrei e dei prá ele mais uma vez, bem gostoso, ficando mais arrombado ainda, mas plenamente e totalmente saciado. Enquanto duraram as obras, todos os dias, eu dei pros meus 3 pedreiros gostosos: Ramon, Neco e Silva. Até hoje, não me esqueço daqueles tempos…