Peguei minha mulher dando pra dois na academia

Click to this video!

Este fato que vou contar aconteceu recentemente e ainda não consegui superar e perdoar. A gente pensa que esse tipo de coisa só acontece com os outros, mas aconteceu comigo. Minha mulher é uma loira muito gostosa, estatura média , seios grandes e um belo quadril, que deixa os homens loucos quando ela coloca um vestidinho curto. Nunca liguei para as roupas que ela vestia, na verdade até gosto que ela use roupas provocante que me deixam louco de tesão. Sempre que saímos vários caras a comem com os olhos e quando transamos eu falo no ouvido dela o quanto ela é gostosa e dos caras que eu vejo olhando pra ela e que queriam estar no meu lugar fudendo ela naquela hora. Chamo ela de safada e pergunto se ela queria que fosse ele comendo ela ali. As vezes ela fica brava e pede pra parar mas no fundo ela adora ouvir besteiras quando transa e gosa feito louca e me faz gosar muito também, sempre é uma loucura. Sempre achei que ela fosse fiel a mim, pois sempre diz que me ama e que é louca por mim. Nunca percebi nada de estranho em suas atitudes que pudessem denunciar o que presenciei naquele dia. Bem, vamos aos fatos. Carla malha quase todos os dias em uma academia próxima a nossa casa. Geralmente ela vai de manhã porque diz que o dia rende mais, mas já faz uns três meses que ela começou a ir malhar a tarde e eu não sabia porque. Certo dia não estava me sentindo bem no trabalho e pedi pra ir embora mais cedo. Como havia ligado pra casa e Carla me disse que iria pra academia resolvi passar por lá pra irmos embora juntos e ela cuidar de mim. Quando cheguei vi seu carro no estacionamento e então entrei mas não encontrei Carla nos aparelhos. Perguntei pra uma das meninas que malham por lá e conhecem minha esposa onde ela estava. Fabiana disse que Carla já tinha se despedido e ido embora. Agradeci e já estava indo embora mas antes resolvi ir ao banheiro pois estava apertado. Não tinha quase ninguém na academia naquela hora da tarde e o banheiro estava com uma placa de interditado pra limpeza. Como estava muito apertado resolvi entrar assim mesmo e a porta estava aberta. Quando fui entrando ouvi vozes e algumas risadas lá dentro e achei que fossem as faxineiras conversando durante a limpeza mas, pra minha surpresa, percebi que era a voz de Carla. Como a porta não fez barulho quando abri ninguém percebeu que eu havia entrado no banheiro e como tem uma pequena parede em frente à porta pra ninguém ver o banheiro do lado de fora, me escondi ali pra escutar o que estavam falando e descobrir quem estava lá dentro com ela. Comecei a ouvir a conversa e percebi que haviam mais dois caras com ela. O que Carla estava fazendo com dois homens dentro do banheiro masculino? Não estava entendendo nada. Então comecei a escutar a conversa. Um dos caras estava pedindo pra comer ela e dizia: – Vai Carlinha dá pra gente. – Eu sei que você gosta de chupar um pau mas é que eu tô doidão pra te comer. – Você sempre dá pro Marcão aí que eu sei… né Marcão ? – E hoje você vai ficar só na chupetinha pra nãos dois? A Carlinha só dava risada e falava pra ele parar senão ela ia embora. Quando ouvi isso minha vontade foi de entrar e dar porrada um todo mundo mas me segurei e fiquei ouvindo pra saber a resposta dela. E ela disse: – Eu tô com medo de alguém chegar e pegar a gente aqui. – Vocês dois são loucos sabia. – Vamo acabá logo que eu quero ir embora daqui. – Outro dia a gente faz com mais tempo. – E outra coisa, vocês nem tem camisinha. Ela falava isso enquanto chupava e punhetava o pau dos dois. Nisso o Marcão respondeu: – Não se preocupe gatinha que eu fechei a porta com chave e coloquei uma placa de limpeza na porta. – Ninguém vai entrar aqui não. Engano dele, pois eu estava lá dentro ouvindo tudo. – E camisinha a gente tem de monte. E davam risada dela. Fui bem devagar e comecei a espiar o que acontecia. Carla estava sentada em um daqueles bancos de madeira comprido e os dois com os paus grudados na cara dela e praticamente de costas pra mim. Ela se revezava naqueles dois ora chupando ora punhetando um e outro. Eu não sabia quem era quem ali. Não conhecia nenhum dos dois caras com quem ela estava. Mas os dois eram bem fortes, um era branco e o outro bem moreno e dava pra ver que tinha uma vara enorme que nem cabia direito na boca de Carlinha.

Enquanto ela chupava eles ficavam apertando os seios dela, o que deixa ela louca de tesão. Carlinha tem muita sensibilidade naqueles seios enormes e bem definidos. Todos mundo pergunta se ela pos silicone mas são naturais mesmo, uma beleza. E continuavam falando: – Vai Carlinha dá pra gente. O Paulão ta doido pra te comer faz tempo. – Fala a verdade… você tá é com medo é do cacetão dele isso sim… ra ra ra. – Tô nada… até parece que eu vou ter medo disso aqui ó. E começou a chupar e punhetar com as duas mãos o cacete do Paulão. Nisso, Marcão abaixou-se e começou a chupar os peitos de Carlinha e passar a mão em sua bucetinha sobre a calça de malhar e foi tirando sua camiseta sem nenhuma resistência. Carlinha chupava o Paulão e gemia nas mãos de Marcão. – Vem cá Carlinha, levanta um pouco pra eu tirar sua calça e pode continuar se divertindo chupando o Paulão. Carlinha se levantou e Marcão foi baixando sua calça leg até os joelhos e se posicionou atrás dela e começou a chupar sua buceta. Carlinha começou a gemer mais alto e logo foi se livrando da calça e colocou um pé sobre o banco pra facilitar o serviço de Marcão e não parava de chupar aquele pausão enorme do Paulão. Parecia estar fissurada nele enquanto o outro chupava sua buceta que a essa hora já estava transbordando de tesão. A essa hora Carlinha nem se lembrava mais de onde estava… só queria gosar e sentir aqueles cacetes invadindo sua buceta. E eu puto da vida assistindo a tudo aquilo. Estava sem reação. Ficaram assim um bom tempo, então o Marcão se levantou e foi posicionando seu cacete na entrada da bucetinha dela, dando uma pinceladas e ela só rebolava e dava umas olhas pra trás e umas risadinhas de quem está gostando da brincadeira. Achei que ela ia mandar ele parar e por uma camisinha mas que nada. Ele foi enfiando sem nada mesmo e ela deixou numa boa. Foi até jogando o corpo pra trás pra ir entrando mais rápido. Entrou numa facilidade incrível, mas também, com o tesão que ela devia estar e arreganhada daquele jeito, ficou fácil mesmo. Marcão começou a bombar com força, o que dificultava Carlinha chupar o Paulão, então ela só punhetava ele e gemia, fazendo cara de putinha, o que ela sabe fazer muito bem. Eu não podia acreditar no que estava vendo. Minha mulher sendo fodidar por dois caras que eu nem conhecia bem na minha frente. Não sabia se eu entrava lá e dava um flagrante neles ou se saía correndo dali feito um desesperado.

Dizem que homem não chora mas naquela hora comecei a chorar feito criança, num desespero, numa angústia inimaginável. Mas eles não pararam por ali não. Só que não quero nem lembrar do resto que fizeram com ela, aquela putinha safada. Isso aconteceu já faz uma semana e não tive coragem de contar a ela que vi tudo o que aconteceu. Não sei o que faço, conto a ela que vi tudo e mando ela embora ou fico quieto, como se nada tivesse acontecido, já que não tive coragem de entrar na hora e dar o flagrante ? Escrevam dando sua opinião e me ajudem a decidir.