Matando a curiosidade 2


Click to Download this video!
Autor

Na primeira vez que a Sandrinha, minha netinha curiosa, chupou meu pau, ela reclamou muito do gosto amargo e salgado da porra. Pensei que ela desistiria de me chupar, mas que nada, ela queria de qualquer jeito beber o leitinho pra ficar mais bonita e inteligente. Isso foi pela manhã de uma segunda feira. Depois dela tomar banho pra limpar toda a melequeira do meu esperma em sua boquinha e rostinho, levei-a pro computador pra ela ver os sites que eu tinha encontrado na internet. Ela ficou fascinada de ver que tantas garotinhas da sua idade também faziam o mesmo que ela fez e se sentiu mais estimulada a continuar tentando. A Sandrinha me chupou várias outras vezes, mas sempre ficava com ânsia de vômito quando sentia o gosto desagradável do meu esperma. Foi aí que tive uma ideia. Passei leite condensado no pau e chamei ela pra mamar. A Sandrinha adorou a ideia e sempre pedia pra que eu derramasse leite condensado no pau antes dela mamar. A ideia se revelou muito eficiente. A Sandrinha conseguia engolir meu esperma sem sentir náuseas. Quando ela chegava, ia direto na geladeira pegar a lata de leite condensado pra derramar no meu pau. Quando ela se aproximava com a lata na mão, eu sabia que ela queria beber sua poção diária de porra. Depois de gozar em sua boquinha, nós tínhamos de tomar um banho pra limpar a meladeira toda que fazíamos. Nós chegamos a usar uma lata inteira de leite condensado por dia, só pra ela poder beber sua porção diária de vitamina. Também experimentamos outros sabores, como doce de leite, goiabada cascão, compota de morangos, iogurte e tantos mais. Mas o que ela preferia era o leite condensado. Antes dela engolir o meu esperma, eu a fazia abrir bem a boca pra que eu pudesse ver a minha gala misturada com o doce em sua boca.
Um destes dias, a Sandrinha veio me contar outra cena que viu quando seus pais transavam. Ela contou que o pai também chupava a cocota da mãe. Foi a deixa pra que eu começasse a chupar sua xerequinha, visto que ela já sentia muito prazer quando eu a dedava. Era uma delícia de cocotinha, alvinha, bem fechadinha, com o grelinho despontando entre os pequenos lábios vaginais. Coisa de louco. Ela queria que eu usasse o leite condensado, mas eu disse que preferia chupar direto, porque adorava o sabor natural da sua bucetinha. Passei também a chupar ela toda, dos pés a cabeça. Ela dava gargalhadas quando eu passava a língua nas preguinhas do cuzinho lindo que ela tinha. Ela não me deixava gozar em sua bundinha ou na entradinha da cocota. O que ela queria era beber a minha porra com leite condensado pra ficar forte e bonita. Agora, imaginem os amigos leitores a cena que vou descrever: Eu, sentado nu no sofá da sala, com o pau duro em riste. A Sandrinha vindo da cozinha com a lata de leite condensado em uma mão e o abridor de latas na outra. Eu furando a lata e ela despejando o produto no meu pau. O líquido escorrendo pela pica e ela abocanhando a rola com sua boquinha linda e resmungando um huuumm gostoso. Ela mamando a rola com as técnicas que eu ensinei pra ela. Imaginem sua cabecinha sendo forçada pela minha mão em sua nuca, pra que a rola entra um pouco mais. Eu gemendo e gozando em sua boquinha. Ela lambendo tudo pra não desperdiçar nenhuma gota, Depois ela abrindo a boquinha pra que eu veja a minha gala misturada com o doce e, logo em seguida, ela engolindo tudinho e eu vendo sua gargantinha se mexendo pra degustar. Imaginaram? Então, não é a cena mais linda deste mundo? Claro que é. Só quem já experimentou sabe como é bom.
Há cerca de duas semanas, eu estou tentando convencê-la a chupar outra pica, pra poder beber mais porra. Como ela é muito vaidosa, quer sempre mais porra, mas eu já não dou conta de suas necessidades. Uma pica só não dá conta de sua sede de leitinho de macho. Estou mostrando sites de internete com fotos de garotinhas chupando duas ou mais picas. Ela se sente atraída, mas está com medo. Ela me perguntou de quem seria a pica. Eu estou indo bem devagar pra não assusta-la. É que tenho um amigo de infância, o Hilário, que tem uma sobrinha que chupa seu pau há algum tempo. Já conversei com o Hilário e ele está interessado em trocar as meninas. Estou fissurado em ser chupado por essa menina e também ver a Sandrinha chupando o pau do meu amigo. Já mostrei fotos do pau do Hilário, mas ela ainda está indecisa. Penso que com mais um pouco de insistência, eu consiga fazer ela chupar outra pica. Sede de gala ela tem de sobra. Minha filha, mãe da Sandrinha, nem sonha com o que fazemos e muito menos com o que pretendo fazer com a minha netinha. Muitos me condenarão, mas estas pessoas são puritanas e não sabem o que é bom. Depois contarei se consegui que a Sandrinha chupe o Hilário.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 6 votos)
Loading...