Fotos Com a Irmã Caçula (Parte 2)

Click to this video!
Autor

Esta é a continuação da história.
AVISO ( CONTÉM A DESCRIAÇÃO DE SEXO COM MENORES DE IDADE. SE NÃO CONCORDA NÃO LEIA )

Meu pau doía dentro do shorts de tão duro. Mas, apesar de todo tesão, uma faísca de consciência me atingiu. Sem falar nada fui ao banheiro e, tão logo tirei o cacete para fora e iniciei a masturbação, gozei, tamanho era o tesão. Procurei ajustar da maneira que dava dentro do shorts pois ele não amoleceu completamente. Peguei uma toalha, umedeci ligeiramente e voltei ao quarto. Ela continuava na mesma posição. Mas, já não ofegava. Com suas tranças juninas, rosto parcialmente maquiado, meias soquetes brancas, as pernas arqueadas e indecentemente abertas. Sentei na beirada da cama. Ela me encarou. Eu sem graça sorri para ela. Comecei muito delicadamente a limpar sua bucetinha e rosto com resto de saliva. Aproveitei e removi a maquiagem. Enquanto limpava sua bucetinha, pude pela primeira vez ver com detalhes. Já havia visto ela nua mas, assim toda escancarada para mim nunca. Seus grandes lábios eram gordinhos. Naquela posição com as pernas encolhidas e abertas, os lábios se separavam um pouco e podia ver seu interior vermelho. Sua abertura não devia ter mais de 3cm. Desmancheisuas tranças, escovei seu cabelo vesti um pijava bem confortável que ela gostava.
Isso tudo num silêncio total. Só conversas monossilábicas…
Aí surgiu o receio do que eu havia feito. Fui para cozinha e resolvi fazer strogonoff, um de seus pratos preferidos. Ela havia aberto a mochila de escola. Após 1 hora mais ou menos fui chamá-la para comer. Ela fazia algumas tarefas. Comemos conversando coisas da escola.
Depois, me ajudou com a louça e foi assistir TV. Eu fui cuidar das roupas.
Terminado, fui para a sala com ela. Ela já estava adormecida. Me ajeitei no sofá e ela no meu peito. Fiquei contente pois não estava me rejeitando. Bom sinal que havia sido uma experiência boa.

Dia seguinte:

O ocorrido não saía da cabeça. Quase não consegui trabalhar. Uma mistura de medo que contasse para alguém com o desejo que se repetisse. Mas, o desejo foi mais forte…

Voltando do trabalho, tive um impulso irresistível: entrei na perfumaria e comprei vários brilhos lábiais ( gloss ). Aqueles que deixam os lábios com aparência de úmidos. No caminho para casa, falei que havia comprado um presente surpresa. Ela ficou o caminho todo me perguntando o que seria. Como não estava a fim de cozinhar, aproveitei e comprei pizza.

Casa:

Ainda na cozinha enquanto guardava as compras, ela encontrou a sacolinha com os gloss…
– É esse o presente? ´perguntou

Sim, sabe o que é?

-Batom
– Um tipo de batom
– Para deixar seus lábios mais bonitos ainda. Quer passar?
Fez sim com a cabeça.
-Escolhe um então ( eram 4)
Escolheu um rosa claro quase na tonalidade original dos seus lábios.
Vamos no banheiro para você passar melhor.
Lá, ela mesma passou.
– Parece que está molhado….
– É para isso mesmo.
-Gostou?
Fez um sim com a cabeça e continuou olhando no espelho do banheiro. Fazendo biquinho.
– Beija o espelho ( falei )
– Ela obedeceu e deu vários.
Eu sentado no vaso sanitário, puxei ela em minha direção e falei. Deixa eu passar mais. Saiu no espelho
Peguei o gloss e lentamente comecei a passar. Não aguentei e dei um selinho.
Sua expressão mudou. Ela ficou séria. Perguntei:
– Posso dar outro beijinho?
– Fez sim com a cabeça.
Comecei então uma sequencia de pequenos selinhos, enquando com as mão alisava seu ombro, costas, nádegas, braços.
Comecei a passar a língua. Ela aprende rápido pois logo abriu a boca e começamos a nos beijar indecentemente.
Peguei-a nos braços e levei para meu quarto. Tirei seu uniforme enquando beijava sua barriga, costas, ombro, nuca. Ela se contorcia e ria quando beijava alguma região que tinha cóceagas.
Deixei-a completamente nua.
Quando terminei de tirar as meias, ela segurou meu rosto e me beijou. Confesso que raras vezes fiquei tão contente na vida. Sinal claro que ela estava gostando. Eu ajoelhado aos pés da minha pequena deusa. Ela me enchendo de beijos de criança: na boca, rosto, nariz, olhos e com um sorriso que iluminava o mundo.
– Vou fazer uma coisa gostosa em você, posso?
Ela sorriu e perguntou o que?
– Surpresa….Deita na cama.
Ela obediente fez.
Dobrei suas pernas e abri. Ela por fazer ballet, tinha muita abertura.
Lá estava, meu tesouro toda aberta para mim.
Comecei tocando com os dedos como no dia anterior. Só que agora, estava vendo tudo. Afastei os grandes lábios…. Pude ver o interior rosado, ficando vermelho de tesão…
Um líquido incolor começava a se formar. Afastei mais, pude ver o canalzinho, não tinha mais que 1 cm. Ela demonstrou desconforto. Parei e caí de boca.
Ela no início, reagia, numa mistura de cócegas e tesão. Até que comecei a imitar com a língua os movimentos de meu dedo no dia anterior. Aí virou tesão puro.
Ela ofegava com 3 a 4 respiros curtos, depois gemia e apertava minha cabeça com as coxas. Quando bem excitada, afastei os grandes lábios e comecei a chupar o interior da sua bucetinha. Ela chegou várias vezes a erquer o quadril…
Mas, não queria que terminasse como na primeira vez. Queria que ficasse com tesão.
Fui parando então.
Deitei ao seu lado. Sua face estava muito vermelha. Ficamos nos beijando e fazendo carinho naquela posição. Percebia que ainda estava com muito tesão pois quando meus dedos encostavam na sua bucetinha ela gemia.

( Continua )